sexta-feira, 29 de abril de 2011

"A foto do dia": É mesmo o Estádio da Luz?

A cidade de Lisboa foi assolada no princípio da tarde de hoje, por fortes trovoadas, a que se seguiram quedas de granizo e chuva intensa.
Perante este cenário de mau tempo, a capital do País ficou num verdadeiro caos, sendo que em várias zonas o trânsito chegou mesmo a ser cortado, devido à enxurradas.
Ora, quem não "escapou" a isto, foi o futebol, mais concretamente o Estádio da Luz. Depois de receber ontem um jogo da Liga Europa, o tapete do estádio do SL Benfica, ficou totalmente coberto por um enorme manto branco, "fruto" da queda de granizo.
Dificilmente, a direcção do Benfica não terá prejuízos com este "novo" tapete do Estádio da Luz.
Situação idêntica, aconteceu no Estádio José Gomes, antiga casa do extinto Estrela da Amadora, que à semelhança do Estádio da Luz, viu esta tarde o seu relvado ficar coberto por um enorme manto branco.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Liga Europa: FC Porto quase na final; Benfica vence Braga

Portugal está a noventa minutos, ou talvez menos, de ter duas equipas suas numa final europeia.
Esta noite, o FC Porto recebeu e venceu o Villarreal de Espanha por 5-1 (!), depois de estar a perder por uma bola a zero ao intervalo; enquanto o Benfica recebeu e venceu o Braga por 2-1.
Começando pelo jogo do Dragão, a equipa portista esteve longe de ter a tarefa simplificada, pois como seria de esperar, os espanhóis do Villarreal não viajaram até à cidade do Porto, apenas em "passeio".
Com o maior perigo espanhol a "residir" na dupla atacante formada por Nilmar e Rossi, uma distracção de Álvaro Pereira ao cair do pano da primeira parte, permitiu ao Villarreal inaugurar o marcador.
Cruzamento de Nilmar na direita, e na área Cani a antecipar-se a Otamendi e a Helton, e de cabeça a inaugurar o marcador, segundos antes do fecho do primeiro tempo.
No início do segundo tempo, o Villarreal andou perto do segundo golo, com Cazorla a servir Nilmar, mas Álvaro Pereira redimiu-se do erro da primeira parte, e na hora certa cortou o lance.
Aos 49', Falcao arrancou uma grande penalidade, de forma um pouco forçada, e o mesmo jogador acabaria por converter a oportunidade em golo, permitindo ao Porto chegar ao empate numa altura crucial da partida.
A partir daí, a equipa portista arrancou para um grande "amostra" de como deve uma equipa ser eficaz: aos 61', Guarín ganhou uma bola na direita, atirou ao poste, e na recarga de cabeça, fez o 2-1.
Seguiram-se mais três golos para o Porto (67'; 75' e 90') e todos eles apontados por Falcao: o primeiro e após assistência de Hulk do lado direito, Falcao limitou-se a encostar; o segundo, após livre milimetricamente cobrado por Guarín para a cabeça de Falcao; e o terceiro, após pontapé de canto, e novamente Falcao no sítio certo, à hora certa, a cabecear para o último golo da partida.
O FC Porto está com os dois pés na final de Dublin.
Pela mesma final de Dublin, lutam Braga e Benfica. Hoje, no estádio da Luz, a equipa da casa recebeu e venceu a equipa bracarense por duas bolas a uma, com os golos a aparecerem apenas no segundo tempo. Pelo menos os que foram validados.
É que logo aos 10' minutos, Cardozo fez balançar as redes da baliza de Arthur, mas o golo não foi válido, pois o avançado paraguaio estava "escandalosamente" em posição irregular.
Na etapa complementar, os golos "apareceram" de forma válida, com o Benfica a inaugurar o marcador por intermédio de Jardel. Cabeçada de Cardozo ao poste, e à boca da baliza, o central com nome de goleador, a encostar para o empate.
A "resposta" bracarense demorou apenas três minutos, pois aos 53' Vandinho na sequência de um livre a beneficiar a equipa de Braga, apareceu sozinho a cabecear para o empate.
No entanto, o jogo estava "louco" e aos 59', o Benfica voltou para a frente do marcador, por intermédio de Cardozo. Uma "bomba" do paraguaio na conversão de um livre.
Até final, o resultado não se alterou, mas já há duas baixas para o jogo da próxima semana: Aimar e Vandinho viram o amarelo, e vão cumprir castigo no jogo de Braga.
Os jogos da segunda mão disputam-se, como já disse, na próxima quinta-feira, dia cinco de Maio.

Juniores: FC Porto campeão

(À jornada três do apuramento de campeão, o FC Porto recebeu e venceu o Braga por 3-0.)
O FC Porto sagrou-se ontem campeão Nacional em Juniores, depois de vencer no Estádio José Bento Pessoa na Figueira da Foz, a Naval por um concludente 0-3.
Fílipe Barros mais conhecido por Pipo bisou, enquanto David fechou as contas, após assistência do mesmo Pipo.
Este é o vigésimo título dos "dragões" no escalão, recuperando assim um título que lhes fugia desde a temporada 2006/2007, na altura, a equipa de Castro, Ukra, Candeias, Bura, Ventura, Tengarrinha entre outros.
Na primeira fase do campeonato, os portistas dominaram por completo a Zona Norte, somando sessenta pontos, fruto de dezanove vitórias, três empates e zero derrotas, acabando naturalmente, na primeira posição.
No apuramento do campeão, prova que engloba os primeiros quatro classificados das Zonas Norte e Sul, os "dragões" vinham dominando a prova, e ontem selaram em definitivo a conquista do título, com a décima primeira vitória em doze jogos.
A dois jogos do fim do campeonato, a única equipa que para já se pode "gabar" de ter batido o campeão nacional, é o V. Guimarães que recebeu e venceu os azuis e brancos por uma bola a zero logo na segunda jornada.
No próximo domingo, os Juniores portistas recebem o Gondomar, e o jogo será realizado no Estádio do Dragão, em jeito de "prémio" pela conquista de ontem.
A geração que ontem se sagrou campeã sub-19, já se havia sagrado campeã de sub-15 e sub-17.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Fausto: "Espero o Neuchâtel Xamax vencedor"

As palavras são de Fausto Lourenço (na foto), avançado português do Neuchâtel Xamax da Suiça, clube que na passada segunda-feira "carimbou" a passagem à final da Taça da Suiça, afastando o Zurique do também português Jorge Teixeira.
Mesmo apesar de ter sido suplente não utilizado no jogo da meia-final ante o Zurique, Fausto Lourenço acedeu ao convite do blogue e começou por descrever o sentimento que "reinava" no final da partida:
"É verdade, não joguei mas para mim é como se tivesse jogado! Porquê? Porque vivi o jogo como se estivesse lá dentro. Estava no banco com vontade de entrar mas, por vezes, as situações do jogo assim não o permitem. Não participei neste mas participei nos outros, por isso também faço parte desta "caminhada" que só enaltece a qualidade da equipa. Foi um momento fantástico, assim que a equipa do Zurique falhou o penalti. Confesso que vivi com emoção, porque para além de jogar no Neuchâtel Xamax, aprendi a gostar do clube, dos adeptos e da cidade" frisou.
A partida terminou empatada a um golo no fim do tempo regulamentar, e no prolongamento o resultado não se alterou. O golo do Zurique foi apontado pelo português Jorge Teixeira, e Fausto descreveu o jogo como tendo sido equilibrado:
"Foi um jogo equilibrado, pois ambas as equipas tiveram algum receio de arriscar. O Zurique não foi em nada superior a nós. Na primeira parte eles tiveram a situação do golo e pouco mais. Na segunda parte, assumimos mais o jogo, conseguimos jogar mais no meio campo adversário e acabámos por empatar. Aos 90' minutos tivemos a oportunidade mais flagrante do jogo, onde podíamos ter feito a festa antes do prolongamento e penaltis."
O avançado natural de Miranda do Corvo, comentou também a "campanha" do Neuchâtel na edição actual da Taça da Suiça, clube onde também jogam Paíto e Binya, dois jogadores jogadores bem conhecidos do futebol português, dizendo que esta "tem sido complicada":
"Tivemos uma edição de taça um pouco complicada, visto que eliminamos duas equipas de SuperLiga, Bellinzona e FC Thun. Jogámos também contra o FC Chiasso, equipa da segunda liga, e foi uma vitória complicada porque as equipas de segunda liga, quando jogam contra as da primeira, tentam-se superar a si mesmas. Mas sabe melhor chegar à quinta final da história do clube, onde podemos fazer história e trazer a taça para Neuchâtel" referiu.
Agora, na final, o Neuchâtel enfrentará o vencedor do encontro entre Sion e Biel-Bienne que se disputa apenas amanhã. Fausto diz não ter "preferências" e 'só' "espera o Neuchâtel vencedor":
"Entre o Sion e o Biel-Bienne, teoricamente a equipa de Bienne é mais acessível mas, como disse anteriormente, as equipas de segunda divisão têm sempre uma palavra a dizer. Estão na meia final porque eliminaram o Basileia, por isso não são uma equipa qualquer. Uma final é sempre uma final seja contra quem for e, como tal, não tenho "preferência". Espero o Neuchâtel Xamax vencedor..."
Aos 24 anos e depois de ter passado pelas camadas jovens de FC Porto e Académica, Fausto Lourenço representou como sénior, Tourizense, Anadia, Lokomotiv Mezdra da Bulgária e o Onisilos do Chipre antes de chegar ao Neuchâtel na actual temporada.

III Divisão: Oliveira do Douro somou primeiro triunfo

A cinco jogos do fim da época, o Oliveira do Douro somou a primeira vitória da temporada.
Depois de seis empates e vinte derrotas em vinte e seis jogos disputados, somando a fase regular do campeonato e a fase dos últimos da Série B da III Divisão, os gaienses conseguiram a primeira vitória da época na última jornada da primeira volta da fase dos últimos, batendo o vizinho e rival, Candal, por 3-1.
Nesta fase dos últimos, o percurso do Ol. Douro tem vindo a ser "positivo", pois nas primeiras quatro jornadas, o clube oliveirense somou três empates e uma derrota, participação essa que foi agora "reforçada" com o primeiro triunfo da época, que permite aos oliveirenses somarem agora oito pontos, mantendo, no entanto, a última posição.
Depois do último embate entre estes dois emblemas não ter chegado ao fim, conforme noticiei aqui no blogue, desta vez a partida chegou mesmo ao fim, e a vitória do Ol. Douro não sofre contestação.
A equipa da casa inaugurou o marcador à passagem do minuto 30', por intermédio do "veterano" defesa Rómulo, jogador que fez toda a sua carreira no Gondomar e que esta temporada "chegou" ao Oliveira do Douro.
No segundo tempo, o técnico do Candal, Paulo Santos, lançou o médio Bruno Costa aos 55' e esse mesmo jogador viria a empatar a partida quando estavam decorridos 59' minutos.
A equipa do Oliveira do Douro acreditava que poderia somar a primeira vitória da época, e foi assim que aos 79', Hugo Figueiredo assinou o 2-1 favorável aos da casa.
Já em período de descontos, a equipa oliveirense fechou o marcador por intermédio do ainda júnior, Serafim.
Na próxima jornada, o Ol. Douro recebe o Rebordosa, enquanto o Candal se desloca ao terreno do Mondinense, necessitando de vencer para poder "respirar" melhor, uma vez que a equipa candalense está já na linha de despromoção.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

"O vídeo da semana": PanterasNegras no comboio

("PanterasNegras" em Esmoriz no passado sábado.)
Já se sabe que o futebol nos pode mudar o sentido de humor numa questão de segundos. Mas se a nossa equipa tem somado vitórias nos últimos jogos e luta pelos primeiros lugares, então a cada vitória conseguida, a nossa "moral" aumenta de forma significativa. E é isso que se tem passado com as "PanterasNegras", claque de apoio ao Boavista.
Os "axadrezados" lutam pela subida à Liga Orangina, e no passado sábado deslocaram-se a Esmoriz, "arrancando" uma vitória "a ferros" sobre a equipa local por uma bola a zero, com o golo a ser apontado a cinco minutos do fim por intermédio de Hélio.
Com este triunfo, o Boavista mantém-se na perseguição ao líder Tondela, embora em igualdade pontual com o Padroense e com desvantagem no confronto directo; e quando falta disputar apenas uma jornada.
Depois da vitória, a claque boavisteira voltou a casa usando o comboio, e no interior da locomotiva, a alegria dos adeptos "axadrezados" era evidente.
Tão evidente, que nem o famoso "pica" "escapou" às brincadeiras dos adeptos, como se pode ver no vídeo:

domingo, 24 de abril de 2011

Taça da Liga: Benfica volta a vencer competição

O Benfica venceu ontem pela terceira vez consecutiva a Taça da Liga, sendo que os "encarnados" venceram três das quatro edições realizadas.
No Estádio Municipal de Coimbra, a equipa encarnada bateu o Paços de Ferreira por duas bolas a uma, mas a sua tarefa perante a equipa pacense, não foi nada fácil.
Aos 17' minutos, Fábio Coentrão em mais uma das suas "arrancadas" pela esquerda, tirou cruzamento para a área, onde apareceu Franco Jara a cabecear sem oposição para o golo.
Aos 30', penalti a beneficiar os pacenses, mas na conversão, Manuel José a permitir grande intervenção a Moreira, que ontem voltou à titularidade.
Como quem não marca, "sofre", o Benfica chegou ao 2-0 quando estavam decorridos 42' minutos. Livre batido por Carlos Martins, desvio de Luisão e Javi García completamente sozinho no interior da área a rematar para o segundo golo da noite.
No início do segundo tempo, o Paços surgiu mais "espevitado" e logo aos 50', chegou ao golo, após auto-golo de Luisão, que desviou a bola de forma subtil, quando Moreira tinha o lance controlado.
Depois, André Leão quase fazia auto-golo; e na "resposta" Rondón andou perto do empate.
Ainda assim, a segunda parte foi praticamente toda do Paços, que por diversas vezes esteve perto de chegar ao empate, mas nunca conseguiu materializar em golos as oportunidades de que dispôs.
Do lado benfiquista, Cardozo podia ter "acabado" com o jogo em cima do minuto noventa, mas o seu remate mais pareceu um passe direccionado a Cássio.
Mesmo vencendo a Taça da Liga pela terceira vez consecutiva, a equipa "encarnada" não se "livrou" de ser assobiada no jogo de ontem, sempre que jogava "para trás".
Para a história, fica a terceira vitória do Benfica em quatro edições da competição.

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Sacavenense: Juniores chegam à I Divisão Nacional em apenas duas épocas

(Plantel júnior do SG Sacavenense, versão 2010/2011.)
Os Juniores do Sacavenense passaram em "apenas" duas temporadas, dos Distritais de Lisboa para a I Divisão Nacional da categoria.
O "principal responsável" por este feito, é Nuno Carvalho, ex jogador do Boavista na década de noventa, e que agora orienta o escalão máximo da formação de Sacavém.
Mas, vamos ao "início" da estória: a temporada passada, na Divisão de Honra de Juniores da AF Lisboa, o Sacavenense liderou a prova praticamente desde o início, sagrando-se campeão com dez pontos de avanço para o segundo classificado, CAC Pontinha. Vinte e cinco vitórias em trinta jogos, a que se juntaram mais dois empates e duas derrotas; noventa e dois golos marcados (!) e vinte e nove sofridos; total de setenta e sete pontos somados.
No meio disto tudo, houve ainda um jogo disputado pelos dois primeiros classificados, que acabou com ambos os clubes a serem punidos com a derrota, devido a trocas de agressões entre jogadores de ambas as equipas.
Esta temporada, os Juniores do Sacavenense mantiveram a mesma dinâmica da época transacta, vencendo a fase regular da Série C da II Divisão Nacional com um ponto "à maior" sobre o segundo classificado, Casa Pia.
Os jovens de Sacavém somaram catorze vitórias, quatro empates e quatro derrotas em vinte e dois jogos, marcando um total de cinquenta e quatro golos, sofrendo "apenas" dezanove.
De seguida, o Sacavenense disputou a segunda fase, a fase que daria acesso ao primeiro escalão da categoria Júnior. Implacáveis, os sacavenenses venceram todos os seis jogos que disputaram, marcando vinte golos, e sofrendo "apenas" sete, levando desta forma a melhor sobre os seus adversários na luta pela subida, que foram Louletano, Oeiras e Ribeira Brava.
Agora, segue-se o apuramento do Campeão juntamente com Boavista, Sanjoanense e Portimonense, as outras três equipas que venceram as suas séries na luta pela subida.
Mas uma coisa é certa: já nada tira esta equipa da história do clube e do futebol nacional.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Taça de Portugal: FC Porto vence na Luz e está na final

Reviravolta total na meia final da Taça de Portugal. Depois de perder por 0-2 em casa com o Benfica, o FC Porto deslocou-se ontem à noite ao Estádio da Luz, e venceu por 1-3, mostrando uma vez a sua superioridade ao longo de toda a temporada. Os "Dragões" chegaram mesmo ao 0-3.
Depois de uma primeira parte em que apenas Falcao andou muito perto de inaugurar o marcador, e logo por duas vezes na mesma jogada, rematando a primeira contra Júlio César, e na resposta atirando para a bancada, na segunda parte esperava-se um jogo mais aberto, até porque o resultado não interessava ao FC Porto.
E aos 64', João Moutinho assinou o seu segundo golo com a camisola do FC Porto, ambos na Taça de Portugal: Rodríguez serviu o médio à entrada da área, e este rematou forte e colocado, sem hipótese de defesa para Júlio César.
Aos 71', Alvaro Pereira "desceu" o corredor esquerdo e serviu Hulk, com o brasileiro a aproveitar para fazer o 0-2, embora estivesse em posição irregular. O Porto igualava a eliminatória, mas ainda não "chegava" para passar.
E três minutos depois, os azuis e brancos chegaram mesmo à "chapa três": remate de Falcao, a bola a desviar em Javi García e a trair Júlio César. Estava feito o 0-3 a cerca de vinte minutos do fim.
Aos 77' Jara andou perto do 1-3, e esse resultado haveria de "chegar" dois minutos depois, pois na sequência de um pontapé de canto favorável aos "encarnados", Carlos Xistra vislumbrou uma grande penalidade cometida por Sapunaru, que Cardozo haveria de transformar em golo.
O FC Porto acabou por vencer de forma clara o seu adversário, pois foi superior ao longo de toda a partida, e nem o fora-de-jogo de Hulk no segundo golo mancha uma exibição fantástica dos portistas.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Vila FC "responde" com comunicado

Da parte do Vila FC, a "resposta" foi dada através de um lançamento de um comunicado por parte da Comissão Administrativa que gere o clube, e que se segue:

"ASSUNTO:- Jogo “FC Cerco do Porto / Vila FC”
2.ª Divisão Distrital

Vila Nova de Gaia, 19 de Abril de 2011

Na sequência dos gravíssimos incidentes havidos antes do encontro em epígrafe vimos, expôr o seguinte:

1. Quando a comitiva do Vila F.C. chegou, cerca das 15h00, ao Complexo Desportivo de Campanhã, o autocarro foi imediatamente impedido de entrar nas Instalações, por um indivíduo que estacionou um automóvel junto à rampa de acesso à entrada e diversos elementos ligados ao F.C. Cerco do Porto.

2. O autocarro foi estacionado na estrada junto ao passeio, em frente ao parque de estacionamento do campo.

3. Vários elementos da comitiva, ao saírem do autocarro, foram barbaramente agredidos por diversos indivíduos (entre os quais, identificamos um atleta do F.C. Cerco do Porto), que ali se encontravam à espera da chegada da comitiva do Vila F.C. e que, oportunamente, será objecto de queixa crime.

4. Passados alguns momentos e após já terem havido bastantes agressões, chegaram junto do autocarro, 4 ou 5 elementos de Autoridade (PSP), para tentarem impedir mais agressões, e pediram para a comitiva voltar para dentro do autocarro, e para ir embora, visto que não estavam reunidas as mínimas condições de segurança para a recepção/acompanhamento da comitiva do Vila F.C.

5. A comitiva do Vila F.C., cumpriu todas as instruções dadas pela Autoridade (PSP) no local, seguindo desde logo, até à 3.ª esquadra da PSP do Porto, sita na Rua do Heroísmo, a fim de apresentar a respectiva queixa pelos acontecimentos supra mencionados.

6. Apresentada a respectiva queixa, 2 Directores do Vila F.C., acompanhados por 2 elementos de Autoridade (PSP), deslocaram-se ao Complexo Desportivo de Campanhã para entregarem à Equipa de Arbitragem, o respectivo boletim do jogo, juntamente com as licenças dos jogadores mencionados no boletim, bem como comunicar que a comitiva não tinha condições físicas (vários atletas e treinadores com diversos ferimentos), nem condições psicológicas, resultantes das agressões mencionadas nos pontos n.º 3 e 4, para a realização do respectivo jogo.

7. Perante estes factos, os elementos da comitiva alvo das agressões deslocaram-se ao Instituto de Medicina Legal, a fim de serem atestadas as respectivas agressões.

Estes foram, em linhas gerais os factos ocorridos, que lamentamos profundamente e que foram objecto do nosso e-mail de 13 de Abril (junto da AFP), no qual já alertávamos para eventuais incidentes que, infelizmente se vieram a verificar de forma agravada.

Pelo exposto, esperamos uma análise profunda dos acontecimentos que, a não serem severamente punidos, poderão vir a constituir uma porta aberta para que qualquer equipa consiga vencer os jogos recorrendo à intimidação e violência psíquica e física.

Assim, a terminar manifestamos a nossa convicção, a bem da justiça desportiva de que tais factos não poderão jamais deixar de ser penalizados quer no aspecto desportivo, quer no aspecto disciplinar.

A Comissão Administrativa do Vila F C."

Eládio: "O 'caldo' já vinha 'entornado' da primeira volta"

(Eládio enquanto capitão do SC Salgueiros 08 na temporada 08/09.)
O "ConversasRedondas" procurou falar com alguém "ligado" ao Cerco do Porto, e por isso, chegou "à fala" com Eládio, defesa central do clube portuense.
O jogador começou por dizer que "estava no balneário e não viu o que aconteceu, mas que provavelmente houveram agressões":
"Eu não vi tudo porque estava no balneário. Quando vim cá fora, estava o autocarro do Vila a arrancar. Depois disso, não vi nada de "especial". Ficaram três jogadores do Vila no campo e não se passou nada. Mas agressões não posso dizer que tenha visto. Provavelmente aconteceram."
Formado no Salgueiros, Eládio falou ainda dos cuidados que a polícia deveria ter tomado, adiantando ainda que "no Cerco não costumam haver problemas":
"Normalmente no Cerco não há problemas. Quando houveram foi em jogos fora, mas já vinha o "caldo entornado" do jogo da primeira volta e penso que a polícia deveria ter tomado alguns cuidados."
O jogador do Cerco, referiu ainda que depois da comitiva do Vila se ir embora, chegaram carrinhas com agentes de força policial, e que aí sim, estariam reunidas as condições para a realização da partida:
"Depois do Vila ter ido embora, chegaram algumas carrinhas de policia e aí sim já haviam condições para se jogar. Mas também me coloco "na pele" dos jogadores do Vila e se fosse comigo também não voltava. Enfim, foi triste e toda a gente perdeu."
Por fim, Eládio "iliba" as agressões associadas ao seu colega de equipa, Valkirio:
"O Valkirio de certeza que não foi porque estava sentado ao meu lado no balneário, e quando soube da confusão foi o primeiro a querer-se levantar e ir embora. Até já queria tirar o equipamento."
Formado no Salgueiros, Eládio representou enquanto sénior Ermesinde, Campia, Valecambrense e Pessegueirense, antes de voltar ao "seu" Salgueiros nas duas últimas temporadas, onde envergou mesmo a braçadeira de capitão, no "renascer" do clube. Esta temporada chegou ao Cerco do Porto.

AF Porto: Cerco do Porto - Vila FC não se realizou devido a agressões

(Na primeira volta, Vila e Cerco empataram a dois no Parque Soares dos Reis.)
O jogo entre Cerco do Porto e Vila, a contar para a Jornada 35 da Série 1 da II Divisão da AF Porto, e que estava marcado para o passado domingo, dia dezassete, não se realizou devido ao facto da comitiva do Vila ter sido agredida, alegadamente por directores e atletas do Cerco do Porto.
A turma gaiense do Vila FC, que à entrada para a jornada trinta e cinco ocupava a terceira posição com 71 pontos, a um da dupla de líderes que era precisamente composta pelo Cerco e também pelo Pedroso, terá sido proibida de entrar nas instalações do Complexo Desportivo da Campanhã, casa habitual do FC Cerco do Porto.
A comitiva do Vila terá sido agredida no momento em que saiu do autocarro, regressando pouco tempo depois a "casa", apresentando ainda queixa numa esquadra da PSP do Porto.
Os responsáveis do clube gaiense alegam ainda falta de condições de segurança para a realização da partida, e fonte próxima do "ConversasRedondas" relatou ao blog, que dois dos alegados agressores foram Fajó e Valkirio, ambos atletas do FC Cerco do Porto. A mesma fonte referiu ainda que um director do clube da casa terá também agredido elementos da comitiva gaiense, que terá sido "atacada" por mais de trinta pessoas afectas ao Cerco do Porto.
Do lado do clube portuense, António Pereira presidente do Cerco, falou à edição de segunda-feira do "Jornal de Notícias" garantindo que as condições de segurança para a realização da partida estavam garantidas e alega que a comitiva gaiense provocou os adeptos locais.
Ambos os clubes esperam agora uma decisão oficial por parte da AF Porto, sendo que o jogo deverá ser novamente realizado, uma vez que dois directores do Vila FC, terão voltado ao estádio já depois de terem abandonado as instalações na Campanhã, para entregarem as respectivas fichas de jogo à equipa de arbitragem.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Ricardo Nascimento

Ricardo Nuno Queirós Nascimento, Ricardo Nascimento no mundo do futebol, nasceu a dezanove de Abril de 1974, completando precisamente hoje, trinta e sete anos.
A seis dias da "revolução dos Cravos" "rebentar", nasceu em Vila Nova de Gaia, aquele que viria a ser um excelente organizador de jogo e um exímio marcador de livres.
Começou por ir treinar às escolinhas do Canidelo de Vila Nova de Gaia, mas o que é certo é que na semana seguinte levaram-no a treinar ao FC Porto e por lá ficou.
Em Juvenil mudou-se para o Leixões, e foi lá que começou a "nascer" para o futebol, tendo apontado trinta e um golos na última temporada enquanto júnior.
Como sénior, continuou a representar a equipa leixonense, onde até foi apelidado de "Platini do Mar", e foi com naturalidade que na temporada de 94/95, a sua segunda como sénior, foi contratado pelo Boavista.
O contrato começou em 1994 e acabou em 1999, com Nascimento a fazer apenas duas temporadas de "xadrez ao peito".
A primeira em 94/95, fez apenas um jogo, fruto de um infortúnio que aconteceu num jogo de preparação com o Sporting, onde partiu um pé.
Na época seguinte foi emprestado ao D. Aves, onde deu "nas vistas", marcando sete golos em vinte e nove jogos, algo que fez com que regressasse ao Bessa, para "ficar".
Na segunda época no Boavista, foi titular duas vezes, nas jornadas treze e quinze, entrando depois frente ao Sporting na jornada trinta e quatro. O Boavista perdia; Nascimento entrou ao intervalo; e os "axadrezados" venceram por 2-1.
Mas no meio disto tudo há uma história caricata:
“No último jogo, com o Sporting, entrei com a equipa a perder e demos a volta ao marcador. No final, Mário Reis disse-me que eu entrei porque tinha estado um sócio durante toda a primeira parte, com um megafone, a pedir a entrada do Latapy. Ele, como era teimoso, decidiu meter-me a mim…” contou Ricardo Nascimento à revista "Record Dez" no ano de 2006.
Seguiu-se um empréstimo ao Varzim para 97/98, onde realizou vinte e sete jogos, nove como titular, embora não sendo muito feliz, pois a equipa poveira acabaria por descer de divisão.
Na época seguinte voltaria à vila das Aves, para representar o Desportivo. O clube avense andou perto da subida de divisão, perdendo na última jornada frente ao Santa Clara por 4-3. O jogo foi nos Açores, e quem subiu na terceira posição, foi o ... Santa Clara.
Depois de realizar trinta e um jogos e marcar seis golos, e de terminar o contrato com o Boavista, rumou ao Gil Vicente, que regressava à primeira divisão na época de 99/00.
Em Barcelos, participou em vinte e cinco jogos, marcando cinco golos, contribuindo para uma excelente época dos "gilistas" que acabaram o campeonato na quinta posição.
Para 00/01, Ricardo Nascimento chegou a ser falado como reforço do campeão Sporting, mas acabaria por rumar ao Montpellier de França, que lutava para subir ao principal escalão.
O clube subiu, mas Ricardo Nascimento lesionou-se com gravidade, "fruto" de uma entrada mais dura por parte de um adversário durante um jogo da Taça de França. Realizou apenas quatro jogos no campeonato.
Na época seguinte, "Rixa" como é tratado pelos amigos e familiares, regressou ao Gil Vicente mas problemas com o técnico da altura, Luís Campos, levaram-no a mudar-se para o Sp. Braga a meio da temporada.
Em Barcelos participou em onze jogos, marcando dois golos; em Braga participou em doze jogos.
Em 02/03, foi convidado pelo Salgueiros a assinar um contrato de três anos, e mesmo com o clube na Liga de Honra, Nascimento aceitou o convite do "Velho Salgueiral".
Muitos problemas no clube de Paranhos, onde até chegou a ser agredido e passou por situações de salários em atraso, "forçaram-no" a sair do clube mais cedo que o previsto, mesmo depois de ter realizado trinta e um jogos e de ter marcado cinco golos.
Na época seguinte, "Rixa" manteve-se na Liga de Honra, desta vez ao serviço do Maia. No Maia, Ricardo Nascimento voltou a passar por problemas de ordem financeira, acabando, no entanto, por apontar doze golos em trinta e um jogos.
"Depois da tempestade, vem a bonança", lá diz o povo e é bem verdade. E, eis que Ricardo Nascimento regressou ao primeiro escalão na temporada seguinte (04/05).
Carlos Brito e o Rio Ave, foram os "responsáveis" por este regresso, onde Nascimento fez uma excelente época. Ou metade dela, pois em Fevereiro acabaria por se mudar para o FC Seoul da Coreia do Sul.
Dezanove jogos e três golos pelos "vilacondenses", incentivaram os coreanos a avançarem para a sua contratação.
E Ricardo Nascimento não os desiludiu, pois durante os três anos em que representou os sul-coreanos, tornou-se um ídolo para a massa associativa do FC Seoul, que ainda hoje o recorda com saudade.
Depois de três anos na Coreia, onde ganhou uma Taça, Ricardo Nascimento regressou a Portugal, para representar o Trofense.
"Ajudou" os trofenses a subirem à I Divisão, participando em catorze jogos, apontando um golo e sendo cotado de um dos principais "obreiros" por esta subida.
Na temporada seguinte, manteve-se na Trofa, realizando apenas quatro jogos no primeiro escalão, tendo apontado um golo.
Depois de rescindir com o Trofense em Novembro de 2008, Ricardo Nascimento rumou ao D. Aves, regressando assim a uma "casa" que bem conhecia.
Participou em nove jogos, marcando um golo, mantendo-se no clube para 09/10. Nessa época, realizou apenas quatro jogos na Liga de Honra, rescindido contrato com os avenses em Setembro de 2009.
Depois de rescindir com o D. Aves, Ricardo Nascimento não mais voltou a jogar futebol, tendo já terminado a sua carreira.
O "ConversasRedondas" felicita o jogador não só pelo aniversário, mas também pela carreira.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

"Para quem Ama o Futebol, emoções que não se contam"

(Foi com o objectivo de "homenagear" este plantel, que Sónia escreveu o texto.)
Certamente, já terá encontrado este texto algures numa rede social. "Para quem Ama o Futebol, emoções que não se contam" é um texto da autoria de Sónia Costa, psicóloga da Associação Académica de Coimbra, que escreveu este texto precisamente para dedicar aos juniores da "Briosa", que depois de uma temporada positiva na I Divisão Nacional do escalão, acabaram por ser despromovidos ao segundo escalão, na última jornada.
É um texto em que qualquer futebolista ou ex-futebolista facilmente se revê, porque descreve ao pormenor a "vida" de um futebolista.
O "ConversasRedondas" chegou à conclusão que esta peça lírica "merece" ser divulgada.
Sem mais demoras, cá fica o texto:

"O futebol é um estilo de vida….relva, sol, frio, chuva e terra….O treino terminou…passa das nove da noite e lá vou eu com o saco debaixo do braço…viagem para casa e tentar ainda jantar ….No treino raspei a pele…espero que amanhã não caia para o mesmo lado….chego a casa e diz a minha mãe: sacode as chuteiras ou deixa-as lá fora…
O que é que nos dá força para época após época continuar no futebol?
Aos domingos gosto de dormir…dizem os outros…. Nunca estamos juntos , diz a tua namorada…. Pensa mas é em estudar e trabalhar dizem os teus familiares………
Ouves isto, Pensas para ti…., e SORRIS ……
Que sabem eles do que significa o futebol para ti…..Que sabem eles da tensão e ansiedade que não te deixa dormir um dia antes do jogo…..Que sabem eles dos jogos em que jogaste com alguma dor ou mau estar……Que sabem eles do que sentes quando marcas um golo e os teus colegas te abraçam desesperadamente……Que sabem eles das pancadas que levas e da dor que te provocam….Que sabem eles do que é sentes no balneário quando sai a convocatória…..Que sabem eles do que sentes quando não jogas…..Que sabem eles da força que te dá, uma palmada nas costas de um colega quando um passe te corre bem…..Que sabem eles do teu respirar fundo quando o treinador dá o onze inicial…..Que sabem eles do que sentes quando estás no banco de suplentes…..Que sabem eles do que é ganhar ou perder um jogo a cinco minutos do fim….Que sabem eles do que pensas dez minutos antes do jogo…..Que sabem eles o que é estar a aquecer desde os primeiros cinco minutos da segunda parte na esperança que o treinador te mande entrar….Que sabem eles como vibras numa vitória……Que sabem eles da dor que se sente numa derrota…..
Que sabem eles do que sentes quando o jogador que deverias marcar faz golo…..Que sabem eles das quedas que dás e das vezes que tens de te levantar……Que sabem eles o que é dar o ultimo pique quase sem conseguir respirar….Que sabem eles do que sentes quando vês o jogo da bancada…..Que sabem eles o que é estar parado ou perderes o resto da época por lesão…..Que sabem eles dos banhos de água fria que já tiveste de tomar…..Que sabem eles do calor, frio e chuva que tiveste de suportar….Que sabem eles o que é treinar todos os dias nos meses de verão quando todos os teus amigos estão de férias…..Que sabem eles quando todos vão sair para dançar e tu vais dormir para jogar no dia seguinte…..Que sabem eles das privações que tens….Que sabem eles o que é sair de um treino ou jogo com fome e não ter o que comer…..Que sabem eles o que é não poderes reunir-te diariamente com os teus amigos e família…..Que sabem eles do quanto amas o Futebol….Que sabem eles o que é perder a juventude em prol desse amor….Que sabem eles o que é chegar ao fim de uma época e deixar os amigos que fizeste….Que sabem eles o que é treinar de segunda a sexta e no sábado não estares sequer convocado….Que sabem eles do que se sente ao perder-se uma final….Que sabem eles da emoção, pele de galinha, e o que sentimos ao ler esta pequena nota….Terra….Relva….Arranhões… dez pessoas contigo….onze do outro lado do campo….
Esta é a NOSSA vida, que sabem eles ???
Muita gente diz que o futebol não tem nada a ver com a vida….não sei quanto sabem da vida, mas de FUTEBOL…não sabem NADA ‼!

Na vida, como no Futebol…se perdermos um jogo, perdemos pouco…se perdermos a HONRA, perdemos muito…mas se perdermos a CORAGEM, perdemos TUDO!

Compromisso: NUNCA DESISTIR!"

Autoria de: Sónia Costa, Coimbra, 2011.

domingo, 17 de abril de 2011

"A figura do dia": Izmailov

Independentemente do seu "feitio", Marat Izmailov é um jogador de enorme qualidade.
Depois de alegadamente ultrapassar os problemas com a anterior direcção do Sporting, e de ficar devidamente tratado das lesões que o assolaram anteriormente, o médio russo regressou hoje à competição, e logo frente ao FC Porto, em pleno Estádio do Dragão.
A última vez que Izmailov havia pisado um relvado de forma oficial, havia sido em Maio de 2010, quando foi titular na derrota caseira do Sporting ante a Naval, em jogo a contar para a 29ª Jornada do campeonato. Na altura, Izmailov esteve em campo durante sessenta e dois minutos, assinando uma exibição muito "pobre".
Hoje, Izmailov "saltou do banco" aos 64' minutos rendendo Valdés, mas até passou despercebido durante o tempo em que esteve dentro de campo.
Curioso, foi o facto de após ter entrado no recinto de jogo, o médio se ter "pegado" com o seu ex-companheiro João Moutinho, mas tudo não passou de uma "brincadeira" entre amigos, está claro.
Que Izmailov se mantenha no futebol português durante mais uns anitos, é o meu desejo.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

"A foto do dia": FC Porto 0-1 Man. United

Se na passada semana recordei o empate do FC Porto em Old Trafford na temporada 08/09 a contar para a primeira mão dos Quartos de Final da Liga dos Campeões, é "justo" que hoje "lembre" o jogo da segunda mão.
Faz hoje precisamente dois anos que os portistas disseram "adeus" à Champions, "às custas" de Cristiano Ronaldo, que marcou o único golo do jogo.
Na foto em cima, Aly Cissokho parece cometer falta sobre Cristiano Ronaldo, mas antes disso já o internacional português tinha inaugurado o marcador com um potente remate do "meio da rua", "logo" aos seis minutos.
O FC Porto bem tentou chegar ao empate, e fez de tudo para o conseguir, mas os ingleses estiveram sempre impecavéis perante a acção ofensiva portista, com os azuis e brancos nos últimos vinte minutos de jogo a jogarem "mais com o coração do que com a cabeça".
Aliás, foi nesse período de tempo que os ingleses puderam "respirar" melhor, estando várias vezes perto de no contra-ataque fazerem o segundo golo e arrumarem em definitivo com o jogo.
Esta vitória do Manchester sobre o Porto no Dragão, foi também a primeira derrota dos portistas em casa  frente a equipas inglesas.
O Manchester United haveria de chegar a final da competição, mas acabou derrotado pelo Barcelona por duas bolas a zero.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Na (Liga) Europa mandamos "nós"!

Época histórica para o futebol português: pela primeira vez na sua história, Portugal terá três equipas na meia-final de uma competição europeia.
E, pelo menos uma equipa lusa estará na final da Liga Europa, que se realizará em Dublin.
FC Porto, Benfica e Sp. Braga ultrapassaram hoje os seus adversários, apesar de apenas o Porto ter triunfado nesta segunda mão. Benfica e Braga empataram respectivamente a dois e a zero, confirmando a passagem para as meias finais, onde se vão encontrar para um duelo luso.
A primeira equipa portuguesa a entrar em campo foi o FC Porto, que na Rússia bateu o Spartak por um expressivo 2-5.
O primeiro golo portista surgiu aos 28' minutos, quando Hulk teve uma espectacular arrancada, concluída com o remate para o fundo das redes. Em cima do intervalo, Cristián Rodríguez de cabeça aumentaria para 0-2, e o FC Porto espalhava o seu habitual "perfume".
No primeiro minuto do segundo tempo, Freddy Guarín fez o 0-3, mas aos 52' Dzuba haveria de reduzir para 1-3. No entanto, e apenas dois minutos depois, Falcao de cabeça aumentou para 1-4.
Aos 72' minutos, Ari ultrapassou Helton e empurrou para o fundo das redes, reduzindo o marcador para 2-4, e já em período de descontos, Rúben Micael fechou as contas do marcador, assinando o 2-5.
O FC Porto segue assim para as meias finais, onde vai defrontar o Villarreal de Espanha, com a primeira mão a realizar-se em Portugal.
Na Holanda, o Benfica empatou a duas bolas, depois de ter estado a perder por 2-0 e em risco de dizer "adeus" às competições europeias.
Dzsudzsák aos 17' e Lens aos 25' deram a vantagem aos holandeses, que imprimiram um ritmo de jogo muito forte nos primeiros quarenta e cinco minutos, procurando sempre a baliza à guarda de Roberto.
No entanto e em cima do intervalo, Luisão de cabeça reduziu o marcador, permitindo ao Benfica encarar o jogo de uma maneira mais calma e serena no que faltava jogar.
E, foi assim que na conversão de uma grande penalidade, Oscar Cardozo fez o 2-2 final, quando estavam decorridos 63' minutos.
O adversário do Benfica na meia final será o Sp. Braga que recebeu o Dinamo Kiev na "pedreira", cedendo um empate a zero, que permite perfeitamente à equipa arsenalista seguir em frente na Liga Europa. Os bracarenses acabaram o jogo com dez elementos, após a expulsão de Paulo César ainda no decorrer do primeiro tempo.
A primeira mão realizar-se-á no Estádio da Luz, e está marcada para o próximo dia 28 de Abril. No outro jogo, o FC Porto jogará a primeira mão no seu terreno, visitando depois Villarreal a 5 de Maio.
Parabéns às equipas portuguesas; Parabéns Portugal!!!

Recordar: Ibson no FC Porto

Em vésperas do jogo da segunda mão dos Quartos de Final da Liga Europa entre FC Porto e Spartak de Moscovo, aproveito para recordar aqui a passagem do médio brasileiro Ibson pelo futebol português, mais concretamente pelo FC Porto, ele que representa, precisamente, os russos do Spartak.
Nascido em 1983, Ibson chegou ao Porto corria o ano de 2005, numa altura de época atribulada para o clube portista, que era "apenas e só", o actual campeão europeu em título.
O médio brasileiro estreou-se frente ao Estoril, entrando já no período de compensação, em jogo a contar para a jornada vinte da Liga.
Daí em diante, o médio foi sempre titular nos jogos do FC Porto no campeonato, actuando quase sempre durante os 90' minutos.
Digo quase, porque foi substituído "apenas" por duas vezes: uma em Penafiel à jornada 24; a outra em casa com a Académica na última jornada do Campeonato, num jogo onde até foi ele o autor do golo portista.
Na temporada 04/05, Ibson apenas foi utilizado em jogos do campeonato, pois não pôde ser inscrito nas competições europeias, e o FC Porto já havia sido eliminado da Taça de Portugal.
Na época seguinte e com a chegada de Co Adriaanse, Ibson começou por "ir ao banco", agarrando a titularidade na segunda jornada do campeonato, e mantendo um lugar no onze durante quase toda a primeira metade da época, com a curiosidade de ter sido utilizado nas três primeiras jornadas da Liga dos Campeões, duas delas como titular, e de nas outras três nem no banco se sentar.
Depois de quatro jogos consecutivos a ser substituído entre Outubro e Novembro de 2005, Ibson "ganhou" lugar "cativo" no banco de suplentes portista durante cinco jogos consecutivos do campeonato, voltando à competição frente à Naval para a Taça de Portugal em Janeiro de 2006.
Seguiu-se mais uma "ida" ao banco frente ao Estrela para o campeonato, sendo depois titular nas jornadas dezanove e vinte, acabando no entanto por ser substituído nas duas vezes.
Ibson mantinha a sua irregularidade, alternando entre o banco de suplentes e uns minutinhos como suplente utilizado.
Com tudo isto, Ibson só voltou a ser titular pelo FC Porto à jornada 32, num jogo em que os "Dragões" festejaram a conquista do campeonato nacional em Penafiel.
Seguiu-se mais um jogo como suplente utilizado, desta vez em Guimarães na jornada 33, e a titularidade na última jornada do campeonato frente ao Boavista.
Ibson fechou a temporada 05/06, entrando a sete minutos do fim, frente ao V. Setúbal na final da Taça de Portugal, que o FC Porto conquistou (vitória por 1-0).
Na temporada seguinte, naquela que haveria de ser a sua última época de "Dragão ao peito", Ibson começou bem, sendo titular no jogo da Supertaça, que os "Dragões" venceram.
Depois veio Jesualdo Ferreira, e o médio só teve uma oportunidade como titular na jornada doze, na recepção portista ao Boavista. Antes disso, havia somado minutos, sendo suplente utilizado algumas vezes.
O médio apenas havia sido convocado por uma vez no mês de Setembro, e no mês de Outubro nem no banco figurou.
Seguiram-se dois jogos como suplente utilizado (Arsenal e Nacional), e mais dois como titular (Paços de Ferreira e Atlético para a Taça).
Na Taça, frente ao Atlético, a exibição do médio foi muito "pobrezinha", mas Jesualdo continuou a "apostar" no médio que somaria mais quatro partidas como suplente utilizado.
Ibson continuava a não ter oportunidades como titular, até porque a concorrência no meio campo portista era forte, mas a sua oportunidade como titular chegou à jornada 21, mas com o médio a jogar apenas doze minutos, acabando substituído por Raúl Meireles, que viria a dar a vitória ao Porto.
Ibson só voltaria a figurar na lista de convocados na jornada 25, não saindo sequer do banco, voltando a ficar de fora na jornada seguinte, e na jornada 27 voltaria a ser suplente não utilizado.
Na jornada seguinte, Ibson foi suplente utilizado ante o Nacional, voltando aos convocados na última jornada, "apenas" para ver os seus colegas vencerem o Aves e sagrarem-se campeões nacionais pela segunda vez consecutiva.
Depois seguiram-se dois empréstimos consecutivos ao Flamengo do Brasil, com o FC Porto a vender o médio no Verão de 2009 ao Spartak de Moscovo da Rússia, que curiosamente é o adversário dos "Dragões" nesta eliminatória da Liga Europa.
Número de Jogos efectuados por Ibson ao serviço do FC Porto:

04/05 - 15 Jogos/1 Golo (15 no Campeonato/1 Golo)
05/06 - 25 Jogos/1 Golo (18 no Campeonato/1 Golo; 4 na Taça de Portugal; 3 na Liga dos Campeões)
06/07 - 16 Jogos/0 Golos (12 no Campeonato; 2 na Taça de Portugal; 2 na Liga dos Campeões)

Palmarés de Ibson no FC Porto:

Campeonato Nacional: 2 (2005/2006; 2006/2007)
Taça de Portugal: 1 (2005/2006)
Supertaça Cândido de Oliveira: 1 (2006)

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Liga Orangina: Arouca 6-3 Penafiel

No passado domingo, o futebol português teve "contacto directo" com dois resultados que há muito não se usam. Ou pelo menos assim se julgava: 1-6 e 6-3.
Se do primeiro resultado, ocorrido na Mata Real em Paços de Ferreira, já aqui falei, do segundo ainda não teci quaisquer comentários, apesar de ter ocorrido bem próximo de minha casa.
Na jornada vinte e quatro da Liga Orangina, o Arouca recebeu o Penafiel e "brindou" a equipa "duriense" com seis golos. A equipa da casa em ano de estreia num escalão profissional, manteve assim o quinto lugar da tabela classificativa, alcançando um resultado pouco habitual: 6-3.
Na verdade, em apenas treze minutos, a equipa da casa chegou ao 3-0: N'Jock abriu o activo aos 15'; Bruninho fez o segundo aos 21'; e Kiko na conversão de uma grande penalidade assinou o terceiro aos 28'.
A sete minutos do intervalo, o Penafiel reduziu para 3-1 por intermédio do luso-brasileiro Cascavel, também na conversão de uma grande penalidade.
Aos 63', Diogo Santos aumentou a vantagem arouquense, com o Penafiel prontamente a responder por intermédio de Pedro Coronas, fazendo o 4-2 aos 64'.
No entanto, o Arouca mantinha-se forte no ataque e aos 75', Jérémie N'Jock bisou na partida, aumentando para 5-2.
Mas a cada golo dos da casa no segundo tempo, o Penafiel teimava em responder de imediato, e foi assim que aos 76', Cascavel assinou o 5-3, assinando também ele o seu segundo tento na partida.
Já em cima do minuto 90', André Soares que curiosamente representou o Penafiel na temporada passada, fechou as contas do marcador, selando o 6-3. Desta vez, não houve resposta penafidelense.
Com estes dois volumosos resultados verificados em competições profissionais, a que se pode também juntar-lhes o triunfo do Setúbal sobre a União de Leiria por 4-1, pode ser que as equipas portuguesas comecem a deixarem de pensar em apenas defender, e comecem a dar primazia ao futebol de ataque.
A seis jornadas do fim do campeonato, o Arouca mantém-se numa excelente posição, no que à luta pela subida diz respeito, logo o balanço da temporada pode ser considerado extremamente positivo, mesmo com a época ainda em curso, porque se trata de um clube estreante em campeonatos profissionais.
Desde já, os meus parabéns ao FC Arouca pela época que tem vindo a realizar.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Liga Sagres: Rio Ave esmagou Paços na Mata Real (1-6!)

(João Tomás festeja com Yazalde o segundo golo do Rio Ave na tarde de ontem.)
A principal liga portuguesa não costuma "assistir" a resultados tão volumosos como o que se viu ontem na Mata Real: Paços de Ferreira 1-6 Rio Ave.
A última vez que uma equipa havia marcado seis golos num jogo da Liga, foi a temporada passada quando o Benfica recebeu e venceu o Nacional também por 6-1. Antes, os "encarnados" haviam "dado" oito ao V. Setúbal mas isso já são outros números.
Ontem, ao intervalo, o Rio Ave perdia por uma bola a zero. Mario Rondon, o goleador pacense, havia inaugurado o marcador aos 16' minutos.
No entanto, na etapa complementar houve um "super" Rio Ave, que marcou nada mais que seis (!) golos em quarenta e cinco minutos, e levou o seu adversário de vencida.
Aos 50' e na conversão de uma grande penalidade, João Tomás empatou a partida e aos 64', o mesmo João Tomás bisou, fazendo o 1-2, passando agora a somar quinze golos marcados no campeonato.
Depois, veio o "explodir" do recital vilacondense: em seis minutos o Rio Ave fez três golos, com Braga a marcar por uma vez (74') e Saulo por duas (77' e 80'). Saulo que havia entrado aos 67' para o lugar de Bruno Gama.
Depois de Saulo fazer o 1-4, Carlos Brito lançou Tarantini por troca com Braga aos 78', e foi mesmo Tarantini quem fechou as contas do marcador, quando aos 90' "assinou" o sexto tento do Rio Ave.
Como alguém disse: o Rio Ave bateu a equipa "sensação" do campeonato e vê esse "estatuto" pertencer-lhe agora.
Recordo que a primeira vitória dos vilacondenses neste campeonato, apenas "aconteceu" na Jornada nove.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Liga Europa: Dois triunfos e um empate

Disputaram-se hoje os jogos da primeira mão dos Quartos de Final da Liga Europa, com as equipas portuguesas a registarem "saldo positivo", pois Benfica e FC Porto golearam nos seus jogos, enquanto o Sp. Braga empatou em Kiev a um golo, frente ao Dinamo.
Começo justamente pelos bracarenses, que logo aos 6' minutos sofreram o primeiro golo, com Yarmolenko a colocar os ucranianos em vantagem bem cedo.
No entanto, e logo aos 13', o Braga chegou ao empate, contando com a ajuda de Gusev, jogador do Dinamo de Kiev que fez um auto-golo.
Até final o resultado não se alterou, com Andriy Schevchenko, outrora dos melhores avançados do Mundo e agora jogador do Dinamo, a ser expulso aos 62', por acumulação de amarelos, ele que entrou...ao intervalo.
Com a particularidade de todos os jogos terem começado à mesma hora, 20h05 em Portugal, talvez as equipas "tugas" que jogaram em casa, tenham ficado motivadas, alcançado assim duas goleadas.
O Benfica recebeu e venceu por 4-1 o PSV Eindhoven, com Aimar a abrir o marcador aos 37' e Salvio a fazer o 2-0 em cima do intervalo.
No segundo tempo, o mesmo Salvio aumentou para 3-0 aos 51', com os holandeses a esboçarem uma reacção com algum perigo para a baliza encarnada.
E, foi assim, que Labyad acabado de entrar aos 78', reduziu para 3-1 aos 80', aproveitando um erro de Roberto, que não segurou uma bola cruzada da esquerda.
O PSV acreditou que poderia reduzir o marcador e até chegar ao empate, mas foi o Benfica quem marcou em período de compensação. Saviola foi quem assinou o 4-1 final.
No Dragão, o novo Campeão nacional FC Porto, abriu o marcador precisamente na mesma altura que o Benfica, quando aos 37' Falcao marcou de cabeça.
No segundo tempo, e em seis minutos, Porto e Spartak brindaram os adeptos presentes no estádio com três golos de "rajada": Varela fez o 2-0 aos 65'; Maicon assinou o terceiro aos 70' e Kirill Kombarov reduziu para 3-1 aos 71'.
Nos últimos minutos, Falcao aproveitou para fazer hat-trick, marcando aos 84' e aos 90+1'. Com esta expressiva vitória por 5-1, o FC Porto está praticamente apurado para as Meias Finais, assim como o Benfica.
O Braga que se passar esta eliminatória e ao que tudo indica, enfrentará o Benfica, conseguiu um excelente resultado em Kiev, conseguindo trazer a decisão da sua eliminatória para Portugal.
No outro jogo dos Quartos de Final, o Villarreal "varreu" por completo o Twente da Holanda por 5-1, e a hipótese de termos um Villarreal - FC Porto nas meias finais é agora de 95%.
Os jogos da segunda mão realizam-se no próxima dia 14, quinta-feira.

Jogos com história: Man. United 2-2 FC Porto (Capítulo VIII)

Foi à precisamente dois anos, que o FC Porto, então orientado por Jesualdo Ferreira, empatou em Old Trafford a dois golos, na primeira mão dos Quartos de Final da Liga dos Campeões.
Os azuis e brancos fizeram um jogo excepcional, onde se destacaram as exibições de Cissokho, Fernando e Hulk. Mariano foi, como bem se recordam, o "herói" do jogo, ele que até era um dos "mal-amados" dos adeptos portistas.
O jogo começou com o FC Porto ao ataque, e logo aos 3' minutos, Lisandro López disparou uma "bomba" que Van der Sar desviou para canto.
Na sequência do canto, Ronaldo recuperou a bola mas acabou por entregar o esférico a...Lucho. O argentino tentou tirar o cruzamento para a área, John Evans fez um corte defeituoso, e a bola caiu nos pés de Cristián Rodríguez. O uruguaio "bailou" perante o central irlandês, e rematou colocado para o fundo da baliza do Manchester. Estava feito o primeiro da noite, para o FC Porto e logo aos 4'.
Os "Dragões" continuaram no ataque, e aos 7' Lisandro após excelente trabalho individual no interior da área, rematou para as mãos de Van der Sar.
Aos 13', a equipa inglesa teve a sua primeira oportunidade de golo, com Cristiano Ronaldo a rematar de cabeça após cruzamento de Evans, mas a bola "morreu" fácil nas mãos de Helton.
Dois minutos depois, houve empate: Bruno Alves não se apercebeu da presença de Rooney nas suas costas e fez um passe para trás, com o avançado inglês a recolher o esférico e só com Helton pela frente, a não ter dificuldades em restabelecer a igualdade.
O FC Porto reagiu depois muito bem ao golo dos ingleses, criando sucessivas jogadas de perigo para a baliza do United.
Aos 18' Rodríguez rematou de cabeça para as mãos de Van der Sar; um minuto depois Lisandro chegou ligeiramente atrasado a um cruzamento de Lucho; aos 28' excelente remate de Raúl Meireles em zona frontal à baliza para uma excelente defesa de Van der Sar; e aos 30' remate colocado de Hulk com a bola a tabelar em Vidic e a sair pela linha do fundo, mas com o árbitro a assinalar...pontapé de baliza.
Aos 36', Fletcher conseguiu tirar um cruzamento para as mãos de Helton, mas era notório que a equipa do Manchester não conseguia "romper" a linha defensiva portista, sentindo inúmeras dificuldades na hora de atacar.
Quatro minutos depois, cruzamento de Patrice Evra e remate de cabeça de Paul Scholes, mas muito por cima.
No minuto seguinte, o FC Porto respondeu, com Raúl Meireles a atirar forte e de longe, mas muito por cima da baliza do "gigante holandês".
Entretanto veio o intervalo, e no segundo tempo o jogo foi ainda mais aberto, com o Manchester a conseguir causar mais "calafrios" à defesa azul e branca.
Aos 47', Rooney teve uma excelente arrancada e tentou servir Ronaldo, mas Fernando, atento, fez um corte para Helton.
Quatro minutos depois, Park Ji-Sung rematou perigoso para a baliza do Porto, mas Helton mostrou-se atento conseguindo uma defesa a dois tempos.
Os ingleses continuavam ao ataque, e após uma boa jogada de entendimento entre a linha avançada do United, Ronaldo acabou por cruzar direitinho para Helton.
Na resposta, Lisandro tentou o remate de longe, mas a bola bateu num defensor adversário e acabou nas mãos de Van der Sar.
Depois, num minuto, Helton só teve tempo para "brilhar": primeiro opondo-se com uma excelente defesa a um remate em jeito de Rooney; depois na sequência de um cabeceamento perigoso de Vidic, após canto cobrado por Ryan Giggs.
O FC Porto não se "ficava", e de seguida Hulk conseguiu rematar, mas ao lado, já depois de uma forte pressão de Vidic.
A partida estave electrizante e aos 64', Fletcher na direita, cruzou para Rooney, valendo ao FC Porto a atenção de Helton, que saiu da baliza e resolveu a situação.
Dois minutos depois, contra-ataque portista, com Rodríguez a servir Lisandro e este a "obrigar" Van der Sar a uma excelente defesa, já depois da bola ter sofrido um desvio.
No minuto seguinte, Cissokho "aventurou-se" no ataque e com um remate de longa distância, proporcionou a Van der Sar uma defesa "apertada".
Aos 75', Hulk ficou a queixar-se de pretensa falta para grande penalidade cometida por Tévez, e aos 76' Cristiano Ronaldo na cobrança de um livre atirou contra a barreira.
O jogo continuava a um ritmo fantástico, com Rooney a falhar o cabeceamento após cruzamento milimétrico de Gary Neville, estavam decorridos 77' minutos.
Na resposta, Lisandro atirou com força de fora da área, mas Van der Sar "encaixou" sem problemas.
Aos 82' Rooney surgiu com perigo no ataque, valendo ao FC Porto, Fernando que atento, efectuou um corte providencial.
Dois minutos volvidos, iniciativa individual de Hulk que não conseguiu o remate, e a bola a sobrar para Lisandro, mas com o argentino a rematar para as "nuvens".
E aos 85', o Manchester deu a "cambalhota" no marcador. Lançamento lateral na direita, Rooney dentro de área a desviar a bola com um toque de calcanhar e na pequena área Tévez a conseguir antecipar-se a Rolando e a fazer o 2-1.
Na resposta, boa jogada de ataque por parte do FC Porto, com Lisandro a tirar cruzamento no lado direito, e Mariano sem marcação no interior da área, a atirar para o 2-2 aos 89'. Que loucura!
A última grande oportunidade de golo pertenceu aos ingleses, quando já em período de descontos, Ryan Giggs na cobrança de um livre directo, atirou pouco por cima da baliza de Helton.
Na segunda mão, Cristiano Ronaldo marcou o único golo do jogo e apurou o Manchester para as meias finais da "Champions".
Ficha de Jogo:

Jogo disputado em Old Trafford, Manchester
Árbitro Principal: Konrad Plautz (Áustria); Árbitros Assistentes: Bernhard Zauner e Armin Eder; Quarto Árbitro: Thomas Einwaller

Manchester United: Van der Sar; O'Shea, Vidic, Evans (Gary Neville 72') e Evra; Carrick, Fletcher, Scholes (Tévez 72') e Park Ji-Sung (Giggs 58'); Cristiano Ronaldo e Rooney.
Treinador: Alex Ferguson. Suplentes Não Utilizados: Foster; Eckersley, Macheda e Nani.

FC Porto: Helton; Sapunaru, Bruno Alves, Rolando e Cissokho; Fernando, Raúl Meireles (Tomás Costa 80'; substituído por Andrés Madrid 90+3') e Lucho; Hulk, Lisandro e Cristián Rodríguez (Mariano 80').
Treinador: Jesualdo Ferreira. Suplentes Não Utilizados: Nuno; Stepanov, Tarik e Farías.

Disciplina:
Amarelos: Bruno Alves 75'; Helton 90';

Marcador: 0-1 C. Rodríguez 04'; 1-1 Rooney 15'; 2-1 Tévez 85'; 2-2 Mariano 89';

quarta-feira, 6 de abril de 2011

"A figura do dia": Caneira

Marco Caneira é, sem dúvida, a grande figura do dia de hoje.
O defesa internacional português estava à nove meses a treinar-se à parte do principal plantel leonino, pura e simplesmente por não entrar nas contas do ex-técnico Paulo Sérgio, tendo sido afastado pela anterior direcção do Sporting de treinar com o plantel profissional do clube de Alvalade.
Sendo assim, Marco Caneira passou quase um ano a treinar-se sozinho num dos relvados secundários da Academia de Alcochete, usando uma cabine destinada às equipas de arbitragem para se equipar.
Agora, com a entrada do novo elenco directivo, Marco Caneira passará a partir de hoje a treinar-se novamente com o plantel profissional do Sporting, numa acção que teve o "cunho pessoal" de Luís Duque e como é lógico, o aval de Godinho Lopes e José Couceiro.
Segundo os órgãos de comunicação, Caneira não está inscrito nas competições profissionais, mas o "ConversasRedondas" confirmou que o atleta se encontra inscrito na Federação Portuguesa de Futebol.
Esta não é a primeira vez que Luís Duque reintegra um atleta no plantel principal, pois já o havia feito em 1999, reintegrando na altura o médio Afonso Martins, que haveria de se sagrar campeão nacional no final da temporada 1999/2000.

III Divisão: Faleceu jogador do Paredes

O futebol nacional está de luto. Daniel Silva (na foto), atleta do Paredes, equipa que disputa a Série B da III Divisão Nacional, faleceu na tarde de ontem no Hospital São João no Porto, aos vinte e três anos.
O jogador havia sofrido um acidente de viação na madrugada de domingo para segunda-feira, por volta das 00h30 horas, quando viajava juntamente com mais quatro colegas de equipa: Vasco, Jaime, Hélder e Leandro.
O carro que o próprio Daniel guiava, capotou na região de Penafiel, com o médio a ser transportado para o hospital, mas a não resistir aos ferimentos, perdendo a vida no início da tarde de ontem na unidade hospitalar da cidade Invicta.
Deste acidente que vitimou Daniel Silva, resultaram ainda mais dois feridos, Hélder e Vasco, sendo que este último continua internado.
Jaime e Leandro escaparam ilesos ao acidente, mas segundo Fernando Valente, técnico do Paredes, "estão psicologicamente arrasados".
Há cerca de um mês, o roupeiro do Paredes, havia falecido, vítima de morte súbita.
Daniel Fílipe Pinto Silva, nasceu a 7 de Outubro de 1984 em Urrô (Penafiel) e fez toda a sua formação no Paredes.
Esta temporada, o médio somava já onze jogos ao serviço do Paredes na III Divisão Nacional, tendo sido expulso, precisamente no passado domingo, num jogo em que a sua equipa saiu derrotada por três bolas a zero frente ao Joane.
O "ConversasRedondas" endereça à família de Daniel e ao USC Paredes, as mais sentidas condolências.

terça-feira, 5 de abril de 2011

"A foto do dia": Cardinal e os "SuperDragões"

Muita "tinta" tem escorrido nas últimas horas, pelo facto de Cardinal, jogador de futsal do Sporting, ter assistido ao Benfica - FC Porto do passado domingo no "meio" da claque portista, utilizando mesmo adereços alusivos aos "SuperDragões".
Cardinal, pivot de posição, é o melhor marcador do campeonato nacional de futsal com quarenta e quatro golos apontados,  e cumpre a segunda temporada ao serviço dos "leões".
Antes disso, o atleta natural da cidade do Porto, representou Fundação Jorge Antunes, Famalicense, Alpendorada e Freixieiro.
O próprio Cardinal e a direcção do Sporting alegam nunca terem escondido a cor clubística do atleta, que é presença habitual nos jogos do FC Porto, principalmente quando o clube portista visita a Luz ou Alvalade.
Na foto em cima, Cardinal (que está "marcado" por um círculo vermelho) parece ter liderado a claque portista, nas horas de maior aperto, nomeadamente aquando da chegada dos "SuperDragões" ao Estádio da Luz.
Mas o que está em causa, não é o facto do atleta alegadamente pertencer aos "SuperDragões". É o facto de jogar no Sporting e ser portista de coração.
Afinal, vivemos ou não numa democracia? Cardinal tem ou não tem liberdade de escolha?
Pelo que acompanho e pelo que sei de futsal, Cardinal sempre defendeu o Sporting até aos seus limites, porque não o há de fazer até ao dia em que abandonar Alvalade?
Como diria Jorge Jesus: "Cada macaco no seu galho."

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Liga Sagres: FC Porto campeão na Luz

O FC Porto é o novo campeão nacional, depois de ter vencido ontem à noite, o grande rival, Benfica, em pleno estádio da Luz por duas bolas a uma.
Guarín abriu o marcador logo aos 9' minutos, contando com uma preciosa ajuda de Roberto, mas Saviola empatou aos 17' na marcação de uma grande penalidade.
Aos 26' e também na conversão de uma grande penalidade, o FC Porto passou para a frente do marcador, por intermédio de Hulk, que apontou o seu vigésimo golo no campeonato.
O resultado não mais se alterou, e no final a festa foi azul, mas...às escuras e debaixo do sistema de rega do estádio da Luz. Uma acção de "mau perder" por parte da direcção encarnada, que desligou a luz aos jogadores portistas e restante comitiva que festejava com os seus adeptos.
Como se isso não bastasse, o sistema de rega do Estádio da Luz foi ligado, aproveitando então os jogadores portistas, para festejarem ao ritmo do samba brasileiro, tendo em Hulk um dos atletas mais efusivos com a conquista do título.
Este é o vigésimo quinto título de Campeão Nacional que entra na "vitrina" do FC Porto, o sétimo conquistado nos últimos dez anos.
Relembro que em vinte e cinco jogos, o FC Porto venceu vinte e três, somando apenas dois empates, marcando cinquenta e oito golos, e sofrendo "apenas" nove.
Os "Dragões" estão assim muito perto de se sagrarem Campeões invictos pela primeira vez na sua história, "bastando" para isso, "ultrapassarem" Portimonense, Sporting, V. Setúbal, Paços de Ferreira e Marítimo.
Nestas cinco jornadas, muita coisa se decidirá ainda no campeonato nacional, como por exemplo a "questão" do terceiro classificado, com Sporting, Sp. Braga e V. Guimarães na "luta"; e as contas da manutenção, que começam a ficar complicadas para o V. Setúbal, que vê a Naval aproximar-se cada vez mais.