segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Jogadores do Hull imitam treinador em festejo de golo

Na temporada passada, na visita ao terreno do Manchester City, o Hull City saiu goleado por 5-1.
Ao intervalo, a perder por 4-0, o técnico Phil Brown, optou por não efectuar a palestra no balneário, mas sim no relvado, em frente à claque do clube, e foi aí que falou aos jogadores.
Este fim-de-semana, o Hull voltou ao mesmo palco, e o médio Jimmy Bullard, depois de marcar o golo do empate aos 82' minutos, reuniu todos os seus colegas no mesmo canto onde Phil Brown tinha estado no ano anterior, e imitou os gestos do treinador na palestra da época passada.
Phil Brown, desta vez teve motivos para sorrir, e entre gargalhadas disse:
"Foi uma celebração fantástica. Uma grande comédia com um óptimo sentido de oportunidade. Não consegui falar aos jogadores de tanto rir. Foi tudo perfeito".
Há um ano não estava tão satisfeito. A sua equipa estava a ser goleada, e Phil Brown bem irritado, levou toda a equipa para junto da claque do Hull, e de dedo em riste, disse o que tinha a dizer, num gesto que não caiu nada bem, na comunidade inglesa.
Este domingo, a sua equipa esteve novamente em desvantagem, mas o golo de Bullard, apontado na sequência de um grande penalidade, já bem perto do fim, permitiu ao Hull empatar.
Desta vez, Bullard, reuniu todos os seus colegas à sua volta, e imitou o seu treinador, para euforia dos adeptos do Hull.


Jimmy Bullard Goal Celebration XD - 2 - Click here for the most popular videos

domingo, 29 de novembro de 2009

Carlos voltou ao palco que lhe mudou a vida...e esteve perto de ser (novamente) feliz.

20 de Novembro de 2004: FC Porto 0-1 Boavista.
O Boavista vinha de uma pesada derrota em Alvalade, frente ao Sporting, por 6-1, e Jaime Pacheco mexeu na equipa.
João Pinto foi um dos que ficaram de fora, Carlos foi um dos premiados. O guardião ex Felgueiras, estreava-se na 1ª Liga, e logo na casa do Campeão Europeu em título.
Cafú, marcou já nos descontos, o golo que deu o triunfo aos boavisteiros, e Carlos, guarda com naturalidade, boas recordações desse encontro: "É um palco especial e as recordações são muito boas. Espero que o resultado desse jogo se repita..." disse o guarda-redes, poucas horas antes do ínicio do FC Porto - Rio Ave, que os dragões venceram esta noite, por 2-1.
Carlos esteve presente na primeira derrota do FC Porto, na sua nova casa.
Esta noite, Carlos realizou uma excelente exibição, e esteve perto de voltar a ser feliz.
Recorde a ficha de jogo do FC Porto - Boavista:

FC Porto: Vítor Baía; Seitaridis, Jorge Costa, Pedro Emanuel e Areias; Costinha, Bosingwa e Maniche; Quaresma (Hugo Almeida 58'), Derlei (Hélder Postiga 78') e McCarthy.
O treinador dos azuis, era Vítor Fernández, e teve ao seu lado: Nuno (que hoje também foi suplente não utilizado), Ricardo Costa, Pepe, César Peixoto e Paulo Machado.

Boavista: Carlos; Hélder Rosário, Cadú, Éder Gaúcho (Zé Manuel 45') e Milhazes; Frechaut, André Barreto (João Pinto 63') e Tiago; Toñito, Diogo Valente (Martelinho 45') e Cafú.
Jaime Pacheco, teve ao seu lado no banco: Khadim, Nélson, Flores e João Pedro.

Cartões: Amarelos: Éder Gaúcho 14'; Derlei 20'; Hélder Rosário 33'; Tiago 40'; André Barreto 49'; Vítor Baía 57'; Milhazes 80';
Vermelhos: McCarthy 36';
Golos: Cafú 90+2';

sábado, 28 de novembro de 2009

Antwi à experiência no Santa Clara.

O defesa central, Godwin Antwi, de 21 anos, que nasceu no Gana, mas que se naturalizou espanhol, tendo mesmo representado as selecções jovens de Espanha, por quatro ocasiões, vai cumprir um período de testes no Santa Clara.
O jogador, formado nas camadas jovens de Saragoça e Liverpool, chegou na noite de quarta-feira a Ponta Delgada, para ser observado por Vítor Pereira, e caso agrade, assinará contrato, pelos açoreanos.
Antwi, foi apontado como uma promessa do futebol espanhol, tendo sido transferido para o Liverpool, aquando da chegada do treinador Rafael Benítez, ao clube da cidade dos Beatles.
No entanto, durante os cinco anos, em que esteve ligado aos "Reds" nunca se afirmou na equipa principal, tendo sido emprestado, ao Accrington em 2006/07, ao Hartlepool em 2007/08, e ao Tranmere Rovers e ao Hereford, na temporada passada.
Foi dispensado, no último Verão, e tenta agora dar um novo rumo à sua ainda curta carreira, se possível, no Santa Clara.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

CD Candal: Complexo Desportivo é motivo de orgulho

Para um clube ser bom formador, tem de ter boas condições para a prática desportiva, e o Candal não foge à regra.
Construído e inaugurado em 2004, o Complexo Desportivo do Candal - também conhecido por Estádio Rei Ramiro -, é um orgulho para todos os candalenses.
Possuí dois campos de futebol, um de onze, equipado com relva sintética, e outro de sete, que está agora a ser remodelado, para que possa receber também ele, um piso sintético.
Tem ainda duas bancadas laterais, que dão uma capacidade para aproximadamente 3500 espectadores, tendo uma delas a Tribuna VIP.
Tem ainda Tribuna de Imprensa, com dez lugares para imprensa escrita, cinco cabines de rádio, e ainda um posto para TV; sete balneários devidamente equipados; sala para o Delegado ao Jogo, sala para Controlo Anti-doping e posto médico; bem como um ginásio fortemente equipado.
Não há duvidas, que este clube merece muito mais que uma "simples" III Divisão Nacional a nivel sénior, e também já era merecido que o Candal triunfasse a nível nacional nas camadas jovens.

CD Candal: Juniores são exemplo de sucesso

(Aqui, imagens de um jogo de Juniores entre Candal e Infesta, disputado no Estádio Rei Ramiro.)
Um exemplo do sucesso da formação do Candal, é o facto de a equipa de Juniores do clube gaiense, nas últimas vinte temporadas, apenas por uma vez, não ter participado nos Campeonatos Nacionais.
Na época em que não participou, sagrou-se campeão Distrital da AF Porto, com larga vantagem para o segundo classificado.
Em 2006/2007, os jovens candalenses, estiveram muito perto de atingirem a fase final da I Divisão, pois ficaram apenas a um ponto do Boavista, que foi o segundo classificado.
O Candal, imagine-se, perdeu a oportunidade de disputar a fase final apenas na última jornada, depois de ceder um empate caseiro frente ao já despromovido Feirense, sendo que à entrada para a derradeira jornada, a turma gaiense era vice-líder, com um ponto de vantagem sobre o Boavista.
Mesmo não conseguindo o apuramento, ninguém pode tirar mérito a estes jovens, que tudo fizeram para levar o Candal à disputa do título de Campeão Nacional.
Actualmente, os Juniores ocupam um decepcionante décimo terceiro lugar na I Divisão, e somam onze pontos, em onze jogos disputados.

CD Candal: Uma fábrica de talentos

Fundado a 6 de Junho de 1904, sediado no lugar do Candal, freguesia de Santa Marinha, concelho de Vila de Nova de Gaia, o Clube Desportivo do Candal, é conhecido pelos amantes do futebol, como um clube que tem as suas equipas mais jovens, e agora a sénior, a disputar os campeonatos nacionais de futebol.
É, portanto, conhecido como um clube formador, e foi o primeiro clube de Vila Nova de Gaia, a ter um jogador internacional A.
Foi ele, António Soares, que em 1931, se tornou internacional A por Portugal, ao defrontar a Itália, depois de ter representado várias vezes uma Selecção da Associação de Futebol do Porto.
Ao longo dos anos, vários foram os jogadores que chegaram aos palcos primidivisionários, e que foram formados no Candal. Eis alguns exemplos: Abílio (ex FC Porto, Salgueiros, Campomaiorense), Pinheiro (ex Estoril, Belenenses, Trofense, actualmente no Feirense), Manuel José (ex FC Porto, Boavista, e actualmente no Paços de Ferreira) e Nandinho (ex Benfica, Salgueiros, V. Guimarães), são alguns dos exemplos mais recentes do êxito da formação candalense.
Já antes, o Candal tinha "dado" jogadores a clubes como FC Porto, Benfica, Sporting e Boavista.
Actualmente, o clube possuí três equipas nos Campeonatos Nacionais: os Seniores, na III Divisão Nacional Série C, os Juniores e os Juvenis, que disputam ambos a I Divisão Nacional do seu escalão.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Adepto do Rosário Central atirou faca a jogador do Newell's Old Boys.

Se Deus realmente existe, Sebastián Peratta, ainda há-de estar a pensar, que aquilo que lhe aconteceu foi um autêntico milagre divino.
No passado domingo, dia 22 de Novembro, a jogar em casa frente ao Rosário Central, para a Jornada 15 do Campeonato Abertura da Argentina, o Newell's empatou a 2 golos.
Todos sabem, que o futebol sul-americano, é um futebol quente dentro e fora dos relvados, emocional e por vezes muito descontrolado.
Descontrolado estava um adepto do Rosário, quando atirou uma faca na direcção de Sebastián Peratta, guarda-redes da equipa da casa.
A faca não atingiu o guardião, por centímetros, como referiu o próprio Peratta: "A faca passou mesmo ao lado e ficou espetada no relvado. Nunca tinha passado por nada assim. O árbitro percebeu logo o que se tinha passado e entregou a faca à polícia."
O guarda-redes, acrescenta ainda que teve muita sorte, e vai agora olhar o futebol de maneira diferente. "Tive sorte. É que a faca passou mesmo perto de mim."
Só uma pessoa, completamente desiquilibrada e descontrolada emocionalmente para fazer, uma coisa destas.
Recorde-se que neste jogo, os adeptos de ambas as equipas, envolveram-se em violentos confrontos, dentro e fora do recinto desportivo, levando ao ferimento de várias pessoas.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Varzim: Bancada central com falta de segurança.

Como se já não bastasse, a forte crise que atravessa, o Varzim, viu um relatório da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, "chumbar" a bancada poente. Segundo este organismo, a bancada apresenta falta de condições de segurança, sendo desaconselhável a sua utilização.
A avaliação foi feita recentemente, e segundo a LPFP, a infra-estrutura apresenta sinais de degradação, o que coloca automaticamente em causa a segurança dos espectadores.
O relatório, indica a necessidade do Varzim, substituir a cobertura dessa bancada.
Algo, que não deverá ser feito, dado as graves dificuldades financeiras que o clube atravessa, e também porque já está em marcha, o início das obras do novo estádio dos "Poveiros", o que deverá acontecer em 2010.
Está já, agendada uma reunião entre os responsavéis varzinistas, e elementos da Liga, para que seja feita nova análise da situação. O encerramento total ou parcial da bancada poente, é uma das hipóteses que serão colocadas.
Recorde-se, que em 2005, a cobertura da bancada Sul, do estádio do Varzim, teve de ser substituída pelas mesmas razões.

Hannover homenageia Enke.

O Hannover, da Alemanha, vai homenagear Robert Enke até final da presente temporada, colocando um número 1 a negro, junto do símbolo do clube.
Esta situação verificar-se-á nos jogos que a equipa realizar até Maio, depois de a Federação Alemã de Futebol, ter autorizado a mudança que lhe foi solicitada pelos dirigentes do Hannover.
Em comunicado no site oficial, os dirigentes do Hannover agradecem, a compreensão da Federação Alemã, e acrescentam que a ideia partiu do norte-americano, Steve Cherundolo.
Estas "novas" camisolas já foram utilizadas no passado fim-de-semana, no jogo frente ao Schalke 04, mas só agora, a alteração foi oficializada pela Federação.
Robert Enke, ex guarda redes do Benfica, suicidou-se no passado dia 10 de Novembro, vítima de depressão prolongada.
Tinha 32 anos.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Históricos do Nosso Futebol: Farense

Sporting Clube Farense.
Fundado a 1 de Abril de 1910, por João Gralho e outros jovens farenses, o Sporting Clube Farense tem a sua sede em Faro, Algarve.
Sendo até um dos poucos clubes portugueses que nasceu sob o regime monárquico.
Os seus primeiros jogos realizaram-se no "Campo de São Francisco", passando depois pelo "Campo da Senhora da Saúde", antes de se instalar em 1924, no "velhinho" Estádio São Luís.
Estreou-se em competições de âmbito nacional na temporada 1934/1935, na II Liga - Série 8, que disputaria também em 1935/1936.
Disputou depois, durante duas épocas a II Liga - Série 10 (36/37 e 37/38, e a II Liga - Série Algarve nas épocas 38/39, 39/40 e 40/41. Sagrando-se campeão da 2ª Divisão durante dois anos consecutivos (38/39 e 39/40), mas não subiu para a 1ª Divisão, devido a esse campeonato poder ser disputado apenas por clubes de Lisboa e do Porto.
Continuou na 2ª Divisão entre 1941/1942 e 1951/1952, vencendo a sua série nas épocas de 41/42, 43/44 e 44/45.
Acabou por descer na temporada 1951/1952 à 3ªDivisão. Em 52/53 na 3ª Divisão, acabaria por se sagrar campeão, e regressar à 2ª Divisão.
Em 53/54, no ano de regresso à 2ª Divisão, disputou a série C, e obteve o 6º Lugar.
Seguiram-se depois, onze temporadas consecutivas a disputar a 2ªDivisão - Zona Sul. A melhor classificação foi a obtenção de dois 1ºs Lugares, nas temporadas 56/57 e 57/58, e a pior classificação foi obtida em 64/65, e foi o 14º Lugar, que valeu a despromoção do Farense à 3ª Divisão.
Jogou depois, a 3ª Divisão, durante quatro temporadas. Entre 1965/1966 e 1968/1969. Consegue a subida em 1968/1969, e no ano de regresso à 2ª Divisão, volta a ser campeão, e alcança nova subida. Desta vez, ascende à 1ª Divisão Nacional.
Disputou, a 1ª Divisão, durante seis temporadas, tendo como melhor resultado o 7º Lugar em 1973/1974, e como pior o 15º em 1975/1976, que valeu a descida à 2ª Divisão.
Seguiram-se, sete temporadas, a disputar a 2ª Divisão Zona Sul, com a obtenção do 1º Lugar em 1982/1983, que valeu novo regresso à Divisão maior do futebol português.
Esteve, praticamente "de passagem" pela 1ª Divisão, pois acabou por descer ao fim da segunda temporada, em 1984/1985.
Em 1985/1986, o clube, volta a estar "de passagem" por um campeonato, pois domina de tal forma a 2ª Divisão, que acaba por se sagrar campeão, e regressa rapidamente ao primeiro escalão do futebol português.
Seguem-se mais três temporadas na 1ª Divisão, todas elas abaixo do 10º Lugar. 15º em 1986/1987, 12º em 1987/1988, e o 18º Lugar em 1988/1989, que valeu nova descida à 2ª Divisão.
Em 1989/1990, o Farense, faz a melhor época da sua história. Vence facilmente a Liga de Honra, e chega à Final da Taça de Portugal. Simplesmente brilhante.
Esteve, depois, doze temporadas consecutivas, na 1ª Divisão Portuguesa. Tendo como melhor classificação um 5º Lugar em 1994/1995, e como pior o 17º Lugar em 2001/2002 (época da sua última participação).
No regresso à 2ª Liga, obtém o 12º Lugar, mas acaba despromovido, em virtude de problemas financeiros.
Disputou a 2ª Divisão B - Zona Sul em 2003/2004, acabando o campeonato em 17º Lugar, não conseguindo escapar a nova descida de divisão.
Em 2004/2005, na 3ª Divisão - Série F, terminou o campeonato em 14º Lugar.
Esteve depois, uma temporada sem futebol sénior, em 2005/2006, regressando em 2006/2007, nos Distritais da AF Algarve.
Em duas temporadas, conseguiu outras tantas promoções. Na 2ª Divisão Distrital, em 2006/2007, foi campeão com 25 vitórias em 32 jogos.
E em 2007/2008, na 1ª Divisão, foi também 1º classificado, com 70 pontos, mais 7 que o segundo, que foi o Lusitano VRSA.
Em 2008/2009, regressou aos campeonatos nacionais. Disputou a Série F da 3ª Divisão, obtendo o 5º Lugar na 1ª Fase. Disputando, depois, o Play-Off de Promoção à 2ª Divisão B, terminando em 3º, a 8 pontos do 2º, falhando a subida.
Actualmente, também na 3ª Divisão - Série F, ocupa o 3º Lugar, em 8 jogos, somando 15 pontos.
Equipa de camisola branca, calção preto, e meia branca.
Completará 100 anos de vida em 2010, e tem a alcunha de "Os Leões de Faro".

Palmarés do SC Farense:
Campeonato Nacional da 2ª Divisão (ou Liga de Honra): 9 (1938/1939; 1939/1940; 1941/1942; 1943/1944; 1944/1945; 1969/1970; 1982/1983; 1985/1986; 1989/1990)
Campeonato Nacional da 3ªDivisão: 2 (1952/1953; 1968/1969;)
Finalista Vencido da Taça de Portugal: 1 (1989/1990)
Campeão Regional do Algarve: 6 (1914/15; 1917/18; 1921/22; 1933/34; 1935/36; 1937/1938)
Campeão Distrital da 1ª Divisão AF Algarve: 1 (2007/2008)
Campeão Distrital da 2ª Divisão AF Algarve: 1 (2006/2007)
Presenças Europeias: 1 (1995/1996 na Taça UEFA)

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Gustavo Lazzaretti

Gustavo Lazzaretti de Araújo (Gustavo Lazzaretti para o futebol), nasceu em Coritiba - Paraná, no dia 9 de Março de 1984.
Actua como defesa central e veste a camisola número 22 do Vitória de Guimarães.
Formado nas camadas jovens da Juventude Malucelli, integrou a equipa principal na sua primeira temporada como sénior, em 2003.
Foi depois em Junho de 2003, até ao Chelsea, jogando nas reservas dos "Blues" durante a temporada 2003/2004.
Deu-se o regresso ao Brasil, mais concretamente ao Botafogo, realizando trinta e três partidas, marcando um golo.
Regressou à Europa, reforçando a Udinese de Itália. Realizou apenas um jogo, na temporada 2004/2005.
Continuou no país transalpino, mas seguiu para o Treviso da Série B, em 2005/2006, participando em vinte e seis jogos, marcando um golo.
Regressou ao Brasil no ano de 2006, para representar o Atlético Paranaense, clube que representou até 2009.
Em quatro temporadas no Brasileirão, participou em vinte e três jogos, tendo marcado apenas um golo.
Reforçou o Vitória de Guimarães em 2009, tendo até ao momento disputado dez jogos no campeonato,  e marcando um golo, num total de 900 minutos, recebendo quatro cartões amarelos e nenhum vermelho.
Para a Taça de Portugal, tornou-se ontem o "Grande Herói" ao marcar na Luz, o golo que eliminou o Benfica, na sua própria casa.

domingo, 22 de novembro de 2009

Taça de Portugal: Vitória vence na Luz.

Este Domingo, foi dia de Taça de Portugal, e pode-se dizer que houve "Taça". Na Luz, o Benfica, caiu perante um Vitória, muito bem organizado defensivamente e com fortes apostas no contra-ataque. O golo foi de Lazaretti aos 26' minutos.
Outras surpresas foram as eliminações de Académica e Leiria, perante equipas da Liga Vitalis, e a vitória dos Aliados de Lordelo da 2ª Divisão B sobre o Leixões.
O Sporting, até esteve a perder, frente ao Pescadores da III Divisão, mas no segundo tempo "acordou" para a vitória, e venceu por 4-1.
Da Liga Sagres, foram eliminados, além do Benfica: Académica, U. Leiria, Leixões e V. Setúbal.
Nos jogos, entre equipas da mesma divisão, o Braga recebeu e venceu o Setúbal, por 3-0, enquanto o Benfica perdeu com o Vitória de Guimarães por 1-0, isto entre equipas da Liga Sagres.
Mafra e União da Madeira, no único confronto, envolvendo equipas da II Divisão B, empataram a um golo no final do prolongamento, sorrindo a vitória aos mafrenses no desempate por pontapés de grande penalidade.
Ontem, em Oliveira de Azeméis, o Oliveirense - FC Porto, não se realizou devido ao estado da relva. (Ver post anterior.)

Resultados da 4ªEliminatória da Taça de Portugal:

Valenciano (III) 0-1 Belenenses (I)
Oeiras (III) 1-2 Pinhalnovense (IIB)
Camacha (IIB) 1-0 Vigor da Mocidade (III)
Naval (I) 3-2 Gil Vicente (II) - Após Prolongamento
Mafra (IIB) 1-1 União da Madeira (IIB) - 3-2 Após G. P.
Académica (I) 1-1 Beira Mar (II) - 2-4 Após G. P.
Aliados de Lordelo (IIB) 1-0 Leixões (I)
Tirsense (IIB) 0-0 Paços de Ferreira (I) - 9-10 Após G. P.
Freamunde (II) 2-2 U. Leiria (I) - 5-4 Após G. P.
Rio Ave (I) 1-0 Santa Clara (II)
D. Chaves (II) 2-0 União da Serra (IIB)
Nacional (I) 0-0 Fátima (II) - 4-3 Após G. P.
Sp. Braga (I) 3-0 V. Setúbal (I)
Benfica (I) 0-1 V. Guimarães (I)
Pescadores (III) 1-4 Sporting (I)
Oliveirense (II) - FC Porto (I) - Adiado.

sábado, 21 de novembro de 2009

Oliveirense - FC Porto adiado

O jogo de hoje entre a Oliveirense, da Liga Vitalis, e o FC Porto, a contar para a 4ª Eliminatória da Taça de Portugal, foi adiado devido ao estado do relvado.
O árbitro, Bruno Paixão, decidiu que não haviam condições para se disputar a partida, dada a chuva forte que caiu durante toda a manhã e ao início da tarde, que deixou o relvado numa "lástima".
Em Oliveira de Azeméis desde as doze horas, o árbitro disse que só tomaria uma decisão depois do aquecimento dos jogadores ser feito.
E a cerca de cinco minutos do inicio da partida, Bruno Paixão, juntamente com os seus assistentes, decidiu suspender o jogo.
O relvado do estádio Carlos Osório estava impraticável, e no caso de haver jogo, a integridade física dos jogadores, tal como a da equipa de arbitragem, estaria posta em causa.
Da parte dos adeptos do FC Porto, o facto de não haver jogo, agradou, enquanto que do lado da equipa da casa, não agradou, até porque o FC Porto, durante a semana, sempre mostrou o desagrado do jogo se disputar naquele estádio.
Houve a possibilidade da partida se disputar no Estádio do Dragão, mas como as equipas pertencem a Associações diferentes, essa hipótese ficou desde logo posta de parte.
Outra possibilidade era o Estádio Municipal de Aveiro, mas a empresa que gere o recinto, "queria muito dinheiro" disse o presidente da Oliveirense, José Godinho.
O jogo fica, assim, adiado para data ainda indefinida, e o mais certo é realizar-se apenas em 2010.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

A mão da discórdia

Vinte e três anos depois da mão de Maradona no Mundial de 1986, que deu a vitória à Argentina sobre a Inglaterra, as mãos voltaram a decidir um jogo de futebol.
Tudo aconteceu no França - República da Irlanda, quarta-feira 18 de Novembro, em Paris.
O jogo era a contar para o play-off de apuramento para o Mundial 2010, e a Irlanda vencia por 1-0, quando estavam decorridos 104' minutos. Isto é, disputava-se a primeira parte do prolongamento.
A Irlanda, de Giovanni Trapattoni, apresentou-se em campo com dois médios defensivos, controlando o jogo, e apostando no contra-ataque.
Robbie Keane inaugurou o marcador aos 33', e dessa forma empatou a eliminatória (a França tinha vencido na Irlanda, sábado, por 1-0).
Para o segundo tempo, a França continuou a jogar mal, tendo apenas um situação clara de golo, que não foi aproveitada por Gourcuff aos 66' minutos.
Aos 104', já no prolongamento, livre para a França, bola para a grande área, e Henry a controlar a bola com a mão em dois momentos. Depois disto, assistiu Gallas que, tranquilamente, empatou a partida.
O futebol francês continuava a ser muito mau, mas Raymond Domenech lá conseguiu levar de vencida a eliminatória.
Com um golo irregular, a França está no Mundial.
A FIFA e a UEFA rejeitaram, entretanto, o pedido da Irlanda para a repetição da partida.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Beira-Mar: Jogadores anunciam rescisão colectiva

O plantel do Beira-Mar, equipa técnica e jogadores, exigiu ontem o pagamento dos dois meses de salários em atraso até ao final deste mês, sob pena de avançarem com rescisão colectiva dos contratos de trabalho. Em comunicado lido pelo capitão da equipa, Hugo, o plantel explicou que a decisão surgiu não só pelo aspecto financeiro, mas principalmente pela falta de liderança existente no clube, desde que Mano Nunes e a restante Comissão Administrativa apresentou a demissão.
"O grupo decidiu estipular até ao dia 30 de Novembro o prazo para o pagamento dos dois meses de salários em atraso, dia em que se avançará com o pré-aviso de rescisão colectiva de contratos". A rescisão colectiva entrará em vigor dia 8 de Dezembro.
Hugo disse ainda que "o plantel irá manter o mesmo nível de profissionalismo, não recorrendo a greves, ou a faltas de comparência".
Sexta-feira (amanhã, dia 20 de Novembro), Artur Moreira, presidente da mesa, informará os sócios do clube aveirense da sua renúncia ao cargo, depois de, segundo o próprio, ter esgotado todas as possibilidades para encontrar uma solução directiva.
O Beira-Mar ocupa o 4º Lugar na Liga Vitalis, com 16 pontos em 10 jogos.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Portugal no Mundial 2010.

Portugal venceu esta noite a Bósnia, em Zenica, por 1-0, e qualificou-se para o Mundial 2010.
Carlos Queiroz, acreditou, quando mais ninguém acreditava, e é de admirar a capacidade que teve para conseguir sair de um buraco fundo onde Portugal se tinha metido.
Portugal, enfrentou os bósnios, sem o "Mágico" Deco, que cedeu o seu lugar a Tiago, devido a problemas físicos.
No lado bósnio, também foi o "mágico" que ficou de fora. Neste caso, Misimovic, jogando Pjanic como organizador de jogo.
Mais do que o ambiente, o que assustou verdadeiramente os portugueses foi o estado do relvado. Absolutamente deplorável, não dava para jogar, aproveitando os bósnios para fazer jogo directo do princípio ao fim do jogo.
Pjanic, andava ali, a ver jogar, claramente.
Portugal aguentou a pressão inicial, e foi subindo aos poucos no terreno.
Aos 28' Raúl Meireles, furou entre a defesa adversária, e atirou em esforço, valendo a intervenção de Hasagic.
Os bósnios, atacavam muito e mal, tendo Ibisevic efectuado um remate já a beira do intervalo, que passou perto da barra da baliza de Eduardo, que se limitava a ver a bola voar nas imediações da sua área.
No início da 2ª Parte, Portugal demorou a recuperar, mas esteve perto do golo. Desta vez, foi Nani que rematou contra os pés de Hasagic.
Pjanic (quem mais poderia ser), voltou a fazer a bola passar perto da baliza portuguesa.
Mas a noite era nossa, sem dúvida.
Minuto 56' eis o momento do jogo. Ricardo Carvalho alivia a bola, Liedson toca subtilmente de cabeça, colocando o esférico em Nani. Este, ao ver a aproximação de um adversário, mete o pé sobre a bola, simula o remate e serve Raúl Meireles, que estava completamente sozinho. Tal como já nos habituou, o remate de Meireles, foi seco e colocado. Estava resolvida a questão !
Do meio campo para a frente, Portugal fazia mossa, Paulo Ferreira e Duda, estiveram muito acima do que era esperado, enquanto os centrais, limpavam tudo, sem dó nem piedade.
A Bósnia voltou depois ao mesmo.
Usando a força, deixando a arte de lado. Assustou, mas não marcou.
A jogar desta maneira, não merecia estar no Mundial.
Há também, que referir, os desacatos finais, que dão mais uma prova, que os bósnios não estão preparados para disputar uma grande competição. Pelo menos, para já.
Portugal, fez o que tinha a fazer, e saiu de consciência tranquila.

Ficha do Jogo:

Bósnia: Hasagic; Nadarevic, Jahic, Pandza, Bajramovic (Berberovic 83'); Salihovic, Ibricic, Pjanic; Ibisevic, Dzeko e Mendunjanin (Muslimovic 45').
Treinador: Miroslav Blazevic. Suplentes Não Utilizados: Begovic, Mirvic, Mravac, Milenkovic e Damjanovic.

Portugal: Eduardo; Paulo Ferreira, R. Carvalho, Bruno Alves, Duda; Pepe, Tiago e Raúl Meireles; Nani (Edinho 73'), Simão Sabrosa (Deco 80') e Liedson (Miguel Veloso 90').
Treinador: Carlos Queiroz. Suplentes Não Utilizados: Hilário, Rolando, Miguel e Hugo Almeida.
Amarelos: Jahic 26'; Simão Sabrosa 27'; Nadarevic 37'; Dzeko 59'; Salihovic 76' e 77'; Berberovic 92';
Vermelhos: Salihovic 77';
Golos: Raúl Meireles 56';

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Ivan Kaviedes

Jaime Iván Kaviedes Llorenty, mais conhecido por Kaviedes no mundo do futebol, nasceu em Santo Domingo de Los Colorados no Equador, a 24 de Outubro de 1977.
Formado no Emelec, estreou-se pela equipa principal, aos 18 anos, corria o ano de 1995.
Entre 1995, 1996 e 1997, Kaviedes participou em 22 jogos, marcando 4 golos.
Em 1998, "explodiu" de vez para o futebol, e em 37 jogos marcou 42 golos.
Embarcou para Itália no Verão de 1998, rumo ao Perugia, onde viria a efectuar 14 jogos, marcando 4 golos.
Seguiu depois para o Pumas na temporada 1999/2000, onde em 17 jogos, marcou 4 golos.
Em Janeiro de 2000 regressou à Europa, mais concretamente, ao Celta de Vigo de Espanha, acabando por efectuar apenas 5 jogos.
Na temporada 2000/2001, acabou emprestado ao Valladolid, onde em 23 jogos, apontou 6 golos, sendo um deles nomeado para melhor golo do ano. Foi um pontapé de bicicleta frente ao Barcelona.
Em 2001/2002, começou no Celta, mas nunca foi opção, sendo novamente emprestado em Janeiro de 2002. O seu destino foi o FC Porto.
Acabou apenas por realizar uma única partida, e foi para a Taça de Portugal.
Jogaria ainda no decorrer da época 2001/2002, no Barcelona Guayaquil do Equador, onde participou em 8 jogos, marcando 4 golos.
Em 2002/2003, começou novamente no Celta de Vigo (apenas um jogo realizado), acabando emprestado ao Pumas do México. 17 jogos, 4 golos, foi o saldo da sua segunda passagem por aquele clube mexicano.
Em 2003, representaria ainda, o LDU Quito, do seu país natal, participando em 10 jogos, marcando 2 golos.
Em 2004, manteve-se no seu país natal, representado novamente o Barcelona Guayaquil. Em 19 jogos, apontou 9 golos.
Acabou a temporada 2004/2005, no Crystal Palace, de Inglaterra, fazendo apenas 4 jogos, não marcando qualquer golo.
Em 2005, novo regresso ao Barcelona Guayaquil. 19 jogos, e 4 golos, na sua terceira passagem pelo Barça equatoriano.
Seguiu, na segunda metade da época, para o Argentinos Juniors, da Argentina, onde em 13 jogos, marcou apenas 1 golo.
Em 2006, deu-se o terceiro regresso ao Barcelona Guayaquil, desta vez, participou apenas em 5 jogos, marcando 1 golo.
Saíu depois, para o El Nacional, também do Equador, marcando 14 golos, em 34 jogos.
Em 2008, regressou a LDU Quito, participando em 2 jogos, marcando 1 golo.
A última vez, que este goleador, pisou um relvado de futebol num jogo oficial, foi em Setembro de 2008. Ou seja, já lá vai mais de um ano.
Em Setembro de 2009, "El Nine" bateu mesmo no fundo. Em completo desespero, pediu ajuda aos seus amigos, e deu entrada numa clínica de reabilitação.
Álcool, drogas, e depressão, foram as causas.
"El Nine" não teve uma infância fácil. Perdeu, os País, aos 6 anos de idade, quando estes morreram num acidente de viação.
Ficou ao cargo, da sua avó, mas a imprensa equatoriana, garante que este nunca superou a morte dos País.
Entrou na "Clínica Nueva Luz" em Guayaquil, e segundo o coordenador desta mesma clínica, Kaviedes mostrou o forte desejo de mudar.
O melhor marcador mundial de 1998, que deu nas vistas nos Mundiais 2002 e 2006, e que desiludiu nas Antas sucumbiu na parte final, da sua já longíqua carreira.
Ao serviço da sua selecção, Kaviedes, realizou até ao momento, 53 jogos, e marcou 17 golos.
Passou o seu 32º aniversário, na clínica de reabilitação.
É triste, mas é a realidade.
O Equador, não se esquece de "El Nine", que é também conhecido por usar a máscara do "Homem Aranha", nos festejos dos seus golos.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Dragão de parabéns.

Faz hoje 6 anos, que o Estádio do Dragão, casa do FC Porto, foi inaugurado.
No jogo de inauguração, o FC Porto venceu o Barcelona por 2-0, servindo este jogo de "baptismo" a Leonel Messi, que se estreou na equipa principal do Barça.
Em 6 anos de vida, este estádio já recebeu por cinco vezes os festejos do título por parte do FC Porto.
Desenhado pelo arquitecto Manuel Salgado, e construído para substituir o mítico Estádio das Antas, o Dragão ficou sobretudo marcado pelos conflitos pessoais e institucionais entre Pinto da Costa e Rui Rio, que motivaram sucessivos atrasos e paragens na construção.
Apesar de tudo, o recinto ficou pronto quase um ano antes do Euro 2004. Problemas iniciais com o relvado foram adiando a estreia do FC Porto na sua nova casa.
O Primeiro jogo oficial, foi frente à U. Leiria, no dia 7 de Fevereiro de 2004, e os dragões venceram por 2-1, com golos de Maniche (o 1º jogador a marcar em provas oficias no Dragão) e Maciel. Freddy foi o primeiro jogador adversário do FC Porto, a marcar no "novo" estádio.
O Dragão recebeu ainda o primeiro jogo do Euro 2004, numa partida em que Portugal foi derrotado frente à Grécia por 2-1.
Antes, recebeu os festejos do FC Porto campeão europeu, no regresso da final de Gelsenkirchen.
Foi também, num jogo da Liga dos Campeões, que se deu a maior enchente até hoje do estádio: 50 818 espectadores presenciaram ao vivo, a 1ª mão da meia final entre FC Porto e Deportivo da Corunha.
A média actual, de espectadores por jogo, é de 37 mil, num estádio que já recebeu mais de cinco milhões de adeptos de futebol.
Sendo o Dragão, um estádio multifuncional, ao ponto de ter recebido eventos tão distintos como o mega concerto dos Rolling Stones, ou a recente Corrida dos Campeões.
A construção do estádio custou 98 Milhões de Euros, e a empresa encarregue da construção foi a Somague.
A lotação oficial do estádio, é de 50 948 lugares, e tem em Lisandro o seu melhor marcador, com 36 golos.
Em 127 jogos disputados no Estádio do Dragão, o FC Porto venceu 87, empatou 27, e perdeu 13.
A primeira vez que recebeu a minha visita, foi em Junho de 2004, numa visita guiada efectuada ao Estádio.

Morreu Antonio De Nigris.

Uma semana depois da morte de Robert Enke, o futebol está novamente de luto.
Antonio De Nigris, futebolista internacional mexicano, actualmente ao serviço do Larissa, da Grécia, morreu ontem, devido a um ataque cardíaco.
O jogador faleceu a caminho do Hospital, para onde foi transportado, depois de a sua esposa, ter chamado os serviços de urgência.
Antonio De Nigris Guajardo, mais conhecido por De Nigris, nasceu a 1 de Abril de 1978, em Monterrey (México), e era avançado.
Formado no Monterrey, chegou a equipa principal em 1999, onde permaneceu até 2002. Nesse período de tempo, participou em 65 jogos, marcando 37 golos.
Saiu no ano, de 2002, rumo ao Club América também do México. Participou apenas em 3 partidas, não marcando qualquer golo.
Em Janeiro de 2003, reforçou o Villarreal de Espanha, fazendo 15 jogos, e 2 golos.
Em 2003/2004, jogou no Poli Ejido, da 2ªDivisão Espanhola, participando em 31 jogos, e marcando apenas 2 golos.
Saiu, depois, rumo ao Once Caldas, da Colômbia, onde disputou a Taça Intercontinental frente ao FC Porto, chegando mesmo a marcar no desempate por grandes penalidades.
No tempo, que representou o Once Caldas, marcou apenas 1 golo em 19 partidas.
Regressou, em 2005, ao seu país, para representar o Puebla. Em 13 jogos, marcou apenas 1 golo.
Jogou depois, no Pumas (15 jogos e 2 golos), saíndo em 2006, para o Santos do Brasil.
Participou apenas em 3 jogos, marcando 1 golo.
Saiu para o Gaziantepspor da Turquia, onde jogou uma temporada e meia.
Em 2006/2007, em 24 jogos apontou 7 golos. Em 2007/2008, em 15 jogos, apontou 8 golos.
Saiu a meio da temporada rumo ao Ankaraspor. Clube que representou durante cerca de um ano, pois em Janeiro de 2009, reforçou o Ankaragücü, também da Turquia.
Ao serviço, do Ankaraspor, em 25 jogos, marcou 7 golos, já no Ankaragücü em 14 jogos, apontou 2 golos.
Em Junho de 2009, tornou-se reforço do Larissa, clube onde acabaria por encerrar a carreira tragicamente.
Representou os gregos, por 7 vezes.
Pela Selecção Mexicana, De Nigris, jogou 16 partidas, apontando 4 golos.
A sua estreia, deu-se contra o Brasil, num jogo particular disputado em Março de 2001, onde De Nigris fez também o seu primeiro golo pela selecção, num jogo que terminou empatado a 3 golos.
Envio as minhas condolências à familia do jogador.

domingo, 15 de novembro de 2009

Carlos Carvalhal no Sporting.

Carlos Carvalhal é o novo treinador do Sporting.
Nascido em Braga, a 4 de Dezembro de 1965, Carlos Augusto Soares Faria, mais conhecido por Carvalhal, teve a sua primeira experiência como treinador ao serviço do Sporting de Espinho, na temporada 1998/1999 então com 32 anos, levando os "Tigres da Costa Verde" ao 7º Lugar na Liga de Honra.
Permaneceu no clube, para 1999/2000, acabando por sair ao fim de 10 jogos, rumando ao Freamunde, também na Liga de Honra.
Em 2000/2001, assumiu as rédias do Vizela, da 2ª Divisão B, mas pouco tempo lá ficou. Saiu para o Desportivo das Aves, que se estreava na 1ª Liga. Em 21 jogos, Carvalhal venceu apenas 2, e empatou 8.
Em 2001/2002, tem uma das melhores épocas da sua carreira.
Ao serviço do Leixões, na 2ªDivisão B, levou os "Bebés do Mar" à final da Taça de Portugal, onde perdeu com o Sporting por 1-0. Tinha 36 anos de idade.
Na temporada, 2002/2003, alcançou outro feito histórico. Participou na Taça UEFA, sendo o Leixões o primeiro clube português a jogar na 2ª Divisão B, a participar numa prova europeia.
Treinou, depois o Vitória de Setúbal, na 2ª Liga, levando os "Sadinos" ao 2º Lugar, conseguindo a subida para a 1ª Liga.
Orientou, o Belenenses, durante cerca de um ano e meio. Completou a temporada 2004/2005, obtendo o 9º Lugar final, e em 2005/2006, acabou por realizar apenas 8 partidas.
Em 2006/2007, treinou mais dois clubes. Começou pelo clube da sua terra, o Sporting de Braga, realizou 9 jogos no campeonato, obtendo 4 vitórias, 2 empates e 3 derrotas.
Treinou depois o Beira-Mar, também na Primeira Liga, mas durou pouco a experiência em Aveiro. Em 5 jogos, empatou 2 e perdeu 3.
Em 2007/2008, "pega" novamente no Vitória de Setúbal, e com um orçamento muito apertado, leva o clube ao 6º Lugar final.
Mais, só caiu na Taça de Portugal perante o Campeão FC Porto, e venceu a Carlsberg Cup, ao derrotar na final, o Sporting, após o desempate por grandes penalidades.
Em 2008/2009, recebe o tão ansiado convite do estrangeiro.
O clube em questão, é o Asteras Tripolis, da Grécia.
Mais uma vez, as coisas não correm bem a Carvalhal, que ao fim de 8 jornadas, conquistou apenas uma vitória, e quatro empates, além de ter somado tres desaires.
Não aguentou, e saiu.
Acabaria a temporada, ao serviço do Marítimo, realizando 11 jogos, somando apenas uma vitória, além de cinco empates e outras tantas derrotas.
Começou, a presente temporada, também no conjunto madeirense, mas ao fim de 6 jogos, e com apenas 5 pontos somados (fruto de uma vitória e dois empates) acabou afastado do cargo.
Assina, agora com o Sporting, até ao final da temporada.

sábado, 14 de novembro de 2009

Sérgio Conceição termina carreira.

Ponto final na carreira de Sérgio Conceição.
O ex jogador do FC Porto, terminou ontem na Grécia, ao serviço do PAOK, uma carreira que durou 16 anos e que começou em 1993 ao serviço do Penafiel.
Sérgio Paulo Marceneiro Conceição, Sérgio Conceição no mundo do futebol, nasceu em Coimbra, a 15 de Novembro de 1974 (completará amanhã 35 anos).
Foi no clube da sua cidade, a Académica, que começou a jogar futebol. Representou a "Briosa" até aos Juvenis, saíndo para os Juniores do FC Porto em Agosto de 1991.
Completou então, a sua formação no FC Porto, que o emprestou ao Penafiel, no seu primeiro ano de sénior. Participou em 30 jogos e marcou 2 golos, ajudando os penafidelenses a segurarem-se no segundo escalão do futebol português.
Na temporada seguinte, continua na Liga de Honra, desta vez, ao serviço do Leça. Em 24 jogos, apontou 3 golos e ajudou o clube a sagrar-se campeão.
Em 1995/1996, dá-se a sua estreia na 1ªLiga. Acaba por ser novamente emprestado, desta vez ao Felgueiras, que também se estreava na 1ªLiga. Participa em 30 jogos e marca 4 golos, contudo, isto não bastou para que o clube permanecesse no primeiro escalão.
As coisas correm mal ao clube, mas não a Conceição que em 1996/1997, consegue a tão desejada opurtunidade de integrar a equipa principal do FC Porto.
No campeonato, pela mão de António Oliveira, participa em 26 jogos e marca 1 golo. Na Liga dos Campeões, 7 jogos e nenhum golo marcado.
Recordo que nesta temporada, Sérgio Conceição, alinhou mais vezes como defesa-direito, do que como extremo-direito, que era a sua posição de raiz.
Em 1997/1998, vive um dos melhores momentos da sua carreira. Participa em 30 jogos e marca 8 golos, levando o FC Porto à conquista do Tetra Campeonato.
Na Liga dos Campeões, participou apenas em quatro partidas.
No Verão de 1998 sai para a Lázio de Roma, a troco de 10 Milhões de Euros.
A sua estreia pelo conjunto "laziale" não podia ser melhor. No jogo da Supertaça, no Estádio Delle Alpi, contra a equipa da casa, a Juventus, Sérgio Conceição marca aos 90+3' minutos o golo da vitória. O jogo terminou 2-1 a favor da Lázio.
No campeonato, 33 jogos e 5 golos, conquistando ainda a Taça das Taças.
Em 1999/2000, mantém-se na Lázio e faz mais uma boa época. Participou em 30 jogos e marcou 2 golos, ajudando assim a formação romana na conquista do "Scudetto".
No Verão de 2000, dois anos depois da sua chegada a Roma, é vendido contra a sua vontade ao Parma.
Ao serviço do conjunto parmesão, em 25 jogos, marcou 5 golos, levando o clube ao 2º lugar final no campeonato.
As suas boas exibições, despertaram a cobiça de um dos colossos italianos, o Inter de Milão.
Jogou duas temporadas no Inter. A primeira em 2001/2002, onde fez 23 jogos e marcou apenas 1 golo.
A segunda em 2002/2003, onde participou em 19 jogos, não marcando qualquer golo.
No final da temporada, o seu vínculo termina e regressa novamente à Lázio. Participa em 7 jogos e sai em Janeiro de 2004.
O seu próximo passo é regressar a Portugal, tornando-se reforço do FC Porto de Mourinho.
Não pode ajudar a equipa nas suas conquistas europeias, pois já tinha participado pela Lázio na mesma temporada, mas a nível interno, participa em 11 jogos para o campeonato, levando o FC Porto à conquista do Bi Campeonato.
Acaba por abandonar o clube no fim da temporada, rumo ao Standard de Liège da Bélgica.
Em três temporadas no futebol belga, venceu o prémio de Jogador do Ano em 2005, conseguiu um 2º Lugar no campeonato em 2005/2006, e dois terceiros lugares nas temporadas 2004/2005 e 2006/2007.
Pelo meio foi protagonista de um caso muito polémico.
Cuspiu um adversário seu e, quando admoestado com o cartão vermelho pelo árbitro da partida, Sérgio Conceição, atirou-lhe a sua camisola. Feito que lhe valeu alguns meses de suspensão.
Rumou depois em 2007, ao Al Qadisiyah, do Kuwait.
Sérgio Conceição não se adaptou, segundo o próprio, devido à falta de profissionalismo daquele país. Realizou apenas 10 jogos.
Em Janeiro de 2008, reforçou o PAOK da Grécia. Realizou apenas 7 partidas, entre Janeiro e Maio.
Em 2008/2009, participou em 28 jogos, marcando 5 golos. Enquanto na Taça da Grécia, participou em 3 jogos, marcando 1 golo.
Esta temporada, já somava 6 jogos no campeonato e zero golos marcados.
Ao serviço da Selecção A de Portugal, Sérgio Conceição, soma 56 internacionalizações,e 12 golos marcados, estando ainda na memória de todos os portugueses, o hat-trick que apontou frente à Alemanha no Euro 2000, numa vitória portuguesa por expressivos 3-0.
Estreou-se com a camisola das Quinas, frente a Ucrânia num particular disputado em Novembro de 1996, que Portugal venceu por 1-0. O seu último jogo na Selecção, foi frente à Espanha, numa derrota por 3-0.
Ao serviço da Selecção sub-21, participou em 7 jogos e marcou um golo.
Terminada que está a carreira de futebolista profissional, Sérgio Conceição, assume agora o cargo de director-desportivo do PAOK.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Benfica ? Nós é que somos o melhor ataque da Europa !

Se você pensa, que o Benfica é o melhor ataque da Europa, pois bem, está enganado.
É certo, que o Benfica leva já 31 golos marcados, em 10 jogos efectuados no Campeonato.
A equipa orientada por Jorge Jesus, é dona e senhora de uma marca estupenda, e não tem adversário à altura nos restantes campeonatos europeus.
Mas, em Portugal, há uma equipa que faz melhor.
E essa equipa é...o Campomaiorense. Em 7 jogos, na 1ªDivisão Série A da AF Portalegre, a turma alentejana já facturou por 32 vezes.
Em conversa com o MaisFutebol, o vice-presidente Nuno Travassos, em jeito de provocação e em tons de brincadeira diz: "Nós somos melhores que o Benfica, Nós é que somos o melhor ataque da Europa !"
Este clube que já viveu dias de glória nos patamares cimeiros do nosso futebol, continua a ter os seus dias felizes, apesar de agora competir nos campeonatos distritais, .
O maior goleador do clube, é Jorginho. Aos 34 anos, e depois de duas temporadas inactivo, decidiu regressar ao clube onde passou seis épocas (entre 1996/1997 e 2001/2002), e viveu dias de glória, assim como dias de tristeza, e já soma 8 golos.
"Estive dois anos parado mas fiz sempre desporto. Continuo sequinho, sem gordura e rápido. Quer dizer, rápido para os meus 34 anos. Fiz cinco golos num jogo e tive de parar, senão marcava mais. A equipa é nova, tem muita qualidade e temos condições de profissionais. No que depender dos jogadores, é para subir. Depois depende da direcção. O futebol para mim já só é um hobby", disse Jorginho ao MaisFutebol.

Históricos do Nosso Futebol: Campomaiorense

Fundado a 1 de Julho de 1926, o Sporting Clube Campomaiorense, sediado na cidade de Campo Maior, distrito de Portalegre, teve como primeiro presidente, Domingos António Rabiais.
Os registos da primeira participação do clube em competições de nível nacional remontam à longínqua época de 1945/1946. Na altura, o clube participou na II Divisão - Série 13, uma série composta por 6 clubes. Além do Campomaiorense, participavam ainda mais dois históricos, o Sp. Covilhã e o B. C. Branco, e ainda o Portalegrense, o Covilhanenses e o Casa do Povo. Em 10 jogos, o Campomaiorense foi 3º, com 11 pontos.
Em 1946/1947, disputou a II Divisão - Série 14, juntamente com mais três equipas. Foram elas, os Elvenses, o Juventude de Évora e o Portalegrense. O Campomaiorense, não foi além do 4º e último lugar com 0 pontos.
E, na temporada 1947/1948, participou na II Divisão - Série D, onde enfrentou clubes como Portimonense, e Desportivo de Beja, além de ter encontrado o Portalegrense pela 3ª época consecutiva.
Acabou em 6º lugar, num grupo de 8 equipas, e terá sido despromovido aos campeonatos distritais, pois só em 1950/1951, o Campomaiorense voltou a disputar uma prova de caractér nacional (II Divisão - Série D), tendo pela frente clubes como Portimonense e D. Beja (mais uma vez), e ainda Farense e Lusitano VRSA.
Seguiram-se depois duas temporadas na III Divisão. Primeiro, em 1951/1952, na 6ªSérie, depois em 1952/1953, na 7ªSérie.
Mais uma temporada fora dos Nacionais, e um novo regresso em 1954/1995, novamente na 7ªSérie da III Divisão.
Novamente, de fora do panorama nacional, desta vez em 1955/1956. Regressou, em 1956/1957, para a 7ªSérie da 3ªDivisão.
Seguiram-se mais duas épocas, fora dos Nacionais, e um novo regresso em 1959/1960 à 3ªDivisão. Competição, que disputou em 1960/1961, atingindo a fase final, e ascendendo assim à 2ªDivisão - Zona Sul, competição que disputou em 1961/1962, e onde não conseguiria a manutenção.
Em 1962/1963, competiu na 3ªDivisão - 5ªSérie.
Depois dessa época, só volto a encontrar registos do Campomaiorense nos Nacionais, na temporada 1970/1971, na 3ªDivisão Série C, onde não foi além de um 15º lugar, que lhe valeu a despromoção aos Distritais.
Esteve então um ano afastado dos Campeonatos Nacionais, regressando em 1972/1973, para só em 2002 abandonar o panorama nacional do futebol português.
Foram 30 anos, a espalhar o nome do clube pelo País.
Disputou a 3ªDivisão entre 1972/1973 e 1989/1990, alternando entre as séries C, D e E. Tendo como melhor registo entre esses 18 anos, o 3º lugar conseguido, em 1974/1975, e como pior os três 12ºs lugares (1972/1973; 1973/1974; e 1983/1984).
Disputou depois, a 2ªDivisão B, apenas por duas épocas. Primeiro, em 1990/1991, atingiu um magnífico 2º lugar na Zona Sul, e em 1991/1992, sagrou-se vencedor da Zona Centro, ascendendo à Liga de Honra.
Seguiram-se três temporadas no segundo maior escalão do futebol português, e sempre em crescimento. 15º Lugar em 1992/1993, 9º lugar em 1993/1994, e 3º lugar em 1994/1995.
1995/1996, temos a estreia dos alentejanos na 1ªDivisão Portuguesa.
Num plantel onde à primeira vista saltam os nomes de Beto (esse mesmo, ex capitão do Sporting), Jimmy Hasselbaink (ex Chelsea, At. Madrid entre outros) e Paulo Torres (campeão do Mundo em Riade em 1989), as dificuldades eram como seriam de esperar, acrescidas, e o Campomaiorense ficou-se pelo 17º lugar, e consequente descida à Liga de Honra.
O Clube, disputa assim a Liga de Honra em 1996/1997, e não dá hipótese à concorrência, sagrando-se campeão com 62 pontos, mais três que o 2º classificado, o Varzim.
Seguiram-se depois, quatro temporadas na 1ªLiga. Um 11º lugar, em 1997/1998, dois 13ºs lugares, em 1998/1999 e 1999/2000, e finalmente, um 16º lugar em 2000/2001, que culminou na descida do clube.
Em 2001/2002, na 2ªLiga, dá-se a última época do clube a nivel profissional. Termina em 10º lugar o campeonato, depois de ter realizado uma época tranquila.
Mesmo assim, o presidente, João Nabeiro, entende que o clube, não tem condições para continuar nos campeonatos profissionais, e que esta seria a melhor solução para todos, se querem ter o clube de boa saúde desportiva e financeira num futuro próximo.
O regresso do futebol sénior ao Campomaiorense, dá-se na temporada 2005/2006, aquando da inscrição do clube nos campeonatos distritais da AF Portalegre.
Daí para cá, o clube tem feito boas participações, e actualmente é líder da Série A da 1ªDivisão, com 7 vitórias, quando estão 7 jogos disputados.
Conhecido como o clube do "Galgo", ou então devido a ter estampado nas suas camisolas o patrocínio dos "Cafés Delta" nos tempos em que andou pela 1ªLiga, o Campomaiorense continua a disputar os seus jogos caseiros no Estádio Capitão César Correia, e as suas cores são: camisola verde e branca (ás riscas - de forma horizontal), calção preto e meia verde.

Palmarés do SC Campomaiorense:
Campeonato Nacional da 2ªLiga (ou Liga de Honra): 1 (1996/1997)
Campeonato Nacional da 2ªDivisão B: 1 (1991/1992)
Campeonato Nacional da 3ªDivisão: 1 (1960/1961)
Finalista Vencido da Taça de Portugal: 1 (1998/1999)
Campeonato Distrital da AF Portalegre: 1 (1945/1946)
Campeonato Distrital de Reservas da AF Portalegre: 2 (1981/1982; 1990/1991)
Vencedor da Taça de Honra da AF Portalegre: 2 (1979/1980; 1983/1984)

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

João Tomás

João Henrique Pataco Tomás, nasceu em Oliveira do Bairro, a 27 de Maio de 1975.
Conhecido no mundo do futebol por João Tomás, fez toda a sua formação no clube da terra, o Oliveira do Bairro SC.
Acabaria por não ficar na equipa sénior, rumando ao Aguinense na temporada 1994/1995, que competia nos Distritais da AF Aveiro.
Em 1995/1996, saiu para o "vizinho" Anadia da III Divisão Nacional. Deu de tal maneira nas vistas, que o seu clube seguinte, foi a Académica de Coimbra, que competia na Liga de Honra.
Participou em quinze jogos, e apontou um golo na temporada 1996/1997, ajudando a "Briosa" a regressar àI Divisão
Ainda em Coimbra, completou duas temporadas no primeiro escalão. A primeira em 1997/1998: 28 jogos; sete golos. A segunda em 1998/1999: 21 jogos e um golo, numa época em que a Académica acabou mesmo por descer de divisão.
Em 1999/2000 de regresso à II Liga, ficou apenas até Janeiro na Académica. Fez dezassete jogos, e apontou dezanove golos. Absolutamente fantástico.
Em Janeiro de 2000, disputado por FC Porto e Benfica, preferiu os encarnados.
Apontado como uma das promessas do futebol benfiquista e português, acabou por realizar nove partidas, marcando dois golos no Campeonato.
Na temporada seguinte, dos trinta e um jogos em que participou, apontou dezassete golos de Águia ao peito.
Em 2001/2002, fracasso total. Realizou apenas um jogo (13' minutos), e em Janeiro de 2002, saiu rumo a Espanha, mais concretamente ao Bétis de Sevilha, a troco de 8 Milhões de Euros, onde realizou vinte e um jogos, e apontou sete golos.
Em 2002/2003, sucessivas lesões tiraram-lhe opurtunidades na equipa sevilhana. Realizou somente onze jogos, não marcando qualquer golo.
Em 2003/2004, acabaria por rumar ao Vitória de Guimarães, por empréstimo. Fez vinte jogos, e marcou apenas três golos.
Seguiu-se depois uma ligação ao Sp. Braga de quatro temporadas. 2004/2005: 29 jogos, 12 golos; 2005/2006, 30 jogos, 15 golos.
Em 2006/2007, rumou por empréstimo ao Qatar. Primeiro, ao serviço do Al-Arabi: dezassete jogos, oito golos.
Depois, no Al-Rayyan, que impressionado pelo nível das exibições de João Tomás ao serviço do Al-Arabi, quis contar com os serviços do internacional luso, realizou nove jogos, e apontou oito golos.
Na última época de ligação ao Braga, em 2007/2008, participou em dez jogos, marcando um golo.
Em 2008/2009, regressa à Liga de Honra. Competição, onde já não jogava à oito anos.
Rumou ao histórico Boavista, realizando vinte e oito jogos, apontando doze golos, não conseguindo salvar a equipa da descida. Não marcou presença no último jogo do campeonato, por ter visto o 5º amarelo na ronda anterior.
Para esta época, regressou à I Divisão, mais concretamente para o Rio Ave. Actualmente, no Campeonato, em nove jogos, leva já cinco golos apontados, destacando-se o "bis" no passado fim-de-semana ao Sporting.
Internacional A por quatro ocasiões (tem um golo), e internacional B por duas ocasiões, João Tomás, acredita ainda que vai voltar a representar Portugal, pois sente que ainda pode ser útil.
"Eu sinto que posso ser útil à Selecção. Enquanto jogar futebol vou sempre sonhar em lá voltar" disse o goleador recentemente.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Real Surpresa !

O Real Madrid, está fora da Taça do Rei. Apesar de ter vencido em sua casa o Alcorcón da 2ªDivisão B Espanhola, com um golo de Van der Vaart aos 81' minutos, os "merengues" acabaram afastados pois foram goleados por 4-0 aquando da sua visita ao terreno do Alcorcón.
Sim, viu bem. 4-0, contra uma equipa da 2ªB, que revelou grande companheirismo, e humildade.
Ficha do jogo da 1ªMão:
AD Alcorcón: Juanma; Nagore: Borja Gómez; Íñigo López; Rubén Anuarbe; Rubén Sanz; Fernando Béjar (Carmelo 74'); Ernesto (Jeremy 64'); More; Perez Borja e Cascón.
Treinador: Juan Antonio Anquela.
Na 1ªMão, o Real apresentou um onze, diferente do habitual e com poucas rotinas de jogo (nos casos de alguns jogadores.)
Jogaram: Dudek; Arbeloa; Metzelder; Raúl Albiol; Drenthe; Guti (Gago 47'); Granero (Marcelo 62'); M. Diarra; Van der Vaart, Benzema e Raúl (Van Nistelrooy 71').
Treinador: Manuel Pellegrini.
Amarelos: Nagore 7'; Guti 43'; Raúl Albiol 61'; M. Diarra 78'; Juanma 93';
Golos: Borja Gómez 15'; Arbeloa 21' (auto-golo); Ernesto 40'; Borja Gómez 52';
Para o jogo da 2ªMão, Manuel Pellegrini apostou numa equipa mais "experiente" e mais rotinada.
Real Madrid: Dudek; Lass Diarra (Marcelo 70'); Pepe; Arbeloa; Raúl Albiol; Gago; M. Diarra (Van der Vaart 47'); Higuaín; Kaká; Raúl e Van Nistelrooy;
Manuel Pellegrini tinha ainda no banco: Adán; Garay e Granero.
AD Alcorcón: Juanma; Nagore; Íñigo López; Borja Gómez; Rubén Anuarbe; Sergio Mora; Rubén Sanz; Fernando Béjar (Vara 73'); Cascón (Carmelo 57'); Perez Borja (Jeremy 78') e Ernesto;
Juan Antonio Anquela, tinha como outras opções: Eladio; Sergio; Bravo e More.
Amarelos: Raúl Albiol 34'; Nagore 40'; Rubén Sanz 65'; Kaká 77;
Golos: Van der Vaart 81';
E assim, o modesto Alcorcón, que ocupa o 5ºLugar da 2ªDivisão B G2, com 19 pontos, eliminou o colosso Real Madrid.
Mais uma vez, está provado que ter grandes jogadores e muito dinheiro, por vezes isso de nada vale no futebol.
Parabéns Agrupación Deportiva Alcorcón !

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Morreu Robert Enke

Robert Enke, morreu hoje aos 32 anos.
O magnífico guardião, foi encontrado morto numa passagem de nível em Neustadt, pela polícia alemã, e confirmou-se o pior: Enke suicidou-se.
O antigo jogador do Benfica sofria de graves depressões, depois de ter perdido a filha Lara de apenas dois anos, em 2006, devido a uma má-formação cardíaca.
Enke deixou uma carta à família e aos amigos, pedindo desculpas por não ter falado de nada.
Robert Enke nasceu a 24 de Agosto de 1977, em Jena (Alemanha). Formado no clube local, o Carl Zeiss Jena, ingressou em 1996/1997 no Borussia Mönchengladbach, onde ficou mais duas temporadas (1997/1998 e 1998/1999).
Seguiu-se depois uma das melhores fases da sua carreira. Ingressou no Benfica em 1999/2000, onde ficou até 2001/2002. Ao serviço dos encarnados, foi sempre títular indiscutível, pois realizou vinte e seis jogos em 1999/2000 e 2000/2001; e vinte e cinco em 2001/2002.
Em 2002/2003 seguiu para o Barcelona, mas não foi muito feliz, acabando por realizar apenas um jogo.
Em 2003/2004, foi emprestado pelo clube catalão ao Fenerbahçe da Turquia, mas não se adaptou, acabando por realizar, também apenas um jogo.
Em Janeiro de 2004, seguiu também por empréstimo, para o Tenerife da II Divisão Espanhola, realizando nove jogos.
De Setembro de 2004 até aqui, representou sempre o Hannover, do seu país natal.
Realizou trinta e quatro jogos nas temporadas, 2004/2005, 2006/2007 e 2007/2008; trinta e dois em 2005/2006; e apenas vinte e quatro em 2008/2009.
Esta temporada, realizou cinco jogos, e voltou a competição no fim de semana de 31 de Outubro, frente ao Colónia, pois esteve lesionado cerca de dois meses.
Despediu-se do futebol, neste último fim de semana, frente ao Hamburgo, num empate a dois golos.
Enke tinha 32 anos, media 1.85, pesava 80 kg, e somava já 8 internacionalizações A pela selecção Alemã.
É uma perda enorme para o futebol, deste Senhor que em 2008 disse nunca ter esquecido o Benfica e até tinha ambições de um dia voltar:
"Sim, claro, sempre. O Benfica é o meu clube, em Portugal, e quem sabe, talvez um dia regresse, dentro de três ou quatro anos. Talvez, talvez."
Até Sempre Enke!

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Violência no futebol português. (Capítulo II)

Este caso de violência no futebol português, é bem mais recente.
Na semana anterior, no dia 1 de Novembro de 2009, disputava-se a jornada nove, da 1ªDivisão Série 1 da AF Porto.
Frente a frente, os dois primeiros classificados, Custóias e Salgueiros 08.
O Custóias, líder da prova, com 20 pontos, até entrou melhor, e inaugurou o marcador por intermédio de Palheira aos 28' minutos.
A reacção salgueirista, só se deu na 2ªParte, e logo aos 48', o ex júnior do Leixões, Quim Simões restabeleceu a igualdade.
Seria, o mesmo Quim Simões, aos 85' a dar a vitória ao Salgueiros, fazendo o 1-2. Num lance em que parece haver falta do avançado salgueirista, na minha opinião, não há qualquer falta, e muito menos me parece ter havido fora de jogo.
O pior veio depois. Quando os jogadores do SC Salgueiros 08, festejavam a vitória da sua equipa, os jogadores do Custóias tiveram atitudes provocatórias, provocando alguns desacatos.
Já depois, da expulsão de Luisão, central do Custóias, que passou entre outros por V. Guimarães e Desp. Chaves, Paulo Ribeiro, também jogador do Custóias, decidiu agredir o árbitro da partida, Carlos Dias, com uma cabeçada.
Em declarações ao MaisFutebol, o jovem árbitro portuense, disse: «Tudo o que aconteceu está no meu relatório. Lamento tudo o que aconteceu», escusando-se a fazer mais comentários.
Da parte, do Custóias, e também ao MaisFutebol, o responsável pelo futebol do clube, Joaquim Arnaldo, disse que tudo isto resultou de uma decisão que não terá agradado aos jogadores matosinhenses. «O segundo golo do Salgueiros, aos 86 minutos, é alcançado em nítido fora-de-jogo. Depois no final houve um sururu e infelizmente aconteceu aquilo. Mas não posso deixar de referir que o principal instigador do que vimos foi um dirigente do Salgueiros, que incendiou toda a situação.»
«Temos um plantel óptimo e jogamos um bom futebol. O árbitro disse-nos no final que ia tratar estes incidentes da melhor forma possível. Vamos aguardar serenamente. Sabemos que o nome do Salgueiros tem muito peso», acrescentou o dirigente do Custóias.
A luta pela subida, está assim, mais acesa.

domingo, 8 de novembro de 2009

Líder derrotado em Guimarães.

Acabou ontem a carreira invencível do líder Sp. Braga no campeonato.
Foi uma campanha bonita sem dúvida, onde a equipa bracarense realizou nove jogos sem perder.
Venceu oito desses jogos, e cedeu um empate em Vila do Conde, frente ao Rio Ave.
Coincidência ou não, terminou em casa do grande rival Vitória de Guimarães, logo onde os adeptos menos queriam que acontecesse.
No entanto, o Braga, continuará na liderança, pelo menos mais uma semana, e isso já é motivo de orgulho suficiente para os seus adeptos.
Mas, vamos ao jogo.
O Vitória, a jogar em casa, fez o que lhe competia, e entrou mais forte.
Em 4 minutos, dispôs de três opurtunidades, todas elas desperdiçadas. Aos 13' Targino cruzou com perigo, mas ninguém chegou à bola. Aos 15' remate forte de Desmarets, para uma excelente defesa de Eduardo. E, finalmente, aos 17' cruzamento de Andrezinho, com Roberto a cabecear ao lado.
O líder Braga, só aos 29' chegou com perigo a baliza de Nilson. Alan, desmarca Evaldo, este cruza, e Mossoró remata de cabeça, com Nilson a desviar a bola para a trave.
No entanto, estava assinalado fora-de-jogo.
Aos 30' o momento do jogo. Nuno Assis, progride com a bola, no meio-campo defensivo do Braga, a entrada da área, cruza para o interior, onde aparece Desmarets, completamente solto, a fuzilar Eduardo. Estava feito o 1-0.
A resposta bracarense, não demorou muito, e aos 36' Meyong, após assistência de Ney, rematou ao lado.
Volvidos três minutos, já o Guimarães reclamava grande penalidade, por pretensa mão na bola do central do Braga, Rodríguez.
Da primeira parte, resta para contar, mais uma opurtunidade desperdiçada por Roberto, que no interior da área, rematou à figura de Eduardo.
No segundo tempo, a qualidade de jogo, baixou muito. O Vitória encolheu-se, e o Braga pouco fez para contrariar o resultado negativo.
Aos 48', Hugo Viana, tentou a surpresa, mas a sua tentativa de canto directo, bateu no poste vimaranense e saiu.
Aos 65', novamente num canto saído dos pés de Hugo Viana, Moisés desviou ao lado.
E, já bem perto do fim, aos 85', cruzamento de Alan, com Adriano completamente solto, a deixar a bola escapar.
O jogo, chegava ao fim, e o Vitória somava a sua segunda vitória em 10 jogos no campeonato, a primeira de Paulo Sérgio no comando técnico vimaranense.

Ficha de jogo:
V. Guimarães: Nilson, Andrezinho, Sereno, Moreno, Lazzaretti, Flávio Meireles, Nuno Assis (Alex 83'), João Alves (Custódio 77'), Desmarets, Targino e Roberto (Rui Miguel 91').
Suplentes Não Utilizados: Serginho, Carlitos, Jorge Gonçalves e Santana.

Sp. Braga: Eduardo, Ney, Moisés, Rodríguez, Evaldo, Vandinho, Hugo Viana (Osvaldo 88'), Mossoró (Adriano 78'), Alan, Meyong e Paulo César (Matheus 53').
Suplentes Não Utilizados: Kieszek, Paulão, Diogo Valente e Andrés Madrid.

Amarelos: Flávio Meireles 38', Sereno 59', Moreno 61', Rodríguez 63', Nuno Assis 72' e Targino aos 93'.

Golos: Desmarets 30'.

sábado, 7 de novembro de 2009

Carlos na Selecção de Angola.

O guarda-redes do Rio Ave, Carlos, irá representar a selecção de Angola.
Está convocado para os particulares com o Congo e com Gana, nos dias 14 e 18 de Novembro, onde deverá mesmo somar a sua primeira internacionalização A.
O jogador disse ter aceite o convite da Federação Angolana, porque nunca iria ter opurtunidades para representar a selecção Portuguesa.
«Recebi esta convocatória de bom grado, ser internacional é algo a que todos os jogadores ambicionam. Mas é verdade que a minha esperança era outra. Queria ter chegado à selecção portuguesa, mas nunca me foi dada uma oportunidade e não queria deixar de jogar futebol com o objectivo de ser internacional por realizar. Então optei pela selecção angolana.»
«Pelo campeonato que o Rio Ave está a fazer e pelas minhas exibições merecia uma oportunidade na Selecção Nacional», acrescentou.
Outra das razões, que o levaram a aceitar o convite dos "Palancas Negras" foi o facto, de poder disputar a CAN em 2010. «Participar numa grande competição, como é o caso da CAN, que é vista em todo Mundo, foi um dos grandes motivos para aceitar este desafio.»
Carlos, disse ainda que o motivo de não ir a Selecção, é por não ter "padrinhos". «Fartei-me de ficar à espera do inalcançável. Eu costumo dizer que não vou à selecção porque não tenho padrinhos. A partir do momento em que se vê jogadores que não jogam nos seus clubes a serem convocados, começa-se a perder o ânimo. Sempre foi assim e ainda continua a ser.»
Para finalizar, o guarda-redes disse ainda, que os responsáveis da Selecção Angolana já o tinham abordado, em vésperas do Mundial 2006, que se disputou na Alemanha, mas como estava pré-convocado por Portugal, e tinha a forte esperança de representar a equipa das "Quinas", rejeitou o convite.
Carlos nasceu em Kinshasa na República Democrática do Congo, mas viveu sempre em Portugal.
O facto, de ter uma avó angolana, abriu-lhe as portas da Selecção daquele país.
Carlos, iniciou a sua carreira ao serviço do Vilafranquense, onde jogou nas camadas jovens e na equipa principal. Passou depois, por Campomaiorense, Felgueiras, Boavista, Steaua de Bucareste da Roménia, e Foolad do Irão. Esta temporada, ingressou no Rio Ave.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Sporting: Paulo Bento demitiu-se.

O até então, treinador do Sporting, Paulo Bento, apresentou hoje a sua demissão do cargo de treinador da equipa principal do clube de Alvalade.
Depois de ter chegado ao Sporting no ano de 2000, para representar o clube como jogador, terminou a carreira de futebolista no fim da temporada 2003/04.
Em 2004/05, assumiu o cargo de treinador dos Juniores, onde conseguiu o título de campeão nacional.
Em 2005/06, continua nos Juniores, mas passa para a equipa principal após a saída de José Peseiro.
De então para cá, foi sempre o treinador da equipa sénior.
Conseguiu quatro titulos entre 2005/06 e 2008/09. No campeonato, não foi além de quatro anos consecutivos no 2ºlugar.
Participou na Champions, três vezes, sendo o melhor resultado, os Oitavos-de-Final em 2008/09.
Na Taça UEFA, participou por duas vezes, e o melhor resultado, foi quando atingiu os Quartos-de-Final em 2007/08. Esta temporada, disputava pela segunda vez a prova, e estava perto da qualificação para os 16-Avos-de-Final.
Já, esta temporada, as coisas não estavam a correr como todos os sportinguistas desejavam, e a pressão sobre Paulo Bento, era enorme, e na minha opinião exagerada.
Foram 4 anos e 15 dias de trabalho na Academia de Alcochete.
O saldo de Paulo Bento no Sporting, só podia ser positivo. Em 193 jogos oficiais, venceu 117, empatou 46 e perdeu por 29 vezes.
Já esta manhã, na conferência de imprensa, o ex-treinador leonino, disse o seguinte: «Acabou um ciclo que durou quatro anos e mais algumas semanas. Um ciclo que considero que foi positivo, que teve momentos complicados. Faltou, durante este período, a conquista do grande objectivo que era ser campeão. Mas acho que foram quatro anos positivos, onde se conseguiu que o Sporting voltasse a ganhar. Conseguiram-se outros objectivos durante este trajecto, portanto, quero deixar uma palavra de agradecimento aos jogadores, à administração e a todos aqueles que estiveram connosco ao longo destes quatro anos»
Revelou ainda os motivos da demissão, e acrescentou que esteve quatro meses a mais no clube.
«Havia várias explicações. A primeira, e para mim a principal, é que acho que estive quatro meses a mais no Sporting. Infelizmente o digo, porque já o previa. Acredito pouco que as rotinas e a continuidade possam ser más. A verdade é que isso levou a esta situação, sem imaginar que podíamos chegar este ponto».
Disse ainda, que esta foi a melhor solução tanto para o Sporting como para ele, e que o fez pelos jogadores e pela Direcção.
Estreou-se com um empate, em Barcelos contra o Gil Vicente, a dois golos, e despediu-se com um empate, ontem frente ao Ventspils.
Palmarés de Paulo Bento na equipa principal do Sporting:

Taça de Portugal: 2 (2006/07; 2007/08)
Supertaça Cândido de Oliveira: 2 (2007/08; 2008/09)

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Benfica e Sporting quase apurados; Nacional empata

Disputou-se hoje a 4ªJornada da Fase de Grupos da Liga Europa.
No Grupo D, o Sporting recebeu o Ventspils da Letónia, mas não conseguiu superar a crise.
Empatou a um golo com o campeão letão. Valeu o golo de Carlos Saleiro aos 22' minutos.
No Ventspils, destaque para João Martins que entrou aos 51'.
No Grupo I, o Benfica venceu em casa do Everton, em pleno Goodison Park (onde Eusébio marcou 6 golos em 1966, 4 com a Coreia do Norte, e 2 ao Brasil), por 2-0, e soma agora 9 pontos.
Os golos foram de Saviola aos 63' e Cardozo aos 76'.
Finalmente no Grupo L, o Nacional da Madeira cedeu um empate frente ao Athletic Bilbao, de Espanha, a um golo.
Os madeirenses, até estiveram em vantagem, após Edgar Silva ter convertido em golo uma grande penalidade, quando estavam decorridos 64' minutos.
Aos 79' Nuno Pinto, foi expulso, e as dificuldades para segurar o resultado, aumentaram.
Aos 85' o clube basco chegou ao empate, através de um golo de Etxeberria, também alcançado após a marcação de uma grande penalidade.
Posto isto, Sporting e Benfica lideram os seus grupos, com 10 e 9 pontos, respectivamente, enquanto o Nacional é último com apenas 2 pontos.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Jean Paulista.

Jean Francisco Rodrigues, nasceu em Sertãozinho (São Paulo), a 28 de Novembro de 1977.
Conhecido no mundo do futebol por Jean Paulista, joga a médio ofensivo e a ponta de lança.
Começou a sua carreira sénior no Corinthians Alagoano, onde jogou com Deco.
Depois, seguiu, em 1998 para o Tabuaté, também no Brasil.
Em Agosto do mesmo ano, é apresentado como reforço do Farense, na altura na 1ªLiga Portuguesa.
Jean, participa em 27 jogos, e aponta 3 golos.
Em Agosto de 1999, um ano depois de ter chegado a Portugal, ruma ao Sporting de Braga. Não se impõe, e acaba apenas por fazer 6 jogos, sem marcar qualquer golo.
Em Janeiro de 2000, sai para o Desportivo das Aves, da Liga de Honra, e ajuda o clube avense a subir a 1ªLiga Portuguesa, com 8 jogos, e 2 golos.
Para, 2000/2001, regressa novamente ao Farense.
Faz 15 jogos, e não marca nenhum golo. Em Janeiro de 2001, mantém-se no Algarve, mas muda de clube.
Desta vez, segue para o Imortal, da Liga de Honra. 11 jogos e 1 golo, foi o saldo da passagem do jogador por Albufeira.
Depois disso, seguiram-se dois anos em Setúbal, ao serviço do Vitória local, ambos na 1ªLiga.
Em 2001/02, 19 jogos e 0 golos, e em 2002/03, 14 jogos e 1 golo.
Em Agosto de 2003, regressa novamente ao Desp. Aves. Faz 32 jogos, e marca 7 golos.
Para 2004/05, segue para o FC Maia, também da Liga de Honra. Em 30 jogos efectuados, apontou 6 golos.
Até que sai de Portugal.
Representou nas três épocas seguintes, o Wisla Cracóvia da Polónia.
Na 1ª época, 19 jogos e 2 golos. Na segunda, 27 jogos e 5 golos. E finalmente, na terceira, 23 jogos, e 5 golos.
Em 2008, deixa a Polónia rumo ao Chipre.
O clube que o acolheu, foi o APOEL, que participaria na Taça UEFA nessa época.
Participou nos 4 jogos efectuados pelo clube na prova, mas seria eliminado na 2ª Pré-Eliminatória.
Foi no último desses 4 jogos, que Jean Paulista se lesionou gravemente, acabando por sair aos 6' minutos do 1º tempo.
Falhou o campeonato, e assistiu de fora ao excelente percurso que o APOEL efectou na conquista do campeonato cipriota, que lhe valeu a participação na eliminatória de acesso a fase de grupos da Liga dos Campeões 2009/2010.
Já, esta temporada, o clube cipriota, alcançou o feito histórico, de participar na fase de grupos da Liga dos Campeões, pela primeira vez.
Até ao momento, o APOEL soma 1 empate e 3 derrotas. Empate em casa do Atlético de Madrid (0-0), derrotas com Chelsea (1-0 em casa), e FC Porto (2-1 fora, 1-0 em casa).
Jean Paulista, participou em três desses jogos. Foi suplente utilizado contra o Atlético de Madrid e com o Chelsea, e titular com o FC Porto, na noite de ontem. Há, duas semanas atrás, foi suplente não utilizado no Estádio do Dragão.
Ninguém diria, que um jogador, que teve uma passagem (muito) discreta pelo futebol português, onde representou clubes de dimensão média, viesse anos mais tarde, a jogar na prova rainha do futebol europeu.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

FC Porto: Objectivo Cumprido

O FC Porto garantiu esta noite, em Nicósia no Chipre, o apuramento para os Oitavos-de-Final da Liga dos Campeões.
Não foi um jogo fácil e, o Porto também não fez um jogo propriamente brilhante.
O principal adversário dos dragões seria com certeza o ambiente cipriota, que é intenso, ainda para mais, num jogo a contar para a Liga dos Campeões.
A turma da casa entrou mais forte, e aos 14' minutos Mirosavljevic rematou forte, para uma excelente defesa de Helton.
A pressão que o FC Porto sofria, era enorme, mas aos poucos a equipa foi-se libertando e sacudindo a pressão inicial.
Depois, chegou um dos duelos da noite cipriota: Chiotis vs. Hulk.
Três falhanços do grego Chiotis, dois de Hulk. Se bem, que no último, Hulk ultrapassou facilmente o guardião, mas acabou por se iludir, e perder espaço, tempo e...a bola.
E assim, com um jogo muito morno, seguiamos para intervalo.
No início do segundo tempo, novamente o APOEL a entrar mais forte, mostrando mais garra, ambição e vontade de ganhar.
Mesmo assim, foi do FC Porto a melhor opurtunidade:
54' minutos de jogo e Hulk um pouco aos "trambolhões" ultrapassa vários defesas cipriotas, e serve Falcao. O colombiano isolado perante Chiotis, remata à figura, acabando o guarda-redes grego por ceder canto.
O APOEL ia respirando um pouco, devido aos sucessivos falhanços portistas, e aos poucos chegava à baliza de Helton.
Até que aos 84', se dá o momento do jogo.
Boa jogada de Hulk, que dá para Farías. O argentino trabalha bem, serve Falcao, este com uma finta de corpo tira do caminho um defesa cipriota, e isolado perante Chiotis, remata cruzado, sem hipóteses de defesa.
O FC Porto resolvia um jogo, que nunca esteve perdido. Aliás, esteve sempre perto de "cair" para o lado portista.
Ficha de jogo:

APOEL: Chiotis; Elia (Grncarov 58'), Broerse, Kontis (Papathanasiou 87'), Poursaitides; Nuno Morais, Satsias, Hélio Pinto, Jean Paulista (Alexandrou 61'); Charalambides e Mirosavljevic.
Treinador: Ivan Jovanovic; Suplentes Não Utilizados: Kissas; Breska, Kyriakou e Michail.

FC Porto: Helton; Sapunaru, Bruno Alves, Rolando, Álvaro Pereira; Fernando, Raúl Meireles, Guarín (Tomás Costa 83'); Hulk, Falcao (Belluschi 90') e C. Rodríguez (Farías 69').
Treinador: Jesualdo Ferreira; Suplentes Não Utilizados: Beto; Maicon, Dias e Claro.

Disciplina:
Amarelos: Charalambides 51'; Elia 53'; Hélio Pinto 74'; Hulk 86'; Álvaro Pereira 86';

Golos: 0-1 Falcao 84'.