domingo, 31 de outubro de 2010

Olha quem voltou (aos golos)!

Quem sabe, nunca esquece! Esta velha máxima aplica-se, claramente, a Mário Jardel.
Aos 37 anos, o ponta de lança brasileiro, precisou apenas de três minutos em campo, para facturar.
Frente ao Lokomotiv de Sofia, "Super Mário" apontou aos 65' minutos (havia entrado aos 62') o golo do triunfo do Cherno More.
Cruzamento do também brasileiro Marco Tiago (ex jogador do Feirense, D. Chaves, Estoril e Freamunde) e Jardel, bem ao seu estilo, a marcar de cabeça o único tento da partida.
Jardel continua a facturar, e claro, de outra maneira não poderia ter sido...de cabeça! "Super Mário" quer continuar a jogar, e mantém o desejo de regressar a Portugal.
Afinal, quem não gostaria de contar com Mário Jardel nas suas fileiras?
Veja o golo:

sábado, 30 de outubro de 2010

Hoje foi dia de grandes duelos por essa Europa fora

Hoje foi dia de grandes duelos em alguns países da Europa. Grécia, Espanha e Itália, tiveram oportunidade de assistir a grandes clássicos, que fazem parte, até, do panorama do futebol Mundial.
Por terras helénicas, Panathinaikos e Olympiakos defrontaram-se para a jornada 8 do campeonato, num jogo em que se antevia os nervos à flor da pele, como sempre.
Aos 37' Kevin Mirallas abriu o marcador a favor do Olympiakos, mas no segundo tempo o francês Djibril Cissé (esse mesmo!) bisou na partida dando o triunfo ao "Pana".
Aos 57', o francês emendou ao segundo poste um cruzamento vindo da direita; e aos 63' na conversão de uma grande penalidade deu a vitória à sua equipa.
Em Itália, outro clássico marcou o fim de semana desportivo. Em Milão, AC Milan e Juventus defrontaram-se em jogo a contar para a Jornada 9 da Série A, com a "Juve" a abrir o activo ainda no primeiro tempo, graças a um cabeceamento espectacular de Fabio Quagliarella aos 24' minutos.
No segundo tempo, Del Piero aproveitou um má jogada de um colega seu, para aumentar o "score" para 0-2, aproveitando também para passar a ser o melhor marcador da história do clube de Turim.
Aos 82' minutos, Ibrahimovic marcou de cabeça à sua antiga equipa, estabelecendo o resultado final: AC Milan 1-2 Juventus.
Em Espanha, também se disputou a Jornada 9, com Barcelona e Sevilla a enfrentarem-se em Camp Nou.
Logo aos 4' minutos, Lionel Messi abriu o activo, enquanto que aos 24' David Villa aumentou a vantagem "blaugrana" para 2-0.
No segundo tempo, Dani Alves fez o 3-0 aos 53'; enquanto que Lionel Messi bisou na partida aos 64', fazendo assim o 4-0.
Já em tempo de compensação, David Villa também bisou na partida, fixando assim o resultado final em 5-0 favorável ao "Barça".
Este sábado foi um dia de clássicos bem jogados por essa Europa fora, enquanto que em Portugal o último jogo do dia esteve à altura de uma...competição aquática.

Croácia: O 13 dá azar? Perguntem a Tonel...

Dizem que o número 13, é o algarismo do azar, mas para Tonel esse não parece ser o caso.
O central português, jogador do Dinamo Zagreb da Croácia, apontou hoje ao minuto 13 da Jornada 13, o primeiro golo da sua equipa no embate frente ao Inter Zapresic. Agora, só falta dizer que Tonel veste a camisola número...13!
O Dinamo acabou por vencer 3-0, com Sammir (aos 68') e Ibañéz (aos 90') a fazerem os restantes golos da partida.
Tonel que chegou esta temporada ao Dinamo de Zagreb proveniente do Sporting, já leva dois golos no campeonato croata, quando estão decorridas treze jornadas do campeonato.
Formado no FC Porto, Tonel representou enquanto sénior Académica, Marítimo e Sporting, além da equipa "B" portista.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Ronaldo: Ele quer acabar no Sporting

Em entrevista ao jornal "Record", Cristiano Ronaldo manifesta a vontade de acabar a sua carreira no Sporting, clube onde deu nas vistas e onde se "revelou".
O extremo português, mostra assim não esquecer as suas origens, e o clube onde atingiu os níveis, que lhe permitiram depois chegar ao topo do futebol Mundial.
Ronaldo chegou ao Sporting em 1997, então com doze anos de idade, e cedo se percebeu que talento, era coisa que não lhe faltava.
Cinco anos depois de ter chegado a Alvalade, foi lançado na equipa principal por Laszlo Boloni (tinha dezassete anos), e na sua estreia a titular na casa dos "leões", fez dois golos ao Moreirense.
Nessa mesma temporada (2002/2003), Ronaldo cometeu a proeza histórica de representar as Selecções Nacionais de sub-16, sub-17 e sub-18; além da equipa B do Sporting e claro, a equipa principal leonina.
Algumas vezes criticado, por falta de humildade, Ronaldo certamente, apanhou muita gente de surpresa com esta declaração.
E, imagens como a de cima, podem muito bem repetirem-se daqui por alguns anos. Para isso, basta que a vontade de Cristiano Ronaldo se cumpra.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Jogos com História: FC Porto 4-1 Lázio (2002/2003)

É o regresso da rubrica "Jogos com História". Aproveitando a excelente fase que o FC Porto atravessa na Liga Europa, recordo aqui um grande jogo da última temporada que os azuis disputaram a Taça UEFA.
Na primeira mão da meia final da Taça UEFA 02/03, o FC Porto recebeu e venceu a Lázio por concludentes 4-1. Foi dos melhores jogos da história azul e branca.
O jogo começou praticamente com o golo "laziale". Favalli progrediu pela ala esquerda, e cruzou para Cláudio Lopez, que rematou à meia volta sem hipótese de defesa para Vítor Baía. Estavam decorridos apenas seis minutos.
O FC Porto respondeu por intermédio de Maniche, que de fora de área atirou forte e fez um belíssimo golo. Peruzzi ainda tocou na bola, mas foi insuficiente. Aos 10' minutos o Porto chegava ao empate.
A equipa portista carregava ainda mais, e aos 14' Derlei fez o 2-1, mas o golo acabou invalidado por fora-de-jogo.
Com 25' minutos de jogo decorridos, Hélder Postiga teve uma excelente iniciativa individual, deixando para trás Mihajlovic mas acabou por atirar para fora.
Dois minutos depois, e após canto batido por Deco, Derlei desviou o esférico fora do alcance de Peruzzi, dando vantagem ao Porto pela primeira vez na partida.
O Porto continuava a carregar, e a desperdiçar golos escandalosamente.
Aos 32' Nuno Valente trabalhou bem na esquerda e serviu Derlei, que acabou por atirar ao lado. Cinco minutos depois, foi a vez de Deco cruzar para o interior da área, onde apareceu o capitão Jorge Costa, a atirar ligeiramente por cima.
Antes do intervalo, Postiga teve duas grandes ocasiões para marcar, mas se na primeira acertou em Peruzzi, na segunda rematou para fora.
O segundo tempo começou da mesma maneira que o primeiro: com golos.
Aos 49' Deco atirou forte de longe na conversão de um livre directo, Peruzzi não conseguiu segurar, e rapidamente apareceu Derlei a encostar para o 3-1.
Oito minutos depois, Hélder Postiga após passe de Alenitchev, rematou forte e cruzado, não dando hipótese ao guardião Peruzzi. O FC Porto aumentava para 4-1, e o resultado não era exagerado. Antes pelo contrário.
A partir daqui, a partida baixou claramente de intensidade, com o Porto a gerir calmamente o jogo e a efectuar mudanças na frente de ataque, mas sempre que podia a equipa portista aproveitava para criar perigo junto à baliza da Lázio.
Aos 77' foi Nuno Valente, quem de livre directo, proporcionou a Peruzzi uma excelente intervenção.
Quatro minutos depois, naquela que foi a segunda ocasião de perigo criada pelo conjunto "laziale" em toda a partida (a primeira no segundo tempo), Baía saiu-se bem aos pés de Inzaghi, evitando males maiores.
A última oportunidade do Porto no jogo aconteceu aos 84', com Derlei a isolar-se perante Peruzzi, mas a permitir que o guardião italiano se apoderasse da bola.
Já em período de descontos, José Mourinho desentendeu-se com Castromán, e acabou expulso do banco de suplentes.
Fantástica exibição do FC Porto, que humilhou e massacrou a Lázio de Fernando Couto.
Ficha de Jogo:

FC Porto: Vítor Baía; Paulo Ferreira, Jorge Costa, Ricardo Carvalho e Nuno Valente; Costinha, Maniche, Alenitchev (Tiago 82') e Deco; Hélder Postiga (Marco Ferreira 60') e Derlei (Jankauskas 86');
Treinador: José Mourinho; Suplentes Não Utilizados: Nuno; Pedro Emanuel, Ricardo Costa e Capucho.

Lázio: Peruzzi; Pancaro, Fernando Couto, Mihajlovic e Favalli (Castromán 69'); Simeone (Giannichedda 71'), Stankovic e César; Fiore, Chiesa (Simone Inzaghi 58') e Cláudio Lopez.
Treinador: Roberto Mancini; Suplentes Não Utilizados: Marchegiani; Negro, Oddo e Liverani;

Disciplina: Favalli 43'; Pancaro 48'; Fiore 74'; César 90+1'; Castromán 90+3';

Golos: 0-1 Cláudio López 6'; 1-1 Maniche 10'; 2-1 Derlei 27'; 3-1 Derlei 49'; 4-1 Hélder Postiga 57';

III Divisão: Cova da Piedade arrisca-se a ficar sem plantel

A equipa técnica do Cova da Piedade, pretende abandonar o clube juntamente com dezasseis jogadores do plantel sénior. Em causa, está o facto da direcção querer reduzir salários, o que provoca descontentamento entre treinadores e jogadores, que se consideram enganados pelo presidente.
No início da semana, a presidente Maria João Velez anunciou um corte de 50% nos vencimentos, e manifestou ainda a incapacidade do clube em liquidar os salários em atraso da temporada passada.
Em sinal de protesto, grande parte do plantel e respectiva equipa técnica, prometem abandonar o clube depois do jogo do próximo domingo, em casa do Moura. A presidente Maria João Velez, garante que o clube continuará, sem eles.
Em declarações à "Agência Lusa", o técnico Alfredo Almeida (na foto abaixo) disse que com os cortes previstos, a situação de grande parte dos jogadores, tornar-se-á insustentável:
"A maioria dos jogadores, com seis meses de salários em atraso ficou porque acreditava no que foi prometido pela direção. O que nos revolta é a atitude. Fomos enganados. Se não gostássemos do clube e só pensássemos em dinheiro, não tínhamos estado seis e sete meses sem receber na época passada. Mas prometeram-nos que isso não ia acontecer esta época." citou.
Alfredo Almeida garantiu ainda que grande parte dos jogadores que estão de saída, têm em sua posse declarações de dívida, que podem "afundar" ainda mais o clube, mas garante que não é isso que querem fazer: "Não queremos acabar com o clube. Se quiséssemos, com as declarações de dívida, já o tínhamos feito." concluiu.
A presidente do clube, Maria João Velez, acredita na continuidade do futebol sénior do Cova da Piedade, com ou sem os jogadores do actual plantel: "O clube vai continuar com ou sem eles. E o futebol sénior também. Tenho de acreditar nisso. Sei que está em risco, mas cabe-me acreditar." disse.
Maria João Velez, disse ainda nunca ter mentido à equipa técnica e ao respectivo plantel:
"A equipa técnica mostrou-se muito pouco acessível. Não os condeno, mas fiquei surpreendida com a atitude do grupo de trabalho. Nunca vou mentir, foi o que fiz. Não tenho tido a ajuda deles, porque estão magoados, mas eu fui honesta e expliquei-lhes que não há dinheiro."
Concluídas que estão cinco jorndas da Série F da III Divisão, o Cova da Piedade ocupa a décima posição com apenas cinco pontos somados.
Na temporada passada, o clube ficou às portas da subida para a II Divisão, algo que não aconteceu devido ao confronto directo com o histórico Farense.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

AF Porto: AD Marco 09 1-4 D. Sandinenses

Em 2006/2007, FC Marco e Dragões Sandinenses enfrentaram-se na II Divisão B, e não mais o voltaram a fazer em termos oficiais.
Na primeira volta, no Marco de Canaveses, o resultado "quedou-se" por um empate, com o golo marcoense a ser apontado por Roberto, ponta de lança brasileiro que mais tarde representaria o V. Guimarães; enquanto que os Dragões Sandinenses chegaram ao empate, já para lá da hora, por intermédio do experiente médio, Cardoso. Este resultado permitiu, na altura, ao Marco ascender ao sétimo posto com 17 pontos, enquanto que os Dragões Sandinenses ocupavam a penúltima posição com 10 pontos.
Na segunda volta, o Marco deslocou-se a Sandim, numa posição tranquila e com a permanência garantida, enquanto que os da casa jogaram com a "corda na garganta", uma vez que a manutenção estava cada vez mais complicada.
Em cima do intervalo, a equipa da casa inaugurou o marcador por intermédio do extremo Ruizinho, e já na segunda parte, o lateral direito Álvaro, fixou o resultado final em 2-0 favorável aos sandinenses.
Com este triunfo, os Dragões Sandinenses mantiveram a penúltima posição, agora com 26 pontos, deixando a questão da manutenção para a última jornada, enquanto que o Marco caiu para a nona posição com 31 pontos.
No passado domingo, disputou-se a Jornada 9 da Série 2 da I Divisão Distrital da AF Porto, e os Dragões Sandinenses regressaram à cidade do Marco, quatro anos depois. Não para enfrentar o FC Marco, mas sim para enfrentar o seu "substituto" AD Marco 09.
No primeiro tempo, os Dragões Sandinenses aproveitaram uma falha da defensiva marcoense e chegaram ao golo por intermédio do extremo Luís Killberg, quando estavam decorridos 20' minutos.
Intranquilos, os marcoenses não conseguiam praticar o seu futebol, enquanto que os forasteiros, eram agora uma equipa (ainda) mais tranquila em campo.
Ainda antes do intervalo, o Marco 09 poderia ter empatado, mas o experiente médio, Brito, acertou em cheio no poste da baliza de Xavi.
No segundo tempo, mais um erro defensivo do Marco 09, mais um golo dos Dragões Sandinenses. Raúl fez um mau passe, "assistindo" assim Bruno Rocha para o segundo golo dos Homens de Sandim.
Estavam decorridos 60' minutos e os marcoenses, arriscaram ainda mais, em busca do empate. E, foi assim que aos 65', Bruno Rocha bisou na partida, aumentando o score para 0-3.
Dois minutos depois, o Marco 09 reduziu o marcador, por intermédio do defesa central Hugo Mateus, na conversão de um livre directo, com a bola a sofrer desvio na barreira, e a trair o guardião sandinense.
A seis minutos do fim, e aproveitando uma vez mais o facto da equipa da casa estar completamente balanceada para o ataque, os Dragões Sandinenses chegaram ao quarto golo, por intermédio de Pedrito.
Com esta vitória, a equipa de Sandim, ascendeu ao 2º lugar da tabela com 18 pontos, ultrapassando o seu adversário de domingo, o Marco 09, que é agora 3º com 16 pontos.
Na equipa do Marco 09, há um "sobrevivente" dos duelos com os Dragões Sandinenses no passado: Tó Zé, defesa direito, de 22 anos, jogador formado nas camadas jovens dos marcoenses, e que no passado domingo até alinhou como defesa esquerdo.
Nos Dragões Sandinenses, o "sobrevivente" do plantel de 2006/2007, é o ponta de lança Nuno Silva.
Ficha de Jogo:

Estádio: Municipal de Marco de Canaveses, em Marco de Canaveses (Relvado Natural)
Árbitro Principal: Pedro Campos (AF Porto)

AD Marco 09: Sérgio; Hugo Mateus, Carlos Mendes (Nélson 79'), André e Tó Zé; João Paulo (Emanuel 48'), Raúl (Saraiva 74') e Brito; Pedro Campeão, Pinto e Vasco Saraiva.
Treinador: João Monteiro. Suplentes Não Utilizados: Gabriel; Azevedo, Sérgio Mauro e Zé Silva.

D. Sandinenses: Xavi; Preto, Wilson (Rui Sousa 48'), Barreiros e Quinzinho; Luís Miguel, Pedro Abel e Tó Zé (Machadinho 80'); Pedrito, Bruno Rocha (Agostinho 89') e Luís Killberg.
Treinador: Ricardo Jorge. Suplentes Não Utilizados: Paredes; Luís Barbosa, Jorginho e Alcino.

Golos: 0-1 Luís Killberg 20'; 0-2 Bruno Rocha 60'; 0-3 Bruno Rocha 65'; 1-3 Hugo Mateus 67'; 1-4 Pedrito 84';

domingo, 24 de outubro de 2010

Holanda: PSV vence Feyenoord por...10-0 !

Parece mentira, mas é bem verdade. Em duelo de históricos holandeses, o PSV goleou o Feyenoord por 10-0! Uma goleada, verdadeiramente, à moda antiga e que certamente, faz corar de vergonha os adeptos do clube de Roterdão.
Os homens da casa, líderes destacados do campeonato, massacraram por completo o Feyenoord, mas ao intervalo o placar registava "apenas" 2-0 a favor da equipa de Eindhoven.
Ainda no primeiro tempo, o Feyenoord ficaria reduzido a dez elementos por expulsão de Leerdam.
Na segunda parte, o volume ofensivo do PSV aumentou progressivamente, e a dada altura os adeptos da casa começaram a gritar "Dez, dez!" conforme relata a imprensa holandesa.
Jonathan Reis, com um hat-trick, e Lens e Dzsudzsák com dois golos cada, foram os marcadores de serviço do PSV. Afellay, Toivonen e Engelaar também facturaram.
Com este resultado, o PSV conseguiu uma marca histórica, ao infligir a maior goleada de sempre a um antigo campeão Europeu.
Ficha de Jogo:

PSV: Isaksson; Marcelo, Pieters, Bouma (Rodríguez 66') e Engelaar; Hutchinson, Afellay (Bakkal 66') e Dzsudzsák; Toivonen, Lens e Jonathan Reis (Koevermans 71').
Treinador: Fred Rutten. Suplentes Não Utilizados: Cássio; Wuytens, Amrabat e Nijland.

Feyenoord: Van Dijk; De Vrij, André Bahia, De Cler e Leerdam; Bruins, Fer (El Ahmadi 14') e Mokotjo; Wijnaldum, Castaignos (Auassar 63') e Schaken (Bruno Martins 35').
Treinador: Mario Been. Suplentes Não Utilizados: Darley; Smolov, Van Haaren e Jerson Cabral.

Disciplina:
Amarelos: Schaken 23'; Leerdam 27' e 34'; Mokotjo 76'; El Ahmadi 86;
Vermelhos: Leerdam 34';

Golos: 1-0 Jonathan Reis 24'; 2-0 Afellay 39'; 3-0 Jonathan Reis 47'; 4-0 Toivonen 49'; 5-0 Lens 55'; 6-0 Jonathan Reis 59'; 7-0 Dzsudzsák 62'; 8-0 Engelaar 69'; 9-0 Dzsudzsák 77' G. P.; 10-0 Lens 87';

Um ano de blogue

Pois é. Foi exactamente há um ano, que dei os meus primeiros passos na blogosfera, "abrindo" assim este blogue, que passado um ano ainda se mantém no activo, e díria mesmo, que está aí para as "curvas".
Ao longo deste ano de blogue, partilhei alegrias, tristezas entre outras coisas. A destacar o facto do Benfica se ter sagrado campeão Nacional, e do FC Porto ter vencido a Taça de Portugal e a Supertaça.
Outro ponto importante e a destacar, são todos aqueles que acompanham diariamente o meu blogue. A todos eles, o meu Muito Obrigado, pois são eles que me dão força para continuar a relembrar grandes momentos do futebol português, não descortinando a actualidade.
Até ao momento, já recebi mais de 6538 visitas de utilizadores diferentes, só de Portugal. Atrás, surge destacado o Brasil, seguido pelos Estados Unidos, França, Espanha, e por aí fora.
Espero que continuem a acompanhar o meu trabalho, e espero, sinceramente, que no próximo ano, esteja a escrever um post idêntico, mas para assinalar o segundo "aniversário".
Obrigado e boas visitas !

sábado, 23 de outubro de 2010

Leixões vs FC Marco: Uma década de duelos

A rivalidade entre Leixões e Marco, surgiu algures no princípio da última década.
Esta rivalidade atingiu maiores proporções, quando os marcoenses se sagraram campeões da Zona Norte da II Divisão B em igualdade pontual com o...Leixões. Ambos fizeram 83 pontos, mas o Marco havia vencido no Estádio do Mar por 2-0, depois de um empate a dois golos no jogo da primeira volta, logo o conjunto marcoense tinha vantagem no confronto directo.
Ao longo da história, apenas por uma vez o Marco levou de vencida o Leixões nos dois jogos que disputou contra os matosinhenses no campeonato: foi em 99/00, ano em que o Marco alcançaria a subida à Liga de Honra, pela primeira vez na sua história. Curiosamente, ambos os jogos terminaram 2-1 a favor dos marcoenses.
Contudo, arrisco a dizer que os duelos mais marcantes entre estes dois clubes, além daqueles de 01/02, foram os da última temporada em que ambos os clubes se enfrentaram.
Foi na temporada 05/06, numa altura em que o Leixões lutava pela subida e o Marco lutava para não...fechar as portas em plena temporada desportiva.
Na primeira volta, o Leixões beneficiou da expulsão de um jogador do Marco aos 36' minutos, quando já vencia por 1-0, para no segundo tempo alargar a vantagem para uns claros 4-0.
Depois, no segundo jogo, e com o Marco muito mais fragilizado, o Leixões "humilhou" os marcoenses em pleno Estádio Avelino Ferreira Torres, por 5-0!
Actualmente, não será possivel haver um duelo entre estes dois clubes, porque o Futebol Clube do Marco, como é do conhecimento público, foi extinto em 2007.
Com o FC Marco, "caiu" também a claque de apoio do clube marcoense, os "TuffBoys". Foram muitos os confrontos entre os "TuffBoys" e a "Máfia Vermelha", claque de apoio ao Leixões.
Cada jogo entre estes dois clubes, era uma aventura, com autocarros danificados, lojas e cafés destruidos, entre outras inúmeras coisas.
Com ou sem violência, Leixões e FC Marco, proporcionavam sempre grandes espectáculos dentro e fora das quatro linhas, e era já, sem dúvida, um clássico da Liga de Honra, e até mesmo do futebol português.
Bons velhos tempos!

Históricos do Nosso Futebol: Leixões

Fundado a 28 de Novembro de 1907, o Leixões Sport Club tem a sua sede em Matosinhos, e resultou da junção entre três clubes daquela cidade.
Desde a data da sua fundação até 1934, os leixonenses disputaram os campeonatos Distritais do Porto, passando a disputar na temporada 34/35, uma espécie de "liguilha" que lhes permitiria ascender à Divisão principal, algo que veio a acontecer na temporada seguinte.
Assim sendo, em 36/37 o Leixões estreou-se na Primeira Divisão Nacional, mas não foi além do último lugar, conseguindo apenas duas vitórias em catorze jornadas.
Os leixonenses disputaram o segundo escalão por mais duas temporadas, regressando à I Divisão em 39/40, não conseguindo evitar nova descida de divisão.
Desta vez, o Leixões quedou-se "apenas" pela penúltima posição.
Nas duas temporadas seguintes, o Leixões voltou a disputar a II Divisão, e voltou a conseguir a promoção ao primeiro escalão.
Em 42/43, os "Bebés do Mar", conseguiram apenas dois empates em 18 jogos, não conseguindo melhor, claro, do que a última posição.
Depois, entre 1943 e 1959 o Leixões disputou a II Divisão, conseguindo mesmo o 1º lugar na "fase regular", mas sem nunca conseguir a promoção, algo que só aconteceu na temporada 58/59, quando os leixonenses conseguiram o 2º lugar na fase final, conseguindo assim regressar ao primeiro escalão.
O regresso do Leixões ao primeiro escalão, não poderia ter corrido melhor. Depois do 8º lugar conquistado em 59/60, seguiram-se dezassete (!) temporadas consecutivas entre "os grandes", com a melhor classificação a ser o 5º lugar alcançado em 62/63.
Foi também neste período que os leixonenses alcançaram grandes feitos, tais como vencer a Taça de Portugal e participar nas competições europeias.
Em 60/61, o Leixões conquistou a Taça de Portugal ao bater na final, em pleno Estádio das Antas, o seu grande "rival" FC Porto por 2-0.
Na temporada seguinte, e fruto dessa vitória na Taça, o clube de Matosinhos participou na Taça das Taças, atingindo os quartos de final, depois de afastar o Le Chaux de Fonds da Suiça e o Progressul Bucareste da Roménia. Nos quartos de final, o Leixões seria afastado pelo Carl Zeiss Jena da Alemanha.
Em 64/65, os leixonenses voltaram a disputar uma prova europeia, desta feita a Taça das Cidades com Feira (actualmente Liga Europa).
No entanto, não conseguiram passar da 1ª Eliminatória, acabando eliminados aos pés do Celtic Glasgow da Escócia.
Depois, em 68/69, o Leixões voltou a disputar a Taça das Cidades com Feira, voltando a não conseguir ultrapassar a 1ª Eliminatória, depois de dois empates com o Arges da Roménia: 1-1 em casa e 0-0 fora. Os golos marcados fora, ditaram "leis".
No entanto, nem todas as dezoito presenças consecutivas na I Divisão foram positivas. Depois de alguns salvamentos "in extremis", o Leixões acabaria mesmo por "cair" para o segundo escalão em 76/77, depois de obter o 15º lugar entre dezasseis equipas.
Na II Divisão, o Leixões esteve depois onze temporadas consecutivas, tendo como melhor classificação o 2º lugar obtido em 80/81 e 87/88. Além disto, os leixonenses conseguiram também classificações honrosas como o 3º lugar em 83/84 e o 4º em 84/85.
Em 87/88, depois de obter o segundo lugar final, os "Bebés do Mar" regressaram ao primeiro escalão, onde não foram lá muito felizes.
Sete vitórias em 38 jogos, valeram o 19º e penúltimo lugar da tabela, com 28 pontos somados.
Depois desta descida de divisão, o Leixões esteve dezoito temporadas afastado do primeiro escalão. Seguiram-se cinco temporadas na II Divisão, que depois até mudou o nome para II Divisão de Honra, onde a melhor classificação dos "Bebés" foi o 7º lugar em 90/91 e 91/92; e a pior o 18º lugar em 93/94, que valeu a descida à II Divisão B.
No terceiro escalão, o Leixões esteve durante nove temporadas, conseguindo três segundos lugares (96/97, 98/99 e 01/02), falhando assim a subida de divisão por pouco, criando também ao longo destas temporadas, uma enorme rivalidade com o FC Marco, rivalidade essa que se acentuou em 01/02, quando ambos os clubes terminaram a prova com o mesmo número de pontos, com os marcoenses a sagrarem-se vencedores da Zona Norte graças ao confronto directo e a conseguirem a promoção à Liga de Honra.
Foi precisamente em 01/02 que o Leixões voltou a atingir a final da Taça de Portugal. Uma excelente campanha, onde os leixonenses eliminaram várias equipas da Liga de Honra, e ainda o Sp. Braga em pleno Estádio 1º de Maio na meia final.
Na final, perante o campeão Sporting, os leixonenses perderam 1-0, e podem-se queixar da arbitragem da partida.
Em 02/03, o Leixões voltou a disputar a Taça UEFA, fruto da excelente campanha na Taça de Portugal 01/02. Foi a primeira vez que uma equipa do terceiro escalão do futebol português disputou uma prova europeia.
Depois de eliminar o Belasica da Macedónia na Pré-Eliminatória, o Leixões ainda venceu o PAOK da Grécia no Estádio do Mar, mas acabou por ser eliminado.
Em 02/03, os leixonenses disputaram ainda a Supertaça Cândido de Oliveira, acabando goleados (5-1) pelo Sporting.
Nessa temporada, o clube de Matosinhos não deu a mínima hipótese na Zona Norte da II Divisão B, sagrando-se Campeão com 22 pontos de avanço para o segundo classificado, Lousada.
Foram 38 jogos, 29 vitórias, 7 empates, 2 derrotas, 73 golos marcados e 27 sofridos.
No regresso ao segundo escalão, os objectivos do Leixões passavam pela subida à I Divisão, algo que só veio a acontecer em 06/07.
Primeiro, o 14º lugar em 03/04; depois o 6º em 04/05; o 3º em 05/06 e finalmente o 1º em 06/07.
No ano da subida, os leixonenses voltaram a não vacilar, conseguindo 18 vitórias em 30 jogos, 6 empates e 6 derrotas; 45 golos marcados e 21 sofridos.
18 anos depois, o Leixões estava de regresso ao primeiro escalão, e não podia ter tido melhor regresso: a jogar em casa emprestada (no Bessa), recebeu e "empatou" o Benfica a uma bola.
Seguiu-se depois um campeonato com alguns sobressaltos, com os leixonenses a conseguirem a salvação na última jornada.
Na temporada seguinte, um excelente início de temporada, permitiu ao Leixões andar na liderança do campeonato até à 10ª Jornada.
Pelo meio, os "Bebés do Mar", venceram em pleno Estádio do Dragão, o FC Porto por 3-2.
Depois, uma irregular segunda volta "atirou" com os leixonenses para o 6º lugar, sem esquecer que na Taça de Portugal os Homens de Matosinhos afastaram o Benfica nas grandes penalidades.
Na temporada passada, o Leixões não conseguiu melhor do que a 16ª e última posição, caíndo assim para a Liga Orangina. No entanto, há a destacar o empate a zero com o FC Porto no Estádio do Mar.
Esta temporada, o Leixões soma já cinco pontos em 4 jornadas, ocupando o 9º lugar da tabela, sob a orientação do ex campeão Europeu, Augusto Inácio. Hoje, os leixonenses deslocam-se ao Restelo, para enfrentarem o Belenenses.
Conhecidos também por terem uma massa associativa muito presente e apaixonada, o Leixões disputa os seus jogos caseiros no Estádio do Mar, bem no coração da cidade de Matosinhos, e o seu equipamento tradicional é camisola vermelha e branca com listas verticais; calção branco e meia branca.

Palmarés do Leixões SC:
Taça de Portugal: 1 (1960/1961)
Campeonato Nacional da II Divisão (ou Liga de Honra): 1 (2006/2007)
Campeonato Nacional da II Divisão B: 1 (2002/2003)
Presenças Europeias: 4 (1961/1962 na Taça das Taças; 1964/1965, 1968/1969 e 2002/2003 na Taça UEFA)
Campeonato Nacional de Juniores: 1 (1946/1947)

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Liga Europa: FC Porto e Sporting mantêm senda vitoriosa

Três jogos, três vitórias. Assim se resumem as campanhas de FC Porto e Sporting na fase de grupos da Liga Europa.
Os Dragões foram os primeiros a entrar em campo, na Turquia frente ao Besiktas, naquele que é considerado um dos piores ambientes do futebol europeu.
Descontraídos, os azuis e brancos foram sempre a equipa com sinal "mais" e com iniciativa ofensiva na partida.
Assim sendo, aos 26' minutos Radamel Falcao aproveitou uma saída falso do guardião turco e na sequência de um pontapé de canto abriu o activo.
Minutos depois, excelente cruzamento de Hulk com Falcao a concluir em golo com um belo golpe de cabeça, mas má decisão do árbitro da partida, que anulou o golo por pretensa falta do avançado colombiano.
Em cima do intervalo, Maicon foi expulso e Villas Boas lançou Otamendi em detrimento de Falcao no início do segundo tempo.
No segundo tempo, aos 58' minutos, um erro do central checo Zapotocny, permitiu a Hulk ficar isolado perante Arikan, e o brasileiro não desperdiçou a oportunidade de fazer o 0-2, tocando a bola em jeito à saída do guarda-redes turco. 0-2 e o FC Porto estava prestes a sair vitorioso da Turquia.
Aos 78' Hulk assinou o terceiro da noite e o segundo da sua conta pessoal. Excelente passe de Belluschi, e mais uma excelente arrancada do brasileiro, que fez o 0-3.
Nos descontos, tempo ainda para mais uma expulsão no lado do FC Porto (Fernando por acumulação de amarelos) e para o golo de honra do Besiktas, apontado por Bobó.
Já o Sporting, recebeu o Gent e cilindrou completamente os belgas.
Logo aos 6' minutos, Postiga serviu Diogo Salomão ao segundo poste, e o "miúdo" só teve de empurrar. Sete minutos depois, aos 13', Liedson à meia volta fez um bom golo, assinando o 2-0.
Logo de seguida, aos 16', o Genk reduziu, graças a um enorme "frango" de Hildebrand. Stef Wils assinou o tento belga.
O Sporting não parava, e aos 27' Liedson bisou. Jogada iniciada por Diogo Salomão; "toques" ainda de Maniche e João Pereira; e conclusão do "levezinho".
Ainda antes do intervalo, Maniche fez o 4-1 e Anderson Polga saiu lesionado, dando lugar a Torsiglieri.
Aos 60' Postiga fechou a contagem. Passe de Diogo Salomão (bom jogo do "miúdo") e Postiga de pé esquerdo a fazer o 5-1. Logo ele, que está num bom momento de forma, e anda a marcar golos.
O Sporting não "deu" mais porque não quis, e agora segue tranquilamente na liderança do seu grupo, tal como o FC Porto.
Na Liga Europa, Portugal tem razões para estar "descansado". Pelo menos, por enquanto.

Liga dos Campeões: Benfica derrotado em Lyon

Depois da derrota na 2ª Jornada perante o Schalke 04, o Benfica voltou a perder na "Champions", desta feita em França, frente ao Lyon por 2-0.
O Benfica entrou algo nervoso e a falhar inúmeros passes, principalmente nas saídas para o ataque. E, curiosamente, o mau passe que até custou mais "caro" aos encarnados, acontreceu na altura em que o Benfica vinha em crescendo na partida.
Carlos Martins foi desarmado por Gourcuff quando procurava sair para o ataque, e Jimmy Briand aproveitou a deixa, para de cabeça inaugurar o marcador aos 21' minutos.
Segundos antes, Michel Bastos havia acertado na barra da baliza de Roberto.
O Benfica continuava desinspirado, principalmente no ataque, com jogadores como Aimar e Carlos Martins a receberem a bola quase sempre de costas para a baliza.
Antes do intervalo, o Benfica ficaria ainda reduzido a dez unidades. Em nove minutos, Gaitán viu dois cartões amarelos e acabou expulso. No segundo cartão, o argentino perdeu o esférico e caiu na tentação de derrubar o adversário, acabando por ser expulso pouco antes do intervalo.
No segundo tempo, Roberto foi adiando o segundo golo francês com um par de boas intervenções, mas aos 52' o ex-portista Lisandro López aumentou a contagem.
Curiosamente, momentos antes, Briand havia rematado à trave. Briand esse, que ainda teve tempo de assistir "Licha", perante a passividade da defesa encarnada. Roberto ainda fez uma primeira defesa; mas o argentino que passou por Portugal acabaria mesmo por conseguir finalizar com sucesso em cima da linha de golo.
Depois, se não fosse Roberto, o Benfica teria saido do Estádio Gerland com uma goleada. Mesmo depois do Lyon substituir as suas principais peças: Lisandro, Gourcuff e Michel Bastos.
Os encarnados deixaram uma má imagem neste jogo, e o apuramento esse, complicou-se, visto que o Schalke goleou o Hapoel Tel-Aviv por 3-0, e reforçou o segundo lugar.
Ficha de Jogo:

Ol. Lyon: Lloris; Reveillere, Cris, Diakhate e Cissokho; Gonalons, Pjanic e Gourcuff (Kallstrom 71'); Michel Bastos (Pied 65'), Lisandro (Gomis 82') e Briand.
Treinador: Claude Puel. Suplentes Não Utilizados: Vercoutre; Lacazette, Lovren e Makoun.

Benfica: Roberto; Maxi Pereira, Luisão, David Luiz e Fábio Coentrão; Javi García, Carlos Martins (Salvio 77'), Aimar (Jara 71') e Gaitán; Alan Kardec e Saviola (César Peixoto 57').
Treinador: Jorge Jesus. Suplentes Não Utilizados: Júlio César; Sidnei, Airton e Weldon.

Disciplina:
Amarelos: Gaitán 34' e 44'; Carlos Martins 37'; Reveillere 41'; Javi García 68';

Golos: 1-0 Briand 21'; 2-0 Lisandro 52';

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Liga dos Campeões: Braga estreia-se a vencer

À 3ª Jornada, o Sporting de Braga estreou-se a vencer na Liga dos Campeões, ao vencer o Partizan de Belgrado no Municipal de Braga por 2-0.
Com algumas novidades no onze, o Braga entrou melhor na partida, e cedo se percebeu que o Partizan estava perfeitamente ao alcance dos minhotos.
No entanto, é vísivel que os bracarenses continuam a "pagar" a factura dos 6-0 de Londres. Sobretudo, porque falha muitos passes e isso altera por completo o ritmo de jogo.
O jogo em si, fica mais chato e perde interesse.
No primeiro remate à baliza, o Braga marcou. Lima na conversão de um livre directo, assinou um grande golo e o resultado permitiu à equipa tranquilizar-se até ao intervalo.
E, ainda bem que há intervalos no futebol. Pois, o primeiro tempo, foi muito fraquinho.
No início do segundo tempo, Paulão de cabeça permitiu a Stojkovic fazer uma bela defesa, e o público animou-se.
Mas, foi falso alarme. A partida continuou num ritmo desinteressante até aos últimos dez minutos.
Aí, Matheus cara-a-cara com Stojkovic, desperdiçou a hipótese de aumentar para 2-0, e os sérvios empolgaram-se, criando alguns calafrios aos bracarenses.
Nos instantes finais, Alan lançou Luís Aguiar, e o uruguaio serviu Matheus para um golo fácil. Vitória ainda assim suada do Braga, que cumpriu a "obrigação" de vencer o adversário teoricamente, mais fácil.
Destaque ainda para o facto de no balneário do Partizan se falar português: Almani Moreira ex jogador do Boavista, e Cléo, ponta de lança brasileiro ex Ol. Moscavide, representam actualmente o clube de Belgrado, além claro, de Stojkovic.
Ficha de Jogo:

Sp. Braga: Felipe; Sílvio, Paulão, Moisés e Elderson Echiéjilé; Andrés Madrid (Luís Aguiar 73') e Vandinho; Matheus, Paulo César (Salino 69') e Alan; Lima (Márcio Mossoró 87').
Treinador: Domingos Paciência. Suplentes Não Utilizados: Arthur; Aníbal, Hugo Viana e Élton.

Partizan; Stojkovic; Miljkovic, Savic, Krstajic e Lazevski; Smiljanic, Sasa Ilic e Moreira (Medo 45'); Tomic (Babovic 90+1'), Cléo e Scepovic (Boya 54').
Treinador: Aleksandar Stanojević. Suplentes Não Utilizados: Zivkovic; Stevanovic, Petrovic e Stankovic.

Disciplina:
Amarelos: Moreira 30'; Andrés Madrid 54'; Luís Aguiar 86';

Golos: 1-0 Lima 34'; 2-0 Matheus 89';

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Fora de Campo: Ex-jogador de futebol participou em reality-show da TVI

Vasco Oliveira, filho do antigo seleccionador António Oliveira, e ex-jogador de futebol, participou ao longo das últimas duas semanas no novo projecto da TVI, o reality-show "Secret Story". O programa teve o seu início no passado dia 3 de Outubro, e Vasco foi o segundo concorrente a dizer "adeus".
O antigo jogador de futebol teceu duras críticas ao Pai, António Oliveira, antes e depois de abandonar a "Casa dos Segredos".
Vasco Oliveira, comentou ainda não ter tido uma relação muito fácil com o Mundo do futebol, derivado a ser filho de quem é. O ex-jogador referiu ainda o facto de ser criticado em alguns clubes por onde passou, pois foi "acusado" de representar o determinado clube, apenas por influência do Pai.
Formado nas camadas jovens do Boavista, Vasco Oliveira, representou depois o Nogueirense na Série B na III Divisão, naquela que foi a sua primeira temporada enquanto sénior.
Depois, representou o Leça durante duas temporadas (02/03 e 03/04), onde chegou a travar batalhas com o clube leceiro na vara do tribunal. Curiosamente, este episódio ocorreu durante a temporada 02/03, e o jogador acabou por renovar o vínculo com o clube matosinhense para a temporada seguinte.
Vasco Oliveira representou depois o Vilanovense durante duas temporadas, terminando a carreira ao serviço do Aliados de Lordelo no final da temporada 06/07, com apenas 24 anos.
Jogava a médio ofensivo.

domingo, 17 de outubro de 2010

Taça de Portugal: Equipas da Liga sofreram para passar

Das equipas do escalão maior que entraram hoje em campo, apenas uma sai de cena da edição 10/11 da Taça de Portugal: a Naval. Os figueirenses perderam em casa com o Marítimo por 0-2, e disseram adeus à segunda maior competição do País.No entanto, as equipas da Liga apuradas para a próxima eliminatória, passaram todas elas por sobressaltos, exceptuando o Portimonense, o V. Guimarães, e claro, o Marítimo.
Em Cesar, a Académica esteve a vencer, permitiu o empate do Cesarense da II Divisão, e já no prolongamento acabou por confirmar a vitória. 1-2.
O Paços de Ferreira recebeu o líder da Série C da III Divisão, o São João de Vêr, e venceu por 3-1. Apesar do resultado parecer folgado, os castores sofreram a bom sofrer. O SJ Vêr dominou grande parte da partida, mas ainda assim foi o Paços quem chegou primeiro ao golo. Pizzi logo aos 7' minutos abriu a contagem, com um golo de belo efeito. Aos 25', Rúben Gomes empatou a partida, e já no segundo tempo, o central paraguaio, Javier Cohene, bisou na sequência de dois pontapés de canto e confirmou a passagem da equipa da casa.
Na Sertã, a Olhanense (frente ao Sertanense) teve sérias dificuldades para seguir em frente na Taça, e a prova disso é o facto do jogo apenas se ter decidido através da marca de grandes penalidades. O nulo nos 120' minutos, deu lugar à marcação de grandes penalidades, em que os algarvios foram claramente superiores aos homens da casa.
O Beira Mar, deslocou-se ao terreno do Mirandela da III Divisão, e marcou na primeira oportunidade de que dispôs. Os transmontanos mereciam claramente outra sorte, mas a verdade é que até tiveram sorte no minuto em que chegaram ao empate. Foi já em cima do minuto 90' que o Mirandela chegou ao empate por intermédio de Dally, ele que curiosamente já passou pelo Beira Mar.
Nas grandes penalidades, os aveirenses acabaram por vencer por 2-4.
Em Portimão, o Portimonense bateu tranquilamente o Cinfães da III Divisão por 2-0. A equipa forasteira até entrou melhor no jogo, tentando surpreender os algarvios, mas os da casa confiaram no seu favoritismo e resolveram a partida sem pressa.
Renatinho aos 24' e Dong Fangzhuo aos 84' marcaram os golos da vitória.
O V. Guimarães recebeu o Atlético Malveira, último classificado da Série E da III Divisão, e venceu "como quis" por 4-0.
Aos 11' minutos Toscano abriu o activo; e aos 26' João Ribeiro aproveitou um erro defensivo para aumentar para 2-0. No segundo tempo, mais dois golos: Edgar aos 64' e Maranhão aos 87' selaram o triunfo vimaranense.
Na Madeira, o Nacional recebeu o Padroense da II Divisão e não se livrou de alguns sustos. Aos 32' minutos os homens de Padrão da Légua, chegaram ao golo por intermédio de Bruninho, e chegou-se a temer o pior na Choupana.
No segundo tempo, os madeirenses entraram decididos e em seis minutos, fizeram dois golos: Mateus aos 62' e Orlando Sá aos 68' carimbaram a reviravolta no marcador.
A resposta dos forasteiros, não demorou muito e aos 75', o brasileiro Marcão empatou a partida a dois.
Na sequência de um livre, Felipe Lopes desviou para o fundo da baliza, assinando o terceiro dos madeirenses, numa altura em que já se pensava no prolongamento (88' minutos).
Nos descontos, Marcão esteve perto de bisar na partida e fazer o 3-3, e num contra-ataque rápido, quem acabou por bisar foi Orlando Sá, fazendo assim o 4-2.
Nos outros jogos da tarde, destaque para a eliminação de Belenenses e Santa Clara, aos pés de duas equipas da II Divisão (Ribeirão e Juventude de Évora, respectivamente).
Destaque também para as passagens dos históricos Sp. Espinho e Tirsense; e também para o Leixões, que sofreu para levar de vencida o Mafra da II Divisão (3-2).
O Varzim - Gondomar, não se disputou em virtude de os gondomarenses terem sido alvos de um processo disciplinar, correndo até o risco de serem desqualificados da prova.
Resultados da 3ª Eliminatória da Taça de Portugal até ao momento:

10 de Outubro:
1º Dezembro (III) 1-2 Sp. Braga (I)

Ontem, 16 de Outubro:
Gil Vicente (II) 1-1 V. Setúbal (I) - 2-4 G. P.
Rio Ave (I) 4-1 E. V. Novas (III)
U. Leiria (I) 1-2 U. Madeira (IIB) - Após Prolongamento
Estoril (II) 1-2 Sporting (I)
FC Porto (I) 4-1 Limianos (III) 
Benfica (I) 5-1 Arouca (II)

Hoje, 17 de Outubro:
Naval (I) 0-2 Marítimo (I)
Cesarense (IIB) 1-2 Académica (I) - Após Prolongamento
Paços de Ferreira (I) 3-1 São João de Vêr (III)
Portimonense (I) 2-0 Cinfães (III)
Sertanense (IIB) 0-0 Olhanense (I) - 1-4 G. P.
Mirandela (III) 1-1 Beira Mar (I) - 2-4 G. P.
V. Guimarães (I) 4-0 At. Malveira (III)
Nacional (I) 4-2 Padroense (IIB)
Operário (IIB) 0-2 Moreirense (II)
Juventude de Évora (IIB) 1-0 Santa Clara (II)
Ribeirão (IIB) 2-0 Belenenses (II)
Anadia (IIB) 1-2 Feirense (II)
Sp. Espinho (IIB) 4-1 Pontassolense (IIB)
Bombarralense (III) 2-1 Louletano (IIB)
Pinhalnovense (IIB) 3-0 Fafe (IIB)
Atlético (IIB) 3-1 Macedo de Cavaleiros (IIB)
Tirsense (IIB) 5-1 Sampedrense (III)
Santa Maria (III) 1-0 Penalva do Castelo (III)
Merelinense (IIB) 2-1 Farense (IIB)
Carregado (IIB) 0-0 Fátima (II) - 3-2 G. P.
Tourizense (IIB) 2-1 Aliados de Lordelo (IIB) - Após Prolongamento
Lagoa (IIB) 0-0 Torreense (IIB) - 4-5 G. P.
Mondinense (III) 2-1 Coimbrões (IIB) - Após Prolongamento
Leixões (II) 3-2 Mafra (IIB)

Nota: A negrito as equipas apuradas para a 4ª Eliminatória.

sábado, 16 de outubro de 2010

Taça de Portugal: Surpresa em Leiria

A terceira eliminatória da Taça de Portugal, teve hoje mais seis jogos, e teve também a sua primeira surpresa. O União da Madeira da II Divisão venceu em Leiria, a União local por 2-1, num resultado obtido já em tempo de prolongamento.
Os leirienses até entraram mais fortes, e marcaram logo aos 2' minutos por intermédio de N'Gal. No entanto, o União da Madeira cresceu no terreno e em cima do minuto 90', Valter estabeleceu o empate.
Já no prolongamento, Alexandre Matão marcou o tento da reviravolta e da...vitória, quando estavam decorridos 102' minutos. Nos minutos finais, o Leiria ainda tentou um último "forcing", mas sem sucesso. Fez-se taça !
Em Barcelos, o Gil Vicente entrou melhor na partida e aos 12', André Cunha abriu o activo. No entanto, o Setúbal respondeu e aos 29', o "miúdo" Zeca, restabeleceu o empate.
Nas grandes penalidades, os sadinos levaram a melhor, vencendo por 4-2.
De Barcelos para Vila do Conde, o Rio Ave sentiu dificuldades para marcar ao Estrela de Vendas Novas da III Divisão, e só em cima do minuto 45', é que os vilacondenses chegaram ao golo: Bruno Gama de grande penalidade abriu o activo.
No segundo tempo, a equipa da casa aumentou a vantagem por intermédio de Braga aos 55', permitindo depois ao Estrela de Vendas Novas o tento de "honra". Fábio, aos 69' reduziu a desvantagem.
Uma recta final de maior pressão, resultou em mais dois golos favoráveis ao Rio Ave: Sidnei aos 78' fez o 3-1 de grande penalidade; e Yazalde aos 88' fechou as contas do marcador. 4-1.
O primeiro grande a entrar em campo, foi o Sporting. Em casa do Estoril, os leões entraram muito mal na partida, e a equipa da casa aproveitou um erro de marcação para abrir o activo aos 38' minutos. Foi Alex Afonso, quem na sequência de um livre, fez o primeiro golo da tarde.
No segundo tempo, a superiodade leonina veio ao de cima, com Liedson a empatar aos 61'; e Postiga a assinalar a reviravolta no marcador aos 79'.
De seguida, entrou em campo o FC Porto, perante o Limianos da III Divisão. Logo aos 9' minutos, Walter abriu o activo, e em cima do intervalo, Varela aumentou para 2-0.
No segundo tempo, Walter bisou na partida quando estavam decorridos 60' minutos; e na resposta a equipa de Ponte de Lima, apontou o "seu" golo.
Pedro Tiba de cabeça, apontou um golo que, certamente, nunca esquecerá.
Já no período de compensação, Walter fez hat-trick, ao desviar de cabeça um centro vindo da esquerda. 4-1.
Finalmente, e no último jogo da noite, o Benfica goleou o Arouca da Liga Orangina por 5-1.
Os "encarnados" entraram muito fortes e decididos a resolver a eliminatória cedo. Kardec aos 24' e Saviola aos 31' deram a tranquilidade necessária ao Benfica. Ainda antes do intervalo, o mesmo Kardec aumentou para 3-0, bisando na partida.
No segundo tempo, mais três golos: primeiro Luisão aumentou para 4-0 aos 66'; depois Gaitán fez o quinto, após excelente trabalho de Nuno Gomes; e aos 88' o Arouca marcou o seu tento de "honra", por intermédio do médio Diogo.
A terceira eliminatória da Taça prossegue na tarde de amanhã, com a realização de vinte e quatro jogos. O jogo entre Varzim e Gondomar, foi adiado para data a definir.
Resultados da 3ª Eliminatória até ao momento:

1º Dezembro (III) 1-2 Sp. Braga (I)
Gil Vicente (II) 1-1 V. Setúbal (I) - 2-4 G. P.
Rio Ave (I) 4-1 E. V. Novas (III)
U. Leiria (I) 1-2 U. Madeira (IIB) - Após Prolongamento
Estoril (II) 1-2 Sporting (I)
FC Porto (I) 4-1 Limianos (III) 
Benfica (I) 5-1 Arouca (II)

Nota: A negrito as equipas apuradas para a 4ª Eliminatória.

Recordar: Arouca 0-0 Marítimo - 3-1 G. P.

A poucas horas de um dos jogos mais importantes da história do Futebol Clube de Arouca, nada melhor do que recordar quando os arouquenses estavam pela primeira vez na II Divisão Nacional e afastaram o primo-divisionário Marítimo, da Taça.
O crescimento do Arouca nos últimos anos tem sido enorme, como prova o facto do clube arouquense em 2006/2007 ter disputado a I Divisão Distrital da AF Aveiro.
Em 2008/2009, já na II Divisão Nacional, e depois de afastar Vitória do Pico e Sintrense, o Arouca recebeu no seu reduto o Marítimo, da Liga Sagres, em jogo a contar para a 3ª Eliminatória da Taça de Portugal.
No primeiro tempo, a partida foi muito equilibrada e (quase) sempre mal jogada, com, ainda assim, ambas as equipas a tentarem chegar ao golo.
No segundo tempo, o Marítimo cresceu mais e de livre, João Guilherme, esteve perto de abrir o activo. Ainda assim, os da casa não se "rendiam" e não davam muito espaço aos madeirenses.
Mais uma vez, o Marítimo voltou a criar perigo na conversão de um livre e, novamente por João Guilherme. Dessa vez, valeu Ivo Oliveira (guardião do Arouca e que entre outros representou o Salgueiros na I Divisão), que com uma boa defesa negou o golo aos madeirenses.
Sem golos, a partida foi para prolongamento, e no tempo extra, Ivo Oliveira voltaria a brilhar. Primeiro, opôs-se a um momento de inspiração por parte de Vítor Júnior; depois ao efectuar uma excelente defesa a um cabeceamento de Manú.
O técnico do Arouca, José Pedro, acreditava que poderia chegar ao triunfo ainda antes das grandes penalidades, e, por isso mesmo, lançou Carlitos (ponta de lança) por troca com Pedro Santos (médio, ex Boavista, entre outros).
Nos penaltis, a "lotaria" saiu à equipa da casa, e foi totalmente merecida. Mais uma vez, Ivo Oliveira voltou a ser o herói ao defender dois remates madeirenses. Ruisinho, Ricardo Correia e Fílipe marcaram para o Arouca; enquanto que no Marítimo, João Guilherme e Miguelito permitiram a defesa de Ivo; Vítor Júnior atirou à barra; e Djalma marcou. 3-1 no desempate por grandes penalidades.
Na eliminatória seguinte, os arouquenses receberam o Paços de Ferreira e a partida só ficou resolvida...nas grandes penalidades. No entanto, foi o Paços quem levou a melhor.
Quem sabe se hoje, não teremos mais uma grande lição de humildade por parte do Arouca, desta feita em plena casa do Campeão Nacional em título.
Ficha de Jogo:

Arouca
: Ivo Oliveira; Steven (Capela 28'), Fernando, Diogo e Ricardo Correia; Fílipe, Pedro Santos (Carlitos 97') e Pedro Abelha (Marcinho 70'); Ruisinho, Rodrigo e Hélder Silva.
Treinador: José Pedro. Suplentes Não Utilizados: Jaime; Joel, Tiago e Ricardo Pina.

Marítimo: Marcos; Paulo Jorge, João Guilherme, Fernando Cardozo e Luís Olim (Djalma 45'); João Luiz, Bruno, Miguelito e Vítor Júnior; Manú e Lelo (Bruno Fogaça 60' - substituído aos 84' por Pedro Moutinho).
Treinador: Lori Sandri. Suplentes Não Utilizados: Bruno Grassi; Rodri, Briguel e Vicentini.

Disciplina:
Amarelos: Bruno 82'; João Guilherme 104'; Marcinho 110';

Golos: Nada a assinalar. Marcha dos penaltis: João Guilherme (Marítimo) falha; Ruisinho (Arouca) marca, 1-0; Miguelito (Marítimo) falha; Ricardo Correia (Arouca) marca, 2-0; Djalma (Marítimo) marca, 2-1; Fílipe (Arouca) marca, 3-1; Vítor Júnior (Marítimo) falha.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Taça de Portugal: Limianos conta com Emanuel para vencer no Dragão

Na Série A da III Divisão, "mora" o Limianos. Clube humilde, com algumas possibilidades financeiras e que procura "apenas" manter-se no quarto escalão do futebol português.
O sorteio da 3ª Eliminatória da Taça de Portugal ditou que o clube de Ponte de Lima, irá enfrentar o FC Porto, em pleno Dragão. Tarefa complicadíssima, mas que pode ter um final feliz.
Num plantel 100% amador, há um jogador que se destaca em relação aos outros. Falo em Emanuel (na foto com Rui Costa), médio centro de 35 anos, formado nas camadas jovens do Rio Ave, e que como sénior construiu carreira entre o primeiro e o segundo escalão.
Do Rio Ave, Emanuel rumou ao Boavista, onde integrou o plantel que se haveria de sagrar campeão Nacional em 00/01. Em Janeiro, insatisfeito com a sua pouca utilização (não jogou), saiu para o Rio Ave por empréstimo.
Daí, seguiram-se D. Aves (duas épocas alternadas), Salgueiros (uma temporada) e Varzim, onde esteve nas últimas cinco temporadas.
Na temporada passada, representou o Freamunde e este ano rumou ao Limianos da III Divisão, para poder estar mais perto de casa, segundo contou o próprio ao "MaisFutebol".
É com ele, que o jovem grupo do Limianos mais conta para poder fazer uma "graçinha" na Cidade Invicta.
Emanuel "avisou" o FC Porto, que "há ali malta com muito valor", e disse ainda que os mais jovens lhe perguntaram como é jogar num estádio como o Dragão. Em declarações ao "Record", o médio respondeu:
“Os mais novos perguntaram-me como é jogar num estádio como o Dragão e eu disse-lhes para acreditarem na vitória, porque não há impossíveis. Têm de acreditar no valor deles. A história da Taça de Portugal regista muitas surpresas. Vamos jogar com esse objectivo.”
A experiência de Emanuel pode ajudar o Limianos a eliminar o FC Porto, em pleno Estádio do Dragão. Mas, para isso, é preciso que todos acreditem nas suas capacidades. E, com certeza, que todos estão com muita confiança na vitória.
Afinal, não é todos os dias que se enfrenta uma equipa de topo no nosso futebol e, quem sabe, está ali uma óptima montra para alguns dos mais jovens do plantel do Limianos.
Tudo para confirmar amanhã, a partir das 19 horas no Estádio do Dragão.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

A(s) foto(s) do dia: Estádio de Futebol ou Campo de Batalha ?

O jogo entre Itália e Sérvia que se deveria ter disputado ontem, não se disputou. Tudo isto, porque um grupo de hooligans sérvios não permitiram que a partida se disputasse. Mais: o jogo tinha como palco o Estádio Luigi Ferraris em...Génova, Itália.
Estes adeptos (ou será guerrilhas ?), lançaram pedras, tochas, entre outros objectos, e tinham ainda em sua posse, alicates, de modo a poderem cortar as redes de vedação do estádio.
Um dos principais visados de tanta fúria, foi o guarda-redes Stojkovic, que o Sporting emprestou esta temporada ao Partizan. Para o grupo de "guerrilhas" sérvios, o guardião foi o principal culpado da derrota frente à Estónia, e chegou mesmo a ser atingido por pedras e até por...foguetes !
Este caso envolvendo "Stoi", passou-se fora do estádio e o guardião pediu até para não jogar.
Um dos principais "obreiros" desta "revolução" é Ivan, um ultra sérvio, conhecido pela sua violência.
Confusões à parte, graças a esta "revolução", 16 pessoas ficaram feridas e outras 17 foram detidas, incluindo Ivan.
Agora, a questão que coloco é a seguinte: Mas em que Mundo vivemos ? Errar é humano, e ironicamente, o principal visado desta história toda, foi um Homem que em Portugal ficou conhecido por dar alguns erros durante os jogos que disputou. Mas, será isso, motivo para tanta violência ? Haja paciência e castigos severos para os autores desta confusão !

"Legenda":

Foto 1: De nada valeu, os jogadores sérvios pedirem aos seus "adeptos" para terem calma.
Foto 2: A intervenção da polícia, evitou que os danos fossem (ainda) maiores.
Foto 3: Nem Zambrotta, escapou à fúria sérvia...

Selecções: Portugal vence na Islândia por 1-3

Portugal bateu na noite de ontem, a sua congénere da Islândia, em Reiquejavique, por 1-3, somando assim o segundo triunfo na qualificação para o Euro 2012. Segundo triunfo esse, que é também o segundo de Paulo Bento enquanto seleccionador nacional.
O técnico repetiu o onze, que venceu a Dinamarca, e não se deu mal. Portugal entrou confiante, e logo aos 3' minutos Cristiano Ronaldo abriu o activo, na sequência de um livre directo. Mais uma "bomba" do internacional português.
Seguiram-se cerca de vinte minutos de domínio do jogo por parte de Portugal, que só foi interrompido quando os islandeses começaram a conquistar pontapés de canto e livres laterais.
A Islândia procurava chegar à área através do jogo aéreo, e na sequência do primeiro pontapé de canto a seu favor, chegou ao empate. Helguson saltou mais alto do que Ricardo Carvalho, e aproveitou o facto de Eduardo se ter feito mal ao lance. 1-1 aos 17'.
De seguida, Hugo Almeida teve uma ocasião de ouro para recolocar Portugal na frente do jogo, mas desperdiçou-a.
O jogo, perdeu então qualidade, com a Islândia a insistir no jogo aéreo.
Ainda assim, Portugal conseguiu chegar ao segundo golo. Novamente "à bomba". Desta vez, foi Raúl Meireles, quem a trinta metros da baliza, disparou um "míssil" indefensável para o guardião islandês.
Portugal acalmou, mas não conseguia recuperar a tranquilidade inicial.
Até ao intervalo, destaque para novo "tiro" de Ronaldo, com Gunnleifsson a sentir alguma atrapalhação para se apoderar totalmente do esférico.
No segundo tempo, Portugal poderia ter arrumado definitivamente a "questão", mas a trave impediu Raúl Meireles de bisar. Mais um "tiro" do médio do Liverpool.
O jogo estava desinteressante e Paulo Bento decidiu mexer na equipa: Hélder Postiga rendeu Hugo Almeida, e a troca teve efeitos (quase) imediatos.
Logo na primeira oportunidade de que dispôs, o ponta de lança do Sporting falhou um golo certo; mas, menos de um minuto depois, aproveitou um erro de Gunnleifsson, que largou o esférico para a frente, e apontou o terceiro da noite para Portugal.
Até ao fim, Portugal dispôs de ocasiões para alargar a vantagem, e para isso muito contribuiram as entradas de Danny e Tiago.
Agora, o futebol de Selecções só regressa para Junho, e o futuro de Portugal é, neste momento, risonho.
Ficha de Jogo:

Islândia: Gunnleifsson; Steinsson, Kristján Sigurdsson, Ragnar Sigurdsson e Indridi Sigurdsson (Adalsteinsson 85'); Daníelsson, Skúlason, Saevarsson (Gunnarsson 85') e Bjarnason (Thorvaldsson 68'); Helguson e Gudjohnsen.
Seleccionador: Ólafur Jóhannesson. Suplentes Não Utilizados: Arason; Hreidarsson, Saevarsson e Vilhjálmsson;

Portugal: Eduardo; João Pereira, Pepe, Ricardo Carvalho e Fábio Coentrão; Raúl Meireles, Carlos Martins (Tiago 76') e João Moutinho; Nani (Danny 87'), Hugo Almeida (Hélder Postiga 65') e Cristiano Ronaldo.
Seleccionador: Paulo Bento. Suplentes Não Utilizados: Beto; Bruno Alves, Paulo Machado e Varela.

Disciplina:
Amarelos: Skúlason 36'; Gudjohnsen 79'; Tiago 79';

Golos: 0-1 Cristiano Ronaldo 03'; 1-1 Helguson 17'; 1-2 Raúl Meireles 27'; 1-3 Hélder Postiga 72';

sábado, 9 de outubro de 2010

Irlanda do Norte: Um golaço e um pontapé de canto caricato

Directamente da Irlanda do Norte, trago dois lances dignos de registo.
O primeiro é um golaço apontado pelo jogador do Glentoran, Matty Burrows, que à entrada da área marcou de calcanhar, um golo espantoso.
O segundo, e já mais recente, foi na partida que opôs a Selecção Irlandesa à Itália na noite de ontem, e que terminou empatada a zero.
Steven Davis (na foto), jogador do Glasgow Rangers da Escócia, ia bater um pontapé de canto, mas o melhor que conseguiu fazer foi acertar a meias na bandeirola de canto e no esférico.
Um lance, no mínimo, estúpido e caricato.
Veja os lances:



"A foto do dia": A humildade de Paulo Machado

Finalmente. Foi o que deve ter dito Paulo Machado, quando tomou conhecimento da sua primeira chamada à Selecção Nacional.
Depois de nas duas últimas temporadas ter brilhado no campeonato francês, o médio luso teve finalmente a sua primeira oportunidade na selecção principal, mas ontem acabou por ficar de fora dos "18" que foram "inscritos" na ficha de jogo.
Sendo assim, o médio juntou-se não aos restantes companheiros que ficaram de fora e que viram o jogo num dos camarotes do Dragão, mas sim à "claque" portuguesa.
Isso mesmo, Paulo Machado, assistiu ao jogo na bancada do estádio que o viu nascer para o futebol. No meio do "povo", provando que não esquece as suas humildes raízes.
Logo ele, nascido e criado no problemático, Bairro do Cerco, em plena "Invicta". Isto, sem esquecer, o facto de ter sido formado no FC Porto, claro.
Humildade, fica sempre bem a toda a gente.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Selecção: Primeiro triunfo da "era" Paulo Bento

Paulo Bento entrou com o pé direito no comando da Selecção Nacional. Para o jogo com a Dinamarca, o antigo treinador do Sporting apresentou um onze com algumas novidades, onde se destacavam os nomes de João Pereira e Carlos Martins. De resto, tudo igual (ou quase): Eduardo na baliza; Pepe e Ricardo Carvalho no centro da defesa, com Coentrão na esquerda e o já referido João Pereira na direita; Raúl Meireles, João Moutinho e Carlos Martins no meio-campo; e Ronaldo, Hugo Almeida e Nani na frente de ataque.
No banco, o grande destaque foi Bruno Alves, que voltou a sentar-se no banco da Selecção depois de vários jogos consecutivos a titular.
Foi uma vitória fácil de Portugal, que entrou muito forte no jogo, pressionando bastante a equipa da Dinamarca, mostrando querer apagar rapidamente, os (maus) exemplos do passado.
Apesar de dominar a partida, Portugal não conseguia furar a defesa dinamarquesa, e a prova disso foi o facto de apenas ter conseguido rematar, aos 26' minutos.
Num lance confuso, Hugo Almeida rematou fraco de cabeça, para fora.
Tanta posse de bola e tanto domínio, acabou por ter os seus frutos. E logo por duas vezes.
Aos 29' Cristiano Ronaldo cruzou na esquerda para o coração da área, onde apareceu Nani a rematar de primeira para o 1-0.
Dois minutos volvidos, o mesmo Nani aproveitou uma "assistência" de Poulsen e de fora de área, disferiu um pontapé indefensável que só parou no fundo das redes dinamarquesas. 2-0 aos 31'.
No segundo tempo, Portugal continuou a controlar a partida, sem grandes problemas, até que aos 79' e na sequência de um pontapé de canto, a Dinamarca reduziu a desvantagem.
Poulsen desviou de cabeça e a bola acabou por embater no corpo de Ricardo Carvalho entrando depois na baliza de Eduardo. 2-1 a cerca de dez minutos do fim.
Portugal sofreu depois durante cinco minutos, até que Cristiano Ronaldo decidiu resolver a partida aos 85'. Uma troca de papéis do primeiro golo: Nani assistiu e Ronaldo ultrapassou com toda a tranqulidade do Mundo o guardião dinamarquês, fechando as contas do marcador.
Vitória mais do que justa; a primeira de Paulo Bento enquanto seleccionador nacional.
Ficha de Jogo:

Portugal: Eduardo; João Pereira, Pepe, Ricardo Carvalho e Fábio Coentrão; Raúl Meireles, Carlos Martins (Tiago 75') e João Moutinho; Nani (Varela 88'), Hugo Almeida (Hélder Postiga 69') e Cristiano Ronaldo.
Treinador: Paulo Bento. Suplentes Não Utilizados: Rui Patrício; Bruno Alves, Sílvio e Danny.

Dinamarca: Sorensen (Lindegaard 31'); Jacobsen, Kroldrup, Kjaer e Silberbauer; Kvist (Lovenkrands 72'), Poulsen e Daniel Jensen (Eriksen 58'); Pedersen, Rommedahl e Vingaard.
Treinador: Morten Olsen. Suplentes Não Utilizados: Lorentzen, Junker, Jorgensen e Leon Jessen.

Disciplina:
Amarelos: Silberbauer 3';

Golos: 1-0 Nani 29'; 2-0 Nani 31'; 2-1 Ricardo Carvalho na própria baliza 79'; 3-1 Cristiano Ronaldo 85';

terça-feira, 5 de outubro de 2010

AF Porto: CA Felgueiras 2-0 Salgueiros 08

Os "irmãos" de Futebol Clube Felgueiras e Sport Comércio e Salgueiros, encontraram-se no passado domingo em jogo a contar para a 4ª Jornada da Divisão de Honra da AF Porto.
O CA Felgueiras fundado em 2006 e o SC Salgueiros 08 fundado, tal como o nome indica, em 2008, voltaram a reeditar um duelo entre dois clubes que passaram a década de 90 e o princípio da última nos campeonatos profissionais.
No primeiro escalão, ambas as equipas apenas se defrontaram por duas ocasiões, uma vez que o FC Felgueiras apenas marcou presença na I Divisão Nacional em 95/96. Na altura, os durienses levaram a melhor. Empate em Vidal Pinheiro na primeira mão, e vitória em Felgueiras por 2-0, sempre sob o comando de...Jorge Jesus.
O Felgueiras acabaria por descer, enquanto que o Salgueiros não. Seis anos depois, o duelo voltou a ser reeditado, mas já na Liga de Honra. O "Velho Salgueiral" acabara de ser despromovido. Na primeira volta, em Paranhos, a equipa da casa triunfou por 2-0, enquanto que na segunda volta a equipa da casa (o Felgueiras) também venceu por 2-0.
Seguiu-se a temporada 03/04, com o Salgueiros a triunfar em Felgueiras logo na 3ª Jornada por uma bola a zero. Depois, e no último embate entre Sport Comércio e Salgueiros e Futebol Clube Felgueiras, o jogo acabou empatado a um.
Na temporada passada, SC Salgueiros 08 e CA Felgueiras enfrentaram-se no play-off de acesso à Divisão de Honra, mas ambos acabaram promovidos.
Logo, o jogo do passado domingo, foi mais "interessante".
Ambos, estão agora, a um pequeno passo de voltarem a colocar os "seus" clubes nos Nacionais e devolver-lhes o "nome" que construíram no futebol português, e que já parece, "esquecido".
Mais de mil salgueiristas, não entraram no (agora) pelado Estádio Doutor Machado de Matos, em protesto pela falta de bilhetes oficiais.
Indiferentes a isto, os jogadores do CA Felgueiras chegaram ao golo quando estavam decorridos 25' minutos, numa altura em que, curiosamente, o Salgueiros 08 estava claramente "por cima" no jogo.
Após cruzamento na direita, Tiago antecipou-se a toda a defensiva do Salgueiros e sem oposição bateu Jorge Matos pela primeira vez no jogo.
Até ao intervalo, o Salgueiros 08 "adormeceu", não conseguindo criar perigo.
No segundo tempo, os Homens de Paranhos surgiram mais espevitados e desperdiçaram uma série de boas ocasiões para chegarem ao empate. Quim Simões e Lobo, ambos pontas de lança, foram os principais "desperdiçadores".
Já em período de compensação, e após uma bola colocada nas costas da defesa do Salgueiros, Agi isolado, "limitou-se" a escolher "um lado" e bateu Jorge Matos pela segunda vez na partida.
No plantel do CA Felgueiras, o destaque vai para Bakero, extremo que representou Marítimo, Sp. Braga e U. Leiria no primeiro escalão,  mas que não alinhou na partida frente ao Salgueiros. No banco do Felgueiras, esteve o antigo jogador do FC Porto, e agora treinador do clube duriense, António Lima Pereira.
No plantel salgueirista, o destaque vai para Albertino, lateral direito que representou o Marítimo durante largos anos, e para Lobo, ponta de lança de 40 anos e que já foi notícia aqui no "ConversasRedondas".
Há também a destacar, o facto do treinador do Salgueiros 08, ser o antigo defesa central, Renato, que além do clube portuense, representou a U. Leiria, o Sporting e o Leixões.
Ficha de Jogo:

Estádio: Doutor Machado de Matos, em Felgueiras (Pelado)
Árbitro Principal: José Rodrigues (AF Porto)

CA Felgueiras: Cura; Jaime Ribeiro, Jorge Ferreira, Milton e Élio; Eduardo Bragança, Patocas e Brasil (Vasco 66'); Diogo Ribeiro, Tiago e Agi.
Treinador: António Lima Pereira.

SC Salgueiros 08: Jorge Matos; Albertino, Pereira, Wilson e Rochinha; Monteiro (Gonçalo 66'), Oliveira e Berto (Diogo Preto 60'); Lobo (Hugo Silva 80'), Quim Simões e Rui João.
Treinador: Renato.

Golos: 1-0 Tiago 25'; 2-0 Agi 90+3';

Fotos da autoria do blog do SC Salgueiros 08.

Europa: Árbitro "deu" vermelho a Del Piero

Que Alessandro Del Piero é um "Senhor" do futebol Mundial, já todos sabiamos.
E, por essa e por outras razões, o árbitro espanhol Iturralde González "deu" a cartolina vermelha a Del Piero, após o jogo com o Manchester City da passada quinta-feira, em jeito de prenda e homenagem pela qualidade do italiano dentro e fora dos relvados.
Cá fica a história, contada pelo italiano no seu site pessoal:

«O ideal é ficarmos o mais longe possível de um cartão vermelho, mas nem sempre. Nunca tal me tinha acontecido. Estádio Cidade de Manchester. O jogo tinha terminado, e cumprimentamo-nos no centro do relvado, um a um, em ambiente de grande fair play e correcção. Fomos junto do sector destinado aos nossos adeptos e agradecemos o apoio, tal como o City fez. Quando vou a caminho do balneário o árbitro espanhol Eduardo Iturralde Gonzalez interpela-me. Cumprimenta-me outra vez. Ele sorri e diz-me: És um jogador correcto, fizeste um grande jogo e marcaste um grande livre. Quero dar-te uma prenda. Nessa altura ele saca do cartão vermelho e mostra-me, como se me estivesse a expulsar (felizmente, isso não aconteceu em campo), e depois dá-mo. Fiquei positivamente surpreendido. Disse-lhe então: Obrigado, mas não chega. Quero que assine

Na parte do "autógrafo", Iturralde González escreveu: "Para Alex. Grande". Ver um cartão vermelho nem sempre é sinónimo de má notícia. Que o diga "Alex".

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

"A foto do dia": Quanto vale vencer um derby ?

Um derby é um jogo de emoções, que geralmente costuma pôr os nervos dos adeptos e dos protagonistas à flor da pele.
Nem sempre é bem jogado, porque tal como referi em cima, os nervos, por vezes, sobrepõem-se a tudo.
Ontem foi dia de derby's no concelho de Santa Maria da Feira. Não estou com isto, a dizer que noutros Distritos não houve derby's, apenas me estou a referir ao que se passou no "meu" concelho.
Na Série A da II Divisão Distrital AF Aveiro, dos três derby's feirenses que se disputaram, houve um que me dizia claramente respeito: o Lobão - Canedo.
A última vez que estes clubes se defrontaram, em Lobão, o Canedo havia vencido por 4-0. Na altura, o Canedo lutava pela subida à III Divisão Nacional, enquanto a equipa da casa lutava árduamente para não descer à II Divisão Distrital. No final da temporada, o Canedo acabou por "morrer na praia", e o Lobão não evitou mesmo a descida de divisão.
O jogo de ontem, era encarado com alguma expectativa, uma vez que o Lobão vem da I Divisão Distrital, e o Canedo tem como objectivo a promoção.
No primeiro tempo, o Canedo entrou bastante forte e determinado na procura do golo, algo que veio a conseguir aos 29' minutos por intermédio de André Costa.
Depois do intervalo, a equipa da casa entrou mais determinada e até teve algumas oportunidades soberanas para chegar ao empate, mas o Canedo mantendo sempre o seu caudal ofensivo, acabaria por marcar mais dois golos, ambos por intermédio de Nino.
Já nos descontos, João Loureiro fechou as contas do marcador, ao fazer o 0-4. No entanto, a goleada acabou por ser demasiado penalizadora para o Lobão, pois os da casa nunca viraram a cara à luta, faltando-lhes apenas um pouco de sorte para chegarem ao golo.
Apesar disso, a vitória do Canedo não sofre a mínima contestação, uma vez que os canedenses são superiores ao seu adversário de ontem.
Esta vitória do Canedo, a segunda no campeonato, tem claramente, um sabor especial, não só por ter sido em casa de um vizinho e "rival", mas também por se tratar de uma equipa que ainda na temporada passada militava entre os "grandes" de Aveiro.
Por isso, fica a questão: quanto vale vencer um derby ?
Ficha de Jogo:

Jogo realizado no Campo São Tiago de Lobão, em Lobão - Santa Maria da Feira
Árbitro Principal: Rui Pinho (AF Aveiro)

Lobão: Caça; Cláudio (Gil 62'), Américo, Ivo e João; Joel, Paulo Pinho e Zé Eduardo (André Pinho 45'); Maia (Serginho 56'), Roberto e Rúben Brito.
Treinador: Pedro Cadete.

Canedo: Zé Miguel; Rochinha, Ricardo, Flávio Daniel e Passarinho (Pardal 61'); Rui Pedro, Paulo Sérgio (Bruno Joel 50') e Nino (João Loureiro 76'); Benjamim, André Costa e Carlos Robalinho.
Treinador: Batista.

Disciplina:
Amarelos: Paulo Pinho, Roberto, Igor; Nino;

Golos: 0-1 André Costa 29'; 0-2 Nino 60' G. P.; 0-3 Nino 75'; 0-4 João Loureiro 90+4';

domingo, 3 de outubro de 2010

Itália: Pirlo fez golo de deixar toda a gente espantada; até Ronaldinho

Andrea Pirlo é conhecido pela qualidade que "empresta" ao meio-campo onde joga, seja no AC Milan, ou na selecção italiana.
O que é pouco habitual é o médio defensivo transalpino marcar golos do meio da rua, como o que marcou ontem ao Parma, dando a vitória por 1-0 ao conjunto "rossoneri".
A trinta e cinco metros, Pirlo decidiu arriscar o remate e fez um golo de levantar o estádio. Nem Ronaldinho "escapou" aos festejos. O brasileiro tinha um sorriso de orelha a orelha, e limitava-se a abanar os dedos, como quem diz "como fizeste isto?".
Antes de ver o golo, resta dizer que pelo Milan alinharam jogadores como Robinho, Ibrahimovic ou Alexandre Pato, além do já referido Ronaldinho. Nenhum destes "malabaristas" e tecnicistas do futebol foi capaz de dar o triunfo à sua equipa. Esse papel assumiu-o Pirlo.