domingo, 1 de julho de 2012

Euro 2012: Espanha campeã europeia

E ninguém pára a Espanha. Os espanhóis golearam a Itália por 4-0 na final do Euro, e somaram o terceiro título consecutivo, depois do Euro 2008 e do Mundial 2010.
David Silva aos 14', Jordi Alba aos 41', Fernando Torres aos 86' e Mata aos 88', foram os autores dos golos do robusto triunfo espanhol.
O empate na jornada inaugural do Grupo C, entre transalpinos e espanhóis, criou a ideia de que a final seria equilibrada. Pura ilusão. Se é verdade que os italianos entraram a pressionar forte na partida, também é verdade que rapidamente essa pressão deu lugar à troca de bola dos espanhóis, que apertaram por completo o cerco à baliza de Buffon.
Aos onze minutos, Iniesta ficou perto de marcar, com um remate que passou pouco por cima da baliza italiana, mas apenas três minutos depois, Fàbregas depois de ganhar vários ressaltos junto à linha do fundo, cruzou primorosamente para a cabeça do pequenino David Silva, que abriu o activo.
Como se já não bastasse estar a perder, Cesare Prandelli foi obrigado a fazer a primeira substituição logo aos 21' minutos, por lesão de Chiellini.
Pirlo, demasiado encostado aos centrais, não conseguia pegar no jogo, face à forte pressão espanhola, e a 'Squadra Azzurra' acusou o 'toque'. Tanto acusou, que a quatro minutos do intervalo, Jordi Alba, assistido com grande qualidade por Xavi, não teve dificuldades em fazer o 2-0.
Ao intervalo, Prandelli lançou Di Natale por troca com Cassano, e aos 56', tirou Montolivo, lançando Thiago Motta. Com mais de meia hora pela frente, a Itália esgotava as substituições, e essa acabaria por ser a principal razão para a goleada sofrida.
É que quatro minutos depois de ter entrado, Thiago Motta sofreu uma lesão muscular, o que fez com que a sua equipa tivesse de jogar com menos uma unidade, durante cerca de trinta minutos.
Sem acelerar, a Espanha espalhou o seu 'perfume', continuou a 'cercar' a baliza italiana, e acabaria por fazer mais dois golos: aos 86', marcou Torres, que assim se sagrou o melhor marcador da prova; e aos 88', marcou Mata, que havia entrado dois minutos antes, e que fez a sua estreia nesta edição do Euro.
Quanto à equipa de arbitragem portuguesa, esteve em bom plano.
Depois de tudo isto, podemos dizer que Portugal foi a equipa que mais perto ficou de quebrar a hegemonia espanhola, e que o desafio de destronar a Espanha, continua.
Ficha de Jogo:

Jogo realizado no Estádio Olímpico de Kiev, em Kiev - Ucrânia
Equipa de Arbitragem composta por: Pedro Proença (Árbitro Principal - Portugal); Ricardo Santos, Bertino Miranda, Jorge Sousa e Duarte Gomes (Árbitros Assistentes - Portugal)

Espanha (4-3-3): Casillas; Arbeloa, Sergio Ramos, Piqué e Jordi Alba; Busquets, Xavi e Xabi Alonso; Iniesta (Mata 86'), Fàbregas (Fernando Torres 75') e David Silva (Pedro 59').
Treinador: Vicente Del Bosque. Suplentes Não Utilizados: Reina e Valdés; Raúl Albiol, Javi Martínez, Juanfran, Santi Cazorla, Jesús Navas, Negredo e Llorente.

Itália (4-4-2): Buffon; Abate, Bonucci, Barzagli e Chiellini (Balzaretti 21'); Pirlo, De Rossi, Marchisio e Montolivo (Thiago Motta 56'); Balotelli e Cassano (Di Natale 45').
Treinador: Cesare Prandelli. Suplentes Não Utilizados: Sirigu e De Sanctis; Ogbonna, Maggio, Nocerino, Giaccherini, Borini, Giovinco e Diamanti.

Disciplina:
Amarelos: Piqué 25'; Barzagli 45'.

Marcador: 1-0 David Silva 14'; 2-0 Jordi Alba 41'; 3-0 Fernando Torres 86'; 4-0 Mata 88'.

Sem comentários:

Enviar um comentário