terça-feira, 31 de agosto de 2010

Rogério Ceni: E vão 90 golos marcados !

Não é muito normal, um guarda-redes marcar 90 (!) golos ao longo da sua carreira. Mas, quando esse guardião é Rogério Ceni (na foto), já ninguém estranha.
No passado domingo, no jogo que opôs o Fluminense de Deco ao São Paulo de Ceni, o guardião brasileiro apontou de livre directo, o seu 90º golo na carreira.
O jogo começou a correr de feição ao "Flu", quando Deco aos 9' minutos abriu a contagem.
Depois, aos 34', Rogério Ceni na cobrança de um livre directo estabeleceu o empate; dois minutos depois, Fernandão fez o 1-2 para o São Paulo, e o Fluminense empatou já no decorrer do segundo tempo, por Leandro Euzébio aos 59'.
Depois de marcar, Ceni brilhou novamente, ao defender uma grande penalidade, que poderia ter dado a vitória ao líder do "Brasileirão".
Com a marcação do seu 90º golo da carreira, Ceni aumentou agora as distâncias para os já retirados, Chilavert (56 Golos) e Higuita (52 Golos).
Em Portugal, há poucas semanas atrás, Bruno Sousa, guarda-redes da Oliveirense, também fez o gosto ao pé, embora em circunstâncias diferentes.

Recordar: Quaresma no Barcelona

Depois de períodos algo conturbados na sua carreira, parece que Quaresma está de volta à forma a que nos habituou. Na Turquia, ao serviço do Besiktas, o extremo luso tem encantado.
Por isso, recordo hoje aqui, a passagem do "Harry Potter" pelo Barcelona, corria a temporada 03/04.
Em 2003, o espectáculo dado por Quaresma ao serviço do Sporting, cativou o interesse de vários colossos europeus, entre eles, claro, o Barcelona.
Assim sendo, acabou vendido ao clube catalão por seis milhões de euros, com o Sporting a receber ainda o brasileiro Fábio Rochemback.
E, foi assim, que aos 19 anos o jovem Quaresma, chegou a um colosso europeu, como era (e é) o Barcelona.
Começou por ser aposta de Rijkaard, sendo titular nos dois primeiros jogos do clube "Culé" na Liga Espanhola; e suplente utilizado na 3ª e na 4ª Jornada.
Participou também na Taça UEFA, tendo sido titular na deslocação do Barcelona ao terreno do Matador Puchov, da Eslováquia.
Dos 19 jogos da primeira volta, Ricardo Quaresma participou em 15, ora como títular, ora "saltando" do banco no decorrer da partida. Foi ainda, expulso no jogo da Jornada 16, frente ao rival Espanhol.
Pelo meio, ajudou o Barcelona a eliminar o Panionios da Grécia na Taça UEFA, actuando nos dois jogos.
Na segunda volta da Liga espanhola, Quaresma participou nos primeiros quatro jogos, tendo apontado o seu primeiro e único golo com a camisola do "Barça" frente ao Albacete, na Jornada 22.
Na semana seguinte, Quaresma voltou a estar em destaque, desta vez pela negativa: depois de entrar aos 61' para o lugar de Luís García, Ricardo Quaresma acabaria por ver o cartão vermelho directo, e a partir daí, a sua presença na equipa do Barcelona, ficou cada vez mais complicada.
Quaresma foi expulso, à 23ª Jornada, quando faltavam ainda quinze jogos para o fim da Liga espanhola. Depois de cumprir o habitual castigo disciplinar, apenas participou em três jogos, todos como suplente utilizado.
Antes disso, foi suplente utilizado na deslocação do Barcelona a Glasgow, que terminou com a vitória da equipa da casa, o Celtic, em jogo a contar para a Taça UEFA.
Mas, o principal problema de Quaresma no "Barça", foi mesmo o desentendimento com o treinador holandês Frank Rijkaard.
Quaresma acusou Rijkaard de não falar com os jogadores, o que originou um mau ambiente entre ambos. No final da temporada, saiu para o FC Porto, porque o Barcelona estava muito interessado em Deco...Número de Jogos efectuados por Ricardo Quaresma ao serviço do Barcelona:

03/04 - 26 Jogos/1 Golo (22 na Liga Espanhola/1 Golo; 4 na Taça UEFA; não tive acesso ao nr. de jogos na Taça do Rei)

Palmarés de Ricardo Quaresma no Barcelona:

Nada a assinalar.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Simão conquista Supertaça Europeia

A Supertaça Europeia conheceu hoje novo "dono".
No Mónaco, o vencedor da Liga dos Campeões 09/10, Inter de Milão, e o vencedor da Liga Europa da mesma temporada, Atlético de Madrid, defrontaram-se com a vitória a pender para o lado espanhol.
No Atlético, Simão Sabrosa foi titular e fez a assistência para o segundo golo da noite, juntando assim mais um troféu ao seu palmarés, no dia em que se tornou pública a sua renúncia à Selecção.
A vitória do Atlético começou a ser desenhada aos 62' minutos, quando o ex-benfiquista Jose Antonio Reyes entrou na área italiana e, de pé esquerdo, abriu a contagem.
A cerca de dez minutos dos 90', Simão Sabrosa trabalhou bem e serviu Aguero, que não perdoou e aumentou para 2-0.
Já perto do fim, Diego Milito poderia ter reduzido na conversão de uma grande penalidade, mas permitiu a defesa ao jovem guardião David De Gea.
Resta dizer que, Quique Flores, deixou o português Tiago na bancada, por opção.

Liga Europa: Quaresma regressa ao Dragão

(FC Porto 2-1 Besiktas em 07/08. Agora, Quaresma, estará do outro lado da "barricada".)
Realizou-se hoje o sorteio da fase de grupos da Liga Europa 2010/2011.
FC Porto e Sporting, tiveram sortes diferentes, mas teoricamente, ambos não terão grandes dificuldades para seguirem em frente.
O Sporting, é aquele que teoricamente, conta com mais facilidades. Obstáculo de maior dificuldade, só mesmo o Lille de França.
Os outros adversários dos "Leões", são o Levski Sofia da Bulgária; e o Gent da Bélgica.
Já o FC Porto, tem um grupo, teoricamente mais complicado. Os adeptos "Dragões" vão rever Ricardo Quaresma, que vem ao Dragão com a camisola do Besiktas.
Além dos turcos, o FC Porto terá pela frente o CSKA Sofia da Bulgária (se não foi combinado, parece); e ainda o Rapid Viena da Áustria que eliminou em pleno Villa Park, o Aston Villa de Inglaterra por 3-2.
O Sporting ficou sorteado no Grupo C, e abre com uma deslocação a França para enfrentar o Lille, a 16 de Setembro; enquanto que o FC Porto está colocado no Grupo L, e abre a fase de grupos, com uma recepção ao Rapid Viena, a 16 de Setembro.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Liga Europa: Dois continuam em prova

(Evaldo festeja o primeiro golo. O melhor ainda estava para vir.)
Terminou mais uma jornada europeia. Portugal mantém duas equipas na Liga Europa, uma vez que o Marítimo não conseguiu recuperar da desvantagem. O destaque de hoje, vai inteirinho para o Sporting que venceu por claros 3-0 na Dinamarca.
Depois das derrotas na semana anterior, Marítimo e Sporting tinham tarefa muito complicada para poderem seguir em frente, principalmente os Leões.
Na Dinamarca, e com uma desvantagem de dois golos, o Sporting não entrou muito bem no jogo, mas ainda assim, em cima do intervalo, Evaldo inaugurou o marcador.
No segundo tempo, os Leões correram atrás do prejuízo, mas Rui Patrício teve de se aplicar a dois remates dinamarqueses. Aos 75' Nuno André Coelho, do meio da rua, fez o 0-2.
Já em período de descontos, a bola sobrou para Liedson e este deu para Yannick, que com um chapéu fez 0-3, e "atirou" com o Sporting para a fase de grupos da Liga Europa.
O Marítimo, depois de perder por 3-0 na Bielorússia frente ao BATE Borisov, jogou na Choupana tentando contrariar o favoritismo claro dos Homens de Leste.
Aos 51' Marquinho teve tudo para inaugurar o marcador mas atirou ao lado. Na resposta, Pavlov aproveitou bem uma defesa incompleta de Marcelo, e fez o 0-1.(Apesar do hat-trick, Hulk não tem razões para sorrir.)
Em cima do minuto noventa, após cruzamento de Marquinho, Kanu empatou a partida; e quando já toda a gente pensava que o jogo iria terminar empatado, eis que Shavysh após um rápido contra-ataque faz o 1-2.
O Marítimo está fora das competições europeias.
No Dragão, um FC Porto um pouco desfalcado recebeu tranquilamente o Genk. A vitória no jogo da primeira mão foi clara e tranquila, e permitiu a AVB descansar alguns jogadores mais influentes.
Graças à isto ou não, foi o Genk a primeira equipa a adiantar-se no marcador. Vossen, aos 22', antecipou-se a Rolando, e fez o primeiro golo do jogo.
No minuto seguinte, Hulk desperdiçou uma grande penalidade que poderia ter dado o empate aos portistas. Aos 36', o mesmo Hulk na sequência de um livre directo, mandou uma bomba que só parou no fundo das redes. 1-1, e seguíamos assim para intervalo.
Aos 53' Fernando do meio da rua, fez o 2-1, contando ainda com a ajuda do guardião belga; e na resposta, Vossen repôs a igualdade no Dragão.
Curiosamente, depois do golo dos belgas, o FC Porto voltou a ganhar uma grande penalidade. Depois de falhar a primeira, Hulk não desperdiçou a segunda e aos 59' fez o 3-2.
Quatro minutos depois, o mesmo Hulk e novamente de livre directo, aumentou para 4-2, estabelecendo o resultado final.
O sorteio da fase de grupos da Liga Europa realiza-se amanhã pelas doze horas (hora portuguesa).

Liga dos Campeões: Confira o sorteio da fase de grupos

(Na última vez em que participou na Liga dos Campeões, o Benfica acabou afastado na fase de grupos.)
Não se adivinha vida fácil para nenhuma das equipas portuguesas presentes na fase de grupos da Liga dos Campeões 2010/2011.
O Benfica presente no pote 2, evitou confrontos com Real Madrid, Valência e Roma, mas não terá a vida facilitada. Ainda assim, dos clubes presentes no pote 1, saiu ao Benfica aquele que teoricamente era o mais fraco: o Ol. Lyon, de Cissokho e de Lisandro.
Os outros adversários dos encarnados são o Schalke 04, que tem agora como coqueluche Raúl ex Real Madrid e que já afastou o FC Porto na Liga dos Campeões (07/08); e ainda o praticamente desconhecido Hapoel Tel-Aviv de Israel.
O Benfica é, naturalmente, um dos favoritos a seguir em frente.
Já o Sp. Braga, terá vida muito mais complicada.
Do pote 1, o pote dos favoritos, saiu aos bracarenses o Arsenal, que nos últimos anos enfrentou o FC Porto, e saiu maioritariamente por cima nesses confrontos.(Na última visita a Portugal, o Schalke 04 saiu vitorioso no desempate por grandes penalidades.)
Os restantes adversários do Braga serão o Shakthar Donetsk da Ucrânia, equipa que em 07/08 derrotou o Benfica na Luz; e ainda o também complicado Partizan de Belgrado, que em 03/04 enfrentou o FC Porto também na fase de grupos da Champions e conta com um português no seu plantel: Almani Moreira.
Quanto aos portugueses espalhados por essa Europa fora, Hugo Almeida (Werder Bremen) lutará com Inter, Tottenham e Twente no Grupo A.
No grupo C, Nani e Bebé (Manchester United) enfrentarão Ricardo Costa (Valência) e ainda o Rangers da Escócia e o Bursaspor da Turquia; enquanto que no Grupo E, o Cluj, equipa mais portuguesa da Roménia (Cadú, Nuno Claro, Nuno Diogo, Tony e Dani), enfrentará o Bayern Munique, a Roma e o Basileia.
No Grupo F, Bosingwa, Paulo Ferreira e Hilário terão pela frente, o Marselha de Lucho; o Spartak de Moscovo e o "desconhecido" Zilina da Eslováquia.;
No Grupo G, José Mourinho, Cristiano Ronaldo e Ricardo Carvalho, terão adversários complicados pela frente: AC Milan, Ajax e Auxerre.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Novidades no blog

No lado direito da página, logo depois do "Arquivo" e do "Acerca de Mim", tem uma funcionalidade denominada "Questionário".
Clique nela, e sem mais demoras, responda a dezassete questões acerca do futebol português.
Se estiver na casa "84% - 100%" é porque, sabe muito acerca do nosso futebol. Se não conseguir essa pontuação, não desista e continue a tentar! Melhores dias virão!

A festa do Braga

Assisti em directo na RTPN, à chegada da equipa do Sp. Braga ao Aeroporto Francisco Sá Carneiro. Já passava pouco depois das 2h da madrugada, mas o ambiente no Aeroporto era absolutamente fantástico. O nome de Domingos, foi o que mais se ouviu, por parte dos adeptos.
Para os que não assistiram, cá ficam as fotos mais "marcantes" da festa bracarense nos momentos que antecederam a chegada dos jogadores, e os momentos seguintes à chegada dos novos heróis de Braga.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Liga dos Campeões: Mágico Braga !

É à "custa" de jogos como o de esta noite, que os bracarenses apelidam o Sp. Braga de "Mágico".
Foi pura magia. Um jogo que ficará, certamente, para a história do clube minhoto e do futebol Mundial.
Pela primeira vez na sua história, o Sp. Braga vai marcar presença na fase de grupos da Liga dos Campeões. E nem o facto do adversário no play off dar pelo nome de Sevilla, assustou os jogadores minhotos.
Para o jogo da segunda mão, Domingos apenas efectuou uma mudança na equipa: saiu Miguel Garcia, entrou Sílvio.
Tal como havia acontecido em Braga, o Sevilla entrou a todo o gás na partida, tentando equilibrar as contas da eliminatória.
Logo aos 2' minutos, Kanouté introduziu a bola na baliza de Felipe, mas o lance foi invalidado devido ao claro fora de jogo do ponta de lança maliano.
O Braga teve algumas dificuldades para sair do seu meio campo, mas lá conseguiu, e aos 7' minutos até ganhou um pontapé de canto.
A fase de maior aperto estava ultrapassada, e o Braga passou-a com distinção, sustendo sempre o ímpeto dos da casa.
Aos 13' Konko, de um ângulo apertado, rematou cruzado, mas Felipe defendeu com segurança.
No minuto seguinte, Matheus depois de ultrapassar Escudé, por pouco não conseguiu rematar à baliza de Palop.
Aos 16', após centro da direita, Luís Fabiano antecipou-se a toda a gente na área do Braga, mas cabeceou por cima, embora tendo causado algum perigo.
Na resposta, novamente Matheus a dar um ar da sua graça, mas o cabeceamento saiu froxo para as mãos de Palop.
Três minutos depois, Luís Fabiano rematou de cabeça a um cruzamento vindo da direita, mas Felipe opôs-se ao "voar" para a defesa, com estilo.
Aos 23', novamente "Fabuloso" a tentar causar perigo na área bracarense, mas Rodríguez com um corte providencial, anulou as intenções do brasileiro, que já se preparava para rematar.
Na resposta, Alan tentou a sorte de muito longe, ganhando "apenas" um pontapé de canto.
Dois minutos volvidos, foi a vez do lateral Sílvio arriscar o remate, mas a bola saiu um pouco ao lado da baliza de Palop.
E, eis que aos 31', o Braga gela Sevilla. Paulo César, iniciou na esquerda um rápido contra-ataque, rematando depois para defesa incompleta de Palop. Na recarga, Matheus limitou-se a rematar o esférico por baixo do corpo do guardião, inaugurando assim o marcador.
O Sevilla voltou "à carga", e aos 36' Kanouté de cabeça, ainda assustou Felipe.
A equipa espanhola dominava o encontro, e até chegava à área bracarense com alguma facilidade, no entanto a finalização não era lá muito boa, tal como prova o cabeceamento de Luís Fabiano aos 40' minutos, que Felipe não teve problemas em agarrar.
Dois minutos depois, uma falta não assinalada sobre Matheus, gerou uma zaragata entre os jogadores de ambas as equipas, com Luís Aguiar, Zokora e Perotti a serem os mais agitados.Em cima do intervalo, Kanouté voltou a tentar o golo de cabeça, mas mais uma vez, a bola saiu à figura de Felipe.
No segundo tempo, o Sevilla voltou a entrar forte tal como havia feito nos primeiros 45', mas Kanouté falhou o remate, quando já se encontrava em plena área bracarense.
Aos 52', depois de um alívio de Felipe, Zokora encheu o pé e rematou com perigo, mas a bola passou ao lado da baliza minhota.
Aos 55' Lima rendeu Luís Aguiar, e aos 58' o mesmo Lima fez o 0-2.
Matheus, arrancou no lado direito, deixando Escudé para trás, centrando depois para o coração da área, onde apareceu Lima a encostar para o segundo golo do Braga. A fase de grupos da Champions estava cada vez mais perto.
Na resposta, o Sevilla reduziu, após erro de Felipe. O remate de Luís Fabiano era perfeitamente defensável, mas o guardião brasileiro de uma pequena "ajuda" aos espanhóis.
A partir daí, o jogo voltou a entrar num ritmo muito forte, com Lima a atirar forte aos 63'. A bola passou longe da baliza de Palop.
Na resposta, José Carlos após uma excelente iniciativa na direita, rematou com estrondo na barra. Esteve à vista o 2-2.
Aos 66' Kanouté de cabeça, assustou Felipe, mas o esférico passou (pouco) ao lado do poste esquerdo.
O Sevilla não baixava os braços, e aos 67' Jesús Navas atirou forte e colocado, valendo ao Braga, Felipe, que de certa forma se redimiu do erro no golo do Sevilla, negando o segundo golo aos espanhóis com uma grande intervenção.
O Braga respondeu dois minutos depois, com Sílvio a efectuar um excelente remate, permitindo a Palop brilhar com uma excelente defesa.
Aos 76', novamente Luís Fabiano em duelo com Felipe. O remate do avançado era perigoso, mas o guardião susteu-o com segurança.
Dois minutos depois, e após passe de Renato, Luís Fabiano voltou a pôr à prova a atenção de Felipe, com o guardião a segurar sem problemas.
Aos 81', Vandinho arriscou o remate, mas o esférico passou muito ao lado da baliza de Palop.
Na resposta, José Carlos, na conversão de um livre directo, fez a bola passar perto do poste esquerdo da baliza minhota.
Passava o perigo, e o tempo, até que o jogo entra na sua fase final, e que fase final !
Aos 84', Echiéjilé desatento, permitiu a Jesús Navas controlar o esférico, e o espanhol na cara de Felipe, não se fez rogado e empatou a partida.
Na resposta, o Braga voltou a dar espectáculo. Após uma enorme falha defensiva, incluindo uma saída precipitada de Palop, Lima aproveitou para encostar para o 2-3. O Braga estava na fase de grupos da Champions.
Já em cima do período de descontos, Elton rematou com perigo, mas Palop defendeu para canto. Na sequência do canto, Lima ao primeiro poste, desviou para o 2-4. Hat-trick do ponta de lança brasileiro, quando a festa já era bracarense.
Na resposta, Kanouté aproveitou uma desatenção bracarense, e de cabeça estabeleceu o resultado final: 3-4.
O Braga fez pela vida, e estará pela primeira vez na sua história na fase de grupos da Liga dos Campeões.Ficha de Jogo:

Sevilla: Palop; Konko (Renato 62'), Fazio, Escudé e Dabo (Negredo 77'); Cigarini (José Carlos 62'), Zokora, Jesús Navas e Perotti; Luís Fabiano e Kanouté.
Treinador: António Alvarez; Suplentes Não Utilizados: Javi Varas; Cala, Rodri e Diego Capel.

Sp. Braga: Felipe; Sílvio, Rodríguez, Moisés e Elderson Echiéjilé; Vandinho, Leandro Salino e Luís Aguiar (Lima 55'); Alan, Paulo César (Paulão 68') e Matheus (Elton 79');
Treinador: Domingos; Suplentes Não Utilizados: Arthur; Hélder Barbosa, Keita e Meyong.

Disciplina:
Amarelos: Elderson Echiéjilé 15'; Leandro Salino 18'; Zokora 43'; Luís Aguiar 43'; Escudé 86'; Perotti 87';

Golos: 0-1 Matheus 31'; 0-2 Lima 58'; 1-2 Luís Fabiano 60'; 2-2 Jesús Navas 84'; 2-3 Lima 85'; 2-4 Lima 90'; 3-4 Kanouté 90+1';

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Recordar: Jorge Costa no Charlton

A 22 Setembro de 2001, Jorge Costa foi titular no jogo que opôs o "seu" FC Porto ao V. Setúbal.
O jogo não estava fácil para os "Dragões" e Octávio Machado substituiu o capitão aos 40' minutos. Jorge Costa, não gostou, e atirou a braçadeira ao solo.
Esta atitude aliada a um alegado desentendimento com Octávio, abriram-lhe as portas da saída das Antas, e em Dezembro do mesmo ano, "O Bicho" rumou por empréstimo ao Charlton de Inglaterra.
Pelos ingleses, Jorge Costa estreou-se a 5 de Dezembro, num jogo em atraso, relativo à 6ª Jornada da Premier League.
Em casa do Chelsea, Jorge Costa saltou do banco aos 81' para render o sul-africano Mark Fish. O Charlton venceu por 1-0, e o golo foi apontado por Kevin Lisbie aos 89'.
Do jogo com o Chelsea até final da temporada, Jorge Costa participou em todos os jogos, incluindo dois a contar para a FA Cup (Taça de Inglaterra).
Apesar de ter participado em 26 jogos com a camisola do Charlton, Jorge Costa não conseguiu marcar qualquer golo, mas também não viu nenhum cartão vermelho.
A campanha do Charlton no campeonato foi tranquila, e o clube terminou a Premier League no 14º lugar, garantindo a manutenção no primeiro escalão.
Na Taça, o Charlton ainda afastou o Blackpool na terceira eliminatória, mas acabaria por ser eliminado na quarta eliminatória frente ao Walsall em casa, num jogo em que os golos da equipa forasteira foram ambos apontados pelo português Jorge Leitão (1-2).
Apesar de não ter conquistado títulos durante a sua breve passagem por Inglaterra, Jorge Costa ganhou o reconhecimento de todos os adeptos do Charlton, que o apelidaram de "The Tank", que em bom português significa, "O Tanque".
No final do empréstimo, o clube inglês fez de tudo para accionar a cláusula de opção sobre Jorge Costa, mas nem Mourinho, nem o FC Porto queriam voltar a perder "O Bicho".Número de Jogos efectuados por Jorge Costa ao serviço do Charlton:

01/02 - 26 Jogos/0 Golos (24 na Premier League; 2 na Taça de Inglaterra)

Palmarés de Jorge Costa no Charlton:

Nada a assinalar.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Liga Europa: Desilusão em tons de verde

Não está fácil a vida das equipas portuguesas na Liga Europa, exceptuando o FC Porto.
Marítimo e Sporting, tinham na teoria, os adversários mais complicados, e acabaram por prová-lo dentro de campo. Ambos foram derrotados, um fora e o outro em casa, e a Liga Europa está agora por um fio para ambos.
O Marítimo foi a primeira equipa a entrar em campo, na longíqua Bielorússia. Os madeirenses até jogaram taco-a-taco com o BATE, mas a experiência dos da casa acabou por falar mais alto.
Baba desperdiçou uma ocasião soberana para abrir o marcador aos 56' minutos e na resposta os bielorussos marcaram. Olekhnovich isolado bateu facilmente Marcelo.
Três minutos depois, o brasileiro Rafael Bressan de livre directo aumentou para 2-0, e aos 71' Pavlov fechou a contagem.
Resumindo, o Marítimo podia ter chegado ao golo com o resultado em branco, não o fez e depois foi a experiência europeia do BATE a ditar ordens.
Vida muito complicada para os madeirenses, e as chances de qualificação para a fase de grupos são mínimas.A segunda equipa portuguesa a entrar em campo, foi o FC Porto. Na Bélgica, os "Dragões" apresentaram-se sem Hulk que viajou até ao Brasil devido à morte de uma sobrinha.
O FC Porto dominou grande parte do primeiro tempo, criando oportunidades de golo, mas o golo apareceu devido a um erro do árbitro. Falcao cometeu falta sobre o defensor belga, o árbitro assim não o entendeu e assinalou penalti. Na conversão, o colombiano inaugurou o marcador aos 29' minutos.
No segundo tempo, o Genk entrou forte e determinado na procura do empate, criando até algumas chances para chegar ao empate, valendo sempre Helton ao FC Porto.
Aos 66' Matoukou entrou violentamente sobre Moutinho, e foi expulso, e a partir daí o FC Porto voltou a controlar tranquilamente o jogo.
Aos 82' Souza, com um tiro indefensável fez o 0-2; e aos 89' Belluschi rematou em arco para o 0-3.
O FC Porto está com um "pé e meio" na fase de grupos da Liga Europa, e ontem alcançou a primeira vitória em solo belga.A última equipa portuguesa a entrar em campo, foi o Sporting, que jogou em casa perante os dinamarqueses do Brondby.
Os "Leões" apresentaram-se sem grandes ideias ofensivas, e os dinamarqueses foram aproveitando essa apatia para se aproximarem da baliza de Rui Patrício.
Aos 30' Kristiansen assustou ao rematar à malha lateral; mas aos 43' o mesmo Kristiansen irrompeu pela direita e de pé esquerdo apontou um belíssimo golo. 0-1 em cima do intervalo.
No segundo tempo, o Sporting não podia ter tido pior início. Aos 52' Kristiansen atirou forte de fora de área, Patrício defendeu para a frente, e Jallow aproveitou para encostar para o 0-2.
Os "Leões" quase marcaram aos 68', quando acertaram por duas vezes no poste. Primeiro foi Liedson num pontapé de bicicleta; e depois foi Nuno André Coelho de cabeça. Duplo azar.
Esta derrota em casa, deixa o Sporting em sérias dificuldades para seguir em frente, uma vez que jogar na Dinamarca não será fácil.
Esta, foi também a primeira vitória de uma equipa dinamarquesa sobre o Sporting.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Históricos do Nosso Futebol: Portimonense

Fundado a 14 de Agosto de 1914, o Portimonense Sporting Clube tem a sua sede em Portimão, no Algarve.
Com a particularidade da ideia de criar um clube, ter surgido numa loja de reparação de calçado, o Portimonense apenas em 1937, conseguiu deixar de disputar o campeonato Regional do Algarve.
Nesse ano, o Portimonense sagrou-se campeão do Algarve, passando então a disputar a II Divisão Nacional.
Foi também no ano de 1937, que o Portimonense começou a utilizar o estádio, que ainda utiliza nos dias de hoje.
Disputando o segundo escalão, os algarvios apenas em 75/76 lograram festejar a subida à I Divisão. Antes disso, estiveram perto de o conseguirem, mas não foram além do 2º lugar (66/67), tendo obtido ainda outras classificações de destaque como o 3º e o 4º lugar por diversas vezes.
Em ano de estreia no primeiro escalão (76/77), o Portimonense alcançou o 12º lugar entre 16 equipas, evitando por pouco a descida de divisão.
Em 77/78, embora tenha terminado o campeonato em igualdade pontual com o Marítimo, o Portimonense acabou despromovido à II Divisão.
No ano de regresso ao segundo escalão, os algarvios enfrentaram o campeonato como um verdadeiro passeio. 19 vitórias em 30 jogos, aliados a 9 empates e duas derrotas, permitiram ao Portimonense conquistar o campeonato da II Divisão, e voltar assim, à I Divisão.
Aproveitando o regresso ao primeiro escalão, os algarvios "sentiram-se" bem entre os "grandes" e por lá permaneceram durante onze temporadas consecutivas.
Depois de um regresso prometedor (8º lugar em 79/80), o Portimonense classificou-se no 6º lugar, duas temporadas depois (81/82).
Mas, o melhor ainda estava para vir. Em 84/85, os algarvios classificam-se num brilhante 5º lugar e ganham o direito a participarem nas competições europeias de 85/86.
Nas competições europeias, o Portimonense não foi lá muito feliz. Depois da vitória em Portimão, na primeira mão, por 1-0, os algarvios deslocaram-se ao terreno do Partizan de Belgrado, e acabaram goleados por 4-0, dizendo assim adeus à Taça UEFA.
Seguiram-se depois cinco temporadas no primeiro escalão, com o Portimonense a carimbar o regresso à II Divisão na temporada 89/90. Um péssimo campeonato dos algarvios, valeu-lhes o 17º lugar entre dezoito equipas, e a consequente despromoção.
A partir daí, seguiu-se uma grande oscilação do clube entre a II Divisão e a II Divisão B.
Em 90/91, os algarvios ainda fizeram o 8º lugar na II Divisão de Honra, mas na temporada seguinte (91/92), acabaram despromovidos à II Divisão B.
Na II Divisão B, o Portimonense tratou rapidamente de assegurar o regresso à II Divisão de Honra, ao vencer 20 dos 34 jogos em disputa.
No regresso ao segundo escalão, a classificação obtida foi o 12º lugar, mas na temporada seguinte, o Portimonense não conseguiu evitar nova despromoção e regressou à II Divisão B.
Depois, seguiram-se seis temporadas consecutivas no terceiro escalão, com a particularidade do clube ter conseguido o 3º lugar em 98/99; o 2º em 99/00; e finalmente, o 1º em 00/01.
Nessa temporada, o Portimonense não deu hipótese a concorrência, vencendo 25 dos 38 jogos que disputou, conseguindo ainda três empates.
No ano de regresso ao segundo escalão, o clube algarvio alcançou uma classificação honrosa, ao conseguir o 6º lugar final.
Seguiu-se depois um brilhante 5º lugar em 02/03, e um decepcionante 16º em 03/04, que só não valeu a descida à II Divisão B, por causa da despromoção administrativa do Salgueiros.
Os algarvios salvaram-se "in extremis" no segundo escalão, e passaram mais três valentes sustos nas temporadas seguintes. 14º lugar em 04/05, entre dezoito equipas; 12º lugar em 05/06, entre dezoito equipas, mas numa temporada em que desceram seis clubes à II Divisão B; e finalmente, o 14º lugar em 06/07, entre dezasseis equipas. Mais um salvamento "in extremis".
Seguiu-se depois um campeonato tranquilo em 07/08, com a obtenção do 10º lugar, e mais um susto na temporada seguinte.
Novamente, entre dezasseis equipas, o Portimonense alcançou o 13º lugar, conseguindo apenas mais três pontos que a primeira equipa da linha de água, que foi o Boavista e somou 32 pontos.
Na temporada passada, os algarvios quiseram eliminar rapidamente o espectro da descida, e sob o comando de Lito Vidigal ocupavam o 1º lugar na Liga Vitalis ao fim de seis jornadas.
A saída de Lito para a U. Leiria, obrigou a direcção algarvia a encontrar um substituto, e a aposta recaíu em Litos, ex jogador do Sporting, e que como treinador tinha feito bons campeonatos na Liga de Honra ao serviço do Estoril.
Ainda assim, na 7ª Jornada, o treinador foi Amílcar Delgado, ainda que de forma interina, e o Portimonense acabou derrotado por 1-0 em Penafiel.
Até ao fim da primeira volta, Litos conseguiu três vitórias, quatro empates e uma derrota, o que permitia ao Portimonense ocupar o 3º lugar da Liga Vitalis, embora em igualdade pontual com o 2º classificado, Santa Clara.
Na segunda volta, um forte arranque da equipa de Litos, onde se destacam as quatro vitórias em seis jogos, permitiram ao Portimonense subir ao 2º lugar, ao fim da 21ª Jornada.
Faltavam nove jogos para o fim, e o campeonato começava a entrar na fase das decisões.
De um momento para o outro, parecia que Portimão ia ruir. Duas derrotas consecutivas, entre elas uma contra o rival na luta pela subida, Santa Clara, atiraram o Portimonense para o 4º posto.
Depois seguiram-se três vitórias algo sofridas, sobre Carregado, Fátima e Covilhã, o que permitiu aos algarvios recuperarem o 2º lugar.
De seguida, um empate no terreno do Aves, e uma derrota fora frente ao Feirense, atiraram com o Portimonense novamente para 3º.
Faltavam duas jornadas, e o Portimonense necessitava de vencer ambos os jogos, para subir de divisão. A vitória na Jornada 29 sobre o Varzim, deixou os algarvios a dependerem apenas de si próprios, mas com o difícil obstáculo de terem de enfrentar na última jornada, o 3º classificado Oliveirense.
Na última jornada, os algarvios venceram a Oliveirense por 1-0, com um golo de Wilson Eduardo aos 66' minutos e fizeram companhia ao Beira Mar, na subida ao principal campeonato do futebol português, regressando assim ao primeiro escalão vinte anos depois da última presença.
Na actual temporada, o Portimonense já disputou a 1ª Jornada da Liga ZON Sagres, tendo sido derrotado no terreno do vice-campeão, Sp. Braga, por 3-1.
O clube efectua os seus jogos caseiros no Estádio Municipal de Portimão, e o seu equipamento é composto por camisola preta e branca com listas na vertical, calção branco e meia branca.

Palmarés do Portimonense SC:
Campeonato Nacional da II Divisão: 2 (1975/1976; 1978/1979)
Campeonato Nacional da II Divisão B: 2 (1992/1993; 2000/2001)
Presenças Europeias: 1 (1985/1986 na Taça UEFA)
Campeonato do Algarve: 2 (1936/1937; 1945/1946)

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Liga dos Campeões: Braga em vantagem

Um golo de Matheus, coloca o Braga em vantagem no play-off de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões.
Perante uma equipa recheada de estrelas, como é o Sevilla, os bracarenses não se inibiram e conquistaram uma vitória que apesar de escassa, pode vir a ser decisiva.
Luís Fabiano regressou a Portugal, e foi o primeiro jogador a ter oportunidade de facturar no jogo. Aos 4' minutos, após um cruzamento de Jesús Navas, "Fabuloso" atirou de cabeça ao poste esquerdo da baliza de Felipe.
O Sevilla assumiu o controlo do jogo, e tinha em Jesís Navas um verdadeiro quebra-cabeças. Estava imparavél o esquerdino.
O Braga, só a espaços conseguia aparecer no meio campo espanhol, e aos 16' Alan cruzou com perigo da direita, mas a defensiva do Sevilla interceptou.
Apesar do forte domínio do Sevilla, o Braga mostrava-se muito coeso defensivamente, e ia sustendo o poderio ofensivo dos espanhóis.
Aos 31', Luís Fabiano aproveitando um ressalto de bola no interior da área bracarense, atirou para a baliza, valendo Moisés no corte.
Nove minutos depois, foi a vez do outro perigoso extremo do Sevilla aparecer em jogo, Diego Capel, que com um cruzamento procurou levar o perigo à área bracarense. Valeu Felipe, a sair da baliza e a agarrar o esférico.
Já em cima do intervalo, o Braga desperdiçou uma excelente oportunidade para abrir o marcador. Alan com um magnifíco passe na direita, isolou Matheus, mas este frente-a-frente com Palop, permitiu a defesa ao guardião do Sevilla.
O intervalo chegou, e as estatisticas não mentiam: o Sevilla detinha 66% de posse de bola. Números verdadeiramente assombrosos.No segundo tempo, novamente o Sevilla à procura do golo, com Jesús Navas a atirar forte de fora de área, mas a bola a sair ao lado.Aos 55', o Braga conseguiu chegar à área do Sevilla, mas valeu o corte de Fazio, a impedir que a bola chegasse a um jogador minhoto.
Três minutos depois, Diego Capel fugiu pela esquerda, e tentou o remate, valendo Sílvio ao Braga a estorvar a acção ao internacional espanhol. A bola perdeu-se pela linha do fundo.
Aos 62', Braga explodiu de alegria. Cruzamento na direita de Sílvio, Paulo César de cabeça a obrigar Palop a uma defesa apertada, e na recarga Matheus a encostar para o fundo das redes. Ficou a dúvida se o brasileiro estava ou não, em posição legal.
Acordou o Braga, caíu e caíu com estrondo o gigante Sevilla. Os bracarenses tomaram depois, conta do jogo, sem nunca se exaltarem na hora de atacar, defendendo sempre com a máxima segurança.
Cinco minutos depois, grande arrancada de Paulo César, que serviu Alan, mas este atirou de pé esquerdo à figura de Palop.
Aos 70' excelente passe de Lima a desmarcar Salino, com o brasileiro a permitir a defesa a Palop. Andou perto do segundo o Sporting de Braga.
Os espanhóis, embora um pouco cansados, tentavam sempre aproximarem-se da baliza à guarda de Felipe, mas nunca com muito sucesso.
Aos 85', Palotti atirou por cima; e aos 89' Paulo César na resposta rematou à figura de Palop. O jogo estava vivo.
Ainda antes do jogo entrar em período de descontos, Jesús Navas cruzou tenso na direita, mas Felipe fou ao "tapete" e agarrou com segurança.
Na resposta, Lima atirou forte de pé esquerdo, levando a bola a raspar no travessão da baliza de Palop.
Aos 92', na última grande oportunidade do Sevilla para chegar ao empate, Luís Fabiano rematou de cabeça para defesa de Felipe.
O jogo terminou pouco depois, e esta vitória do Braga deixa boas perspectivas para o jogo da segunda mão em Sevilla. O Braga está perto de fazer (novamente) história.Ficha de Jogo:

Sp. Braga: Felipe; Miguel Garcia (Sílvio 45'), Moisés, Rodríguez e Elderson Echiéjilé; Vandinho, Leandro Salino e Luís Aguiar (Lima 57'); Alan, Paulo César e Matheus (Elton 75').
Treinador: Domingos; Suplentes Não Utilizados: Arthur; Paulão, Andrés Madrid e Meyong.

Sevilla: Palop; Dabo, Fazo, Escudé e Navarro; Renato (Cigarini 83'), Zokora, Jesús Navas e Diego Capel (Perotti 69'); Kanouté (Negredo 79') e Luís Fabiano.
Treinador: António Alvarez; Suplentes Não Utilizados: Javi Varas; Romaric, Alfaro e Cala.

Disciplina:
Amarelos: Miguel Garcia 24'; Paulo César 54'; Diego Capel 60'; Navarro 67'; Escudé 68';

Golos: 1-0 Matheus 62'.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Recordar: Luís Fabiano no FC Porto

Aproveitando a visita do Sevilla a Portugal, para enfrentar o Sp. Braga, recordo aqui a passagem daquele que é um dos grandes símbolos da equipa andaluz, e que até pode estar perto de sair do clube.
Depois de passagens não muito bem sucedidas pelo futebol europeu, mais concretamente ao serviço do Rennes de França, Luís Fabiano chegou ao FC Porto (campeão Europeu em título), rotulado de goleador, e tido como uma das grandes promessas do futebol brasileiro.
"Fabuloso" como era conhecido no seu país natal, chegou ao FC Porto proveniente do São Paulo, a troco de sete milhões e meio de euros, tendo o clube portista ficado na posse de 25% do passe do jogador.
Fabiano começou a época a titular, e ao terceiro jogo com a camisola azul e branca, já marcava. Foi no Estádio do Dragão, à jornada 3 frente ao Estoril. "Fabuloso" fez na altura, aos 17' minutos, o 1-1.
Luís Fabiano manteve a titularidade por mais três jogos (dois no Campeonato e um na Champions), até se lesionar e falhar os encontros relativos à 7ª e à 8ª Jornada da SuperLiga, e também o jogo da Champions frente ao PSG em França, além do jogo referente à 4ª Eliminatória da Taça de Portugal, frente ao V. Guimarães.
Regressou à competição, no empate dos portistas na Madeira frente ao Nacional (2-2), tendo saído do banco aos 74' para render McCarthy.Voltou a lesionar-se, falhando depois sete jogos. Cinco para a SuperLiga e dois para a Champions.
Regressou à competição, a 7 de Dezembro de 2004, em jogo a contar para a última jornada da fase de grupos da Champions, frente ao Chelsea, acabando substituído aos 76'.Manteve a titularidade, no Domingo seguinte frente ao Once Caldas, na disputa da Taça Intercontinental. O FC Porto acabaria por vencer a competição, mas "Fabuloso" acabou substituído aos 78'.Continuou a ser presença assídua no onze portista, e marcou dois golos entre as jornadas 14 e 16. Curiosamente, ambos os golos valeram empates a uma bola.
A sua boa performance valeu-lhe a permanência no onze por mais três jogos. Desta vez, não conseguiu facturar em nenhum dos jogos.
Falhou depois a Jornada 20 da SuperLiga, voltando à competição frente ao V. Guimarães na jornada seguinte.
Manteve-se como titular durante sete jogos consecutivos, inclusive frente ao Inter na primeira mão dos Oitavos de Final da Champions League.
No dia 11 de Março de 2005, a mãe de Fabiano foi raptada, e talvez por isso, o desempenho do atleta na partida dessa noite frente ao Nacional não foi lá muito famoso. O FC Porto foi humilhado em casa por claros 4-0, e Fabiano saiu aos 76'.
Acabou por ser "dispensado" pela comitiva portista do jogo da segunda mão dos Oitavos de Final da Champions League, devido ao que aconteceu à sua progenitora.
Regressou à competição, na semana seguinte frente ao Sporting, entrando aos 76' minutos. Na jornadada 27, acabou por ser suplente utilizado frente ao Gil Vicente.
Até ao fim da temporada, alinhou em cinco dos seis jogos que restavam ao FC Porto. Foi sempre suplente utilizado entre as jornadas 28 e 33, sem nunca conseguir marcar qualquer golo.
Terminou o seu percurso no FC Porto, ao ser suplente não utilizado na jornada 34, frente à Académica.
Ao todo, Luís Fabiano participou em 27 jogos com a camisola azul e branca, entre SuperLiga e Champions League, marcando apenas três golos.
O sequestro da sua mãe, é certo, abalou-o bastante psicologicamente. Foram dois meses sem saber do estado de saúde da sua mãe, o que, naturalmente, é motivo de grande preocupação para qualquer um.
Acabou vendido no final da temporada 04/05, ao Sevilla de Espanha, onde tem dado cartas e...golos, muitos golos.Número de Jogos efectuados por Luís Fabiano ao serviço do FC Porto:

04/05 - 27 Jogos/3 Golos (22 Jogos no Campeonato/3 Golos; 4 na Liga dos Campeões; 1 na Taça Intercontinental)

Palmarés de Luís Fabiano no FC Porto:

Taça Intercontinental: 1 (2004)

domingo, 15 de agosto de 2010

Taça da Liga: Guarda-Redes dá triunfo à Oliveirense

A Oliveirense venceu ontem à tarde o Varzim na Póvoa, por 1-0, em jogo a contar para a 2ª Jornada da fase de grupos da Taça da Liga, e o golo foi apontado pelo seu...guarda-redes.
Aos 58' minutos aconteceu o grande momento do jogo: o guardião da Oliveirense, Bruno Sousa (na foto), na tentativa de lançar mais um contra ataque da sua equipa, pontapeou a bola para a frente. No entanto, a bola bateu na relva e...passou por cima de Avelino, guarda-redes do Varzim, entrando na baliza do conjunto poveiro. Era o 0-1, marcado pelo...guarda-redes.
Bruno Sousa, viria a ser herói em dose dupla, uma vez que aos 87' minutos defendeu um penalti, cobrado por Tito, jogador do Varzim.
Bruno Sousa, é um experiente guarda-redes de 30 anos, e conta com passagens por Ovarense, Beira Mar, Pampilhosa, Esmoriz entre outros.
E não se pense, que este é o primeiro golo apontado pelo guarda-redes da Oliveirense: em 2006, então ao serviço do Pampilhosa, Bruno Sousa marcou o segundo golo da sua equipa, numa partida frente ao Abrantes que terminou com a vitória abrantina por 3-2. Bruno Sousa marcou de cabeça aos 90+6'.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Pedro Lavoura faleceu há 10 anos

(Digitalização proveniente da revista "Cadernos A BOLA 2000/2001")
Foi a 13 de Agosto de 2000, que Pedro Lavoura, na altura jogador do Sp. Braga, perdeu a vida na sequência de um acidente de automóvel.
Nascido a 29 de Junho de 1974 em Caracas na Venezuela, Pedro formou-se nas camadas jovens do Anadia, onde cumpriu o seu primeiro ano de sénior em 92/93.
Na temporada seguinte, foi emprestado ao Aguinense dos Distritais de Aveiro, de forma a poder ganhar mais experiência enquanto futebolista.
Regressou ao Anadia para 94/95, e as suas qualidades não passaram despercebidas ao responsáveis do clube bairradino, que apostaram nele.
Após um boa época na III Divisão, Pedro Lavoura rumou à Académica, onde permaneceu até 1999, tendo conseguido uma subida de divisão em 1997.
Depois de boas exibições ao serviço da "Briosa", Pedro Lavoura rumou ao Sp. Braga para a temporada 1999/2000.
Fez 31 jogos, e marcou dois golos no Campeonato português, e ia permanecer em Braga para a temporada 2000/2001.
A 13 de Agosto de 2000, morreu na sequência de um acidente de automóvel que vitimou também dois amigos seus (Alexandre Timóteo e João Castro).
Jogava a defesa esquerdo ou extremo esquerdo.

II Divisão: Boavista vai competir

O Boavista vai mesmo competir na II Divisão Nacional, e até já tem plantel formado.
Esta temporada, o clube do Bessa formou o seu plantel sem recorrer a captações, tal como havia feito na temporada passada.
O treinador será Rui Ferreira, ex jogador do V. Guimarães e do Salgueiros, e entre o plantel encontram-se alguns nomes sonantes, como os de Rui Dolores, Renato Queirós e Tó Ferreira.
Além dos onze reforços confirmados, foram promovidos cinco júniores e transitam do plantel de 09/10, seis jogadores, entre eles Ribeiro, defesa direito ex Beira Mar.
Outra das novidades no novo plantel axadrezado, é a contratação de dois atletas espanhóis, ambos oriundos da formação do Atlético de Madrid.
O plantel ainda não está fechado, podendo ainda receber, mais dois ou três atletas, muito provavelmente para "engordarem" o sector defensivo, que é, actualmente, o mais carenciado.
Os trabalhos do clube axadrezado arrancaram hoje, com a realização dos habituais exames médicos.
Também hoje (pelas 18 horas), serão apresentados os equipamentos relativos à temporada 2010/2011.
Plantel do Boavista 2010/2011:

Guarda-Redes:
Tó Ferreira (ex Gondomar)
Rui Sacramento (ex Esmoriz)
Nelo (ex Júnior)

Defesas:
Fábio (ex Júnior)
Zé Carlos
Diogo Leite
Ribeiro
Hélio (ex Vizela)
Álvaro Corcovado (ex Atlético de Madrid, Espanha)

Médios:
Cadinha
Fílipe Espincho (ex Júnior Feirense)
Emerson (ex Arouca)
Rui Lopes (ex Lourosa)
Joel (ex Sp. Espinho)
Baptista (ex Júnior)
Raúl Ortiz (ex Atlético de Madrid, Espanha)

Avançados:
Fabinho
Paulo Campos
Ruizinho (ex Júnior)
Nuninho (ex Júnior)
Beré (ex Arouca)
Renato Queirós (ex Feirense)
Rui Dolores (ex São João de Ver)

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Mercado: Man. United "pesca" em Portugal

É a prova viva de que em Portugal existem futebolistas com qualidade para representaram grandes clubes e jogarem nas grandes competições.
Bebé, um jovem de 20 anos, que alinhou na temporada 09/10 no Estrela da Amadora na II Divisão Nacional, é desde ontem o mais recente reforço do Man. United. Mas já lá vamos.
Formado nas camadas jovens do Loures, Bebé cumpriu o seu último ano de júnior ao serviço do Estrela da Amadora, onde cumpriu também a primeira temporada enquanto sénior.
Depois de realizar uma boa temporada ao serviço dos "Tricolores", as exibições de Bebé despertaram a cobiça de V. Guimarães, Olhanense, Belenenses e também do Moreirense.
Assinou pelo Vitória de Guimarães em Junho deste ano, e tinha vindo a fazer uma boa pré-temporada.
Mais uma vez, as suas exibições despertaram a cobiça de outros clubes, mas desta vez foram os "Tubarões" europeus a interessarem-se pelos serviços do jovem avançado.
Depois de no dia de ontem, ter sido apontado como alvo do Real Madrid, e que o negócio podia estar por horas, Bebé acabou por se tornar reforço do Manchester United.
Recomendado por Carlos Queiroz aos "Red Devils", Bebé viaja amanhã para Manchester, onde irá assinar um contrato válido por cinco temporadas.
A transferência custará ao United, nove milhões de euros, e Bebé será apresentado oficialmente como jogador do MU, na próxima segunda feira.
Depois de vinte anos passados a viver na Casa do Gaiato de Loures, Bebé mudou-se há um mês e meio atrás para a "Cidade Berço", e irá agora representar o Manchester United.
Bebé, representou ainda Portugal no Mundial dos Sem-Abrigo, há dois anos.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Recordar: Nuno Gomes na Fiorentina

Depois de recordar vários jogadores estrangeiros com "nome" por esse Mundo fora, e que passaram pelo nosso país, achei que era altura de inverter os papéis, recordando também, a partir de agora, passagens de jogadores portugueses por conceituados clubes europeus. Começo por Nuno Gomes.
Depois do furor que fez ao serviço do Boavista, Nuno "Gomes" Ribeiro mudou-se de armas e bagagens para o Benfica, onde confirmou a veia goleadora que havia mostrado ter no Bessa.
Depois de apontar 18 golos no Campeonato ao serviço do Benfica na temporada 99/00, e depois de ter feito um excelente Euro 2000, onde apontou quatro golos em cinco jogos, Nuno Gomes foi assediado por vários clubes europeus, acabando por rumar à Fiorentina de Itália.
A transferência custou ao clube de Florença, dezassete milhões de Euros, e Nuno Gomes mostrou que a sua contratação não havia sido feita por mero acaso.
Apontou 9 nove golos em 30 jogos na Serie A na temporada 00/01, ajudando a formação "Viola" a classificar-se num tranquilo 9º lugar com 43 pontos.
Nuno Gomes apontou ainda quatro golos na Taça de Itália, competição que a Fiorentina venceu.
Na temporada 01/02, Nuno Gomes manteve-se no clube de Florença, que entretanto, havia entrado numa grave crise financeira. Ainda assim, o clube chegou à 3ª Eliminatória da Taça UEFA, onde Nuno Gomes apontou dois golos.
A nível interno, é que as coisas não correram lá muito bem à Fiorentina. A equipa "Viola" conseguiu apenas 22 pontos, fruto de cinco vitórias e sete empates, e acabou o campeonato no 19º e penúltimo lugar da Serie A.
Nuno Gomes apontou cinco golos em 23 jogos, com a particularidade interessante de todos os seus cinco golos terem sido importantes na conquista de pontos: um à Atalanta (vitória por 3-1); dois ao Veneza (vitória por 3-1); um à Juventus (empate 1-1); e um ao Chievo (empate 1-1).
Na Taça de Itália, Nuno Gomes não apontou qualquer golo.
No final da temporada, e em virtude da grave crise financeira que atravessava, a Fiorentina faliu e Nuno Gomes ficou um jogador livre, terminando assim a sua campanha ao serviço do clube "Viola".
Apesar de não ter sido "matador" ao serviço da Fiorentina, Nuno Gomes é recordado com carinho por parte da massa associativa "Viola".Número de Jogos efectuados por Nuno Gomes ao serviço da Fiorentina:

00/01 - 30 Jogos/13 Golos (30 na Serie A/9 Golos; não tive acesso ao nr. de jogos na Taça de Itália/4 Golos)
01/02 - 23 Jogos/7 Golos (23 na Serie A/5 Golos; não tive acesso ao nr. de jogos na Taça de Itália; não tive acesso ao nr. de jogos na Taça UEFA/2 Golos)

Palmarés de Nuno Gomes na Fiorentina:

Taça de Itália: 1 (2000/2001)

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

II Divisão: Cinco clubes Nortenhos "mudam-se" para a Zona Centro

(Caso tenha futebol sénior, o Boavista vai voltar a enfrentar o Gondomar, mas na Zona...Centro.)
É mais um reflexo do mau planeamento que existe no futebol português.
Cinco clubes do Norte, que competem na II Divisão Nacional, vão disputar na próxima temporada a Zona Centro, em virtude de mais uma péssima decisão da Federação Portuguesa de Futebol.
Na temporada anterior, quando a II Divisão adoptou o formato usado anteriormente pela extinta II Divisão B, a FPF decidiu que na primeira temporada, os clubes dos Açores disputariam a Zona Centro e os da Madeira a Zona Sul, enquanto que em 10/11 os da Madeira disputariam a Zona Norte e os dos Açores a Zona Sul.
Assim sendo, e depois de mais uma burrice feita pela FPF, Boavista, Aliados de Lordelo, Gondomar, Padroense e Coimbrões, vão disputar a Zona Centro da II Divisão Nacional na temporada 10/11.
No entanto, ainda não é certa a presença do Boavista, uma vez que o clube do Bessa ainda se mantém num impasse quanto ao futuro do seu futebol sénior.
Também há a destacar a presença do Sp. Espinho nesta série, mas esta já é menos surpreendente, uma vez que os espinhenses pertencem ao Distrito de Aveiro, que se situa no Centro do País e, curiosamente, na última vez que o Sp. Espinho ascendeu à Liga de Honra, sagrou-se vencedor da Zona Centro da II Divisão B (03/04).
Não seria muito mais fácil, se nunca tivessem mudado o formato do terceiro escalão do futebol português ? Não seria muito mais fácil, se englobassem as equipas da Madeira e dos Açores numa só Zona, como faziam na extinta II Divisão B, por exemplo ?
É por estas e por outras, que o futebol em Portugal está como está.