sexta-feira, 2 de março de 2012

Clássico: FC Porto apagou novamente a Luz

De um clássico 'rasgadinho', saiu um FC Porto vencedor (2-3), que de um momento para o outro, pode-se dizer, recuperou nove pontos a um Benfica, que parecia embalado para o título.
Jorge Jesus apresentou o onze que já se previa, enquanto Vítor Pereira fez aquilo que a imprensa havia mencionado nas últimas vinte e quatro horas: apostou em Djalma do lado esquerdo do ataque.
Os encarnados demoraram a entrar na partida, e disto se aproveitou o FC Porto, que inaugurou o marcador aos sete minutos por intermédio de Hulk, numa 'bomba' à entrada da área.
Os azuis e brancos cedo ficaram algo amarelados por faltas duras cometidas por Rolando, Álvaro e Djalma, e já depois de Cardozo e Aimar terem desperdiçado o empate na cara de Helton, o tento da igualdade surgiria à beira do intervalo: canto para o Benfica, confusão na área, remate de Gaitán com desvio em Otamendi, toque involuntário de Witsel e Cardozo a aproveitar para marcar, mesmo sendo agarrado por Janko.
Após o descanso, o Benfica daria a 'cambalhota' no marcador, com mais uma vez Cardozo a ser o 'carrasco' dos portistas, ao desviar de cabeça um livre cobrado por Aimar.
Logo de seguida, Aimar pediu para sair, e o Benfica quebrou. Quebrou ao ponto de sofrer o 2-2 aos 64' minutos, numa altura em que o FC Porto ainda mal tinha chegado à sua baliza.
James havia entrado para o lugar de Rolando, logo após o segundo golo encarnado, e aproveitou da melhor maneira uma recuperação de Fernando para pegar na bola antes do meio-campo encarnado, e assinar o empate, após tabelinha com...Fernando.
Garay lesionou-se e também pediu para sair, e volvidos poucos minutos, Emerson seria expulso por acumulação de amarelos. Mais uma contrariedade para Jesus, que recuou Gaitán para lateral.
Vítor Pereira arriscou, e o FC Porto já justificava o terceiro golo. Kléber rendeu Moutinho aos 86', mas seria Maicon a marcar segundos depois, após um livre em que o central portista parte de posição irregular.
Os portistas dão assim um passo decisivo rumo ao título, tendo agora o Benfica a três pontos, além de estar em vantagem no confronto directo.
Ficha de Jogo:

Jogo realizado no Estádio da Luz, em Lisboa
Quarteto de arbitragem composto por: Pedro Proença (Árbitro Principal); Tiago Trigo e Ricardo Santos (Árbitros Assistentes); João Capela (Quarto Árbitro)

Benfica (4-2-3-1): Artur; Maxi Pereira, Luisão, Garay (Miguel Vítor 71') e Emerson; Javi García (Nélson Oliveira 89') e Witsel; Gaitán, Aimar (Rodrigo 52') e Nolito; Cardozo.
Treinador: Jorge Jesus. Suplentes Não Utilizados: Eduardo; Matic, Bruno César e Saviola.

FC Porto (4-3-3): Helton; Maicon, Rolando (James Rodríguez 59'), Otamendi e Álvaro Pereira; Fernando, Lucho e João Moutinho (Kléber 86'); Djalma, Janko e Hulk (Sapunaru 90+3').
Treinador: Vítor Pereira. Suplentes Não Utilizados: Bracalli; Alex Sandro, Defour e Cristán Rodríguez.

Disciplina:
Amarelos: Rolando 21'; Álvaro Pereira 24'; Djalma 28'; Cardozo 45'; Emerson 63' e 77'; Helton 90+1'; Hulk 90+2'; Maxi Pereira 90+4'.
Vermelhos: Emerson 77'.

Marcador: 0-1 Hulk 07'; 1-1 Cardozo 41'; 2-1 Cardozo 48'; 2-2 James Rodríguez 64'; 2-3 Maicon 87'.

Sem comentários:

Enviar um comentário