segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Acontecimentos da década em Portugal: 2003 - FC Porto vence Taça UEFA

Mourinho chegou ao FC Porto em 2002, a meio da temporada 01/02. Desde logo, implantou os seus métodos, que não deram mais frutos, porque o plantel disponível pecava por excesso de qualidade.
Mas Mourinho, em 02/03 teve a célebre frase: "Em condições normais, nós vamos ser campeões". A verdade, é que, além de levar o FC Porto ao título, cometeu a proeza de vencer uma prova europeia.: falo, claro, da Taça UEFA.
A campanha começou com uma goleada aos polacos do Polónia de Varsóvia, por seis a zero nas Antas: Jankauskas (2), Hélder Postiga (2), Derlei e Maniche foram os autores dos golos.
Na segunda Mão, derrota portista por 2-0, mas qualificação garantida.
Na segunda Eliminatória, o FC Porto "limpou" a Áustria, e venceu em Viena, o Áustria local, por uma bola a zero. Nas Antas, nova vitória, desta vez por 2-0.
Para a terceira Eliminatória, um desafio que se antevia muito complicado. Mas não. O Lens, de França, foi goleado no Porto por 3-0, vingando-se depois na segunda mão, ao vencer por 1-0. Insuficiente para seguir em frente.
As provas europeias regressaram depois em Fevereiro, com a recepção azul-e-branca ao Denizlispor da Turquia. Houve chapa seis nas Antas: 6-1 foi o resultado final.
Na Turquia, empate a dois, com um magnífico golo de calcanhar de Clayton. Momento de pura magia.
Nos Quartos-de-Final, novo desafio extremamente difícil para o FC Porto. O adversário era o Panathinaikos, da Grécia.
Surpresa nas Antas, com a vitória grega, na primeira mão. Olisadebe marcou aos 72', numa equipa grega que contava com Chaínho (ex FC Porto, E. Amadora entre outros), Seitaridis (passou pelo FC Porto em 04/05), Fyssas e Karagounis, que foram depois jogadores do Benfica.
Após o fim do jogo, a festa grega era muita. Sérgio Markarian, treinador do "Pana", festejava eufosivamente como se a qualificação estivesse garantida. Para ele "era impossível alguém passar num estádio com um ambiente daqueles". Porém, Mourinho respondeu de pronto: "Não festejes, que ainda estamos no intervalo".
Dito e feito. Na Grécia, Derlei bisou (o segundo golo foi já no prolongamento), e o FC Porto estava nas meias finais. 0-2, foi o resultado final.
Nas Meias Finais, adivinhava-se mais um desafio complicado para os "Dragões". O adversário era nada mais nada menos, que a Lázio de Itália. Na primeira Mão, nas Antas, o conjunto "laziale" até esteve em vantagem: logo aos 6' minutos, Cláudio López inaugurou o marcador. Maniche "à bomba" empatou aos 10', e Derlei fez o 2-1 aos 27'.
Na segunda parte, mais dois golos azuis: novamente Derlei aos 50' e Hélder Postiga aos 56' a fechar a contagem. 4-1, frente à equipa de Fernando Couto.
Em Roma, o FC Porto limitou-se a "cumprir calendário". Empate a zero, com um jogo muito morno, cabendo sempre ao conjunto da casa, os maiores lances de perigo. Hélder Postiga viu o vermelho, e falhava a final de Sevilla.
21 de Maio de 2003. Dia da grande final: FC Porto - Celtic. Adivinhava-se mais um desafio extremamente complicado para a equipa de Mourinho.
Logo aos 8' Costinha lesionou-se e foi substituído. A fé e a confiança portista, aumentou ainda mais, e à beira do intervalo, Derlei deu vantagem aos azuis: 1-0.No início do segundo tempo, dá-se o empate escocês. Foi o inevitável Henrik Larsson quem empatou aos 46'. O FC Porto não tremeu, voltou à carga, e Alenitchev aos 53', repôs a justiça no marcador. 2-1 para os portistas.
Volvidos três minutos, Henrik Larsson empatou o jogo, estavam então decorridos, 56' minutos. Era um jogo, de parada e resposta.
Até ao fim do tempo regulamentar não houve mais golos. Pelo meio, lesão de Jorge Costa, aos 70'.
Já no prolongamento, Marco Ferreira tem uma excelente iniciativa, entra na área, a bola sobre para Derlei e...golo. 3-2, aos 113', numa final de enorme sofrimento para as hostes portistas.
A poucos segundos do fim, expulsão de Nuno Valente, mas a vitória não mais fugiu aos Dragões.
Ano verdadeiramente memorável e inesquecível para todos os adeptos do FC Porto. Pela primeira vez, uma equipa portuguesa inscreveu o seu nome na lista de vencedores da Taça UEFA.

Recorde a ficha de jogo:

FC Porto: Vítor Baía; Paulo Ferreira, Jorge Costa (Pedro Emanuel 70'), Ricardo Carvalho e Nuno Valente; Costinha (Ricardo Costa 08'), Alenitchev, Maniche e Deco; Derlei e Capucho (Marco Ferreira 97').
Treinador: José Mourinho. Suplentes Não Utilizados: Nuno, Tiago, César Peixoto e Clayton.

Celtic: Douglas; Balde, Valgaeren (Laursen 64') e Mjällby; Agathe, Lambert (McNamara 75'), Thompson, Lennon e Petrov (Maloney 104'); Larsson e Sutton.
Treinador: Martin O'Neill. Suplentes Não Utilizados: Hedman, Sylla, David Fernández e James Smith.

Disciplina:
Amarelos: Valgaeren 08'; Lennon 59'; Nuno Valente 63' e 120'; Balde 80' e 94'; Petrov 102'; Maniche 118'; Marco Ferreira 119';
Vermelhos: Balde 94'; Nuno Valente 120';

Marcador: 1-0 Derlei 45'; 1-1 Larsson 46'; 2-1 Alenitchev 53'; 2-2 Larsson 56'; 3-2 Derlei 113'.
Jogadores utilizados na Campanha: Vítor Baía (11 Jogos); Nuno (2 Jogos); Jorge Costa (12 Jogos); Secretário (2 Jogos); Paulo Ferreira (12 Jogos); Nuno Valente (7 Jogos); Mário Silva (4 Jogos); Pedro Emanuel (8 Jogos); Ricardo Costa (6 Jogos/1 Golo); Ricardo Carvalho (7 Jogos); Costinha (9 Jogos); Paulinho Santos (1 Jogo); Tiago (8 Jogos); Bruno (1 Jogo); Maniche (12 Jogos/2 Golos); Akos Buzsáky (1 Jogo); Deco (12 Jogos/1 Golo); Alenitchev (10 Jogos/2 Golos); Capucho (7 Jogos/1 Golo); Cândido Costa (2 Jogos); Marco Ferreira (4 Jogos); César Peixoto (2 Jogos); Clayton (3 Jogos/1 Golo); Jankauskas (9 Jogos/4 Golos); Hélder Postiga (12 Jogos/6 Golos); Derlei (13 Jogos/11 Golos).
Foi convocado, mas não utilizado: Hilário (Guarda-Redes - 1 Jogo); Treinador: José Mourinho.

Sem comentários:

Enviar um comentário