quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Mercado de Inverno encerrado - conheça os últimos inscritos

(Rabiola era o melhor marcador da Segunda Liga, mas trocou o D. Aves pelo Sp. Braga.)
O mercado de transferências encerrou esta noite, com a Liga a registar cinquenta e quatro inscrições no derradeiro dia do mercado de Inverno.
Nos 'grandes', o FC Porto inscreveu o brasileiro Guilherme Silva e o venezuelano Victor Hernandez, que deverão reforçar a equipa bê. O Sporting inscreveu apenas o lateral-esquerdo dinamarquês Seejou King, enquanto que o Benfica se destacou ao inscrever seis atletas: Diogo Rosado ex-Blackburn; Rui Fonte ex-Espanhol; Bryan ex-América Mineiro; Wei Huang ex-Mafra; Gianni Rodríguez ex-Danubio, e ainda o juvenil Gonçalo Guedes.
O Sp. Braga também inscreveu seis atletas, entre eles Rabiola ex-D. Aves e Patrão ex-Leixões. Além destes dois atletas lusos, foram inscritos o russo Zhestkov ex-Mordovia, e os brasileiros Perdigão ex-Tourizense, Diogo ex-São Paulo e Ezequiel ex-Criciúma.
O V. Guimarães inscreveu cinco jogadores, sendo que três são os tunisinos Safwan, Muhannad e Housem, e ainda o saudita Omar Salman e o venezuelano Darwin Machado. O Rio Ave inscreveu Diogo Neiva, Ricardo Miranda e Zé Diogo ex-Varzim.
A Olhanense inscreveu os brasileiros Leandro Mauri, Lucas Souza e Thalles Oliveira, enquanto que o Paços de Ferreira inscreveu no último dia Duarte ex-Benfica, Christian Irobiso que regressa de empréstimo e ainda Luís Sousa ex-Fátima. O Nacional oficializou a inscrição do guardião Ricardo Batista, o Estoril inscreveu Yohan Tavares ex- St. Liège, enquanto que o Moreirense conseguiu o empréstimo de Aníbal Capela, por parte do Sp. Braga.
Na Segunda Liga, o Trofense inscreveu Hélder Sousa ex-APOEL do Chipre, e que na temporada passada defrontou Ol. Lyon e Real Madrid na Liga dos Campeões. Além do estratega matosinhense, o clube da Trofa inscreveu os brasileiros Conrado e Guilherme.
O Santa Clara inscreveu o holandês Moreno Freira ex-jogador do Penafiel, enquanto que o Leixões contratou Huguinho ao Coimbrões. O D. Aves depois da partida de Rabiola, recrutou Tiago Cintra por empréstimo ao Beira-Mar, sendo que o Freamunde esperou pelo último dia para inscrever Orlando ex-Académica, Tengarrinha ex-V. Setúbal e Rogger ex-Ribeirão.
O União da Madeira inscreveu o brasileiro Leandro Bezerra, enquanto que o Portimonense oficializou o regresso do brasileiro Fabrício, bem como a contratação do português Anselmo ex-Tractor do Irão, e ainda do senegalês Mohamed Gomis.
O Belenenses inscreveu os lusos Daniel Martins ex-Benfica-B, e Rafael Veloso ex-Sporting, bem como o holandês Botaka ex-Club Brugge da Bélgica. Em sentido inverso, a turma de Belém perdeu Paulo Roberto para o Penafiel, enquanto que a Oliveirense inscreveu Bruno de Camargo.
Por último, destaque para a Naval, que inscreveu três portugueses, Taborda ex-Brasov da Roménia, Moreira ex-Nea Salamina do Chipre e Marcelo Santiago ex-Vojvodina da Sérvia, e ainda o brasileiro Robson Júnior.
Ainda relativamente ao mercado, destaque para Kléber e Niculae, que estiveram muito perto do Sporting, mas que pelas razões conhecidas, não se mudaram para Alvalade. Lá por fora, destaque para o central Neto do Siena de Itália, que à hora do fecho do mercado estava perto de se mudar para o Zenit da Rússia, podendo, eventualmente, fazer 'companhia' a Bruno Alves e Danny.

CAN 2013: Marrocos, Zâmbia e Tunísia falham Quartos

(Zâmbia e Burquina Faso empataram sem golos, resultado que eliminou os zambianos da CAN.)
Marrocos, Zâmbia e Tunísia são apontados pelos 'experts' na matéria, como os grandes ausentes dos Quartos-de-Final da CAN 2013, que se disputam no próximo fim-de-semana.
No Grupo A, a qualificação da África do Sul como líder não surpreende ninguém, mas o segundo lugar de Cabo Verde que atirou com Marrocos para a terceira posição e para 'casa', surpreende e de que maneira. Os cabo-verdianos fizeram cinco pontos, tantos quanto os anfitriões da prova - África do Sul -, e superaram-se não só a Marrocos - três -, mas também a Angola - apenas um.
No Grupo B, o favorito à vitória, Gana, ultrapassou o seu grupo sem dificuldade e com Atsu do FC Porto em destaque - duas vezes titular e um golo -, sendo seguido pelo Mali de N'Diaye (V. Guimarães) na segunda posição. Congo e Níger estão, naturalmente, fora da competição.
No Grupo C, antes de irmos aos apurados para os Quartos-de-Final, vamos ao terceiro lugar e respectiva eliminação de prova da campeã em título, Zâmbia. Os zambianos empataram por três vezes, fazendo, naturalmente, três pontos, e sendo superados pela surpreendente Burquina Faso e pela sempre candidata, Nigéria. Eliminada juntamente com a Zâmbia, foi a Etiópia que somou apenas um ponto.
No Grupo D, a Costa do Marfim dominou o grupo a seu bel-prazer, superando-se a Togo, Tunísia e Argélia. Toguenhos e tunisinos somaram ambos quatro pontos, mas quem passou em segundo foi o Togo, que eliminou assim a 'outsider' Tunísia. Em último lugar ficou a Argélia, com apenas um ponto somado.
No próximo sábado, Gana defronta Cabo Verde, enquanto que a África do Sul mede forças com o Mali. Domingo, será a vez da Costa do Marfim se bater com a Nigéria, enquanto que a Burquina Faso defrontará o Togo.
No meio de tudo isto, destaque para os regressos ao nosso País de El Adoua (Marrocos/V. Guimarães), Mateus (Angola/Nacional), M'Bola (Zâmbia/FC Porto-B), Halliche (Argélia/Académica) e Soudani (Argélia/V. Guimarães), após a eliminação das respectivas selecções.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Taça de Portugal: Benfica vence em Paços de Ferreira

(Gaitán parece deixar Diogo Figueiras para trás com relativa facilidade durante o jogo desta noite.)
O Benfica venceu esta noite de forma tranquila em Paços de Ferreira por 2-0, na primeira mão das Meias-Finais da Taça de Portugal.
A turma encarnada sentiu algumas dificuldades nos primeiros quarenta e cinco minutos, mas no segundo tempo marcaria por Lima aos 58' e por Ola John aos 75' minutos.
A jogarem em casa, os pacenses tentaram ser a equipa que fez uma bela primeira metade de época, e até podia ter inaugurado o marcador por Cícero, não fosse o avançado português ter-se atrapalhado na cara de Artur e rematado para fora.
O Benfica parecia relaxado e apostado em resolver a eliminatória na segunda mão, e só nos últimos quinze minutos do primeiro tempo se começou a ver sinal mais dos encarnados, com Gaitán, Lima e Aimar a desperdiçarem entre eles cinco ocasiões para golo.
Na etapa complementar, os encarnados entraram da mesma maneira com que haviam acabado a primeira metade, e aos 58' minutos, uma arrancada de Salvio pela direita, culminou num cruzamento do argentino para Lima, com o brasileiro solto de marcação a inaugurar o marcador.
A vinte minutos dos noventa, Vítor fez uma entrada muito dura sobre Gaitán e recebeu ordem de expulsão, e disto se aproveitou o Benfica, que cinco minutos depois elevou as contas do marcador por intermédio de Ola John, que foi rápido a responder a uma defesa de Cássio após remate de Rodrigo.
O Benfica está então assim muito perto de chegar à final da Taça, coisa que não faz há oito anos, quando na altura foi derrotado pelo V. Setúbal - 2-1. A segunda mão entre águias e castores, está marcada para o dia 17 de Abril do corrente ano civil.

Espanha: Real Madrid e Barcelona empatam para a Taça

(Ricardo Carvalho esteve abaixo das expectativas e aqui parece facilmente ultrapassado por Messi.)
Real Madrid e Barcelona empataram esta noite no Bernabeu a uma bola em jogo a contar para a primeira mão das Meias-Finais da Taça do Rei.
Fàbregas para os catalães no início do segundo tempo e Varane para os madrilenos já perto do minuto noventa, foram os autores dos golos que selaram novo empate no clássico espanhol.
Ronaldo e o Real entraram melhores, e aos dois minutos, o internacional português obrigou Pinto a uma defesa muito complicada na sequência de um livre directo.
Vinte minutos depois, seria outro português a estar em destaque, desta feita Ricardo Carvalho, que por pouco ia oferecendo o golo aos blaugrana, fruto de um atraso que ficou curtinho, e não foi depois correctamente aproveitado por Fàbregas e por Xavi, com este último a ver Varane negar-lhe o golo já bem em cima da linha-de-baliza.
A segunda parte iniciou-se praticamente com o golo catalão, quando aos 50' minutos Cesc Fàbregas isolado na cara de Diego López por Messi, não teve dificuldades em bater o estreante guardião.
O Real ameaçou o empate por intermédio de Ronaldo em duas ocasiões, e se na primeira o extremo luso não contava que a bola caísse à sua frente e rematou ligeiramente ao lado, na segunda viu Piqué cortar-lhe a bola momentos antes de encostar para golo.
O Barça dominava e controlava a partida como queria, mas ao minuto 81' e na sequência de um lance de bola parada, Varane empatou de cabeça já depois de Pedro Rodríguez ter feito uma arrancada impressionante com a bola controlada, e na cara de Diego López ter rematado para fora.
O segundo 'round' está marcado para o dia 26 do próximo mês de Fevereiro.

A foto da semana: Não ao 'futebol-negócio'

('Ultras Resistência' assistiram fora do recinto à vitória da sua equipa frente ao Barreirense.)
A claque 'Ultras Resistência', afecta ao Real Sport Clube - de Massamá -, protagonizou no passado domingo um momento que vai, certamente, ficar na história de todos os que o presentearam: devido às fracas condições do campo Santos Jorge, em Pinhal Novo, e ao preço do bilhete ser de seis euros, a claque do Real recusou-se a entrar no recinto sob o pagamento de bilhete e assistiu ao jogo a partir de um muro nas imediações do estádio, cantando e apoiando a sua equipa desde aí.
O Campo Santos Jorge serviu de casa emprestada ao Barreirense, que foi derrotado 4-2 pelo Real, num jogo que aos 26' minutos estava resolvido: Nuno Dias aos 5' minutos e Vasco Firmino aos 9' marcaram para os da 'casa', só que um auto-golo de Valter dois minutos depois e um outro auto-golo de Cansado aos 18' minutos deram o mote para a vitória da turma de Massamá, que marcou ainda por Tomás aos 17' minutos e por Mota aos 26'.
Com este triunfo, o Real ultrapassou precisamente o Barreirense e está agora na quinta posição da Série E da III Divisão, em boas condições de lutar pela subida à II Divisão.

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Chipre: Ricardo Fernandes faz golo do 'outro Mundo'

(Campeão europeu pelo FC Porto em 03/04, Ricardo Fernandes está fora de Portugal desde 2005.)
O médio ofensivo português Ricardo Fernandes, jogador do DOXA do Chipre, fez esta segunda-feira um golo do 'outro Mundo', que certamente nunca irá esquecer.
Durante a partida entre o DOXA e o Alki Larnaca a contar para a jornada dezanove do campeonato cipriota, Ricardo Fernandes marcou um golo de calcanhar apoiado no famoso 'pontapé-escorpião'.
O antigo jogador de FC Porto e Sporting empatou a partida com o seu já famoso golo, sendo que este jogo teve a particularidade de ter tido quatro golos portugueses - terminou 2-2: Bernardo Vasconcelos bisou para o Alki aos 9' e 85', enquanto que Ricardo Fernandes aos 45' minutos e Castanheira aos 90+2' marcaram para a turma do DOXA.
Ricardo Fernandes, recordo, representou Moreirense, Freamunde, Santa Clara, Gil Vicente, Sporting, FC Porto e Académica antes de embarcar numa aventura pelo estrangeiro que começou em 2005 e que ainda perdura, tendo já passado por Chipre, Ucrânia, Israel e Grécia.
Sem mais demoras, cá fica o vídeo:

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

II Divisão: 17ª Jornada

(São João de Vêr 1-0 Cesarense - autoria: facebook do FC Cesarense.)
Na Zona Norte da II Divisão, a décima sétima jornada trouxe uma maior aproximação de Chaves e Ribeirão à liderança, fruto do empate caseiro do Mirandela frente ao Varzim a duas bolas. Os flavienses bateram o Fafe por uma bola a zero, enquanto que os famalicenses bateram o Infesta por 3-1. O Limianos bateu o Tirsense também por 1-0 e subiu ao quarto lugar.
Também por 1-0, o Famalicão derrotou o Joane e subiu ao quinto lugar, ultrapassando o Vizela que empatou a uma bola frente ao Boavista no seu próprio reduto. Vilaverdense e Gondomar não saíram do nulo, enquanto que o Amarante venceu no terreno do Padroense por 2-0.
Na Zona Centro houve nova troca de líderes, com o Anadia a perder em Espinho frente ao Sporting local por 3-0. Disto se aproveitou o Cinfães, que ao bater o Pampilhosa por 3-1 assumiu a liderança, mas também o Ac. Viseu, que bateu o Operário por 2-0 e subiu ao segundo lugar isolado. O SJ Vêr bateu o Cesarense por uma bola a zero e consolidou a quinta posição.
Logo atrás dos feirenses, surge o BC Branco que venceu o Tourizense, em Touriz, por uma bola a zero. Tocha e Lusitânia empataram a dois golos, enquanto que Bustelo e Sousense não saíram do nulo. O Coimbrões recebeu e venceu o Nogueirense por 3-1.
Na Zona Sul, o líder Mafra bateu o Casa Pia por 3-2 e mantém distâncias para o Farense, que venceu o Pinhalnovense por uma bola a zero, e para a U. Leiria, que venceu no terreno do Carregado por duas bolas a uma. O Torreense perdeu em casa frente ao Oeiras por 2-0.
O Sertanense foi vencer a casa do Oriental por 3-2 e 'saltou' para a quinta posição, sendo que o Louletano foi vencer a Fátima por uma bola a zero. O Quarteirense bateu o Futebol Benfica pelo mesmo resultado, enquanto que o 1º Dezembro venceu o Ribeira Brava por 2-0.
A II Divisão regressa no próximo fim-de-semana.

III Divisão: 16ª Jornada

(Felgueiras 2-2 AD Oliveirense - autoria: blogue "Notícias FC Felgueiras".)
O Bragança regressou às vitórias na Série A, derrotando o Esposende fora-de-portas por 2-1 na décima sexta jornada da III Divisão. O Ronfe foi surpreendentemente goleado em casa pelo Taipas, 0-3, e foi alcançado pelo Vianense, que empatou a uma bola em Santa Maria.
Outra surpresa da jornada foi a goleada imposta pelo Monção ao Melgacense em casa deste por 4-0, enquanto que o Ponte da Barca bateu o Merelinense por uma bola a zero. Marinhas e Maria da Fonte não saíram do nulo.
Na Série B, Felgueiras e Oliveirense empataram a duas bolas e ganharam um ponto ao Lousada, que ao perder em Vila Meã por 3-1, sofreu a primeira derrota no campeonato. O Paredes perdeu por uma bola a zero em Vila Real, mas manteve o quarto lugar.
O Santa Eulália bateu o Leça por 1-0 e continua quinto, enquanto que o Pedras Rubras goleou o Aliados de Lordelo por 4-1 e mantém-se sexto. Serzedelo e Rebordosa empataram sem golos.
Na Série C, o líder Estarreja empatou sem golos frente ao Penalva do Castelo e viu o Salgueiros aproximar-se, fruto da vitória dos portuenses sobre o Grijó por uma bola a zero. O Alba venceu em Avanca por igual resultado e alcançou os grijoenses na terceira posição.
O U. Lamas goleou em Oliv. de Frades por 5-2 e consolidou o quinto posto, enquanto que o Oliv. do Bairro perdeu pelo mesmo resultado na casa do Sampedrense. Num duelo entre últimos, o Parada levou a melhor sobre o Aguiar da Beira, vencendo por 2-0.
Na Série D, o Caldas bateu o Penelense por duas bolas a zero e alcançou o Pombal na liderança, fruto do empate caseiro dos pombalenses frente ao Sernache a quatro golos. Quem também poderia estar agora na liderança era o Oliv. do Hospital, que não foi além de um empate caseiro frente ao Marinhense a uma bola.
Numa jornada de empates, Mortágua e Sourense empataram também a uma bola, à semelhança do que fizeram Beneditense e Alcobaça. O Torres Novas venceu o Alcanenense por 2-0.
Na Série E, o Sintrense venceu no terreno do Amora por 3-2 e assumiu a liderança isolada graças à derrota do Eléctrico na casa do Peniche por uma bola a zero. O Sacavenense venceu por 3-1 no terreno do Fabril e é agora terceiro classificado de forma isolada.
O Real venceu o Barreirense fora-de-portas por 4-2 e ultrapassou o seu adversário de ontem, enquanto que Lourinhanense e Pêro Pinheiro estão agora de mãos dadas na sétima posição: os da Lourinhã receberam e venceram o Tires por duas bolas a uma, enquanto que a turma de Sintra venceu no Cartaxo por 3-1.
Na Série F, o U. Montemor goleou no terreno do Castrense por 4-1 e continua líder, enquanto que o Moura continua segundo, depois de ter goleado o Monte Trigo por 4-0. O At. Reguengos venceu na casa do Vasco da Gama por duas bolas a zero e reforçou a terceira posição.
Aljustrelense e Esp. de Lagos empataram a uma bola, enquanto que a Juv. de Évora venceu em Sesimbra por uma bola a zero e ultrapassou o seu adversário de ontem. Num duelo entre equipas que ocupam os últimos lugares, o Lusitano VRSA venceu o Lagoa por 2-1.
Nos Açores, o Praiense bateu o Praínha por 3-1 e continua a ser seguido de perto pelo Angrense, que venceu pelo mesmo resultado na casa do Marítimo da Graciosa.
O Sp. Ideal venceu por uma bola a zero no terreno do Vitória do Pico e continua terceiro, enquanto que o Santiago derrotou o Rabo de Peixe também por 1-0 e continua quarto. O Barreiro levou de vencida o Flamengos por 3-2.
A III Divisão regressa no próximo fim-de-semana.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Fernando Aguiar sobre Fehér: "Foi um dia muito triste"

(Fehér e Fernando Aguiar foram colegas no Benfica entre Julho de 2003 e Janeiro de 2004.)
Nove anos depois, a memória de Miki Fehér continua bem viva em Portugal. A 25 de Janeiro de 2004, o jovem magiar perdeu a vida durante os instantes finais de um V. Guimarães - Benfica que os encarnados viriam a vencer por 1-0 com golo de Fernando Aguiar.
Durante o dia de hoje, têm sido imensas as manifestações de saudade vincadas por adeptos de todos os clubes, mas também por ex-colegas de Fehér, nomeadamente de Ricardo Rocha, que publicou no seu twitter uma foto com Fehér e mais alguns companheiros da altura.
O blogue conversou precisamente com Fernando Aguiar, ele que marcou o golo da vitória em Guimarães naquela noite chuvosa de domingo já sobre o minuto noventa, longe de imaginar o desfecho que a partida iria ter.
Primeiramente, Fernando Aguiar começou por recordar a relação com Miki Fehér e os momentos que se seguiram à sua queda desamparada no relvado:
"Tinha uma boa relação com o Miki, aliás, era um plantel muito unido e amigo. Para dizer a verdade, assim que o vi cair, pensei logo no pior e nunca tive esperança que o Fehér voltasse a ter vida depois da queda. É claro que pensamos e desejamos sempre que o Fehér voltasse a ter vida, mas tal não foi possível. Foi um dia muito triste."
O 'Robocop', como ficou conhecido nos relvados portugueses, recordou ainda a dor que todo o plantel sentiu na hora da perda de Miklos Fehér, lembrando a conquista da Taça de Portugal em memória do húngaro:
"Foi muito difícil recuperarmos do 'choque', mas sabíamos que não podíamos pensar muito nisso, porque afinal havia jogos para fazer e, pelo menos, tentar ganhar algum troféu pelo Fehér. Felizmente foi possível ganharmos a Taça. Cada jogo foi sempre realizado a pensar nele e só assim conseguimos seguir em frente."
Miki Fehér, recorde-se uma vez mais, nasceu em Gyór na Hungria a 20 de Julho de 1979. Aos dezoito anos chegou a Portugal para jogar no FC Porto proveniente do Gyór Eto, e depois de representar a principal formação azul-e-branca e ainda a sua equipa bê, foi sucessivamente emprestado a Salgueiros e Sp. Braga, antes de entrar em litígio com os portistas e rumar ao Benfica em 2002, clube ao serviço do qual perdeu a vida numa trágica noite de Inverno.
Descansa em paz #29.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Antas: nove anos depois do fim

Há nove anos, os adeptos do FC Porto andavam em sobressalto e ansiedade pelas imediações das Antas. O fim estava marcado para aquele dia. 24 de Janeiro de 2004. O Dragão estava pronto há algum tempo, mas o relvado não deixava que os jogos dos azuis-e-brancos fossem ali disputados.
O Estádio das Antas continuava de pé, e recebeu, pelo menos, duas despedidas antecipadas que não foram concretizadas: uma com o Gil Vicente a 30 de Novembro; e outra com o Maia a 17 de Dezembro de 2003 para a Taça de Portugal.
Mas a 24 de Janeiro de 2004 far-se-ia mesmo a despedida. A chuva torrencial que caiu durante todo o sábado, parecia simbolizar as lágrimas dos adeptos portistas, e à última hora, os 'SuperDragões' preparavam uma última coreografia nas Antas. Dentro de campo, o FC Porto de Mourinho bateu o Estrela da Amadora por 2-0 com um bis de McCarthy.
Estava assim realizado o último jogo oficial nas Antas. Cerca de um mês e meio depois - a 8 de Março - o estádio começou a ser demolido, porque agora já havia o Dragão preparado a cem por cento para se assumir como casa oficial dos dragões.
Num jogo que perdeu a 'magia' de ser o último oficial das Antas para dar lugar às polémicas do ApitoDourado, McCarthy resolveu com um bis, e despediu-se também ele do estádio com dezasseis golos ali apontados.
O último jogador a marcar nas Antas viria a ser dias depois o primeiro grande herói do Dragão ao bisar novamente, desta feita frente ao Man. United para a Liga dos Campeões.
Nove anos depois, o que mudou além do nome? As cores das cadeiras? Certo. O azul vivo das Antas deu lugar a um azul escuro e 'triste' no Dragão. Mas com o fim do Estádio das Antas, foi-se também o ambiente mágico que ali se vivia sempre que o FC Porto jogava em casa. E neste caso convém referir que tal como as Antas, também a antiga Luz e o antigo Alvalade tinham ambientes muito mais especiais do que os actuais.
No estádio onde o Man. United sucumbiu em 1978 e saiu goleado por 4-0; e onde a Lázio havia sido goleada há pouco menos de um ano atrás por 4-1 para a Taça UEFA, o Estrela da Amadora deu uma boa réplica ao FC Porto mas foi incapaz de se tornar a última equipa a fazê-lo nas Antas.
E, já agora, vamos às últimas coincidências e incidências das Antas: os tricolores foram, então, a última equipa a defrontar o FC Porto naquele estádio; o seu atleta Rogério foi o último jogador a levar um cartão amarelo ali; Jaime do Rio Ave foi o último jogador a ser expulso nas Antas a 5 de Janeiro do mesmo ano; e Jacinto Paixão arbitrou o último jogo oficial que o mesmo estádio acolheu.
Além disto, há a referir a infeliz coincidência de Miki Fehér ter falecido na mesma jornada deste FC Porto - Est. Amadora. O húngaro faleceria no dia seguinte em Guimarães, sendo que Juba, jogador do Est. da Amadora na altura, faleceu a 16 de Janeiro de 2008.
Por fim, apenas salientar que entre 1952 e 2004, o FC Porto festejou nas Antas dezasseis campeonatos e 'meio', enquanto que em nove anos, o Dragão já leva seis títulos e 'meio' de campeão nacional.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

CAN 2013: África do Sul 2-0 Angola

África do Sul e Angola defrontaram-se hoje em jogo a contar para a segunda jornada do Grupo A da CAN 2013, com os sul-africanos a vencerem por 2-0 e a assumirem a liderança de forma provisória.
Com Mateus do Nacional a titular, Angola fez um jogo muito aquém das expectativas e foi totalmente dominada pela sua congénere da África do Sul.
Curiosamente ou não, até foi Mateus o primeiro jogador a poder marcar na partida, quando aos três minutos ganhou a bola no corredor direito e ainda de longe rematou rasteiro para defesa apertada de Khune, mas com o árbitro a não marcar canto.
A resposta dos 'Bafana-Bafana' surgiu seis minutos depois na sequência de uma bola parada e com os dois centrais no lance: primeiro o capitão Khumalo falhou a emenda de cabeça, e ao segundo poste Sangweni não teve a frieza necessária para inaugurar o marcador.
O jogo entrou de seguida numa fase em que não haviam oportunidades de golo, mas havia a supremacia total da África do Sul, que com uma postura totalmente diferente daquela com que havia defrontado Cabo Verde, dominava a partida a seu bel-prazer, faltando apenas mais concentração na hora de finalizar.
Se o primeiro aviso dos africanos tinha surgido graças a um lance de bola parada, quis o destino que o primeiro golo da partida acontecesse de igual forma: livre cobrado na direita, bola dividida entre Mphela e Lunguinha, com o angolano a cabecear para trás, onde apareceu o central Sangweni a bater o desamparado Lama para o 1-0 aos 29' minutos.
Até ao intervalo, ambas as selecções podiam ter marcado, primeiro Angola novamente por Mateus aos 42' minutos, com o jogador do Nacional desta vez a atirar por cima quando tinha tudo para empatar, e na resposta, Mphela a ficar perto do 2-0.
A segunda parte iniciou-se de forma caricata: aconteceram duas substituições, uma para cada lado, mas Angola iniciou a partida com dez jogadores, porque o árbitro da partida não contou os 'palancas' presentes em campo, e deixou o nosso bem-conhecido Djalma junto ao seu banco de suplentes.
Após alguns protestos por parte do uruguaio Gustavo Ferrín, técnico de Angola, Djalma entrou na partida para testemunhar 'in loco' uma grande jogada de dois companheiros aos 53' minutos: Lunguinha e Mateus combinaram bem pela direita, com este último a fazer uma bela arrancada e a servir Guilherme Afonso que rematou à figura de Khune.
Angola desperdiçava uma bela ocasião para marcar, enquanto que os sul-africanos viriam a aumentar a contagem aos 62' minutos pelo recém-entrado Majoro, que fez o que quis da defensiva angolana e culminou o seu trabalho individual com um 'túnel' a Lama para o 2-0.
Os 'Palancas Negras' esboçaram uma pequena reacção ao segundo golo sul-africano, e em mais uma investida pelo lado direito do seu ataque, o lateral Lunguinha após nova combinação com Mateus, rematou também ele à figura de Khune.
A África do Sul continuava perigosa nas suas transições ofensivas, e sempre com Majoro a ser o elemento mais dinamizador do seu ataque, ficando perto de marcar novamente por duas ocasiões.
Manucho tentou reduzir para Angola aos 85' com um cabeceamento que, à semelhança de Guilherme Afonso e Lunguinha, saiu à figura de Khune, Khune esse que rapidamente meteu a bola na frente, onde Majoro tentou um chapéu a Lama que por pouco não assinou o 3-0.
Até final a partida não teve mais incidências dignas de registo, ficando para a história uma vitória justa dos anfitriões que se estrearam assim a vencer nesta CAN. De forma provisória, a África do Sul passa a somar quatro pontos contra um de Angola, que no próximo domingo defronta Cabo Verde.
Nota ainda para o facto do lateral-direito angolano Lunguinha, ser reforço do V. Setúbal logo após o término da participação angolana na CAN.
Ficha de Jogo:

Jogo disputado no Estádio Moses Mabhida, em Durban - África do Sul
Árbitro Principal: Koman Coulibaly (Mali)

África do Sul (4-4-2): Khune; Ngcongca, Khumalo, Sangweni e Masilela; Phala, Furman, Mahlangu (Letsholonyane 45') e Parker; Rantie (Majoro 58') e Mphela (Manyisa 78').
Treinador: Gordon Igesund. Suplentes Não Utilizados: Meyiwa e Sandilands; Gaxa, Nthethe, Matlaba, Serero, Dikgacoi, Tshabalala e Chabangu.

Angola (4-5-1): Lama; Lunguinha, Dani, Bastos e Miguel; Pirolito, Dedé (Gilberto 65'), Mateus, Geraldo (Djalma 46') e Guilherme Afonso (Amaro 85'); Manucho.
Treinador: Gustavo Ferrín. Suplentes Não Utilizados: Landú e Neblú; Fabrício, Marco Airosa, Mingo Bile, Manucho Dinis, Zuela, Manuel e Yano.

Disciplina:
Amarelos: Dani 50'.

Marcador: 1-0 Sangweni 29'; 2-0 Majoro 62'.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

II Divisão: 16ª Jornada

(Cesarense 0-2 Ac. Viseu - autoria: facebook do FC Cesarense.)
A Zona Norte da II Divisão continua a não ter uma jornada 'pacífica', dadas as constantes percas de pontos de alguns candidatos. Esta semana, foi a vez de Ribeirão e Vizela escorregarem: os famalicenses empataram a uma bola na casa do Fafe, enquanto que os bracarenses não saíram do nulo em Amarante. O D. Chaves venceu em Joane por 2-1 e aproximou-se da liderança de forma provisória, uma vez que o Mirandela não jogou em Santo Tirso frente ao Tirsense, devido ao mau tempo.
O Boavista venceu o Vilaverdense por 3-0 e subiu alguns lugares na tabela, tendo inclusive ultrapassado um Varzim em quebra, que não foi além de uma igualdade caseira frente ao Padroense a um golo. O Infesta interrompeu a sua recuperação e foi copiosamente goleado em casa pelo Limianos por 4-1, enquanto que Gondomar e Famalicão empataram a uma bola.
Na Zona Centro, continua a 'dança' entre Anadia e Cinfães, com os durienses a perderem por uma bola a zero na casa do Nogueirense, e com os bairradinos a subirem à liderança fruto de um triunfo por 2-0 sobre o SJ Vêr. O Ac. Viseu venceu na casa do Cesarense também por 2-0 e está cada vez mais perto do primeiro lugar, enquanto que o Sp. Espinho empatou a uma bola no terreno do Sousense e mantém-se no quarto posto.
A subir de forma está também o Pampilhosa, que ao bater o Tourizense por uma bola a zero, alcançou o SJ Vêr na quinta posição. O Operário venceu o Tocha por 3-0, enquanto que o Coimbrões não conseguiu viajar para os Açores a tempo de defrontar o Lusitânia, devido ao mau tempo. BC Branco e Bustelo empataram a uma bola.
Na Zona Sul, o Mafra perdeu por 2-0 no terreno do Louletano e viu o Farense aproximar-se, devido à vitória dos algarvios na casa do Futebol Benfica por uma bola a zero. O Torreense venceu por igual resultado na casa do Pinhalnovense e continua em igualdade com a U. Leiria na terceira posição, fruto da goleada imposta pelos leirienses ao Quarteirense por 4-0.
Casa Pia e 1º de Dezembro não saíram do nulo, enquanto que o Carregado venceu o Ribeira Brava na Madeira por 3-1. O Oriental goleou o Oeiras fora-de-portas por expressivos 4-0 e mantém-se com dois pontos de vantagem para o Sertanense, que ontem derrotou o Fátima por 1-0.
A II Divisão regressa no próximo fim-de-semana.

III Divisão: 15ª Jornada

(Penalva do Castelo 0-0 Salgueiros - autoria: blogue do SC Penalva do Castelo.)
O Bragança perdeu na recepção ao Santa Maria por uma bola a zero e protagonizou pela negativa a grande surpresa da jornada quinze da Série A da III Divisão. Ainda assim, os brigantinos não foram alcançados pelo Ronfe, uma vez que estes empataram a uma bola no terreno do Ponte da Barca. Quem se aproximou do topo foi o Vianense, que bateu o Melgacense por 2-0.
O Maria da Fonte derrotou o Esposende por 2-1 e aumentou distâncias para a sétima posição, ao contrário do Taipas que empatou em casa frente ao Marinhas a duas bolas. Merelinense e Monção empataram a um golo.
Na Série B, a Oliveirense venceu o Leça por 2-0 e continua na liderança com um ponto à maior sobre Felgueiras e Lousada: os felgueirenses golearam o Vila Real por 4-1; enquanto que o Lousada bateu o Serzedelo por uma bola a zero.
Paredes e Pedras Rubras empataram a uma bola, tal como Aliados de Lordelo e Vila Meã. Já Santa Eulália e Rebordosa empataram a três golos. De referir ainda que na passada quarta-feira, o Pedras Rubras venceu em Vila Real por 1-0 na repetição do jogo referente à décima terceira jornada.
Na Série C, só o Grijó logrou vencer, tendo batido o Parada por uma bola a zero. De resto, U. Lamas e Estarreja empataram sem golos, tal como Penalva do Castelo e Salgueiros.
Alba e Oliv. de Frades empataram a um golo, à semelhança do que aconteceu entre Sampedrense e Avanca. O encontro entre Oliv. do Bairro e Aguiar da Beira foi adiado devido ao mau tempo que se fez sentir em Portugal continental durante este fim-de-semana.
Na Série D, o líder Pombal voltou a escorregar, ao perder no terreno do Marinhense por uma bola a zero. Num duelo entre dois outros candidatos, o Oliv. do Hospital foi vencer a casa do Sourense por 2-1 e subiu à segunda posição em igualdade com o Caldas, que bateu o Beneditense por 3-0.
Quem também escorregou foi o Sernache, que empatou sem golos frente ao Torres Novas na sua própria casa, enquanto que o Alcobaça bateu o Mortágua por 2-1. O encontro entre Penelense e Alcanenense foi adiado devido ao mau tempo.
Na Série E, o Sintrense goleou o Peniche por expressivos 6-0 e continua líder juntamente com o Eléctrico, que derrotou o Barreirense por 2-1. Num jogo entre históricos, o Fabril venceu o Amora por uma bola a zero.
O Sacavenense bateu o Tires por duas bolas a uma e é terceiro juntamente com o Fabril, enquanto que Pêro Pinheiro e Lourinhanense empataram a três golos. O Real venceu o Cartaxo por 3-0 e subiu ao sexto lugar.
Na Série F, o U. Montemor venceu o Esp. de Lagos por uma bola a zero e afastou os algarvios da liderança, mas continua a ser seguido de perto pelo Moura, que ontem venceu fora-de-portas o Castrense por 2-1. Juv. de Évora e Vasco da Gama não saíram do nulo.
O At. Reguengos derrotou o Aljustrelense por uma bola a zero e subiu ao terceiro lugar, mesmo resultado com que o Monte Trigo levou a melhor sobre o Lusitano VRSA. O Sesimbra foi vencer a casa do Lagoa por duas bolas a uma.
Na Série Açores, o Praiense venceu em casa do Flamengos por 2-0 e aumentou distâncias para o Angrense, em virtude da derrota caseira dos angrenses frente ao Santiago por uma bola a zero.
O Rabo de Peixe bateu o Vitória do Pico por 2-0 e continua de 'mãos dadas' com o Sp. Ideal na terceira posição, graças à vitória dos idealenses sobre o Barreiro por 4-2. O Praínha goleou o Marítimo da Graciosa por concludentes 4-0.
A III Divisão regressa no próximo fim-de-semana.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

África: Os 'portugueses' da CAN

(El Adoua é um dos três africanos que o V. Guimarães tem na CAN 2013.)
Começa amanhã a Taça das Nações Africanas, conhecida por CAN, e que definirá o novo campeão africano de selecções, depois da Zâmbia ter conquistado o torneio no ano passado.
Portugal estará indirectamente representado na CAN por dezoito jogadores que pertencem a clubes lusos, e que estão, naturalmente, divididos por oito selecções.
O pontapé-de-saída da prova será dado amanhã em Joanesburgo, com a selecção local, a África do Sul, a defrontar Cabo-Verde, curiosamente a nação que mais 'portugueses' contempla, uma vez que dez jogadores do seu plantel jogam no nosso País.
No outro jogo do grupo, Angola defrontará Marrocos, e cada equipa conta com um atleta que na presente temporada joga em Portugal.
No Grupo B, estarão Congo, Mali, Niger e Gana, sendo que apenas malianos e ganeses seleccionaram jogadores a actuarem em terras lusas.
No Grupo C, teremos mais dois representantes, espalhados por Nigéria e Zâmbia, sendo que Burquina Faso e Etiópia não seleccionaram qualquer atleta a jogar no nosso País.
Finalmente, no Grupo D, entre Argélia, Costa do Marfim, Togo e Tunísia, apenas os argelinos chamaram jogadores 'portugueses', e logo dois.
Posto isto, ficam em baixo os dezoito jogadores que actuam no nosso País e que por estes dias vão tentar brilhar pelas suas selecções na CAN:

Angola: Mateus (Nacional)
Argélia: Halliche (Académica) e Soudani (V. Guimarães)
Cabo-Verde: Babanco, David Silva e Djaniny (Olhanense); Gegé e Heldon (Marítimo); Nivaldo (Académica); Pecks (Gil Vicente); Sténio (Feirense); Platini (Santa Clara) e Rambé (Belenenses)
Gana: Atsu (FC Porto)
Mali: N'Diaye (V. Guimarães)
Marrocos: El Adoua (V. Guimarães)
Nigéria: Elderson (Sp. Braga)
Zâmbia: M'Bola (FC Porto-B)

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Taça de Portugal: Belenenses e Benfica vitoriosos

(Jardel cabeceia entre dois defensores da Briosa, durante o jogo desta noite.)
Belenenses e Benfica qualificaram-se hoje para as Meias-Finais da Taça de Portugal, depois de golearem Arouca e Académica respectivamente, por 4-1 e 4-0, com a curiosidade de ambos terem jogado fora-de-portas, mas mesmo assim terem veiculado a sua faceta goleadora.
Em Santa Maria da Feira, casa emprestada do Arouca, o Belenenses entrou a perder graças a um golo de André Claro logo aos sete minutos, e encetou depois uma recuperação fantástica, com Tiago Silva a empatar aos 55', Diakité a fazer o 1-2 aos 64', Kay a apontar o terceiro aos 76', e com Fernando Ferreira a fechar as contas do marcador já para lá do minuto noventa.
O Benfica, por sua vez, deslocou-se até Coimbra onde goleou a Académica por 4-0, com Ola John a abrir o activo logo aos cinco minutos, Lima a bisar aos nove e 27', e com Salvio a encerrar o placard com o quarto golo ao minuto 71'.
Seguem-se as Meias-Finais, com o Benfica a deslocar-se a Paços de Ferreira na primeira mão, e com o V. Guimarães a receber o Belenenses. O primeiro jogo disputa-se no próximo dia 30 de Janeiro, enquanto que a segunda mão será jogada a 17 de Abril.

Djalmir: O regresso do manager-goleador

(Momento em que Djalmir rende Abdi ao minuto 66' do Olhanense - Sporting do passado domingo.)
De repente, o Olhanense viu-se sem jogadores, e encontrou no manager Djalmir, uma possível solução para combater a onda de castigos e lesões que assolavam o seu plantel.
Ainda com Sérgio Conceição ao leme, Djalmir regressou aos treinos quase um ano depois de ter colocado um ponto final na carreira, e quis então o destino, que o avançado brasileiro voltasse ao relvado sob as ordens do mesmo técnico que o havia atirado na temporada passada para fora das opções.
Mas Conceição orientou Djalmir por pouco tempo, uma vez que consumou a sua mais que falada saída na semana passada, e para o seu lugar chegou Manuel Cajuda, um algarvio de gema.
Cajuda deu 'luz verde' à inscrição de Djalmir, e o avançado radicado em Portugal há mais de dez anos, estreou-se no passado domingo contra o Sporting.
O ConversasRedondas quis ouvir da boca do próprio Djalmir o que o levou a regressar ao futebol enquanto jogador, e esteve à conversa com o goleador, que começou por falar sobre os motivos que lhe possibilitaram este regresso:
"O que me levou a trocar o gabinete pelos relvados, foi não só a minha vontade de continuar a jogar, mas também devido a alguns problemas na nossa equipa em relação à finalização, aliado à falta de dinheiro para contratar mais um avançado, visto que já temos três."
Djalmir Vieira de Andrade tem trinta e seis anos, e chegou a Portugal no ano de 2000. Como já se percebeu, colocou um ponto final na sua carreira no fim da época desportiva 11/12, mas regressou este mês ao activo, quando está prestes a completar trinta e sete anos.
O avançado conta que regressa com muita vontade e motivação, e não põe de lado a hipótese de continuar a jogar por mais algum tempo, como fez questão de nos explicar:
"Sinto-me motivadíssimo para continuar a jogar, pela vontade que tenho e por achar que nunca deveria ter parado, pois ainda me sinto em condições de marcar golos e ajudar a equipa neste momento difícil. Quanto a prolongar a carreira, o futuro logo dirá."
Em jeito de nota final, Djalmir indica a sua preferência pelos golos:
"Para mim, o que é mais difícil é estar por detrás de uma estrutura profissional. Marcar golos acho mais fácil (risos)."
Djalmir chegou a Olhão na temporada 06/07, pelo que já vai na sétima temporada consecutiva ao serviço dos rubro-negros. Para trás ficaram passagens por Famalicão - onde deu nas vistas com trinta golos em quarenta e um jogos na II Divisão B -, Belenenses, Salgueiros e Feirense.
Meyong e João Tomás foram-se embora, Djalmir regressou. Justo.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Taça de Portugal: Paços e Guimarães nas Meias-Finais

(Josué, aqui marcado por Halisson, parece ganhar 'a frente' ao brasileiro do Gil Vicente.)
Paços de Ferreira e V. Guimarães apuraram-se hoje para as Meias-Finais da Taça de Portugal ao eliminarem Gil Vicente e Sp. Braga, respectivamente.
Primeiros a entrarem em campo, pacenses e gilistas lutaram até aos últimos instantes dos noventa minutos pela passagem à semi-final, com Yero a adiantar os da casa no marcador logo aos 17' minutos com um auto-golo. João Vilela empatou para a turma de Barcelos aos 72' minutos, e já quando toda a gente esperava o prolongamento, Caetano fez o 2-1 final para o Paços aos 90+2' minutos.
No outro jogo do dia, o derby entre V. Guimarães e Sp. Braga sorriu aos da casa, que foram 'obrigados' a recorrerem ao prolongamento para eliminar o seu grande rival: Barrientos logo aos dezasseis segundos de jogo adiantou a turma vimaranense, mas Éder aos 85' minutos fez o empate a uma bola. Porém, o mesmo Barrientos que havia inaugurado o marcador, viria a fazer o 2-1 aos 94' minutos. Já sobre o apito final, Custódio teve tudo para fazer o 2-2, mas rematou contra Douglas.
Assim, Paços de Ferreira e V. Guimarães ficam agora à espera do que fazem Arouca, Belenenses, Académica e Benfica nos dois jogos de amanhã, para saberem quem irão defrontar na Meia-Final.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

II Divisão: 15ª Jornada

(Boavista 2-3 Famalicão - autoria: blogue "The Boavista Footballers".)
A décima quinta jornada da Zona Norte da II Divisão ficou marcada pela surpreendente derrota do Mirandela em casa do aflito Infesta por 3-0. Este desaire acaba por não trazer 'graves consequências' aos transmontanos, que viram Ribeirão e Chaves empatarem a uma bola, e beneficiaram do empate sem golos entre Varzim e Vizela. No jogo grande da jornada, o Famalicão foi ao Bessa derrotar o Boavista por 3-2 e reaproximou-se dos primeiros lugares.
O Fafe venceu o Limianos por uma bola a zero e alcançou o Vizela na terceira posição, enquanto que o Tirsense venceu o Padroense por 2-0 e está agora em igualdade pontual de forma curiosa com Famalicão e D. Chaves. Gondomar e Joane empataram a uma bola, enquanto que o Amarante somou o segundo triunfo consecutivo, tendo derrotado o Vilaverdense também por 2-0.
Na Zona Centro, o Anadia parece estar em quebra e foi derrotado na sua própria casa pelo Ac. Viseu por uma bola a zero. O Cinfães empatou a uma bola na casa do Lusitânia e perdeu a hipótese de se afastar na liderança, enquanto que o SJ Vêr goleou o Sp. Espinho por 3-0. Operário e Coimbrões não saíram do nulo.
O BC Branco não foi além de um empate caseiro a uma bola frente ao Sousense e foi alcançado pelo Pampilhosa na sexta posição, fruto da vitória dos bairradinos sobre o Bustelo por 2-1. O Cesarense venceu o Tocha por uma bola a zero, sendo que Nogueirense e Tourizense empataram a uma bola.
Na Zona Sul, U. Leiria e Farense protagonizaram o jogo grande da jornada, com a vitória a sorrir aos leirienses por uma bola a zero. Disto se aproveitou o Mafra que ao vencer na casa do Sertanense por igual resultado, reforçou a liderança. O Torreense goleou na casa do Futebol Benfica por 5-2 e subiu a par do Leiria à terceira posição, enquanto que o Oriental perdeu no terreno do Fátima por uma bola a zero e caiu para o quinto lugar.
O lanterna-vermelha Ribeira Brava bateu o Quarteirense por 3-0 e deu 'sinal de vida', beneficiando do empate entre Pinhalnovense e Oeiras a uma bola para ficar perto dos lugares acima da linha-de-água. O Louletano foi derrotado em casa pelo 1º Dezembro por 2-0, enquanto que Casa Pia e Carregado empataram também a uma bola.
A II Divisão regressa no próximo fim-de-semana.

III Divisão: 14ª Jornada

(Salgueiros 08 2-0 U. Lamas - autoria: Carlos Sá Costa.)
Na Série A da III Divisão, o Bragança continua em grande e foi vencer ao terreno do Melgacense por 2-1. Na peugada dos brigantinos continua o Ronfe, que bateu o Merelinense por 2-0. Já o Vianense foi vencer a casa do Monção por uma bola a zero e continua terceiro.
Santa Maria e Maria da Fonte empataram a uma bola e seguraram quarto e quinto posto respectivamente, enquanto que Esposende e Taipas empataram a dois golos. O Marinhas derrotou o Ponte da Barca por uma bola a zero.
Na Série B, a Oliveirense venceu em Vila Real por 2-0 e continua com um ponto de avanço para Felgueiras e Lousada, que também venceram: os felgueirenses em Pedras Rubras por 2-1, e os lousadenses em Santa Eulália por uma bola a zero.
O Paredes venceu em Vila Meã por 3-1 e reforçou a quarta posição, enquanto que o Al. de Lordelo venceu em Serzedelo por uma bola a zero e entrou nos seis primeiros. A grande surpresa da jornada foi protagonizada pelo Leça, que ao vencer o Rebordosa por 2-1, somou a primeira vitória da época.
Na Série C, o Estarreja continua a sua fantástica cavalgada e ontem venceu o Alba por uma bola a zero. O Salgueiros não desarma e venceu o U. Lamas por 2-0, enquanto que o Grijó dá sinais de recuperação, tendo vencido em Aguiar da Beira por 3-1.
O Ol. do Bairro foi vencer ao terreno do Avanca por 3-1 e além da derrota do Lamas, beneficiou da derrota do Penalva do Castelo na casa do Parada por 2-1, para entrar nos seis primeiros classificados. Numa jornada sem empates, o Ol. de Frades venceu na casa do Sampedrense também por 2-1.
Na Série D, numa jornada atípica, o líder Pombal bateu o Sourense por 2-0 e ganhou pontos a toda a mais directa concorrência: é que além de vencer a turma de Soure, os pombalenses viram o Caldas perder em Mortágua por 2-1, e o Oliv. do Hospital perder em casa frente ao Alcobaça por igual resultado.
Além destes dois resultados 'convenientes', o Pombal viu ainda o Sernache perder por uma bola a zero na casa do Alcanenense. Beneditense e Penelense empataram a uma bola, enquanto que Torres Novas e Marinhense cederam uma igualdade a dois golos.
Na Série E, o Sintrense empatou a uma bola na casa do Barreirense e foi alcançado na liderança pelo Eléctrico, graças ao triunfo dos alentejanos na casa do Cartaxo por uma bola a zero. A surpresa da jornada foi a derrota do Fabril na casa do Peniche, também por 1-0.
Esta jornada também foi atípica uma vez que aconteceram cinco vitórias em seis jogos, todas elas por 1-0. Além de Eléctrico e Peniche aconteceram mais três triunfos por esse resultado: o Amora derrotou o Sacavenense; o Tires bateu o Pêro Pinheiro; e o Real venceu na casa do Lourinhanense.
Na Série F, o Moura venceu o U. Montemor por 3-1 no grande jogo da jornada, causando a primeira derrota aos montemorenses no campeonato. O Esp. de Lagos foi surpreendido em casa pelo At. Reguengos, tendo perdido por 3-2, enquanto que o Lusitano VRSA bateu o Castrense por 2-0.
A Juv. de Évora venceu na casa do Aljustrelense por 3-1 e reforçou a sua presença nos seis primeiros, continuando em igualdade pontual com o Sesimbra, que bateu o Monte Trigo por uma bola a zero. O Vasco da Gama venceu o Lagoa por 2-0.
Na Série Açores, o Praiense regressou à 'normalidade', tendo ganho ao Marítimo da Graciosa por 4-2, enquanto que o Angrense venceu na casa do Vitória do Pico por 2-0.
O Sp. Ideal venceu por 4-1 no terreno do Flamengos e alcançou o Rabo de Peixe na terceira posição, enquanto que o Santiago venceu o Praínha por 2-0 e é quinto. Barreiro e Rabo de Peixe empataram a duas bolas.
A III Divisão regressa no próximo fim-de-semana.

domingo, 13 de janeiro de 2013

Liga ZON: Benfica e FC Porto empatam a duas bolas

Terminou empatado a duas bolas o clássico disputado hoje entre Benfica e FC Porto, que representou o jogo grande da jornada catorze do nosso principal campeonato.
O jogo teve dezassete minutos loucos, onde aconteceram quatro golos, sendo que o resto do tempo foi pautado pelo equilíbrio de parte-a-parte e por um jogo muito disputado a meio-campo. Em suma, o resultado entre as duas melhores equipas lusas é inteiramente justo.
Uma desmarcação rápida de Defour logo no primeiro minuto de jogo, à qual o árbitro assistente assinalou fora-de-jogo erradamente, dava o mote para o que aí vinha.
Salvio ainda desviou um canto ao primeiro poste para testar a atenção de Helton, mas o golo apareceria do outro lado aos oito minutos: livre cobrado por Moutinho, Jackson faz um primeiro desvio, e Mangala aparece vindo de trás a tirar a bola do alcance de Artur e a abrir o marcador.
Na resposta, e na sequência de um canto cobrado por Melgarejo, Cardozo assistiu Jardel, o central deixou para Matić, e este sozinho à entrada da área, disparou uma bomba para o fundo das redes. Estava feito o empate, com um grande golo do médio sérvio.
O jogo seguia a um ritmo electrizante: era bola cá e bola lá, com ataques para um e ataques para o outro, mas também com erros individuais nos dois lados, nomeadamente de ambos os guardiães: primeiro Helton sentiu-se apertado por Cardozo e ia fazendo um disparate; a seguir Artur deu a bola a Jackson, foi atrás do colombiano, mas este ultrapassou-o e já com Garay por perto, conseguiu empurrar para a baliza deserta, de nada valendo a tentativa de corte do central argentino.
Quinze minutos cumpridos e o FC Porto estava na frente. Curiosamente ou não, tal como havia acontecido minutos antes, o Benfica precisou apenas de dois minutos para fazer a igualdade, agora com novo erro de Helton: o guardião não segurou um remate encarnado, viu Otamendi falhar o corte, e Gaitán agradeceu a ambos, fuzilando o guarda-redes contrário para o 2-2.
E a emoção do jogo foi-se desvanecendo a partir daqui. O Benfica tentava, o FC Porto tentava, mas oportunidades claras não surgiram.  Passou, a partir daí, a predominar-se a luta pelo meio-campo, e constantes posses de bola tanto numa como noutra formação.
O intervalo chegava momentos depois de Cardozo ter sido obrigado a ligar a cabeça devido a uma entrada mais dura de Mangala, e de João Moutinho também ter saído mal tratado de um choque com um adversário.
A etapa complementar já teve um arranque diferente do da primeira. Foi um arranque que se assemelhou muito à forma como as equipas haviam acabado ido para intervalo: encaixadas uma na outra, a preservarem a posse de bola, e a tentarem alvejar as balizas através do contra-ataque.
A diferença maior era na forma como o FC Porto se apresentava nessa luta a meio-campo: mais inteligente, mais rápido a sair a jogar e, principalmente, mais autoritário. Jesus sentiu isso e trocou Enzo Pérez por Carlos Martins. O argentino passou um pouco ao lado das suas tarefas e das suas marcações, mas a entrada do médio luso pouca diferença fez, verdade seja dita.
Ainda assim, o Benfica conseguiu voltar à luta pelo meio-campo e já depois de ter lançado Aimar por troca com Lima, Jesus viu Cardozo ficar perto de marcar aos 77' minutos: isolado, o paraguaio surgiu na cara de Helton e o remate saiu o mais esticado possível. Porém, o guardião brasileiro conseguiu desviar ligeiramente a bola, e esta bateu no poste direito da sua baliza.
Esta foi a única grande oportunidade do segundo tempo, até porque não houve mais nenhuma. Ao Porto faltou, essencialmente, mais alguém para fazer a diferença no ataque. Tempo houve, isso sim, para a estreia de Marat Izmaylov com a camisola dos Dragões.
Em jeito de conclusão, salientar apenas que o resultado é justo, e que se assistiu a uma bela partida de futebol entre aquelas que são, sem a mínima dúvida, as melhores equipas portuguesas.
Ficha de Jogo:

Jogo realizado no Estádio da Luz, em Lisboa
Quarteto de Arbitragem composto por: João Ferreira (Árbitro Principal - AF Setúbal); António Godinho e Luís Ramos (Árbitros Assistentes); Marco Ferreira (Quarto Árbitro)

Benfica (4-4-2): Artur; Maxi Pereira, Garay, Jardel e Melgarejo; Matić, Gaitán (Ola John 87'), Enzo Pérez (Carlos Martins 58') e Salvio; Lima (Aimar 69') e Cardozo.
Treinador: Jorge Jesus. Suplentes Não Utilizados: Paulo Lopes; Roderick, Bruno César e Alan Kardec.

FC Porto (4-4-2): Helton; Danilo, Mangala, Otamendi e Alex Sandro; Fernando, Lucho (Castro 90+3'), João Moutinho e Defour (Izmaylov 75'); Varela (Abdoulaye 88') e Jackson Martínez.
Treinador: Vítor Pereira. Suplentes Não Utilizados: Fabiano; Tozé, Kelvin e Sebá.

Disciplina:
Amarelos: Enzo Pérez 47'; Matić 63'; João Moutinho 82'; Maxi Pereira 86'.

Marcador: 0-1 Mangala 08'; 1-1 Matić 10'; 1-2 Jackson Martínez 15'; 2-2 Gaitán 17'.

sábado, 12 de janeiro de 2013

Segunda Liga: Trofense 2-1 D. Aves

Num duelo de vizinhos, o Trofense venceu hoje o D. Aves por 2-1, em jogo a contar para a vigésima segunda jornada da Segunda Liga, e com este triunfo, a turma da Trofa ganha um 'balão de oxigénio', uma vez à entrada para esta jornada, ocupava a última posição com quinze pontos.
Agora, os trofenses estão à condição no penúltimo lugar da tabela, esperando para ver o que fará o Freamunde amanhã. Já o D. Aves foi alcançado pelo Arouca na terceira posição, perdendo uma boa ocasião para ascender à vice-liderança.
De forma curiosa, os dados antes da partida indicavam-nos que a última derrota do Aves para o campeonato havia sido a 11 de Novembro de 2012, tal como a última vitória do Trofense na Segunda Liga havia sido nesse mesmo dia.
Talvez para justificar a posição de respeito que ocupava no campeonato, o D. Aves entrou a toda a força na partida, e logo aos dois minutos chegou ao golo: livre lateral cobrado por Vasco Matos na esquerda do seu ataque, e Rabiola de cabeça a bater Marco.
Entravam mal os da casa, que logo depois, aos seis minutos, viram Vasco Matos com um remate do meio-da-rua, enviar a bola à barra, depois desta ter ainda sido desviada por Marco.
Depois desta fase algo frenética, a partida baixou em termos de oportunidades de golo e de emoção, passando-se a assistir a um jogo mais de luta e contacto físico, muito por culpa da chuva que foi caindo ao longo da tarde na Trofa e que tornou o relvado muito pesado.
Só de bola parada é que ambas as equipas ficaram perto do golo, primeiro com o D. Aves a ameaçar de livre por intermédio de João Pedro; e depois com Luiz Alberto a responder para o Trofense na sequência de um pontapé de canto, ao desviar ligeiramente ao lado da baliza de Marafona.
A cinco minutos do intervalo, o Trofense marcaria por Gomis, mas se numa primeira instância Manuel Oliveira validou o golo, de seguida e após sinalética do seu auxiliar, anulou o golo à turma da casa por falta do avançado senegalês sobre o guardião contrário.
Porém, nos últimos suspiros do primeiro tempo, o Trofense chegaria ao empate depois de uma triangulação perfeita entre Jonathan, Tiago e Amorim que permitiu a este último entrar na área avense e finalizar sem hipótese para Marafona.
Ao intervalo, o empate era justo dada a produção das duas equipas, e também porque exceptuando o remate de Vasco Matos aos seis minutos, ninguém conseguiu criar perigo através de lances de bola 'corrida'.
A segunda parte começou também a um bom nível, com Amorim a tentar bisar aos 48', e com Vasco Rocha aos 50' e Rabiola aos 52' a responderem para o Aves, mas sempre sem dar golo.
O jogo adormeceu, e com o agravar do mau estado do relvado, a partida foi perdendo interesse e situações de golo, aparecendo Jonathan aos 72' minutos para contrariar esse facto: na sequência de um pontapé de canto, o avançado dos trofenses cabeceou ao poste, a bola ia direitinha para as mãos de Marafona, mas este deixou-a escapar e o Trofense dava a 'cambalhota' no marcador com muita sorte à mistura.
Este segundo golo da turma da casa castigava a turma forasteira que além de se ter visto obrigada a fazer duas alterações por lesão, não estava a justificar perder. Os avenses ficaram de cabeça quente, ainda para mais depois da expulsão de Vasco Matos aos 85' por acumulação.
Se com dez já era complicado chegar ao empate, com nove muito menos, uma vez que aos 90+2', Leandro derrubou Gomis quando este seguia isolado para a baliza de Marafona, e foi punido com cartão vermelho directo.
O empate era o resultado mais justo, mas a verdade é que o Trofense também fez pela vida frente ao terceiro classificado, mostrando atitude, raça e querer na conquista dos três pontos.
Ficha de Jogo:

Jogo realizado no Estádio do Clube Desportivo Trofense, na Trofa
Árbitro Principal: Manuel Oliveira (AF Porto)

Trofense (4-3-3): Marco; João Viana (Tiago Lopes 90+4'), Herbert Santos, Luiz Alberto e Diogo Coelho; Tiago, Edson e Amorim (Moises 82'); Rateira (Leandro Borges 87'), Jonathan e Gomis.
Treinador: Micael Sequeira. Suplentes Não Utilizados: Ricardo; Aires, Jorge Inocêncio e Paulinho.

D. Aves (4-3-3): Marafona; Leandro, João Paulo (Nuno Binaia 71'), Elvis e João Pedro; Romeu, Grosso (Tito 20') e Vasco Rocha (Dally 64'); Vasco Matos, Rabiola e Renato Reis.
Treinador: José Vilaça. Suplentes Não Utilizados: Rui Faria; Romaric, Lourenço e Renato Santos.

Disciplina:
Amarelos: Vasco Matos 30' e 85'; Rabiola 37'; João Paulo 39'; Tiago 58'; Leandro 61'; Edson 70'; Moises 90+3.
Vermelhos: Vasco Matos 85'; Leandro 90+2'.

Marcador: 0-1 Rabiola 02'; 1-1 Amorim 45+2'; 2-1 Marafona 73' (Auto-Golo).

Autoria das fotos: GlobalImagens.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Russos no FC Porto: o legado de Izmaylov

(Ovchinnikov é, até ao momento, o único russo que não se sagrou campeão pelo FC Porto.)
Existem relacionamentos amorosos que só resultam em casamento passado muitos anos, e após grande insistência por parte de um dos parceiros. E a vinda de Izmaylov para o FC Porto, encaixa-se parcialmente - ou totalmente? - neste conceito.
O interesse dos portistas no russo não surgiu agora, e muito menos no passado mês de Dezembro. Já era uma possibilidade que vinha sendo falada há bastante tempo, e que só agora se tornou realidade, face ao 'esgotar da paciência' dos responsáveis leoninos para com um russo de grande qualidade futebolística.
Quis o destino que Marat Izmaylov vista a camisola número quinze do FC Porto, mesmo número ostentado pelo seu compatriota Alenitchev durante os quatro anos que representou os Dragões.
E por falar em russos no FC Porto, à memória salta-nos logo os nomes de Kulkov, Yuran ou Ovchinnikov. Curiosamente, três jogadores que antes de jogarem nos azuis-e-brancos vestiram a camisola de um outro rival portista: o Benfica.
Começando por Ovchinnikov, guarda-redes de posição, as estatísticas indicam que em cinco anos em Portugal, o antigo guardião não foi nenhuma vez campeão nacional, apesar de ter representado o Benfica por duas épocas, o Porto por mais duas, e pelo meio, o Alverca.
No caso de Kulkov e Yuran, a situação é diferente: a dupla russa que se notabilizou ao serviço dos encarnados entre 1991 e 1994, e por quem foram campeões nacionais em 93/94, viria ainda a sagrar-se campeã pelo FC Porto no ano seguinte, em 94/95, depois de uma mudança algo atribulada a custo zero da antiga Luz para o já desaparecido Estádio das Antas. Em 1995 abandonaram o nosso país, mas Kulkov voltaria a Portugal em 99/00, para representar o Alverca.
E 'sobra' Alenitchev: quatro anos de azul ao peito - dois deles como colega de Ovchinnikov -, dois títulos de campeão nacional, uma Taça UEFA e uma Liga dos Campeões, já para não falar dos 'outros' títulos nacionais.
Ora, posto isto, convém lembrar as palavras de Izmaylov na passada terça-feira quando assinou contrato com o FC Porto: "estou há quase seis anos em Portugal e espero ser campeão este ano". A 'herança' em relação aos seus compatriotas que vestiram a camisola do Porto, como já se viu, não é fácil. Em quatro, três foram, pelo menos, campeões nacionais.
E de todos esses quatro, Alenitchev era o que menos dava nas vistas. Pacato, alheio a polémicas e problemas, e um jogador de inegável qualidade. Aliás, como Izmaylov o é. Basta querer.
E nós vamos, certamente, ver de que será o russo capaz no FC Porto, não esquecendo as 'célebres' e constantes lesões nos joelhos e...nas costas, como se queixou Vercauteren.
Colocando os títulos de lado, há várias curiosidades nesta ligação dos russos que já jogaram no FC Porto. Entre eles, jogaram apenas em três clubes diferentes no nosso país: Porto, Benfica e...Alverca, sendo que Kulkov e Ovchinnikov partilharam o balneário no Ribatejo em 99/00; Yuran e Kulkov foram colegas no Benfica entre 1991 e 1994, e depois nas Antas em 94/95; e Alenitchev teve Ovchinnikov como companheiro no FC Porto em 00/01 e até meio de 01/02.
Izmaylov será então pela lógica, o primeiro russo do FC Porto que não terá um compatriota no balneário, mas tal como aconteceu com Ovchinnikov, Kulkov e Yuran, chega ao Dragão proveniente de um clube rival, neste caso e pela primeira vez, do Sporting.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Taça da Liga: Sp. Braga - Benfica nas Meias-Finais

(Raúl, da Naval, tenta desarmar Amido Baldé, do V. Guimarães, durante o jogo desta tarde.)
FC Porto, Sp. Braga, Rio Ave e Benfica qualificaram-se hoje para as Meias-Finais da Taça da Liga, sendo que a única equipa a conseguir o primeiro lugar apenas na derradeira jornada foi o Rio Ave, que beneficiou da derrota do Paços de Ferreira em Alvalade, frente ao Sporting.
Os vilacondenses vão então defrontar o FC Porto no Dragão na semi-final, enquanto que o outro jogo dessa eliminatória será um 'escaldante' Sp. Braga - Benfica.
No Grupo A, o FC Porto recebeu e venceu o V. Setúbal por 1-0, com o golo a ser apontado por João Moutinho aos 44' minutos na transformação de uma grande penalidade. Na outra partida do grupo, o Nacional venceu o Estoril pelo mesmo resultado e o golo da vitória também surgiu através de um penalti convertido por Claudemir aos 54' minutos.
No Grupo B, Jesualdo Ferreira estreou-se no comando técnico do Sporting com um triunfo por 1-0 sobre o Paços de Ferreira, com o golo do triunfo a ser apontado por Van Wolfswinkel a dois minutos dos noventa. O 1-0 virou 'moda' nos jogos de hoje, já que o Rio Ave venceu o Marítimo nos Barreiros também por esse resultado, com golo de Bebé ao minuto 75'.
No Grupo C, o Sp. Braga venceu o Beira-Mar por 3-0 com golos de Carlão aos 38' minutos, Rúben Amorim aos 41' e Hugo Viana aos 88'. O V. Guimarães derrotou a Naval por 2-0, com golos de Ricardo aos 39' minutos e de Rafael Crivellaro aos 88'.
No Grupo D, Olhanense e Moreirense não saíram do nulo, enquanto que o Benfica venceu a Académica por três bolas a duas: os encarnados estiveram em vantagem com golo de Lima aos 40' minutos, mas Makelele em cima do intervalo e Saleiro aos 49' fizeram a reviravolta para a Briosa. Porém, em quatro minutos os encarnados deram a volta a situação com golos de Alan Kardec aos 62' e de Lima aos 66'.
As Meias-Finais da Taça da Liga disputam-se no próximo dia 27 de Fevereiro.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Prémios FIFA: Mourinho e Ronaldo voltam a não vencer

(Ronaldo e Mourinho foram desta vez ultrapassados por Messi e Del Bosque respectivamente.)
José Mourinho e Cristiano Ronaldo voltaram a ver a FIFA desprezar por completo o seu trabalho, atribuindo a Del Bosque o prémio de treinador do ano, e como não poderia deixar de ser, atribuindo a Messi o quarto título consecutivo de melhor jogador do Mundo.
Analisando bem as épocas destes quatro envolvidos, e começando pelos treinadores, Mourinho fez uma excelente campanha no campeonato espanhol nos primeiros meses de 2012, culminando esse mesmo trabalho com o título de campeão. O Real fez exactamente cem pontos e marcou cento e vinte e um golos, mais sete que o Barcelona. É certo que os merengues acabaram o ano 2012 'de rastos' em termos de resultados, estando já muito longe do Barça, mas por outro lado, Del Bosque 'pouco fez' para ser o melhor treinador do ano. Bem vistas as coisas, o técnico espanhol limita-se a copiar o modelo de jogo do Barça, gerindo as peças à sua maneira. Fez seis jogos, entre eles um jogo suadíssimo frente a Portugal, e foi campeão da Europa. Suficiente?
Quanto aos prémios de jogador, Ronaldo foi a grande figura do Real Madrid que se sagrou campeão. Ronaldo andou com a equipa literalmente 'às costas' e resolveu o jogo em Camp Nou, quando o Real deu um passo decisivo rumo ao título. Ronaldo teve um bom desempenho no Euro 2012, ajudou e muito Portugal a chegar às meias-finais, e marca golos que se farta, para quem não é ponta-de-lança. Messi fez noventa e um golos num ano, bateu recordes, é certo, mas não foi campeão espanhol, e em 2012 esteve ligeiramente distante de Ronaldo.
São os seleccionadores nacionais e respectivos capitães que votam - assim diz a FIFA -, mas até que ponto este organismo não influencia essas mesmas votações?
Ou Portugal é mesmo muito pequenino, ou então é grande demais para 'caber' na FIFA.

Liga ZON: Tonel reforça Beira-Mar

(Tonel já veste de preto e amarelo - autoria: facebook oficial do SC Beira-Mar.)
O internacional português Tonel, defesa-central de posição, é o mais recente reforço do Beira-Mar, tendo chegado hoje a acordo com a formação aveirense.
Trata-se do regresso de Tonel ao futebol português, quase três anos depois da sua saída do Sporting para o Dinamo Zagreb da Croácia, clube pelo qual jogou na Liga dos Campeões nas duas últimas temporadas, tendo, inclusive, defrontado Real Madrid e FC Porto.
Tonel assinou por época e meia com o Beira-Mar, estreando-se assim a jogar como sénior ao serviço de um clube do seu distrito, uma vez que é natural de Lourosa, concelho de Santa Maria da Feira e, claro está, distrito de Aveiro.
O central já participou no treino que os auri-negros realizaram esta tarde, estando a sua apresentação oficial divulgada para o fim desta mesma tarde.
Por agora, desconhece-se a possibilidade de Tonel se estrear com a camisola aveirense já na próxima quarta-feira frente ao Sp. Braga para a Taça da Liga, pois o Dinamo Zagreb terá que enviar o seu certificado internacional.

II Divisão: 14ª Jornada

(Vilaverdense 2-1 Varzim - autoria: blogue "Lobos do Mar".)
A décima quarta jornada da II Divisão foi atípica a Norte, uma vez que os primeiros não venceram: o Mirandela empatou em casa frente ao Fafe a uma bola; Limianos e Ribeirão não saíram do nulo, e o D. Chaves também não foi além de um empate caseiro frente ao Gondomar a uma bola. Disto se aproveitou o Vizela, que ao golear o Tirsense por 4-0, subiu ao terceiro lugar de forma isolada.
Outra das surpresas da jornada, foi a derrota do Boavista na casa do Joane por 3-2. Quem também deu 'sinal de vida' foi o Infesta, que foi vencer a casa do Padroense por 2-1. O Varzim perdeu por igual resultado no terreno do Vilaverdense, enquanto que o Famalicão, curiosamente ou não, foi derrotado no seu terreno pelo Amarante, também por 2-1.
Na Zona Centro, o Anadia foi derrotado na casa do lanterna-vermelha Tocha por duas bolas a zero, e cedeu a liderança ao Cinfães, que bateu o Operário por 3-1. O Sp. Espinho venceu o BC Branco por 2-1 e continua terceiro, enquanto que Ac. Viseu e SJ Vêr empataram a uma bola.
Sousense e Pampilhosa também empataram a uma bola, tal como Coimbrões e Cesarense. O Tourizense venceu o Lusitânia por 4-2 e subiu à sétima posição em igualdade com o Operário, enquanto que o Nogueirense foi vencer ao terreno do Bustelo por 2-0.
Na Zona Sul, o Mafra venceu o Fátima por 2-1 e continua líder, mas sempre seguido de perto pelo Farense, que bateu o Ribeira Brava por igual resultado. O Leiria perdeu também por 2-1 na casa do Torreense e além de ser alcançado pela equipa de Torres Vedras, foi ultrapassado pelo Oriental, que goleou o Pinhalnovense sem apelo nem agravo por 5-0.
Em queda parece estar o Sertanense que empatou a uma bola na casa do 1º Dezembro e está sem vencer há quatro jogos. Carregado e Louletano empataram a duas bolas, sendo que o Casa Pia venceu por duas bolas a uma na casa do Quarteirense. Por igual score, o Futebol Benfica foi ganhar a casa do Oeiras.
A II Divisão regressa no próximo fim-de-semana.

III Divisão: 13ª Jornada

(Felgueiras 2-0 Vila Meã - autoria: blogue "Notícias FC Felgueiras".)
A jornada treze da Série A da III Divisão, trouxe uma goleada de 6-2, imposta pelo Bragança ao Monção, que mantém os brigantinos na liderança isolada. O Ronfe venceu o Marinhas por 2-1 e reforçou a segunda posição, beneficiando do empate do Vianense a uma bola no terreno do Merelinense.
O Taipas bateu o Santa Maria por uma bola a zero e alcançou o Melgacense na sexta posição, fruto da derrota da turma de Melgaço na casa do Maria da Fonte por igual resultado. O Esposende venceu por 3-2 na casa do Ponte da Barca.
Na Série B, a Oliveirense venceu o Rebordosa por uma bola a zero e continua com um ponto de vantagem para Felgueiras e Lousada que também venceram os seus jogos: os felgueirenses bateram o Vila Meão por 2-0; enquanto que o Lousada derrotou o Leça por 1-0.
Também por 1-0, o Paredes derrotou o Serzedelo, enquanto que o Santa Eulália venceu o Aliados de Lordelo por 4-3. A partida entre Vila Real e Pedras Rubras foi adiada ao intervalo devido ao nevoeiro que se fez sentir para lá do Marão. Em tempo de descanso, o placard assinalava um nulo.
Na Série C, o Estarreja venceu por uma bola a zero no terreno do Sampedrense e beneficiou do empate a duas bolas entre Alba e Salgueiros, para 'fugir' aos mais directos adversários. O Grijó regressou aos triunfos, tendo ganho na casa do Oliv. do Bairro por expressivos 4-1.
Avanca e Oliv. de Frades protagonizaram um duelo intenso que viria a sorrir aos oliveirenses, que venceram por 4-3. O U. Lamas venceu o Parada por 4-2, enquanto que o Aguiar da Beira foi vencer ao terreno do Penalva do Castelo por duas bolas a uma.
Na Série D, Caldas e Oliv. do Hospital empataram sem golos e deixaram fugir o Pombal na liderança, graças à vitória dos pombalenses em Alcobaça por 3-1. O Sourense venceu o Torres Novas por duas bolas a zero e ascendeu à segunda posição.
Quem também se aproveitou do empate entre Caldas e Oliv. do Hospital, foi o Sernache, que ao vencer por 3-0 na casa do Penelense alcançou ambas as equipas na terceira posição. O Alcanenense perdeu por 2-1 na visita ao terreno do Marinhense, mas continua sexto, enquanto que o Mortágua venceu por uma bola a zero na casa do Beneditense e somou o primeiro triunfo na prova.
Na Série E, no grande jogo da jornada, o derby entre Barreirense e Fabril terminou empatado sem golos. Deste resultado se aproveitou o Sintrense, que ao golear o Cartaxo por 8-1 (!), ascendeu à liderança de forma isolada. Real e Tires empataram a uma bola.
O Sacavenense bateu o Pêro Pinheiro por uma bola a zero e voltou aos triunfos, mesmo resultado com que o Eléctrico levou de vencida o Lourinhanense. O Amora venceu o Peniche por 3-1.
Na Série F, o U. Montemor venceu o At. Reguengos por duas bolas a uma e continua firme na liderança, agora ainda mais devido às 'escorregadelas' de Esp. de Lagos e Moura: os algarvios empataram a uma bola na casa da Juv. de Évora; enquanto que os alentejanos não saíram do nulo frente ao Lusitano VRSA.
Castrense e Sesimbra empataram a uma bola, enquanto que o Monte Trigo venceu o Vasco da Gama por uma bola a zero. O Aljustrelense foi vencer a casa do Lagoa por 4-2 e entrou nos seis primeiros de forma isolada.
Nos Açores, a grande surpresa da jornada prende-se com o empate do Praiense a uma bola na casa do Sp. Ideal, sendo que esta é a primeira vez que os praienses perdem pontos no campeonato. O Angrense venceu o Barreiro por 3-0 e aproximou-se do líder.
Marítimo da Graciosa e Santiago não saíram do nulo, tal como Praínha e Vitória do Pico. O Rabo de Peixe venceu o Flamengos por 2-0.
A III Divisão regressa no próximo fim-de-semana.

sábado, 5 de janeiro de 2013

Benfica: João Cancelo ferido em acidente de viação

(João Cancelo soma dezoito jogos e um golo pela equipa bê do Benfica esta temporada.)
O lateral-direito do Benfica-B, João Cancelo, ficou este sábado ferido devido a um acidente de viação ocorrido ao princípio da madrugada de hoje.
O automóvel que Cancelo conduzia, despistou-se, e além de provocar ferimentos ao jogador encarnado, vitimou a mãe do próprio que acabou por falecer, provocando também ferimentos ligeiros ao seu irmão.
Tudo aconteceu por volta da 1h20 da madrugada, na auto-estrada que liga Lisboa ao Algarve, no sentido Norte-Sul, no troço Fogueteiro-Coina, no concelho do Seixal.
O Benfica informou ao princípio da tarde que o jogador se encontra de luto, falhando por isso o jogo dos bês amanhã nos Açores, frente ao Santa Clara.
João Cancelo, de dezoito anos, cumpre esta época o seu último ano de júnior, mas tem sido o titular da lateral direita da equipa bê encarnada. O jovem jogador conta já com três convocatórias para a equipa principal benfiquista, não tendo, porém, sido utilizado nenhuma vez.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Taças: Sp. Braga e Benfica vitoriosos

(Alan parece estar em vantagem na posição perante um defensor navalista.)
Sp. Braga e Benfica disputaram hoje jogos relativos à Taça da Liga e Taça de Portugal respectivamente, com a vitória a sorrir para ambas as formações encarnadas.
Na Taça da Liga, em jogo em atraso da segunda jornada da segunda fase de grupos, o Sp. Braga venceu a Naval por 2-1 na Figueira da Foz, tendo entrado a perder graças a um penalti convertido por Paulo Regula logo aos quatro minutos. Porém, Haas aos 23' minutos e Custódio aos 80' na conversão de uma grande penalidade, deram a 'cambalhota' favorável aos bracarenses.
Na Taça de Portugal, o Benfica goleou o D. Aves por 6-0 e qualificou-se sem espinhas para os Quartos-de-Final da prova, onde vai defrontar a Académica. Cardozo com hat-trick aos 12', 18' e 31' minutos, Rodrigo com bis aos 6' e 56', e Lima aos 73' de grande penalidade, fizeram os golos dos encarnados neste triunfo folgado sobre o terceiro classificado da Segunda Liga.
A última jornada da segunda fase de grupos da Taça da Liga, disputa-se dentro de uma semana, a 9 de Janeiro; enquanto que os Quartos-de-Final da Taça de Portugal serão jogados daqui a duas semanas, mais concretamente a 16 de Janeiro.