sábado, 7 de julho de 2012

O fim do Glasgow Rangers FC

(Pelo menos durante as próximas três temporadas, Celtic e Rangers não se vão defrontar.)
No passado mês de Junho, foi declarada falência de um dos maiores clubes do Reino Unido: o Glasgow Rangers Football Club, da Escócia.
Confesso que me fez alguma confusão, não porque goste de clube, até porque não tenho qualquer tipo de relação/sentimento com o mesmo, mas sim porque se tratava de um clube histórico, não só no seu próprio País, como no próprio futebol europeu.
Os 'protestantes' entraram na época 11/12, sendo tri-campeões escoceses em título, e tendo uma dívida estimada em mais de vinte e cinco milhões de euros.
Em Fevereiro, o Rangers seguia a quatro pontos do líder e grande rival, Celtic, mas pediu ajuda externa financeira, o que lhe valeu automaticamente uma subtracção de dez pontos por parte da Liga escocesa, o que fez com os azuis de Glasgow, ficassem a catorze pontos da liderança, e praticamente arredados da hipótese de lutarem pelo tetra-campeonato.
Com isto, veio o impedimento de contratar jogadores com mais de dezoito anos nos doze meses seguintes, salários em atraso, que foram depois reduzidos de forma a equilibrar ainda mais as finanças, e o conhecimento de uma dívida de noventa milhões de euros ao Fisco escocês.
Ao fim de cento e trinta e nove anos de história, o Glasgow Rangers FC fechou portas no dia 14 de Junho, refundando-se de seguida, agora com o nome de Rangers FC, e que terá que começar por disputar a III Divisão, uma vez que a sua manutenção na Premier League escocesa, foi rejeitada por larga maioria pelos clubes que compõem o primeiro escalão.
Depois de explicado o 'problema', é tempo de algumas 'reflexões': não haveria ninguém capaz de salvar o clube? Não poderia o próprio governo intervir? Não poderiam os restantes clubes terem votado a favor da continuação do Rangers na primeira divisão, apesar do novo nome?
O único clube que se mostrou disponível para ajudar o Rangers antes da insolvência financeira, foi o...Celtic, que é apenas e só, o seu maior rival de sempre.
É-me difícil de acreditar, que ninguém poderia ter ajudado o Rangers. Nem que o clube descesse escalão a escalão, como aconteceu com o Leeds United ou até com o Boavista, mas que não fechasse portas, desse por onde desse.
Este não é o futebol em que eu acredito. Este não é o futebol que eu adoro.
Há seis épocas atrás, o Rangers defrontou o FC Porto na Liga dos Campeões. E fez quatro pontos. Agora vai para a III Divisão, e o que ficou para trás, é como se já não existisse.

Sem comentários:

Enviar um comentário