terça-feira, 30 de abril de 2013

II Divisão: Chaves e Farense regressam à Segunda Liga

Foi, digamos, um regresso anunciado de D. Chaves e Farense à Segunda Liga, aquele que aconteceu no passado domingo.
Podemos também dizer que os extremos do país se tocaram, com a subida de um clube transmontano e outro algarvio, e até podemos relembrar - porque é justo - a subida do Ac. Viseu, outro histórico, e que está caprichosamente situado a meio de Portugal continental.
Mas mais importante que as questões geográficas, é o regresso de flavienses e farenses aos campeonatos profissionais, depois de uma certa travessia no deserto, principalmente dos 'Leões de Faro', que até pelos Distritais andaram.
Começando pelo Norte, o D. Chaves, afastado da Segunda Liga desde 09/10, temporada em que foi, inclusive, à final da Taça de Portugal com o FC Porto, precisava apenas de não perder para subir, acabando por vencer o Ribeirão por 1-0, graças a um golo solitário de Kuca aos 26' minutos.
Éder Sánchez ainda foi expulso aos 81' minutos, mas os flavienses, comandados por João Pinto, campeão europeu em1987, seguraram o triunfo e festejaram o regresso às ligas profissionais.
Em Faro, no Algarve, cerca de quinze mil pessoas assistiram a um duelo já visto anteriormente, então noutros palcos que não as divisões amadoras, entre Farense e União de Leiria.
De todos os três que regressarão aos campeonatos profissionais, o Farense foi o que teve o caminho mais longo e mais 'penoso' para percorrer: em 02/03 caiu na secretaria para a II Divisão B, e em 05/06 desistiu da III Divisão poucas jornadas depois do seu começo, e numa altura em que só contava com jogadores juniores. Seguiu-se um ano de interrupção, e duas subidas consecutivas no Distrital do Algarve, que colocaram o clube nos Nacionais.
E desde 2010 até agora, o Farense somou três subidas e uma descida: subiu à II Divisão B em 2010 e 2012; desceu à III Divisão em 2011; e domingo subiu à Segunda Liga.
Contra o Leiria, Bruno Bernardo adiantou os algarvios logo aos três minutos, fazendo rebentar a festa no mítico Estádio São Luís.
Porém, a festa esmoreceu a dezasseis minutos dos noventa, quando Elimiano Té empatou a partida, mas quatro minutos depois voltou a ser de arromba, quando Ibukun converteu a grande penalidade que selou o 2-1 final favorável ao Farense, e que colocou o clube na rota de nova promoção, desta feita para um escalão profissional.
Assim se fez a festa em Chaves e Faro, com Viseu, pelo meio, em êxtase há uma semana. A próxima temporada será de regresso aos grandes palcos para todos eles.

segunda-feira, 29 de abril de 2013

A foto do dia: Se Maomé não vai à montanha...

(Leonel Olímpio e Alex foram os primeiros a aplaudir o apoio dos adeptos.)
O futebol português conheceu ontem novo capítulo na sua história, com a realização do primeiro jogo à 'porta fechada' na I Liga.
Em Guimarães, Vitória local e Paços de Ferreira empataram a dois golos, num jogo que aparenta ter sido de boa qualidade dados os resumos nas televisões.
Num jogo sem público, cujo ambiente mais parecia de jogo amigável, aconteceu algo caricato: os jogadores do V. Guimarães, devidamente equipados para entrarem em campo, vieram ao exterior do estádio momentos antes do jogo começar, para agradecerem às centenas de adeptos que ali, nas imediações do D. Afonso Henriques, cantavam pelo seu clube.
É algo que não deixa de ser curioso, e é caso para dizer que 'se Maomé não vai à montanha, vai a montanha a Maomé'...

II Divisão: 30ª Jornada - Última

(Farense 2-1 U. Leiria - autoria: José Cunha Silva.)
Caiu o pano sobre a fase regular da II Divisão Nacional, com D. Chaves e Farense a assegurarem a promoção junto do histórico e 'amigo' de outros tempos, Ac. Viseu. Por outro lado, Lusitânia e Oeiras estão de regresso aos campeonatos distritais.
Na Zona Norte, faltava apenas conhecer-se o campeão, com o D. Chaves a levar a melhor sobre o Ribeirão no jogo decisivo para ambos, e a vencer por 1-0, assegurando a subida. O Mirandela não foi além de um empate caseiro a uma bola, frente ao despromovido Infesta, e fechou o pódio com dois pontos de vantagem para o Vizela, que perdeu em casa frente ao Varzim, por 3-2. Famalicão e Boavista, num jogo a fazer recordar velhos tempos, empataram a dois golos.
O Fafe foi vencer a Limianos por uma bola a zero, e terminou em igualdade pontual com o Varzim na oitava posição, enquanto que o Gondomar foi vencer a Joane por 2-0, e fechou com 'chave de ouro' este campeonato. Vilaverdense e Amarante não saíram do nulo, enquanto que o Tirsense foi vencer a casa do Padroense por 2-1.
Na Zona Centro, o já campeão Ac. Viseu, goleou o Anadia por 4-0. Faltava apenas conhecer-se quem acompanhava o Tocha na descida, com o Lusitânia a empatar a uma bola no terreno do vice-líder Cinfães, e a deixar escapar o Bustelo, que venceu o Pampilhosa por 3-0. Curiosamente, os açorianos desceram com o seu jogador Amaral, a consagrar-se melhor marcador do campeonato.
O SJ Vêr foi vencer a casa do 'vizinho' Sp. Espinho por uma bola a zero, e 'ofereceu' assim o terceiro lugar ao Operário, que venceu em Coimbrões por 2-1. De resto, mais três empates: Tocha e Cesarense não saíram do nulo, enquanto que Tourizense e Nogueirense empataram a dois golos, tal como Sousense e BC Branco.
Na Zona Sul, Farense e Carregado foram os grandes vencedores da última jornada: os algarvios venceram a U. Leiria por 2-1 e festejaram o regresso aos campeonatos profissionais dez anos depois; enquanto que o Carregado empatou a uma bola frente ao Casa Pia e assegurou a manutenção. Quanto aos outros interessados nesta luta, o Mafra bateu o Sertanense por 3-1 e ficou às portas da subida; enquanto que o Oeiras perdeu em casa por 4-2 frente ao Pinhalnovense, e consumou a descida.
O Torreense empatou em casa frente ao Futebol Benfica a três golos, e assegurou o terceiro lugar final, enquanto que o Fátima foi vencer a casa do Oriental por uma bola a zero, e terminou em oitavo. Também por 1-0, o 1º Dezembro bateu o Louletano, enquanto que Quarteirense e Ribeira Brava não saíram do nulo.
A II Divisão regressa apenas na próxima temporada, e com novo formato, enquanto que a disputa do play-off de apuramento do campeão arranca daqui a duas semanas, com um Farense - Ac. Viseu.

São campeões de zona e sobem à II Liga: D. Chaves, Ac. Viseu e Farense.
São despromovidos aos Distritais: Infesta, Padroense, Lusitânia, Tocha, Oeiras e Ribeira Brava.

III Divisão - Fase Final: 5ª Jornada

(Vianense 1-0 Santa Maria - autoria: facebook oficial do SC Vianense.)
A primeira volta da fase final da III Divisão chegou ontem ao fim, com o Bragança a assumir a liderança isolada da Série A, depois de bater o Marinhas por uma bola a zero, e graças à derrota do Santa Maria no terreno do Vianense, por igual resultado. O Ronfe perdeu em casa com o Taipas por 3-2, e ficou mais longe do terceiro lugar.
O Maria da Fonte bateu o Esposende por 3-1, e mantém-se líder com mais dois pontos que o Merelinense, que goleou o Monção por 5-2. Em terceiro surge agora o Ponte da Barca, que cilindrou o Melgacense por 8-0!
Na Série B, o Felgueiras empatou a um golo em Pedras Rubras, e permitiu a aproximação da Oliveirense, que venceu em Paredes por 3-1. Lousada e Santa Eulália não saíram do nulo, e continuam separados por um ponto no terceiro e quarto lugar.
O Aliados de Lordelo foi a casa do Leça vencer por 2-1, e aproveitou os dois empates registados nos restantes jogos para se distanciar na liderança: Rebordosa e Vila Real empataram a duas bolas, enquanto que Vila Meã e Serzedelo não saíram do nulo.
Na Série C, o duelo de maiores candidatos à subida, sorriu ao Salgueiros, que recebeu e venceu o Estarreja por 2-0. O Grijó bateu o Penalva do Castelo por igual resultado, e tem agora seis pontos de avanço para o quarto classificado, Oliv. do Bairro, que derrotou o Alba por 1-0.
O U. Lamas empatou a uma bola em Aguiar da Beira, mas mesmo assim conseguiu alcançar o Avanca na liderança, fruto da derrota dos avanquenses no terreno do Parada por 2-1. O Sampedrense venceu no terreno do Oliv. de Frades por 3-2, e encurtou distâncias para a liderança.
Na Série D, o líder Sourense perdeu pela primeira vez nesta poule de subida, ao ser derrotado em casa do Sp. Pombal por 2-1. Os pombalenses somaram o primeiro triunfo nesta fase, à semelhança do Caldas, que foi vencer a Oliv. do Hospital por 3-1. Já o Sernache bateu o Alcanenense por uma bola a zero, e alcançou o seu adversário na terceira posição.
Na fase de descida desta série, esta jornada foi uma autêntica 'chuva de golos': o Torres Novas goleou o Beneditense por 6-2; o Marinhense venceu o Mortágua por 4-2; enquanto que Alcobaça e Penelense empataram a duas bolas.
Na Série E, o Sintrense foi ao terreno do Barreirense vencer por 3-1, e continua líder com um ponto de vantagem para o Lourinhanense, que venceu em casa do Eléctrico por uma bola a zero. Em crise de resultados nesta fase continua o Fabril, que saiu derrotado da deslocação ao reduto do Sacavenense, por 2-1.
O Pêro Pinheiro venceu no terreno do Peniche por 2-1, e assumiu a liderança isolada do seu grupo, fruto da goleada sofrida pelo Real no terreno do Tires, por 5-2. O Amora venceu o Cartaxo por 2-0.
Na Série F, o líder U. Montemor perdeu em Lagos, frente ao Esperança local, por 2-1, e permitiu a aproximação dos algarvios, que alcançaram o Moura na segunda posição, fruto do nulo dos alentejanos no terreno da Juv. de Évora. O Reguengos venceu por 1-0 no terreno do Vasco da Gama, e ainda alimenta esperanças na subida.
O Aljustrelense venceu por uma bola a zero no terreno do Monte Trigo, e foi mesmo a única equipa a vencer no seu grupo, uma vez que nos outros dois jogos, se registaram dois empates a zero entre Castrense - Lagoa e Lusitano VRSA - Sesimbra.
Nos Açores, o Santiago bateu o Praínha por 3-0 e aumentou distâncias para o Barreiro, que cedeu um empate caseiro a um golo frente ao Marítimo da Graciosa. O Vitória do Pico bateu o Flamengos também por 3-0, e deixou os últimos lugares da tabela.
A III Divisão regressa no próximo fim-de-semana.

domingo, 28 de abril de 2013

Futebol Feminino: Ouriense destrona 1º Dezembro

(A festa das jogadoras do CA Ouriense, após a conquista do campeonato.)
A uma jornada do fim da fase final do campeonato nacional de futebol feminino, o CA Ouriense, de Ourém, bateu o Clube Albergaria por 1-0, e sagrou-se campeão pela primeira vez na sua história.
Esta consagração do Ouriense tem uma espécie de 'triplo sabor', uma vez que na temporada passada, o clube sagrou-se campeão nacional da II Divisão, e esta temporada, em ano de estreia no primeiro escalão, conseguiu destronar o 1º Dezembro, que era campeão 'apenas e só' há onze temporadas consecutivas.
Bastou um golo de Diana Silva a um quarto de hora do fim da partida disputada este domingo, para que o Ouriense levasse de vencida o Albergaria e se sagrasse assim campeão nacional.
Com esta conquista, a formação de Ourém iguala o Lobão no número de campeonatos nacionais femininos conquistados, estando agora mais perto do Gatões, que soma três. Mais longe, e completamente destacados, estão o 1º Dezembro com treze, e o Boavista com doze títulos.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

II Divisão: Vêm aí as decisões

(Ribeirão e D. Chaves empataram a uma bola no jogo da primeira volta.)
O que têm em comum D. Chaves, Ribeirão, Lusitânia, Bustelo, Farense, Mafra, Carregado e Oeiras, para além de competirem todos na II Divisão? A resposta é simples: todas estas formações deixaram a discussão dos seus objectivos para a última jornada da prova, com quatro a lutarem ainda pela subida, e as outras quatro a lutarem, naturalmente, pela manutenção.
Em vésperas do último e decisivo jogo da II Divisão para estas oito equipas, o Conversas Redondas quis 'aprofundar' o tema, e ver quais são os cenários que cada um tem a seu favor.
Começando pelo Norte, D. Chaves e Ribeirão têm encontro marcado no reduto do primeiro. Com as equipas empatadas no número de pontos, o D. Chaves sobe se ganhar, ou até empatar, enquanto que ao Ribeirão só a vitória interessa para garantir o primeiro lugar.
Na Zona Centro, Lusitânia e Bustelo entram na última jornada também empatados no número de pontos, mas com os açorianos em vantagem no confronto directo. Portanto, os insulares garantirão a manutenção, desde que façam o mesmo resultado dos aveirenses.
Enquanto que o Lusitânia se desloca ao terreno do Cinfães, segundo classificado, o Bustelo recebe o Pampilhosa. Num duelo entre equipas de Aveiro, o Bustelo está obrigado a vencer e esperar que o Lusitânia não vença. Em caso de derrota açoriana em Cinfães, o Bustelo pode até empatar.
E por fim, é no Sul que se concentram as maiores decisões: falta saber quem sobe, e falta saber quem acompanha o Ribeira Brava na descida. O histórico Farense recebe a U. Leiria, num duelo a fazer lembrar outros tempos, e em caso de vitória, sobe automaticamente. Se empatarem, os algarvios têm que torcer por um deslize do Mafra, em casa, frente ao Sertanense, uma vez que os lisboetas só ganhando podem subir. O Mafra está então obrigado a vencer, e esperar que o Farense não o faça, para poder subir.
Na luta pela manutenção, Carregado e Oeiras estão separados por dois pontos na tabela, sendo que a formação de Alenquer tem vantagem no confronto directo. Logo, um empate do Carregado, em casa, frente ao Casa Pia, garante-lhe a manutenção, enquanto que o Oeiras está obrigado a vencer o Pinhalnovense, e esperar que o Carregado perca, para assegurar a continuidade na II Divisão.
Mais a título de curiosidade, refira-se que caso D. Chaves e Farense subam, teremos um trio de históricos a regressar aos campeonatos profissionais, já depois do Ac. Viseu ter festejado a promoção na semana passada.
Serão, ao que tudo indica, sete jogos de emoções fortes, onde se espera que o desportivismo, o fair-play e, acima de tudo, a verdade desportiva, imperem.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Liga Europa: Benfica em desvantagem

O Benfica perdeu esta noite em Istambul, frente ao Fenerbahçe, por uma bola a zero, e ficou assim em desvantagem nas Meias-Finais da Liga Europa.
Talvez com a exibição ofensivamente mais desinspirada de 2013, o Benfica deu praticamente noventa minutos de avanço a uns turcos, que se mostraram sempre perigosos e com elevado rigor táctico. O resultado até pode pecar por escasso, tendo em conta que a equipa onde alinha Raúl Meireles - titular hoje -, enviou três bolas aos ferros, contra uma do Benfica.
O golo de Korkmaz, aos 72' minutos, acabou por colocar justiça no resultado, face ao anterior desaproveitamento da equipa azul e amarela.
Jorge Jesus surpreendeu ao apostar em Aimar como titular, e viu a sua equipa entrar bem na partida, com a tranquilidade necessária para ser a primeira equipa a importunar o guardião adversário: Salvio colocou Demirel à prova, e de seguida, Aimar rematou ao lado após passe de Cardozo.
Estavam decorridos pouco mais de dez minutos, e o Benfica baixaria de intensidade a ponto de começar a cometer falhas que, por infelicidade turca, não resultaram em males maiores: primeiro, Moussa Sow não aproveitou um passe errado de Matic, e rematou ao lado; e depois, seria Pierre Webó a cabecear com estrondo à trave, após erro de Jardel.
Inconsequente no ataque, os encarnados viam Salvio sem bola, e Ola John praticamente 'fora do jogo'. Com uma exibição bastante apagada, o holandês 'apareceu' em cima do intervalo para cometer uma grande penalidade de forma infantil. Felizmente para ele e para o Benfica, o brasileiro Cristian atirou ao poste direito da baliza de Artur, e saiu em lágrimas para o balneário.
Findo o primeiro tempo, os turcos ganhavam pelo menos no número de bolas enviadas aos ferros, embora também lhes faltasse maior clarividência na hora de atacar e finalizar.
Gaitán 'saltou' para o jogo no início do segundo tempo, com Aimar a ficar nas cabines, mas seriam os turcos a criarem novamente perigo, primeiro por Cristian e depois por Raúl Meireles, sempre com Artur no caminho dos remates.
Um Fenerbahçe muito forte em todos os sectores, voltaria a atirar ao poste, desta vez por Dirk Kuyt, que aos 51' minutos e dentro de área, rodou e rematou ao ferro.
Este '3-0' em bolas nos ferros, seria reduzido pouco depois por Gaitán, que ficou perto de assinar um belo golo após remate em arco na zona central do terreno. Jesus lançou Rodrigo pouco depois, fazendo sair Ola John, mas o hispano-brasileiro também acrescentaria pouco à partida.
E foi quando a partida já estava nos vinte minutos finais e a entrar numa toada muito mais morna, que o Fenerbahçe marcou: canto mal dado por Milorad Mažić, e Korkmaz ao segundo poste a cabecear entre dois colegas seus, após corte disparatado de Melgarejo 'para trás'. Jardel ainda tirou a bola de dentro da baliza, mas o golo seria válido.
A perder, o Benfica não mostrou muitos argumentos e muita 'vontade' para empatar, acabando por ter o seu lance mais perigoso numa saída rápida para o ataque, com a bola a cair na esquerda em Cardozo, e com este a deixar-se desarmar por um turco.
Nota final para a saída por lesão do médio português Raúl Meireles, que aos 64' minutos foi substituído por Salih Ucan, e está em duvida para o jogo de Lisboa.
O resultado, apesar de ser sempre negativo, está perfeitamente ao alcance de ser 'virado', com a segunda mão a disputar-se no próximo dia 1 de Maio, na Luz. Porém, antes, há o Marítimo no caminho dos encarnados.
Ficha de Jogo:

Jogo realizado no Estádio Şükrü Saraçoğlu, em Istambul - Turquia
Quarteto de arbitragem composto por: Milorad Mažić (Árbitro Principal - Sérvia);

Fenerbahçe (4-5-1): Volkan Demirel; Gönül, Korkmaz, Yobo e Reto Ziegler; Topal e Raúl Meireles (Salih Uçan 64'), Kuyt, Cristian (Şahin 86') e Moussa Sow (Krasić 87'); Pierro Webó.
Treinador: Aykut Kocaman. Suplentes Não Utilizados: Günok; İrtegün, Topuz e Şentürk.

Benfica (4-5-1): Artur; Maxi Pereira, Garay, Jardel e Melgarejo; Matic, André Gomes (Carlos Martins 81'), Salvio, Aimar (Gaitán 45') e Ola John (Rodrigo 64'); Cardozo.
Treinador: Jorge Jesus. Suplentes Não Utilizados: Paulo Lopes; Roderick, Urreta e Lima.

Disciplina:
Amarelos: André Gomes 31'; Cristian 37'; Aimar 37'; Maxi Pereira 41'; Ola John 45'; Topal 50'; Pierre Webó 90'.

Marcador: 1-0 Korkmaz 72'.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Liga dos Campeões: Alemães humilham espanhóis

(Özil parece cometer falta sobre Gündoğan, durante o Dortmund - Real Madrid desta noite.)
Bayern Munique e Borussia Dortmund cometeram uma proeza estrondosa, ao golearem respectivamente, Barcelona e Real Madrid, por 4-0 e 4-1, na primeira mão das Meias-Finais da Liga dos Campeões.
Nesta 'cimeira hispano-alemã', a força bávara sobrepôs-se ao teórico favoritismo de 'nuestros hermanos', que não tiveram qualquer capacidade de resposta perante duas equipas com uma intensidade de jogo fortíssima, que marcaram quatro golos cada e podiam ter feito outros mais.
A possibilidade de termos uma final da Liga dos Campeões entre equipas alemãs, começou a ser desenhada ontem, quando o Bayern Munique goleou o Barcelona por 4-0. Tudo bem que três golos dos alemães procedem de situações ilegais - duas faltas e um fora-de-jogo -, mas os bávaros mereceram e de que maneira o triunfo: Müller bisou aos 25' e 82', Mario Gómez 'picou o ponto' aos 49', e Robben fez, na altura, o 3-0 aos 73' minutos.
Se os adeptos do Real Madrid brincaram com a goleada sofrida pelo seu maior rival, o que estarão a pensar agora, depois da sua equipa ter 'levado' 4-1 do Borussia Dortmund?
Com uma intensidade de jogo muito forte, superior até à do Bayern, o Borussia teve em Lewandowski o seu elemento mais concretizador: é que o polaco marcou os quatro golos da sua equipa!! Começou logo aos oito minutos, continuou aos 50' e 55', e 'fechou a loja' aos 66' de grande penalidade. Pelo meio, Ronaldo havia empatado a partida a uma bola aos 43' minutos.
Na próxima semana disputa-se a segunda mão das Meias-Finais, com Real Madrid e Dortmund a jogarem terça, e Barcelona e Bayern na quarta. Apenas para cumprir calendário?

segunda-feira, 22 de abril de 2013

II Divisão: Ac. Viseu regressa à Segunda Liga

(Mal terminou a partida em São João de Vêr, a festa fez-se em tons de preto e branco.)
Afastado da elite do futebol nacional desde 1989, e dos campeonatos profissionais desde 1998, o Ac. Viseu festejou este domingo o regresso à 'alta-roda' do futebol português, ao conquistar matematicamente o primeiro lugar da Zona Centro da II Divisão.
Aos viseenses bastava fazerem o mesmo resultado do Cinfães nos Açores, diante do Operário, e ao empate a duas bolas dos cinfanenses, os alvi-negros responderam com uma igualdade a uma bola no terreno do São João de Vêr, conquistando logo ali a promoção.
Depois de deixar a Liga de Honra no fim da época 97/98, o Ac. Viseu manteve-se na II Divisão B durante sete temporadas consecutivas, acabando por entrar numa grave crise financeira entre 2004 e 2005, que atirou com o clube para os Distritais e com outra denominação.
Em dois anos nos Distritais, os 'visigodos' saltaram para os Nacionais, e ao fim de duas temporadas na III Divisão, festejaram nova subida de divisão. A manutenção na II Divisão não foi alcançada, e após um terceiro lugar na Série D da III Divisão em 10/11, o Académico partiu à conquista da Série C na época passada, acabando por subir novamente para o terceiro escalão.
Esta temporada, o clube mais representativo de Viseu deu continuidade ao seu mais recente sucesso, e festejou ontem a segunda subida consecutiva, sempre em primeiro lugar, e com o culminar de um regresso desejado e anunciado aos campeonatos profissionais.
Com um plantel experiente e de grande qualidade, saltam à vista os nomes do guarda-redes Nuno Ricardo, com passagens por D. Chaves e Portimonense; do extremo Zé Rui, que esteve contratualmente ligado ao Benfica, e que conta com passagens pela I Liga ao serviço de Alverca e V. Setúbal, entre outros; e do também extremo Marco Almeida, que além de ter representado o Boavista no primeiro escalão, passou pela formação do FC Porto.
E foi precisamente Marco Almeida o jogador que deu a subida aos viseenses, ontem em São João de Vêr, apontando com êxito a grande penalidade aos 84' minutos que restabeleceu a igualdade a uma bola, e colocou a formação alvi-negra na Segunda Liga.
No próximo domingo, o Ac. Viseu recebe o Anadia no Estádio do Fontelo, no jogo que servirá para a consagração da equipa da casa, que terá depois de disputar o apuramento do campeão com os vencedores das zonas Norte e Sul.
D. Chaves e Farense estão bem encaminhados para garantirem a subida, e se assim for, teremos a subida de três históricos à Segunda Liga. E que falta que eles fazem...

II Divisão: 29ª Jornada

(Boavista 6-1 Joane - autoria: site oficial do Boavista FC.)
A penúltima jornada da II Divisão trouxe o primeiro campeão, no Centro do País, e quando falta apenas uma jornada para o fecho da prova, ainda estão por descortinar os campeões do Norte e Sul, faltando também conhecer-se duas descidas.
Na Zona Norte, o Chaves foi vencer a Gondomar por 4-2, e mantém-se em igualdade pontual com o Ribeirão na liderança, já que os famalicenses bateram o Limianos por 3-0. O Mirandela empatou a três golos em Fafe e disse adeus à subida, uma vez que na última jornada há um D. Chaves - Ribeirão. O Boavista fechou a época no Bessa, com uma goleada ao Joane, de 6-1.
O Amarante venceu o Famalicão por 2-1, mesmo resultado com que o Infesta levou a melhor sobre o Padroense num duelo entre equipas já despromovidas. O Vizela foi vencer ao terreno do Tirsense por uma bola a zero, enquanto que Varzim e Vilaverdense empataram a um golo.
Na Zona Centro, o Ac. Viseu empatou a um golo em SJ Vêr, mas festejou a subida à Segunda Liga, fruto do empate do Cinfães nos Açores, frente ao Operário, a duas bolas. O Sp. Espinho foi copiosamente goleado em Castelo Branco, frente ao Benfica local, por 4-0, e viu o Pampilhosa aproximar-se subtilmente, depois do empate caseiro a um golo frente ao Sousense.
O Anadia bateu o Tocha por 2-0 e distanciou-se do Coimbrões, que foi goleado em Cesar, frente ao Cesarense, também por 4-0. Bustelo e Lusitânia empataram e deixaram as contas da permanência para a derradeira jornada: os oliveirenses empataram a três golos no terreno do Nogueirense; enquanto que os açorianos empataram em casa frente ao Tourizense a um golo, já depois de na passada terça-feira terem ganho ao BC Branco, no continente, por 1-0.
Na Zona Sul, a uma jornada do fim, o Mafra empatou a três golos no terreno do Fátima e perdeu a liderança para o Farense, que foi à Madeira vencer o Ribeira Brava por 2-1. U. Leiria e Torreense não saíram do nulo, tal como Pinhalnovense e Oriental.
O Quarteirense foi ao terreno do Casa Pia vencer por uma bola a zero, mesmo resultado com que o Sertanense derrotou o 1º Dezembro. Na luta pela manutenção, Carregado e Oeiras perderam e adiaram tudo para a derradeira jornada: a formação de Alenquer perdeu frente ao Louletano, também por 1-0; enquanto que o Oeiras perdeu por 2-0 na casa do Futebol Benfica.
A II Divisão regressa no próximo fim-de-semana.

III Divisão - Fase Final: 4ª Jornada

(Penalva do Castelo 0-0 Salgueiros - autoria: blogue do SC Penalva do Castelo.)
Ao quarto jogo da fase final da III Divisão, o Santa Maria não venceu pela primeira vez, cedendo uma igualdade caseira, sem golos, diante do Ronfe. O Bragança venceu em casa do Taipas por 2-0 e alcançou os barcelenses na liderança, enquanto que o Vianense venceu por 2-1 no terreno do Marinhas e assumiu o terceiro lugar de forma isolada.
O Maria da Fonte foi vencer a casa do Melgacense por 3-0 e passou para o primeiro lugar do 'outro grupo', beneficiando da derrota do Merelinense em Esposende, por 3-1. O Monção recebeu e venceu o Ponte da Barca por duas bolas a zero.
Na Série B, Felgueiras e Oliveirense regressaram aos triunfos, com os felgueirenses a baterem o Lousada por 3-0, e com os oliveirenses a vencerem o Pedras Rubras pelo mesmo resultado. O Santa Eulália bateu o Paredes por 2-1 e ficou a um ponto do terceiro lugar.
O Aliados de Lordelo venceu o Rebordosa por 3-0 e assumiu a liderança isolada do seu grupo, graças ao empate do Vila Meã em Vila Real a uma bola. Deste empate beneficiou também o Serzedelo, que ao vencer o Leça por 2-1, subiu ao segundo posto.
Na Série C, a poule de subida ficou marcada por três empates: o líder Estarreja cedeu uma igualdade caseira a uma bola frente ao Oliv. do Bairro; o vice-líder Salgueiros não saiu do nulo em Penalva do Castelo; enquanto que Alba e Grijó também empataram a zero.
Na fase de descida, Avanca e U. Lamas parecem consolidar cada vez mais os dois lugares que garantem a presença na Taça de Portugal da próxima temporada: os avanquenses golearam o Aguiar da Beira por 4-1,  e os lamacenses bateram o Oliv. de Frades por 2-0. A juntar aos respectivos triunfos, há também o empate a dois golos entre Sampedrense e Parada.
Na Série D, o Sourense bateu o Sernache por 2-1 e caminha a passos largos para a II Divisão, uma vez que tem já oito pontos de vantagem para o segundo classificado, que é agora o Alcanenense, depois de vencer o Oliv. do Hospital também por 2-1. Caldas e Pombal empataram sem golos.
O Torres Novas foi vencer ao terreno do Penelense por 2-1, e aproveitou o empate a um golo do Marinhense na casa do Beneditense, para assumir a liderança. O Mortágua venceu o Alcobaça por três bolas a duas.
Na Série E, o Lourinhanense venceu o Barreirense por 2-1 e ganhou pontos a toda a gente, uma vez que se registaram dois empates nos outros jogos: Sintrense e Sacavenense empataram a duas bolas, enquanto que Fabril e Eléctrico empataram a um golo.
O Real goleou o Amora por 4-0 e alcançou o Pêro Pinheiro na liderança, fruto de uma surpreendente derrota caseira dos sintrenses frente ao Tires, por 0-3. O Peniche foi vencer ao Cartaxo por uma bola a zero.
Na Série F, o líder U. Montemor regressou aos triunfos, goleando o Vasco da Gama por 5-0, e foi mesmo a única equipa a conseguir vencer. Moura e Esp. de Lagos empataram a uma bola, enquanto que At. Reguengos e Juv. de Évora empataram a dois golos.
Num duelo entre líderes na fase de descida, Aljustrelense e Castrense não saíram do nulo, e só não foram alcançados pelo Sesimbra, porque estes perderam em casa frente ao Monte Trigo, por 2-0. O Lagoa bateu o Lusitano VRSA por 3-0, e largou a lanterna-vermelha da prova.
Nos Açores, o Sp. Ideal bateu o campeão Praiense por 2-1 na derradeira jornada da fase de subida, e festejou a promoção à II Divisão pela primeira vez na sua história. O Angrense bateu o Rabo de Peixe por uma bola a zero, e ficou às portas da subida.
O Marítimo da Graciosa venceu o líder Santiago por 3-1, e tornou-se na única equipa vencedora da jornada, já que Flamengos e Barreiro empataram a dois golos, enquanto que Praínha e Vitória do Pico não saíram do nulo.
A III Divisão regressa no próximo fim-de-semana.

domingo, 21 de abril de 2013

Clássico: Benfica vence Sporting (2-0)

O Sporting dos miúdos até foi 'adulto' durante quase todo o jogo, mas a partida acabaria por sorrir aos da casa, que assim têm menos uma final para ultrapassar na luta pelo título.
Um golo de Salvio aos 37' minutos, já depois dos 'leões' terem assustado a Luz, e outro de Lima aos 75', a finalizar uma jogada espectacular de Gaitán, deram a vitória ao Benfica, que mantém os quatro pontos de avanço para o FC Porto, em vésperas de jogar na Turquia para a Liga Europa.
Principalmente no primeiro tempo, os leões criaram calafrios no último terço encarnado, reclamaram uma grande penalidade, e não tiveram medo de ter bola.
Logo a começar, aos seis minutos, Wolfswinkel deixou Garay para trás e acertou no peito de Artur. Um minuto depois, Diego Capel caiu na área após luta com Maxi, e reclamou-se penalti. João Capela mandou seguir, numa noite algo infeliz a nível disciplinar.
O Benfica começou a crescer e tentar assentar o seu jogo a partir dos primeiros vinte minutos, e viu Matic cabecear por cima aos 22' minutos. Aos 28', Salvio também rematou por cima, e três minutos depois, valeu Luisão a antecipar-se a Wolfswinkel e a cortar o esférico, depois de uma excelente rotação de André Martins que deixou para Capel, com o espanhol a cruzar para a área.
E daqui até ao golo foi um 'saltinho': Cardozo meteu na esquerda para Gaitán, o argentino cruzou rasteiro, Lima não chegou, e Salvio atirou para golo não dando hipótese de defesa a Rui Patrício.
A Luz explodia de alegria, e o Benfica estava na frente com alguma injustiça à mistura. Veio o intervalo, e um primeiro balanço: o Sporting mostrou-se atrevido no ataque e organizado a defender, mas acabou por pagar caro uma das poucas distracções.
Para o segundo tempo, os encarnados deram a bola ao adversário, cientes da sua tarefa, mas não contavam que logo aos 53' minutos, Eric Dier cabeceasse com firmeza para uma defesa apertada de Artur. O cabeceamento do inglês levava selo de golo, tal como levava o cruzamento de Joãozinho logo a seguir, ainda que desta feita ninguém aparecesse para a emenda.
Tal como no primeiro tempo, o melhor período dos leoninos antecedeu o lado 'perigoso' do Benfica: Cardozo aos 59' e Garay aos 63' minutos ameaçaram o dilatar da vantagem, algo que aconteceria a quinze minutos dos noventa, e num lance espectacular de Gaitán, que depois de combinar com Salvio, cruzou para Lima e este de primeira, fez o 2-0.
Golo espectacular na Luz e o resultado estava feito. Até final, nota apenas para um despique de Luisão e Viola na grande área benfiquista, com o capitão encarnado a derrubar o argentino, mas João Capela a 'perdoar-lhe' o segundo amarelo.
O triunfo encarnado acaba por ser justo tendo em conta todas as incidências da partida, e agora a quatro jornadas do fim, o Benfica está cada vez mais numa situação vantajosa.
Ficha de Jogo:

Jogo realizado no Estádio da Luz, em Lisboa
Quarteto de arbitragem composto por: João Capela (Árbitro Assistente); Ricardo Santos e Tiago Rocha (Árbitros Assistentes); André Gralha (Quarto Árbitro)

Benfica (4-4-2): Artur; Maxi Pereira, Garay, Luisão (Jardel 90+2') e Melgarejo; Matic, Salvio, Enzo Pérez e Gaitán (André Gomes 81'); Cardozo (Ola John 70') e Lima.
Treinador: Jorge Jesus. Suplentes Não Utilizados: Paulo Lopes; André Almeida, Aimar e Rodrigo.

Sporting (4-5-1): Rui Patrício; Miguel Lopes (Boulahrouz 74'), Marcos Rojo, Tiago Ilori e Joãozinho; Rinaudo, Eric Dier (Schaars 65'), Diego Capel (Viola 65'), André Martins e Bruma; Van Wolfswinkel.
Treinador: Jesualdo Ferreira. Suplentes Não Utilizados: Marcelo; Adrien, Carrillo e Labyad.

Disciplina:
Amarelos: Luisão 66'; Viola 84'; Rinaudo 89'.

Marcador: 1-0 Salvio 37'; 2-0 Lima 75'.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Segunda Liga: Feirense acaba com seis jogadores

(Sténio é expulso aos 67' minutos. Sete minutos depois, a partida terminaria.)
Um cenário algo habitual no futebol amador, aconteceu, de forma altamente improvável, numa liga profissional portuguesa, neste caso, na Segunda Liga: o Feirense teve três jogadores expulsos, esta quarta-feira, diante do Sporting-B, e quando estava com oito jogadores em campo, viu mais dois terem que sair lesionados.
Os azuis da Feira já não podiam fazer substituições, e aos 74' minutos - o Sporting-B ganhava 3-1 -, o árbitro Manuel Mota foi obrigado a dar a partida como terminada, devido a uma diferença numérica quase 'gritante'.
Tudo começou aos três minutos, quando o guardião Marco derrubou Esgaio na grande área e foi expulso com vermelho directo. Quim Machado lançou o suplente Carlos Fernandes - internacional por Angola e ex-Boavista -, ele que havia sofrido um traumatismo crânio-encefálico no sábado anterior, e que estava no banco apenas para 'marcar presença', uma vez que a terceira opção, Sea, também estava indisponível.
Em cima do intervalo, Oliveira cometeu grande penalidade sobre Esgaio, e viu o segundo cartão amarelo, numa altura em que o mesmo Esgaio saía para o descanso com dois golos marcados de penalti, e com a sua equipa a vencer já por 2-0.
Aos 55', seria a vez dos leões terem um jogador expulso, devido a uma forte entrada de Juary sobre Marcelo. Marcelo que sairia então lesionado aos 73' minutos, precisamente por causa deste lance, numa altura em que o Feirense já jogava com oito, por expulsão de Sténio aos 67' minutos.
Nesta altura, o resultado já estava cifrado em 1-3, graças a golos de Gael Etock para o Sporting-B aos 48' minutos, e de Rafa Silva aos 59', para o Feirense.
Pouco antes da lesão de Marcelo, Carlos fez uma defesa apertada a um potente remate de Diego Rubio, e sentiu necessidade também ele de abandonar a partida.
Com o Feirense reduzido - ou limitado? - a apenas seis jogadores, Manuel Mota ainda esperou os regulamentares cinco minutos na expectativa de algum jogador 'fogaceiro' recuperar, mas tal não aconteceu, e a partida ficou-se por ali, aos 74' minutos.
Esta sexta-feira, a Liga de Clubes anunciou os castigos à equipa feirense, que além de perder o jogo por 0-3, terá ainda que pagar uma multa de 1,275.00€.
Depois da na época passada ter enfrentado uma União de Leiria composta por apenas oito jogadores, quis o destino que o Feirense acabasse um jogo esta temporada com apenas seis elementos.
Casos diferentes, situações opostas, e o lado menos espectacular do futebol a funcionar.

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Taça de Portugal: V. Guimarães na final

(Fredy e El Adoua parecem assustados com o movimento de André André.)
O V. Guimarães venceu esta noite o Belenenses por uma bola a zero, e apurou-se para a final da Taça de Portugal, onde vai defrontar o Benfica.
Aos minhotos, valeu um golo apontado por Marco Matias aos treze minutos de jogo, anexando-se assim ao bis de Ricardo no jogo da primeira mão.
O jovem avançado, que começou a época na equipa bê vimaranense, surgiu na cara de Matt Jones ainda antes de se atingir os primeiros quinze minutos de jogo, e após excelente passe de Tiago Rodrigues, não teve dificuldades em bater o inglês.
A tarefa do Belenenses ficou bem mais complicada assim, e os azuis do Restelo, embora sem fazerem um grande jogo como na primeira mão, realizaram uma boa exibição, deixando um sinal daquilo que pode ser a qualidade do seu futebol na próxima época, no primeiro escalão.
O sinal mais pertenceu sempre ao Vitória, que teve boas oportunidades para marcar, destacando-se duas situações na mesma jogada, desaproveitadas por Soudani e Amido Baldé. O Belenenses também tentou chegar ao empate nos últimos dez minutos, e podia tê-lo feito.
Com a qualificação para a final da Taça, o V. Guimarães garante também desde já, um lugar nas competições europeias da próxima temporada.
A final da prova realiza-se dia 26 de Maio, como habitual, no Estádio do Jamor.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Taça de Portugal: Benfica empata mas está na final

(Matić ganha no ar a Jaime Poulson, perante o olhar atento de Tony, Gaitán e Manuel José.)
Benfica e Paços de Ferreira empataram esta noite a uma bola no Estádio da Luz, em jogo a contar para a segunda mão das Meias Finais da Taça de Portugal.
Cardozo abriu o activo aos 53' minutos, já depois de ter enviado uma bola ao ferro no primeiro tempo, mas Cícero aproveitaria um erro de Maxi Pereira a dez minutos dos noventa, para restabelecer a igualdade.
O resultado acaba por ser um prémio para o Paços de Ferreira, que se bateu na Luz com galhardia e com o seu habitual futebol de qualidade, acabando por não perder.
Oito anos depois, o Benfica está de novo na final da Taça de Portugal, fase onde não chegava desde 04/05, ano em que perdeu com o V. Setúbal no derradeiro jogo da prova - 2-1.
No que diz respeito ao adversário dos encarnados, o mesmo só será conhecido depois de amanhã, sendo que o mais provável, é o V. Guimarães deixar para trás o Belenenses, depois da vitória por 2-0 no Restelo, no jogo da primeira mão.

II Divisão: 28ª Jornada

(Famalicão 2-2 Varzim - autoria: blogue 'Lobos do Mar'.)
A duas jornadas do fim da II Divisão, quatro equipas confirmaram a descida aos Distritais, e apenas uma está às portas da subida. Adivinham-se duas jornadas finais de muita luta.
Na Zona Norte, o Ribeirão foi vencer a Mirandela por uma bola a zero, e divide agora a liderança com o D. Chaves, que venceu em Limianos pelo mesmo resultado. Famalicão e Varzim empataram a dois golos, enquanto que o Gondomar bateu o Boavista, também por 1-0.
Vilaverdense e Tirsense empataram a uma bola, sendo que o Joane venceu o Amarante por 2-0 e garantiu automaticamente a manutenção, atirando com Infesta e Padroense para os distritais: os infestistas perderam em Vizela por 2-0; e os padroenses empataram em casa a dois golos com o Fafe. Curiosamente, descem duas equipas do concelho de Matosinhos.
Na Zona Centro, o Ac. Viseu 'despachou' o Sp. Espinho por 3-0, e está a três pontos da subida, apesar da vitória caseira do Cinfães sobre o Cesarense por 2-1. O Pampilhosa perdeu em Castelo Branco, frente ao Benfica local, por uma bola a zero, mas mantém-se quarto com um ponto de vantagem para o Operário, que empatou sem golos no terreno do Tourizense.
O Nogueirense venceu na casa do Sousense por uma bola a zero, e ficou a três pontos de Coimbrões e Anadia, que empataram a uma bola em Vila Nova de Gaia. Na luta pela manutenção, Bustelo e Lusitânia empataram também a uma bola, enquanto que o Tocha venceu o SJ Vêr por 2-1, mas foi na mesma despromovido.
Na Zona Sul, o Mafra venceu o Oriental por 2-0 e continua com um ponto de vantagem para o Farense, que derrotou o Casa Pia por uma bola a zero. O Torreense venceu o Ribeira Brava, também por uma bola a zero, e além de atirar com os madeirenses para o Distrital, subiu ao terceiro posto de forma isolada. O Leiria continua em decrescendo, e perdeu por 2-1 no terreno do 'aflito' Oeiras.
O Pinhalnovense continua a fazer uma excelente ponta final de campeonato, e bateu o Futebol Benfica por 2-0, enquanto que o Sertanense foi vencer ao Carregado por uma bola a zero. 1º Dezembro e Fátima não saíram do nulo, e o Quarteirense bateu o Louletano por 3-0 num derby algarvio.
A II Divisão regressa no próximo fim-de-semana.

III Divisão - Fase Final: 3ª Jornada

(Santa Eulália 1-1 Felgueiras - autoria: facebook oficial do CCD Santa Eulália.)
Os três principais candidatos à subida na Série A, venceram na terceira jornada da fase final, e mantêm tudo em aberto: o líder Santa Maria bateu o Marinhas por uma bola a zero; o Bragança bateu o Ronfe por 3-1; e o Vianense venceu o Taipas por 2-0, alcançando o Ronfe na terceira posição.
No outro grupo, o Merelinense bateu o Maria da Fonte por 3-0 e assumiu a liderança isolada, enquanto que Ponte da Barca e Esposende não saíram do nulo. O Melgacense continua a jogar com poucos seniores e muitos juniores, e ontem foi goleado em casa pelo Monção, por 7-1.
Na Série B, apenas o Lousada logrou vencer na poule de subida: os durienses bateram a Oliveirense por 2-0 e ganharam pontos a toda a concorrência, uma vez que se registaram dois empates a uma bola nos jogos entre Pedras Rubras - Paredes e Santa Eulália - Felgueiras.
O Leça continua a melhorar nesta fase final, e bateu o Vila Real por 3-2, sendo que o Vila Meã venceu o Rebordosa por 2-0 e lidera agora juntamente com o Aliados de Lordelo, que bateu o Serzedelo por uma bola a zero.
Na Série C, também se registou apenas uma vitória na fase de subida, com o Salgueiros a vencer por 4-1 em Oliv. do Bairro. Grijó e Estarreja não saíram do nulo, enquanto que Penalva do Castelo e Alba empataram a um golo.
O Avanca goleou o Sampedrense por 4-0 e aproveitou o empate sem golos do U. Lamas no terreno do Parada, para assumir a liderança. O Oliv. de Frades recebeu e venceu o Aguiar da Beira por 2-0, somando o primeiro triunfo nesta segunda fase.
Na fase de subida da Série D, o Sourense foi vencer ao terreno do Alcanenense por 2-1, e é cada vez mais líder, aproveitando o empate a uma bola entre Sp. Pombal e Oliv. do Hospital. O Caldas perdeu por uma bola a zero em casa do Vit. Sernache, e soma por derrotas os três jogos disputados.
O Marinhense recebeu e goleou o Torres Novas por 4-1, ultrapassando o seu adversário, e assumindo a liderança isolada. O Alcobaça venceu o Beneditense por 2-0, e divide a quarta posição com o conjunto da Benedita, enquanto que o Penelense goleou o Mortágua por 4-1 e é terceiro.
Na Série E, também apenas uma vitória em três jogos, com o Barreirense a levar a melhor no derby do Barreiro, batendo o Fabril por uma bola a zero. Eléctrico e Sacavenense não saíram do nulo, enquanto que Sintrense e Lourinhanense empataram a um golo.
Na poule de despromoção, o Pêro Pinheiro empatou a duas bolas no terreno do Amora, e permitiu a aproximação do Tires, que bateu o Peniche por uma bola a zero. Mais perto ainda da liderança está o Real, que goleou fora-de-portas, no Cartaxo, por 7-1!
Na Série F, o líder U. Montemor perdeu por uma bola a zero na casa da Juv. de Évora, e permitiu duas aproximações: a do Moura, que bateu o Reguengos por 2-1; e a do Esp. de Lagos, que venceu na casa do Vasco da Gama por 3-0.
Castrense e Aljustrelense venceram e continuam de mãos dadas na liderança: os castrenses bateram o Monte Trigo por 3-2; enquanto que os mineiros venceram em casa do Lusitano VRSA por 4-1. Sesimbra e Lagoa empataram a uma bola.
Nos Açores, o Angrense goleou o Praiense por 4-0 e ficou a um ponto do Sp. Ideal, que perdeu por 3-1 no terreno do Rabo de Peixe.
O Santiago perdeu por 2-1 no terreno do Flamengos, mas leva oito pontos à maior sobre o segundo classificado, que é agora o Barreiro, após bater o Vitória do Pico também por 2-1. O Marítimo da Graciosa venceu o Praínha por 4-3.
A III Divisão regressa no próximo fim-de-semana.

sábado, 13 de abril de 2013

Taça da Liga: Sp. Braga derrota FC Porto e vence prova

A final de Coimbra deste ano era aguardada com alguma expectativa, pois era certo que fosse qual fosse o vencedor, seria a primeira vez que venceria o troféu em causa.
A 'sorte' tocou ao Sp. Braga, que se 'agarrou' a um penalti convertido por Alan em cima do intervalo, para levar de vencida o FC Porto na Final da Taça da Liga 12/13.
Depois da conquista da Taça de Portugal na longínqua temporada de 65/66, os minhotos voltaram a levantar um troféu em Portugal, cinco anos depois de terem vencido a extinta Taça Intertoto, que dava acesso à Taça UEFA.
Os bracarenses até entraram melhor na partida, embalados, quiçá, pela presença em nova final, mas acabariam por ceder ao 'despertar' azul e branco, que à passagem do minuto dez ficou pertíssimo de marcar, quando James falhou a emenda ao segundo poste por milímetros.
O domínio portista acentuou-se a partir daí, e embora sem ver o adversário criar perigo, o Braga não conseguia impor o seu melhor futebol perante um FC Porto a dominar e a controlar as incidências da partida, mas também a ceder alguns espaços na defesa.
Em cima do intervalo, João Capela assinalou grande penalidade por falta de Abdoulaye sobre Mossoró, e mostrou o segundo cartão amarelo ao central senegalês dos portistas. Alan converteu o penalti com êxito, o FC Porto estava perdido e com dez, e o Braga animava-se para a segunda parte.
Vítor Pereira foi obrigado a lançar um central, Otamendi neste caso, deixando Lucho nos balneários. Correndo riscos de não conseguir atacar com clarividência, o técnico portista viu James ameaçar marcar de cabeça logo nos primeiros minutos da segunda parte.
Apesar de ter reequilibrado a sua equipa, o FC Porto expôs-se demasiado ao contra-ataque bracarense que não deu frutos, quase 'por acaso'. Aos 67' minutos, no lance mais elucidativo de muito perigo para a baliza portuense, Rúben Micael encostou para o poste quando tinha a baliza completamente escancarada, não conseguindo concluir um chapéu de Alan a Fabiano.
Kelvin, a arma-secreta dos azuis na segunda-feira precisamente contra os minhotos, já havia entrado para o lugar de Defour, mas à passagem do minuto 70', seria Jackson Martínez a criar uma oportunidade de golo sozinho: o colombiano deixou para trás três defensores arsenalistas, e rematou com força ligeiramente ao lado da baliza de Quim.
Cheirou a golo do empate no Municipal de Coimbra, mas o Braga esteve sempre mais perto do 2-0, do que o Porto do 1-1: João Pedro isolado perante Fabiano, permitiu uma defesa 'monstruosa' do guardião brasileiro, que lhe saiu aos pés e apoderou-se do esférico; e aos 88' minutos, novamente Fabiano a evitar com grande estilo o 2-0, após remate de Hugo Viana.
Zé Luís também podia ter marcado, sendo que o melhor que os portistas conseguiram, foi um cabeceamento um tudo ou nada perigoso de Mangala, por cima da baliza bracarense.
O resultado assemelha-se perfeitamente ao que se passou dentro de campo, com uma equipa esclarecida, e a querer vencer, e a outra algo à deriva no terreno de jogo.
A taça que faltava aos portistas, enriqueceu o palmarés do SC Braga.
Ficha de Jogo:

Jogo realizado no Estádio Municipal de Coimbra, em Coimbra
Quarteto de arbitragem composto por: João Capela (Árbitro Principal); Ricardo Santos e Tiago Rocha (Árbitros Assistentes); Manuel Mota (Quarto Árbitro)

Sp. Braga (4-5-1): Quim; Baiano, Nuno André Coelho, Aderlan Santos e Elderson; Custódio, Hugo Viana, Alan, Mossoró (Douglão 90+2') e Rúben Micael (João Pedro 74'); Carlão (Zé Luís 78').
Treinador: José Peseiro. Suplentes Não Utilizados: Kritsyuk; Rúben Amorim, Mauro e Hélder Barbosa.

FC Porto (4-3-3): Fabiano; Danilo, Abdoulaye, Mangala e Alex Sandro; Fernando, João Moutinho e Lucho (Otamendi 45'); James (Atsu 74'), Jackson e Defour (Kelvin 60').
Treinador: Vítor Pereira. Suplentes Não Utilizados: Helton; Castro, Izmaylov e Liedson.

Disciplina:
Amarelos: Abdoulaye 17' e 44'; Elderson 36'; Baiano 47'; Mossoró 68'; Custódio 80'; Quim 90+6'.

Marcador: 1-0 Alan 45+2' G. P..

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Sorteios UEFA: Raúl Meireles no caminho do Benfica

(Raúl Meireles já rematou para o golo no Chelsea - Benfica da Liga dos Campeões 11/12.)
O Benfica conheceu esta sexta-feira o seu adversário nas Meias-Finais da Liga Europa, adversário esse que dá pelo nome de Fenerbahçe, e que viajará desde a Turquia.
Na equipa turca milita o português Raúl Meireles, com a particularidade de ser o primeiro luso a defrontar o Benfica nas competições europeias esta temporada, depois de ter sido também ele, o último jogador a marcar aos encarnados nas provas europeias na época passada, então ao serviço do Chelsea, e nos Quartos-de-Final da Liga dos Campeões.
Até chegarem às Meias Finais, os turcos deixaram pelo caminho nos jogos a eliminar, BATE Borisov da Bielorússia, Viktoria Plzen da República Checa, e por último, a Lázio de Itália.
Em doze jogos a contar com a fase de grupos desta mesma prova, os turcos perderam por apenas uma vez, e foi na última jornada do Grupo C, frente ao Borussia Moenchengladbach da Alemanha.
A primeira mão disputa-se em Istambul a 25 de Abril deste mês, enquanto a segunda mão será na Luz a 2 de Maio.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Liga dos Campeões: Dortmund apura-se nos descontos

(Felipe Santana prepara-se para fazer o 3-2 final entre Dortmund e Málaga.)
Estão encontrados os quatro semi-finalistas da Liga dos Campeões, com o destaque de estarem duas equipas espanholas e duas equipas alemãs em prova.
Os Quartos-de-Final, disputados entre ontem e hoje, decorreram com alguma anormalidade, sendo que Barcelona e Real Madrid não se livraram de valentes sustos; o Bayern Munique foi a equipa mais tranquila, vencendo novamente a Juventus; e o Dortmund apurou-se já no soar do gongo, depois de ter sofrido o 1-2 aos 82' minutos, por intermédio de Eliseu.
Começando pelos jogos desta noite, o Bayern Munique foi a Turim vencer a Juventus novamente por 2-0, sendo que desta feita só marcou no segundo tempo: Mandžukić aos 64' e Pizarro aos 91' minutos, selaram o triunfo alemão. No outro jogo, o PSG colocou-se em vantagem no Camp Nou por intermédio de Pastore aos 50' minutos, mas um golo de Pedro Rodríguez aos 71' minutos, saldou as contas do marcador num empate a uma bola que apurou a formação blaugrana.
Ontem, o Real Madrid entrou melhor no 'inferno de Istambul', e Cristiano Ronaldo logo aos oito minutos, abriu o activo para os merengues. Descansados, os 'blancos' viram o Galatasaray acordar de forma tempestuosa no segundo tempo e chegar ao 3-1 num ápice: Eboué aos 57', Sneijder aos 70' e Drogba aos 72' minutos marcaram para os turcos, que tiveram ainda um golo anulado para o 4-1. Já no período de compensação, Ronaldo bisou e fixou o placard em 3-2. 3-2 terminou também o encontro entre Dortmund e Málaga, com Joaquín a adiantar os andaluzes aos 25' minutos, e com Lewandowski a empatar a cinco minutos do intervalo. Quando toda a gente esperava que a partida terminasse empatada a uma bola, Eliseu fez o 1-2 aos 82', e acordou indirectamente os bávaros, que deram a cambalhota no resultado já nos descontos: primeiro Reus empatou aos 91', e depois Felipe Santana fez o 3-2 aos 93'. Absolutamente épico e digno de Champions League!
O sorteio das Meias Finais realiza-se na próxima sexta-feira em Nyon, Suíça.

segunda-feira, 8 de abril de 2013

II Divisão: 27ª Jornada

(Anadia 3-0 Cinfães - autoria: facebook oficial do Anadia FC.)
A jornada vinte e sete da II Divisão foi aziaga para os líderes das três diferentes zonas.
A Norte, o Mirandela 'levou' 3-0 em Limianos, e permitiu aproximações de D. Chaves e Ribeirão: os flavienses venceram o Boavista por 2-1 num duelo a pedir outros palcos; enquanto que os famalicenses bateram o Padroense por 3-0. O Vizela também triunfou, tendo ganho em Fafe por 3-2.
O 3-0 foi mesmo o 'resultado-moda' desta jornada, uma vez que Tirsense e Infesta bateram, por esse resultado, Famalicão e Vilaverdense, respectivamente. O Amarante bateu o Gondomar por uma bola a zero, mesmo resultado com que o Joane venceu surpreendentemente na casa do Varzim.
Na Zona Centro, o Ac. Viseu cedeu uma igualdade caseira a uma bola frente ao lanterna-vermelha, Tocha, mas viu o Cinfães ser copiosamente goleado em Anadia, por 3-0. O Sp. Espinho venceu o Pampilhosa por 2-0, e aproveitou as escorregadelas alheias para ficar a três pontos da liderança, sendo que na próxima jornada, os Tigres se deslocam precisamente ao terreno do Ac. Viseu.
O Coimbrões venceu por uma bola a zero em SJ Vêr, mesmo resultado com que o BC Branco venceu no terreno do Nogueirense. O Bustelo perdeu por 3-1 nos Açores, frente ao Operário, e viu o Lusitânia aproximar-se, fruto da vitória lusitanista sobre o Sousense, por 2-0. Cesarense e Tourizense não saíram do nulo.
Finalmente, a Sul, o Mafra não foi além de um nulo caseiro diante do 1º Dezembro, e permitiu a aproximação do Farense, que venceu o derby com o Louletano, por 1-0. O Oriental goleou o Futebol Benfica por 4-0 e ascendeu ao terceiro lugar, fruto da derrota do Torreense no terreno do Casa Pia, por 2-0.
Sertanense e Quarteirense empataram a uma bola, enquanto que a U. Leiria foi copiosamente goleada em casa, pelo Pinhalnovense, por 4-1. O Fátima bateu o Carregado por 3-0, e o Ribeira Brava ao vencer o Oeiras por 2-0, adiou a confirmação da sua descida aos Distritais madeirenses.
A II Divisão regressa no próximo fim-de-semana.

III Divisão - Fase Final: 2ª Jornada

(Fabril 0-1 Lourinhanense - autoria: blogue de David José Pereira.)
O Santa Maria deu continuidade à vitória da semana passada, na fase de subida da Série A, e foi vencer a casa do candidato Bragança por 4-3, assumindo desde já a liderança. O Ronfe venceu o Vianense por uma bola a zero e aproximou-se dos transmontanos, enquanto que o Marinhas foi vencer a casa do Taipas, incrivelmente, também por 4-3.
Na zona de descida, o Maria da Fonte derrotou o Ponte da Barca por uma bola a zero e mantém-se líder com dois pontos de avanço para o Merelinense, que goleou o Melgacense por 11-0! Numa jornada com muitos golos, Esposende e Monção empataram a três.
Na Série B, o Felgueiras foi vencer a casa da Oliveirense por 2-1 e assumiu a liderança, enquanto que o Lousada venceu por 3-2 em Paredes e recuperou o terceiro lugar, aproveitando também a derrota caseira do Pedras Rubras diante do Santa Eulália, por 3-1.
No outro grupo, o Serzedelo empatou em Vila Real a duas bolas, e viu o Vila Meã aproximar-se, uma vez que os amarantinos venceram o Aliados de Lordelo por 2-0. O Rebordosa bateu o Leça por duas bolas a uma.
Na Série C, o Estarreja venceu o Alba por 3-1, e soma já seis pontos de avanço para o segundo lugar, depois do empate a uma bola entre Salgueiros e Grijó. Quem se aproximou dos gaienses foi o Oliv. do Bairro, que bateu o Penalva do Castelo por 4-1.
O U. Lamas venceu o Sampedrense por 3-0 e recuperou a liderança do seu grupo, fruto do empate a uma bola do Avanca no terreno do Oliv. de Frades. Já o Parada somou a segunda vitória em outros tantos jogos nesta fase, tendo ganho em Aguiar da Beira por 3-1.
Na Série D, o Sourense foi vencer ao terreno do Caldas por uma bola a zero e reforçou a liderança da prova. O Oliv. do Hospital bateu o Sernache por 2-1 e assumiu o segundo lugar de forma isolada, enquanto que o Alcanenense venceu em Pombal, também por uma bola a zero, e alcançou o Caldas na terceira posição.
Na fase de descida, o Torres Novas derrotou o Alcobaça por 1-0 e assumiu a liderança isolada, graças à derrota caseira do Beneditense frente ao Mortágua, por 3-2. O Marinhense bateu o Penelense por duas bolas a uma.
O Lourinhanense venceu por uma bola a zero na casa do Fabril, e foi a única equipa que logrou vencer na fase de subida da Série E. Eléctrico e Sintrense empataram a dois golos, enquanto que Sacavenense e Barreirense cederam uma igualdade a uma bola.
Na zona de descida, voltou a haver 'chapa seis', desta vez imposta pelo Tires ao Cartaxo, e sem direito a golo forasteiro. O Amora venceu em Peniche por 3-2, enquanto que o Pêro Pinheiro bateu o Real por 2-1 e reforçou a liderança.
Na Série F, o líder U. Montemor foi a única equipa que venceu, tendo ganho ao Reguengos por 2-0. Vasco da Gama e Moura empataram a uma bola, enquanto que Esp. de Lagos e Juv. de Évora não saíram do nulo.
O Castrense goleou o Sesimbra por 4-0 e alcançou o seu adversário de ontem na liderança, liderança essa partilhada também com o Aljustrelense, que venceu o Lagoa por 2-1. Monte Trigo e Lusitano VRSA empataram a uma bola.
Nos Açores, o Sp. Ideal cedeu uma igualdade caseira sem golos frente ao Angrense, e falhou a conquista da subida já esta jornada. Num jogo apenas para cumprir calendário, o Praiense 'brindou' o Rabo de Peixe, com uma goleada de 6-2.
No outro grupo, o Santiago bateu o Barreiro por uma bola a zero e continua tranquilamente na liderança, tendo agora dez pontos de vantagem para o segundo, que é o Praínha, e que venceu o Flamengos por 2-1. Também por 1-0, o Vitória do Pico venceu o Marítimo da Graciosa.
A III Divisão regressa no próximo fim-de-semana.

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Liga Europa: Benfica vence Newcastle

O Benfica venceu esta noite o Newcastle por 3-1, e ganhou uma vantagem importante e significativa para o jogo da segunda mão, na próxima semana, em Saint James Park.
As Meias-Finais da Liga Europa estão perto, e depois de um golo de Cissé aos 13' minutos, de duas bolas nos postes da baliza de Artur, e do empate aos 27' por Rodrigo, o Benfica resolveu o jogo na segunda parte e em poucos minutos, por intermédio de Lima e Cardozo.
Os encarnados entraram determinados, fortes e agressivos como de costume, perante um Newcastle que se apresentou no relvado da Luz sem grandes surpresas, e a tentar aproveitar os espaços concedidos nas costas pela defesa encarnada. E logo aos dois minutos, Cissé desaproveitou a primeira ocasião criada sobre esse 'espaço', atirando à figura de Artur.
Porém, cerca de dez minutos depois, Sissoko, lançado por Simpson, cruzou para o interior da área, onde voltou a aparecer Papiss Cissé, desta vez com sucesso, antecipando-se a Luisão para fazer o primeiro golo da noite.
Ao Benfica, faltava furar o primeiro 'bloco defensivo' dos 'Magpies', composto por Marveaux, Cabaye e Jonas Gutiérrez. E quando os da casa começavam a tentar furar no ataque, aos 23' minutos, Jonas irrompeu pela esquerda e cruzou para Cissé, que voltando-se a antecipar à defensiva encarnada, cabeceou ao ferro.
O Benfica era, por esta altura, pode-se dizê-lo, uma equipa ligeiramente à deriva dentro de campo, e quando parecia entrar definitivamente nos caminhos da perdição, empatou: André Almeida deixou para Cardozo, o paraguaio rematou forte para defesa de Krul, e na recarga, Rodrigo empatou.
A partir daqui, os encarnados cresceram, e Krul brilhou: aos 27' minutos negou o golo primeiro a André Gomes, e depois a Ola John; aos 36', defendeu quase por instinto a tentativa de Rodrigo; e aos 40', negou o golo a Matic, depois de uma boa cabeçada do sérvio.
O primeiro tempo acabaria pouco depois, e para o segundo tempo, esperava-se uma entrada forte e mais concentrada do Benfica.
Num momento de algum relaxamento, talvez por o jogo estar a começar, os encarnados viram Marveaux lançar Cissé com um passe fantástico, e o senegalês fazer um chapéu perfeito a Artur. Tão perfeito, que acabou por bater no poste.
A Luz gelou naquele momento, e aos 56' minutos ficou pertíssimo de explodir, quando Cardozo não 'adivinhou' o cruzamento de Rodrigo, originando um 'bruá' em todo o estádio.
Cardozo não marcou, mas continuou em campo, entrando Lima por troca com Rodrigo. E seria Lima a assinar a reviravolta no marcador aos 65' minutos, aproveitando uma asneira de Santon, que ao tentar atrasar a bola para Krul, colocou-a nos pés do avançado brasileiro, que só teve de ultrapassar o guardião holandês e encostar para o 2-1.
Agora sim, a Luz explodia em definitivo, e o Benfica passava para a frente da partida e da eliminatória. E não demoraria muito a aumentar essa vantagem, uma vez que três minutos, Steven Taylor jogou a bola nitidamente com o braço dentro da área, e Cardozo não perdoou. À segunda. Porque a primeira foi repetida, alegadamente por 'invasão da área'.
O 4-1 podia ter aparecido por duas ocasiões, primeiro por Gaitán e depois por Lima, mas não apareceu. Os 'Magpies' também não apareceram em termos ofensivos no segundo tempo, excepção feita ao tal chapéu de Papiss Cissé logo nos primeiros instantes da etapa complementar.
A segunda mão joga-se já na próxima quinta-feira, dia 11, e o Benfica parte com uma vantagem segura e tranquila, a caminho das Meias-Finais.
Ficha de Jogo:

Jogo realizado no Estádio da Luz, em Lisboa
Quarteto de arbitragem composto por: Antony Gautier (Árbitro Principal - França); Cyril Gringore e Fredji Harchay (Árbitros Assistentes); Guillaume Debart (Quarto Árbitro)

Benfica (4-4-2): Artur; André Almeida, Luisão, Garay e Melgarejo; Matic, Ola John, André Gomes (Enzo Pérez 61') e Gaitán; Rodrigo (Lima 61') e Cardozo (Maxi Pereira 77').
Treinador: Jorge Jesus. Suplentes Não Utilizados: Paulo Lopes; Roderick, Aimar e Urreta.

Newcastle (4-5-1): Tim Krul; Simpson (Gosling 83'), Steven Taylor, Yanga-Mbiwa e Santon; Cabaye, Marveaux (Ameobi 81'), Perch (Anita 61'), Sissoko e Jonas Gutiérrez; Papiss Cissé.
Treinador: Alan Pardew. Suplentes Não Utilizados: Elliot; Campbell, Williamson e Obertan.

Disciplina:
Amarelos: Perch 20'; Rodrigo 29'; Enzo Pérez 73'; Ameobi 87'.

Marcador: 0-1 Papiss Cissé 13'; 1-1 Rodrigo 24'; 2-1 Lima 65'; 3-1 Cardozo 71'. G. P..

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Liga dos Campeões: Bayern vence duelo de 'gigantes'

(Ronaldo marcou ao Galatasaray e já é o melhor marcador isolado da Champions League.)
Disputaram-se nestes últimos dois dias, os Quartos-de-Final da Liga dos Campeões, com um empate e um vencedor em cada dia.
Hoje, o Real Madrid venceu o Galatasaray, sem grande dificuldade, por 3-0, com Ronaldo a abrir o marcador logo aos nove minutos, fazendo o seu nono golo na Champions em outros tantos jogos. Benzema aos 29' e Higuaín aos 73' fizeram o 3-0 final, que deixa os madrilenos praticamente apurados para as Meias-Finais da prova. No outro jogo do dia, também em Espanha, Málaga e Borussia Dortmund não saíram do nulo, resultado que o FC Porto não conseguiu fazer no La Rosaleda e que lhe teria servido para estar hoje entre os oito melhores da Europa.
Ontem, o Barcelona empatou em Paris, frente ao Paris Saint-Germain, a duas bolas, com os golos parisienses a serem ambos obtidos em posição irregular. Messi adiantou os blaugrana aos 38' minutos, mas o ex-culé Ibrahimovic, empataria aos 79' minutos. Em cima do minuto noventa, Xavi assinou o 1-2 na conversão de uma grande penalidade, e aos 90+4', Matuidi assistido por Ibrahimovic, assinou o 2-2 final. No outro jogo, o Bayern Munique venceu a primeira mão do grande duelo desta eliminatória, batendo a Juventus por 2-0. Alaba aos vinte e cinco segundos (!) de jogo, e Thomas Muller aos 63' minutos, fizeram os golos da formação bávara.
A segunda mão dos Quartos-de-Final joga-se na próxima semana, com Galatasaray, Real Madrid, Borussia Dortmund e Málaga, a jogarem já na terça-feira, dia 9 de Abril.

Taça da Liga: FC Porto goleia Rio Ave e está na final

Com uma exibição de 'duas caras', o FC Porto goleou o Rio Ave por 4-0 e qualificou-se para a final da Taça da Liga, que se joga no próximo dia 13 de Abril, em Coimbra.
Depois de uma primeira parte muito fraca, os Dragões conseguiram chegar à vantagem graças a um erro de Oblak, que James castigou, e depois aumentou o score por Fernando, Defour e Mangala.
Os avançados parece que andam de costas voltadas com esta equipa, e Vítor Pereira manteve Jackson no onze, apresentando poucas novidades, como Fabiano e Abdoulaye.
A exibição portista no primeiro tempo, foi mais do que tem acontecido ultimamente: muita confiança, demasiada até, e a entrega da resolução do jogo à posse de bola. Mas quando nem essa posse e respectiva circulação é bem feita, então o jogo fica pobrezinho.
Tão pobrezinho que o Rio Ave agradeceu a pasmaceira azul-e-branca, e aos 13' minutos, na primeira oportunidade que teve para alvejar a baliza de Fabiano, viu Ukra rematar um pouco ao lado.
O FC Porto ia marcando 'sem querer' por Castro, que pressionou Nivaldo quando este ia para aliviar a bola da sua área, e por pouco não introduziu a bola na baliza vilacondense.
Oblak mostrou-se atento a este peculiar momento, e aos 38' minutos, o esloveno voltaria a mostrar-se atento, negando com uma defesa apertada o golo a Maicon, que de pé esquerdo ia marcando.
E quando já toda a gente esperava pacientemente pelo intervalo, Bebé recebeu um livre de Ukra, cavalgou pela ala esquerda e cruzou para a área, onde Fabiano se agachou à espera da bola, a defesa portista encarregou o guardião de resolver o caso, e Hassan antecipou-se a toda a gente, não fazendo golo por muito pouco.
Para o segundo tempo, Vítor Pereira mostrou que a Taça da Liga é para ganhar, e retirou Abdoulaye, para fazer entrar Alex Sandro, passando Mangala para o meio.
Castro deu o primeiro sinal com um remate por cima, e aos 54' minutos, Fernando deixou Jackson na cara de Oblak com um passe magistral, e o esloveno atirou-se literalmente para cima do 'cafetero'. Hugo Miguel não teve dúvidas, assinalou grande penalidade e expulsou o gigante emprestado pelo Benfica aos vilacondenses. Na conversão do respectivo castigo máximo, James Rodríguez voltou aos golos, batendo o recém-entrado Ederson, sem grandes dificuldades.
Embalado por uma espectacular assistência para Jackson que originou o 1-0, o hoje capitão, Fernando, tentou também ele deixar a sua marca na partida aos 62' minutos, obrigando Ederson a uma grande estirada. Já se sabe que o 'Polvo' é um jogador que não desiste, e aos 72' minutos apareceu à entrada da área, a concluir com grande classe uma bela jogada de Defour para o 2-0.
Se com onze para onze, os portistas controlaram a partida, embora sem ter uma grande fluidez de jogo, com mais um homem em campo, a equipa da casa tomou de assalto a baliza adversária, e aos 83' minutos chegaria ao 3-0 por intermédio de Defour.
Antes disso, o Rio Ave havia ficado a centímetros do 2-1 por Tarantini, que falhou escandalosamente a emenda ao segundo poste, já depois de Nuno Espírito Santo ter lançado Rafa, um juvenil dos vilacondenses, que até começou a temporada no rival Varzim.
Os descontos foram animados, primeiro com Izmaylov a ser expulso por pretensa agressão a André Vilas Boas, e com Mangala aos 94' minutos a fixar o resultado em 4-0.
Também houve tempo para Liedson voltar a jogar, e o luso-brasileiro deu indirectamente razão a Vítor Pereira pela escassa utilização: está muito abaixo do que era no Sporting.
Ficha de Jogo:

Jogo realizado no Estádio do Dragão, no Porto
Quarteto de arbitragem composto por: Hugo Miguel (Árbitro Principal); Nuno Pereira e Hernâni Fernandes (Árbitros Assistentes); Ricardo Duarte (Quarto Árbitro)

FC Porto (4-3-3): Fabiano; Danilo, Maicon, Abdoulaye (Alex Sandro 45') e Mangala; Fernando, Castro e João Moutinho (Izmaylov 63'); James (Liedson 76'), Jackson e Defour.
Treinador: Vítor Pereira. Suplentes Não Utilizados: Kadú; Otamendi, Lucho e Kelvin.

Rio Ave (4-3-3): Oblak; Marcelo, Nivaldo, André Vilas Boas e Lionn; Tarantini, Braga (Del Valle 73') e Felipe Augusto; Ukra (Ederson 56'), Hassan (Rafa 79') e Bebé.
Treinador: Nuno Espírito Santo. Suplentes Não Utilizados: André Dias, André Costa, Diego Lopes e Rúben Oliveira.

Disciplina:
Amarelos: Nivaldo 90+3'.
Vermelhos: Oblak 54'; Izmaylov 90+2'.

Marcador: 1-0 James 57' G. P.; 2-0 Fernando 72'; 3-0 Defour 83'; 4-0 Mangala 90+4'.

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Bruno Tiago

Bruno Tiago Fernandes Andrade, futebolisticamente conhecido por Bruno Tiago, nasceu a 1 de Abril de 1981 em Santo Tirso.
Médio centro de posição, Bruno Tiago cedo deu nas vistas com a camisola do V. Guimarães, clube onde completou a sua formação.
A sua qualidade atraiu desde logo muitos emblemas com 'nome de peso', e o histórico espanhol Salamanca, acabaria por assegurar a sua contratação para a temporada 00/01, primeira de Bruno Tiago como sénior. Sem espaço no Helmántico, o médio seguiu por empréstimo para o Ávila, clube também ele espanhol, que na altura competia na II Divisão B.
Ao serviço do Ávila, Bruno Tiago realizou dezassete jogos e marcou dois golos, convencendo os responsáveis do Salamanca, que o integraram no seu plantel principal na temporada 01/02. Agora na II Divisão espanhola, o jovem natural de Santo Tirso acabaria apenas por realizar três encontros, dois deles como titular, e no final da temporada tornou-se um jogador livre.
Findo o contrato com os espanhóis, Bruno Tiago voltaria ao activo apenas na segunda metade da temporada 02/03, quando assinou contrato com os Dragões Sandinenses, clube que militava na II Divisão B portuguesa. Aí, Bruno Tiago realizou dezasseis jogos e apontou um golo, ajudando ao nono lugar final dos gaienses na Zona Norte.
Na temporada seguinte, o médio continuou em Sandim e 'explodiu': fez trinta e quatro jogos, trinta e três como titular, e apontou quatro golos, ajudando de forma decisiva à excelente prova dos Dragões Sandinenses, que não subiu à Liga de Honra por um ponto.
A sua excelente temporada individual e a boa prestação do emblema sandinense, voltaram a despertar a cobiça de clubes de outra nomeada na sua aquisição, com o médio a rumar ao Gil Vicente para a temporada 04/05.
Pelos gilistas, haveria de completar três temporadas, duas delas no primeiro escalão e com relativo sucesso: vinte e cinco jogos na primeira época; vinte e quatro jogos e dois golos na segunda.
Depois veio o 'caso Mateus' e a formação barcelense baixou à Segunda Liga, com Bruno Tiago a realizar vinte e dois jogos, vinte como titular, embora sem fazer qualquer golo.
As boas campanhas ao serviço do Gil Vicente, valeram ao médio a transferência para um Sp. Braga que, já naquela altura, estava em ascensão no panorama nacional e internacional.
Porém, em Braga, Bruno Tiago não foi feliz: teve três épocas de contrato com os bracarenses, mas não fez qualquer jogo oficial. Uma lesão gravíssima no estágio de pré-época 07/08, com a fractura da tíbia e do perónio da perna esquerda, limitaram a carreira de Bruno Tiago, que aos 28 anos anunciou oficialmente o fim da sua carreira como futebolista.
O ex-jogador completa então hoje trinta e dois anos, e o Conversas Redondas faz assim a sua 'homenagem' a um jogador de grande qualidade, que surgiu na I Liga oriundo dos escalões secundários, e que merecia ter tido melhor sorte com a grave lesão que lhe custou a carreira.