sábado, 2 de março de 2013

Clássico: Sporting e FC Porto empatam a zero

Num jogo sem grande história, Sporting e FC Porto não saíram do nulo, resultado que acaba por 'pesar mais' para os portistas, que jogaram os últimos dez minutos com mais uma unidade por expulsão do leão Marcos Rojo.
A primeira parte ficou essencialmente marcada pelas muitas oportunidades desperdiçadas pelos portistas, mas também pela melhor oportunidade desse período ter pertencido ao Sporting: aos 43' minutos, Eric Dier viu uma linha-de-passe numa defesa portista que tinha Otamendi a colocar Wolfswinkel em jogo, e o holandês não conseguiu melhor do que rematar para defesa de Helton.
Antes disso, porém, o FC Porto teve sete ocasiões para marcar, sendo que quatro delas pertenceram a Jackson, que por duas vezes rematou para fora, e por outras duas viu Rui Patrício levar-lhe a melhor.
Danilo na marcação de um livre aos cinco minutos rematou ligeiramente ao lado, Fernando na sequência de um canto, ficou perto de marcar de cabeça, e a melhor oportunidade pertenceu a Defour, que aos 21' minutos, isolado na ala esquerda, rematou para defesa apertada de Patrício.
Apesar de todas estas oportunidades, os portistas estavam longe da sua melhor forma. A ausência de Moutinho, teve, arrisco-me a dizê-lo, um enorme impacto negativo na equipa azul-e-branca, que não conseguiu pensar o jogo ao longo dos noventa minutos.
No segundo tempo, as oportunidades não apareceram com tanta frequência, e o Sporting resistiu ao FC Porto, como não tinha resistido, por exemplo, ao Benfica.
O que é certo, é que na etapa complementar a qualidade de jogo caiu a pique, e a partida só começou a ficar animada a partir do minuto 70'. Antes disso, assobiadela monumental para Izmaylov quando este foi substituído e sempre que tocava na bola e, já agora, nesta linha, cânticos ofensivos por parte das claques sportinguistas para Liedson, que entraria aos 82' minutos.
Aos 73' minutos, o 'menino' Bruma, acabado de entrar, ficou pertíssimo de marcar, depois de um remate de pé direito, e cinco minutos depois, Marcos Rojo recebeu o segundo cartão amarelo, graças a uma falta feita 'a meias' com Rinaudo. Na sequência da expulsão, James Rodríguez atirou o livre para a bancada.
Ainda antes do fim, seria Wolfswinkel a ficar novamente perto do golo, quando na sequência de um contra-ataque, o avançado foi lento na reacção e não aproveitou da melhor maneira a saída de Helton.
Até final, o jogo foi-se mantendo vivo e intenso, com contra-ataque aqui, contra-ataque ali, mas com o nulo a prevalecer até final. Além da segunda expulsão de Rojo em dois jogos contra o FC Porto, os leões viram Oceano e Jesualdo Ferreira serem expulsos do banco.
O Benfica pode aproveitar esta escorregadela do FC Porto para assumir a liderança, precisando 'apenas' de vencer amanhã em Aveiro, o Beira-Mar.
Ficha de Jogo:

Jogo realizado no Estádio José de Alvalade Séc. XXI, em Lisboa
Quarteto de arbitragem composto por: Paulo Baptista (Árbitro Principal); Valter Pereira e José Braga (Árbitros Assistentes); Luís Reforço (Quarto Árbitro)

Sporting (4-3-3): Rui Patrício; Miguel Lopes, Marcos Rojo, Tiago Ilori e Joãozinho; Rinaudo, Eric Dier e Adrien (Carrillo 74'); Diego Capel (Fokobo 79'), Van Wolfswinkel e Labyad (Bruma 60').
Treinador: Jesualdo Ferreira. Suplentes Não Utilizados: Marcelo; Cédric, Zezinho e Gael Etock.

FC Porto (4-3-3): Helton; Danilo, Maicon, Otamendi e Alex Sandro; Fernando, Lucho e Defour (Liedson 82'); Varela (Atsu 66'), Jackson Martínez e Izmaylov (James Rodríguez 56').
Treinador: Vítor Pereira. Suplentes Não Utilizados: Fabiano; Abdoulaye, Castro e Sebá.

Disciplina:
Amarelos: Izmaylov 37'; Marcos Rojo 43' e 77'; Carrillo 80'; Maicon 80'; Fernando 86'; Miguel Lopes 89'; Bruma 90'.
Vermelhos: Marcos Rojo 77'.

Marcador: Nada a assinalar.

Sem comentários:

Enviar um comentário