segunda-feira, 28 de maio de 2012

II Divisão - Play-Off - 3ª Jor: Tondela 0-0 Varzim

(Tondela 0-0 Varzim - autoria: blogue "Lobos do Mar".)
Tondela e Varzim empataram sem golos na terceira jornada do play-off de promoção à Liga Orangina, resultado que deixa ambas as equipas mais perto do segundo escalão, uma vez que o Fátima está já a quatro pontos de tondelenses e poveiros, e ainda tem de jogar duas vezes fora de casa.
Ontem, o Tondela entrou melhor na partida, assumindo o controlo das operações no primeiro tempo, perante um Varzim mais apostado em defender e a jogar no contra-ataque. Ainda assim, os da casa estiveram muito perto do golo aos 39' minutos, quando Tiago Barros enviou uma bola à barra da baliza de Miguel.
No segundo tempo, os varzinistas entraram mais desinibidos, criando várias situações de perigo, mas mais uma vez seria Tiago Barros a estar perto de dar a vantagem aos da casa, quando na marcação de um livre, rematou forte para defesa incompleta de Miguel.
O Varzim ficou reduzido a dez elementos a cerca de vinte minutos do fim, mas tal diferença não se espelhou em campo, apesar do forcing final do Tondela, na tentativa de chegar ao golo.
No próximo domingo, o Tondela recebe o Fátima.

III Divisão - Fase Final: 10ª Jornada - Última

(Valecambrense 2-1 Penalva do Castelo - autoria: blogue do SC Penalva do Castelo.)
Chegou ontem ao fim, aquela que ao que tudo indica, foi a penúltima temporada da III Divisão. Num dia em que pouco havia para decidir, há a referir a subida do histórico Ac. Viseu, e a subida inédita do Bustelo, ambos provenientes da Série C.
Na Série A, o já promovido Joane empatou sem golos na casa do Vianense e sagrou-se campeão de série, tendo a companhia do Vilaverdense na subida, uma vez que os bracarenses empataram sem golos na casa do principal rival, Santa Maria. O Maria da Fonte goleou o Bragança por uns 'desabituais', 7-2.
O Marinhas venceu o Amares por uma bola a zero e terminou na primeira posição juntamente com o Esposende, que bateu o Fão por 3-2. O Cerveira venceu o Melgacense por 3-1.
Na Série B, o há muito campeão Cesarense, fechou a época com uma vitória caseira sobre o Vila Real por 3-2, enquanto que o outro promovido, o Infesta, venceu o Rebordosa por 2-0. Num jogo sem história, o Sousense venceu o Grijó, também por 2-0.
O Alpendorada fechou a fase de manutenção com a primeira vitória nesta fase, tendo goleado o Mêda por 4-1. Leça e Serzedelo empataram a duas bolas, mesmo resultado com que terminou o encontro entre Lamego e Vila Meã.
Na Série C, as contas da subida ficaram para o fim, com o Ac. Viseu a vencer na casa do Sampedrense por uma bola a zero e a confirmar a primeira posição com os mesmos pontos do outro promovido, o Bustelo, que goleou o Nogueirense por 3-0 e vai jogar pela primeira vez na II Divisão. O Avanca foi vencer a casa do Alba, por 6-1!
Sanjoanense e Valecambrense despediram-se da III Divisão com um triunfo: os sanjoaninos bateram o Ol. de Frades por uma bola a zero; enquanto que os valecambrenses bateram o Penalva do Castelo por 2-1. Canas de Senhorim e Ol. do Hospital empataram a uma bola.
Na Série D, a última jornada marcou um duelo entre os dois primeiros classificados, com o Pampilhosa a vencer em Castelo Branco, o Benfica local, por 2-1. O Sourense goleou o Marinhense por 4-1, enquanto que o Tocha venceu em Pombal por 2-0.
O Peniche venceu em Alcobaça por uma bola a zero, enquanto que o Beneditense bateu o Riachense por 3-0. O há muito despromovido Bombarralense, folgou.
Na Série E, a derradeira jornada também ficou marcada por um duelo entre os dois promovidos: Oeiras e Futebol Benfica empataram sem golos. O Pêro Pinheiro venceu na casa do Real por 2-1, mesmo resultado com que o Casa Pia venceu no terreno do Sintrense.
A fase de manutenção ficou marcada por uma reviravolta na jornada decisiva: o Cartaxo bateu o Alcochetense por 2-1 e trocou de lugar com o seu adversário, assegurando a permanência nos Nacionais. O Sacavenense foi a Elvas golear a equipa local por 5-1, enquanto que Ol. de Montijo e Eléctrico empataram a duas bolas.
Na Série F, o campeão Farense fechou a temporada com um empate caseiro frente ao Aljustrelense, a três bolas. O Esp. de Lagos venceu o Quarteirense por 3-2, enquanto que o Messinense venceu o Sesimbra por duas bolas a zero.
O Fabril venceu na casa do Despertar por 3-0 e terminou na primeira posição, seguido pelo U. Montemor, que venceu por 3-2 na casa do Lagoa. Também por 3-2, o Pescadores venceu o Redondense.
Na Madeira, o campeão Pontassolense saiu goleado por 4-1 na deslocação ao terreno do Portosantense, equipa que venceu todos os jogos na segunda volta. O Caniçal bateu o Câmara de Lobos por 4-2, enquanto que o Estrela da Calheta venceu no Machico por 3-2.
Na fase de manutenção, nada mexeu em relação à última jornada, pois registaram-se mais três empates, que resultaram na descida do 1º de Maio, equipa que empatou a uma bola na casa do Santana. Porto da Cruz e Bairro da Argentina empataram sem golos, enquanto que Canicense e Andorinha empataram a duas bolas.
Finda a III Divisão, cá ficam os promovidos e despromovidos:

Promovidos à II Divisão Nacional: Joane, Vilaverdense, Cesarense, Infesta, Ac. Viseu, Bustelo, BC Branco, Pampilhosa, Futebol Benfica, Oeiras, Farense, Quarteirense, Lusitânia e Pontassolense.

Despromovidos aos Distritais: Amares, Cerveira, Fão, Mêda, Lamego, Alpendorada, Sanjoanense, Canas de Senhorim, Valecambrense, Riachense, Bombarralense, Alcochetense, Ol. do Montijo, Elvas, Pescadores, Redondense, Despertar, Guadalupe, Fayal, Micaelense, Águia e 1º de Maio.

sábado, 26 de maio de 2012

Fina: "Famalicão merece voltar aos palcos principais"

(Fina cumpriu a segunda temporada consecutiva ao serviço do Famalicão.)
Na sua história, constam seis presenças na I Divisão nacional. Mas, actualmente, as contas são outras. Arredado dos grandes palcos desde 1994, o Famalicão regressou esta temporada à II Divisão, e garantiu a manutenção já na fase final da época. O plantel fora construído para lutar pelos primeiros lugares, mas acabou de 'calculadora na mão' de forma a evitar a descida.
O blogue conversou com Fina, experiente médio dos famalicenses, que começou por abordar precisamente a questão dos objectivos do 'Fama' para a época 11/12 serem outros:
"O objectivo do clube, era andar nos lugares cimeiros e fazer a melhor classificação possível, mas principalmente estabilizar o clube na II Divisão, neste ano de transição da III Divisão. A curto prazo, o objectivo é levar o Famalicão às ligas profissionais. A direcção e os adeptos, precisam e querem o Famalicão de volta aos palcos principais."
Após a décima sexta jornada, o Famalicão era décimo terceiro na Zona Norte, com dezanove pontos, estando já dentro da linha-de-água. José Augusto acabou por sair do comando técnico, sendo substituído por Micael Sequeira, que entre outros clubes, orientou o Aves na Liga Orangina.
Para Fina, José Augusto foi vítima da irregularidade de resultados, com o jogador a salientar que a culpa tem de ser repartida pelos jogadores e não pelo treinador:
"Penso que o mister José Augusto foi vítima de alguma irregularidade de resultados, e nestes casos os treinadores são quase sempre as vítimas, embora a culpa tenha que ser repartida pelos jogadores. O que mudou com a chegada do mister Micael, foi principalmente o consciencializar dos jogadores para o restante campeonato, porque a margem de erro estava a esgotar-se e tínhamos que pontuar não só em casa, como também fora."
Na Taça, os famalicenses receberam o Sporting, num jogo a fazer relembrar os velhos tempos, e esse foi um dos pontos altos da temporada para Fina:
"Ponto alto da temporada, foi a carreira na Taça de Portugal que culminou com a recepção ao Sporting, e ainda a concretização do objectivo principal de estabilizar o clube na II Divisão. Ponto baixo, foi a irregularidade de resultados que levou à substituição do treinador."
Actualmente com trinta e três anos, Fina participou em vinte e quatro jogos no campeonato, todos como titular, e refere que fez uma boa temporada a nível pessoal:
"A nível pessoal, acabei por fazer uma boa época, pois penso que consegui ser regular ao longo do campeonato, embora como é natural, tivesse jogos menos positivos."
Quanto à próxima época, o jogador ainda não tem nada acertado, mas dá prioridade ao Famalicão no que toca a um novo contrato:
"O futuro ainda está indefinido, sendo que a prioridade será dada ao Famalicão, clube que me acolheu bem e que merece todo o meu respeito e que me faz aguardar pela sua definição directiva, para depois tomar uma decisão sobre o meu futuro."
Aos trinta e três anos, Fina repartiu a sua formação entre Ruivanense, V. Guimarães e Ronfe. Ao serviço do Ronfe estreou-se como sénior, representando depois Moreirense, Sanjoanense, Taipas, Merelinense, Joane e Maria da Fonte, antes de chegar ao Famalicão na temporada 10/11.

Nuno Oliveira: "Segredo foi o espírito de grupo"

(Na recepção ao Boavista na jornada vinte e nove, o SJ Vêr venceu por 2-1.)
Na Zona Centro da II Divisão, uma das maiores surpresas pela positiva, a par do Amarante, foi o SJ Vêr, que tal como os amarantinos, disputava a III Divisão na época anterior.
Afastados da II Divisão desde a temporada 02/03, os sanjoaninos terminaram o campeonato em igualdade com o Amarante na quinta posição, pois ambos somaram quarenta e nove pontos.
O blogue falou com Nuno Oliveira, experiente guardião da equipa do concelho de Santa Maria da Feira, que começou por revelar o 'segredo' para a época realizada:
"Na minha opinião, o grande segredo para a brilhante época que fizemos, é o espírito de grupo que existe, pois a maioria dos jogadores já jogam juntos há três épocas, e deixámos de ser uma equipa, para sermos uma família."
Depois de um excelente arranque de temporada, onde à sexta jornada era segundo classificado, o SJ Vêr quebrou entre as jornadas sete e dezassete, passando por alguns calafrios, embora sem nunca cair na linha-de-água.
Nuno Oliveira aponta para as lesões e os castigos na equipa como um dos problemas para a quebra da equipa, referindo ainda que a equipa teve de treinar várias vezes no campo pelado, devido ao mau tempo:
"Passámos por um período menos bom, pois tivemos bastantes lesões, e alguns castigos, e como é sabido nós não possuímos das melhores condições de treino. Devido ao mau tempo, tivemos que treinar várias vezes no pelado, e tudo isso originou a que a equipa tivesse uma quebra."
Como ponto alto da temporada, o guarda-redes aponta ao início de temporada, enquanto que em sentido contrário, fala na quebra entre as jornadas sete e dezassete:
"É claro que o ponto alto da temporada, foi o brilhante começo de época, pois uma equipa com pouca ou quase nenhuma experiência de II Divisão, conseguiu fazer um arranque brilhante. O ponto baixo, aconteceu sem dúvida entre as jornadas sete e dezassete pelas várias razões que enumerei, o que levou a que a equipa 'abanasse' um pouco."
Nuno Oliveira alinhou em vinte e sete jogos no campeonato, destacando que foi uma boa época a nível pessoal:
"A nível pessoal, penso que foi uma boa época, pois joguei praticamente todos os jogos, e ajudei a equipa a cumprir os seus objectivos."
Em relação à próxima temporada, o guardião abre as portas à sua continuidade em São João de Vêr:
"Quanto ao futuro, enquanto o SJ Vêr achar que eu reúno condições para ser útil à equipa, eu vou jogando. Quando o clube ou eu, concluir-mos que já não há condições, acaba. Eu digo isto, porque o meu trabalho não me permite treinar a qualquer hora, e quando o clube me convidou para ir para lá jogar, deu-me todas as condições para que eu pudesse conciliar as duas coisas."
Actualmente com trinta anos, Nuno Oliveira foi formado no Lourosa, clube pelo qual se estreou como sénior, quando ainda tinha idade de júnior. Daí 'saltou' para o Salgueiros, seguindo-se passagens por Esmoriz, Cesarense, novamente Lourosa e U. Lamas, antes de chegar ao SJ Vêr em 09/10.

terça-feira, 22 de maio de 2012

Marco Lança: "Segredo está no trabalho realizado"

(A festa dos jogadores do Mirandela, após o triunfo sobre o V. Setúbal na Taça de Portugal.)
Vencedor da Série A da III Divisão em 10/11, o Mirandela foi uma das surpresas da Zona Norte da II Divisão nesta temporada, uma vez que terminou o campeonato na quarta posição, já para não falar no percurso da equipa na Taça de Portugal, que deixou pelo caminho, entre outros, o V. Setúbal.
O blogue falou com Marco Lança, lateral esquerdo dos transmontanos, que começou por abordar a questão relacionada com o 'segredo' da equipa na temporada 11/12:
"O segredo da época que fizemos, está no trabalho realizado pelo plantel e por toda a equipa técnica, desde o início da temporada, e também graças à enorme vontade de ganhar por parte de todos os jogadores."
A meio de Outubro de 2011, o Mirandela recebeu o V. Setúbal na terceira eliminatória da Taça, e venceu por uma bola a zero. Na altura, os mirandelenses eram nonos na tabela, mas recuperaram a partir desse momento, chegando quase de forma imediata à quinta posição.
Marco Lança enaltece que a vitória sobre os sadinos moralizou a equipa, mencionando também o grande espírito de entre-ajuda dos jogadores do Mirandela:
"Claro que a vitória sobre o Setúbal nos moralizou. Foi uma excelente vitória, frente a uma equipa com grande história na prova e que queria defender o seu prestígio. Fomos muito fortes, com um grande espírito de entre- ajuda por parte de todos os jogadores, e com o apoio dos adeptos conseguimos fazer história e arrancar para um campeonato fantástico que não começou da melhor maneira, pois nos quatro primeiros jogos, conquistamos apenas três pontos."
Depois de eliminar o V. Setúbal na Taça de Portugal, o Mirandela eliminou de seguida o Gondomar no desempate por grandes penalidades, tendo sido eliminado pela Oliveirense nos Oitavos-de-Final, e também através do desempate por pontapés da marca de grande penalidade.
Marco Lança refere que o objectivo dos transmontanos, era chegar o mais longe possível:
"O objectivo na Taça de Portugal, era irmos o mais longe possível. Chegámos aos Oitavos-de-Final da prova, sendo eliminados nas grandes penalidades pela Oliveirense da Liga Orangina, depois de ao intervalo estarmos a ganhar por 1-0, e termos ficado reduzidos a dez jogadores a partir dos 55' minutos, por expulsão do Rui Borges."
Marco Lança aponta precisamente o percurso da equipa na Taça, como o ponto mais alto da temporada, enquanto que noutro plano, enumera a derrota em Chaves por 5-1, como o pior momento da época:
"Ponto alto da época, foi a chegada aos Oitavos-de-Final da Taça, enquanto que o ponto negativo foi a derrota em Chaves por 5-1, onde fomos insultados por alguns adeptos sem qualquer razão, porque a equipa fez tudo o que pôde nesse jogo, só que não fomos felizes nos primeiros dez minutos, pois sofremos dois golos de bola parada que influenciaram o resto do jogo."
Marco Lança foi o único totalista do Mirandela no campeonato, tendo naturalmente participado nos trinta jogos, fazendo um total de 2700 minutos. O próprio classificou esta época, como a sua melhor:
"A.nível pessoal, foi a melhor época, pois acabei por ser totalista nos trinta jogos do campeonato e apenas não fiz vinte minutos nos cinco jogos da Taça de Portugal. Sinto que tive um bom desempenho, tendo sido elogiado por colegas e adeptos, e acima de tudo sem nenhuma lesão, que é muito importante."
Quanto à próxima época, o jogador ainda não sabe onde vai actuar:
"Quanto ao futuro, ainda não sei de nada. Estou à espera de propostas, e depois logo se verá o que acontece."
Aos vinte e quatro anos, Marco Lança dividiu a sua formação entre Os Pelézinhos e o Sporting, tendo representado como sénior o Mafra, o Nea Salamina do Chipre e o Operário, antes de chegar ao Mirandela nesta temporada.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

II Divisão - Play-Off - 2ª Jor: Fátima 0-3 Varzim

(Fátima 0-3 Varzim - autoria: blogue "Lobos do Mar".)
Na segunda jornada do play-off de promoção à Liga Orangina, o Fátima voltou a jogar em casa, e voltou a ser derrotado, desta feita perante o Varzim, e por três bolas a zero.
Os poveiros entraram muito fortes na partida, e logo aos nove minutos, Rui Coentrão inaugurou o marcador. Aos 23', seria a vez de Telmo fazer o gosto ao pé, aumentando o score para 0-2.
O Fátima só conseguiu reagir no segundo tempo, procurando ir atrás do prejuízo, criando situações de perigo, embora sem nunca conseguir concretizar com clareza. A três minutos dos noventa, o Varzim daria a 'machadada' final no marcador, chegando ao 0-3 por intermédio de André André.
Com este triunfo, os varzinistas alcançaram o Tondela na liderança, enquanto que o Fátima está agora em maus lençóis, pois além de somar zero pontos em dois jogos, efectuou esses mesmos dois jogos no seu próprio terreno. Na próxima jornada, o Varzim desloca-se ao terreno do Tondela.

III Divisão - Fase Final: 9ª Jornada

(Penalva do Castelo 2-0 Sanjoanense - autoria: blogue do SC Penalva do Castelo.)
A uma jornada do fim da III Divisão, o Joane tornou-se a primeira equipa da Série A a garantir a subida, mesmo tendo empatado em casa frente ao Santa Maria, a um golo. O Vilaverdense venceu o Maria da Fonte por 2-0 e ultrapassou os santamarianos na tabela, enquanto que o Bragança venceu o Vianense por 3-0, e ainda pode ter uma palavra a dizer na luta pela subida.
Nas contas da manutenção, está tudo resolvido, com a particularidade de Melgacense, Marinhas e Esposende somarem todos trinta pontos. O Cerveira venceu em Fão por uma bola a zero, o Melgacense venceu o Marinhas pelo mesmo resultado, enquanto que o Esposende venceu em Amares por 3-1.
Na Série B, o Cesarense venceu em Rebordosa por uma bola a zero e segurou também o título de campeão, enquanto que o Infesta empatou em Grijó a uma bola e carimbou a subida, de nada valendo ao Sousense, o seu triunfo em Vila Real, também por uma bola a zero.
O Serzedelo venceu o Lamego por 4-0 e garantiu a primeira posição na fase de manutenção, enquanto que o Vila Meã venceu o Alpendorada por 3-2. Mêda e Leça empataram sem golos.
Na Série C, Ac. Viseu e Bustelo entram para a última jornada em igualdade pontual e a ocuparem os dois primeiros lugares: os academistas venceram o Alba por 1-0, mesmo resultado com que o Bustelo venceu em Avanca. O Nogueirense venceu o Sampedrense por 2-1 e ainda pode subir, desde que vença em Bustelo, ou podendo até empatar, desde que o Ac. Viseu perca.
O Penalva do Castelo venceu a Sanjoanense por 2-0 e atirou com os aveirenses para os Distritais, enquanto que o Ol. de Frades goleou o Canas de Senhorim por 5-1. A maior surpresa da jornada, vai para a vitória do Valecambrense na casa do Ol. do Hospital, por 3-2.
Na Série D, o BC Branco goleou na casa do Marinhense por 3-0 e festejou o título de campeão, tendo a 'companhia' do Pampilhosa na subida à II Divisão, uma vez que os aveirenses bateram o Pombal por 2-1. O Tocha bateu o Sourense, também por duas bolas a uma, e acabou com o sonho da equipa de Soure.
Riachense e Alcobaça travaram um duelo emocionante, pelo menos a julgar pelo resultado: 5-4 favorável aos alcobacenses. Também com muitos golos, acabou o jogo entre Bombarralense e Beneditense, com a vitória a sorrir aos da Benedita: 0-4. O Peniche folgou.
Na Série E, o Futebol Benfica venceu o Sintrense por 2-1 e festejou o título de campeão, enquanto que o Oeiras empatou a uma bola no terreno do Pêro Pinheiro, e garantiu a subida. O Casa Pia venceu o Real por uma bola a zero.
O Sacavenense venceu o Ol. do Montijo por 4-2 e continua a 'passear' nesta fase, enquanto que o Eléctrico cedeu um empate caseiro a duas bolas frente ao Cartaxo. O Alcochetense goleou o Elvas por 6-1, e abandonou a linha-de-água, precisamente por troca com o Cartaxo.
Na Série F, num duelo entre os dois primeiros classificados e já promovidos, o Quarteirense cedeu uma igualdade caseira a uma bola, frente ao Farense. O Esp. de Lagos venceu em Sesimbra por 2-0, e subiu ao terceiro lugar, aproveitando também o empate caseiro do Aljustrelense frente ao Messinense, a duas bolas.
O Fabril bateu o Pescadores por duas bolas a zero e garantiu a manutenção, à semelhança de U. Montemor e Lagoa: o União goleou o Despertar por 6-0, enquanto que o Lagoa empatou na casa do Redondense a um golo.
Nas ilhas, e começando pelos Açores, terminou sábado a fase de permanência, com o Sp. Ideal a ficar em primeiro, tendo vencido na casa do Fayal por 3-2. Em segundo e a salvo de qualquer descida, ficou o Boavista São Mateus, que perdeu no terreno do Guadalupe, por 3-1. Num duelo entre equipas já despromovidas, o Águia bateu o Micaelense, também por 3-1.
Na Madeira, o Pontassolense goleou o Machico por 5-1 e carimbou o regresso à II Divisão, aproveitando a derrota caseira do Caniçal frente ao Portosantense, por 4-3. Estrela da Calheta e Câmara de Lobos, empataram a uma bola.
Na fase de permanência, os três jogos terminaram empatados, o que faz com que a classificação se mantenha igual, e ainda sem qualquer equipa despromovida de forma oficial. O Canicense empatou na casa do Bairro da Argentina a uma bola, mesmo resultado alcançado pelo Santana na visita ao terreno do Andorinha. 1º de Maio e Porto da Cruz não saíram do nulo. Canicense, Porto da Cruz, Andorinha e Bairro da Argentina, têm a manutenção assegurada.
A última jornada da III Divisão 11/12, disputa-se no próximo fim-de-semana.

domingo, 20 de maio de 2012

Taça de Portugal: Académica 1-0 Sporting

Setenta e três anos depois, a Académica voltou a vencer a Taça de Portugal, repetindo a conquista de 1939, quando na altura, se tornou a primeira equipa a vencer a competição.
Um golo de Marinho logo aos quatro minutos, bastou para os estudantes vencerem a prova.
O Sporting, pode-se dizer, foi 'traído' por dois produtos da sua formação: é que Adrien iniciou a jogada e deixou Polga agarrado ao joelho; e depois, Marinho apareceu nas costas de Insúa a cabecear sem oposição para o primeiro golo da tarde.
O leão demorou a entrar na partida, e na primeira parte, praticamente não existiu, salvo um lance em que Wolfswinkel frente-a-frente com Ricardo, rematou ao lado. A Académica galvanizada pelo golo, tomou conta dos primeiros quinze minutos, e passou depois a iniciativa aos leões, que se mostravam bastante desinspirados.
Para o segundo tempo, Sá Pinto deixou Elias no balneário e lançou Izmailov, mas foi a Briosa quem teve grande chance para fazer o 2-0, quando aos 47' minutos, Edinho isolado perante Patrício, permitiu a defesa ao titular da Selecção; e de seguida, o mesmo Edinho se atrapalhou na hora de finalizar, desperdiçando ocasião ainda maior para marcar.
O Sporting partiu depois à procura do empate, mas faltava garra e determinação, perante uma Académica que foi jogando com o relógio, e sustendo o ataque leonino. André Martins e Jeffrén renderam Insúa e Matías, mas nem com estas alterações a equipa se 'espevitou', falhando inúmeras ocasiões de golo.
Wolfswinkel surgiu isolado perante Ricardo por mais duas vezes e desperdiçou ambas; Schaars e Polga proporcionaram boas defesas ao guarda-redes natural da Póvoa do Varzim; e Jeffrén, quando Onyewu já jogava a ponta de lança, também não conseguiu desviar a bola do guardião da briosa.
Vitória suada e justa da Académica, perante um Sporting que se mostrou bastante apagado e ausente da partida, principalmente nos primeiros quarenta e cinco minutos, dando assim uma despedida amarga a Anderson Polga, que ao tudo indica, fez hoje a sua última exibição com a camisola verde-e-branca.
Ficha de Jogo:

Jogo realizado no Estádio do Jamor, em Oeiras
Quarteto de Arbitragem composto por: Paulo Baptista (Árbitro Principal); José Ramalho e Hernâni Fernandes (Árbitros Assistentes); Hugo Miguel (Quarto Árbitro)

Académica (4-3-3): Ricardo; Cédric, João Real, Abdoulaye e Hélder Cabral; Diogo Melo (Danilo 80'), Adrien e David Simão (Flávio 69'); Marinho (Rui Miguel 89'), Edinho e Diogo Valente.
Treinador: Pedro Emanuel. Suplentes Não Utilizados: Peiser; João Dias, Nivaldo e Magique.

Sporting (4-2-3-1): Rui Patrício; João Pereira, Polga, Onyewu e Insúa (André Martins 70'); Schaars e Elias (Izmailov 45'); Carrillo, Matías (Jeffrén 77') e Diego Capel; Wolfswinkel.
Treinador: Sá Pinto. Suplentes Não Utilizados: Marcelo; Carriço, Pereirinha e Rubio.

Disciplina:
Amarelos: Diogo Melo 23'; Cédric 32'; João Pereira 34'; Onyewu 44'; Insúa 45'; David Simão 69'; Wolfswinkel 69'; Schaars 73'; Marinho 89'.

Marcador: 1-0 Marinho 04'.

sábado, 19 de maio de 2012

Chelsea é o novo campeão europeu

O Chelsea é o novo campeão europeu de clubes, tendo derrotado esta noite o Bayern, em Munique (!), após desempate por grandes penalidades.
A missão dos londrinos não se avizinhava nada fácil, com o Bayern a jogar a final em casa, e a massacrar por completo os 'blues'. Blues esses que se defenderam com unhas e dentes, tal como haviam feito na meia-final ante o Barcelona.
Depois de ter andado cerca de oitenta minutos 'em cima' do Chelsea, o Bayern marcaria aos 83', por intermédio de Thomas Muller, que cabeceou sem oposição perante um desamparado Cech.
Di Matteo tinha de arriscar, e arriscou. Após um canto, e já com Torres em campo, Drogba teve um cabeceamento fulminante, que Neuer não conseguiu deter, vindo certamente à memória de muita gente, a reviravolta do United frente ao Bayern em 1999, pois estavam agora decorridos 88' minutos.
O prolongamento chegou, e o Bayern teve nova oportunidade para passar para a frente do marcador, quando Drogba derrubou Ribèry na grande área. Proença assinalou - e bem - grande penalidade, mas Robben não conseguiu bater Cech, que fez uma grande defesa.
Nos penaltis, Lahm abriu a contagem, e Mata falhou. A festa bávara começava a ficar pronta, com dois golos para cada lado, que davam um score de 3-2. Mas Olic falhou, e Lampard não. Schweinsteiger acertou no poste, e Drogba marcou. O Chelsea é campeão europeu!
Paulo Ferreira e Bosingwa repetem a conquista de 2004, enquanto que Hilário e Raúl Meireles se estreiam como vencedores da prova. Convém ainda referir André Villas-Boas, que também é responsável por parte deste êxito.
As estatísticas revelam a supremacia alemã: é que o primeiro e único remate do Chelsea à baliza, surgiu apenas aos 37' minutos, por intermédio de Kalou. E no único canto que os londrinos tiveram a seu favor, marcaram.
O futebol é mágico por isto: nem sempre quem joga melhor, vence. Se o Bayern massacrou e jogou bom futebol, o Chelsea defendeu-se como pôde, e acreditou sempre na sua estratégia.
Depois de tanto investimento, Abramovich 'finalmente' vê o 'seu' clube ganhar a Liga dos Campeões.
Ficha de Jogo:

Jogo realizado no Estádio Allianz Arena, em Munique
Equipa de arbitragem composta por: Pedro Proença (Portugal - Árbitro Principal); Ricardo Santos e Tiago Trigo (Árbitros Assistentes); Jorge Sousa e Duarte Gomes (Árbitros de Baliza); Vellasco Carballo (Espanha - Quarto Árbitro)

Bayern Munique (4-2-3-1): Neuer; Contento, Boateng, Tymoschuk e Lahm; Schweinsteiger e Kroos; Ribèry (Olic 97'), Muller (Van Buyten 86') e Robben; Mario Gómez.
Treinador: Jupp Heynckes. Suplentes Não Utilizados: Butt; Rafinha, Usami, Pranjic e Petersen.

Chelsea (4-2-3-1): Cech; Bosingwa, Cahill, David Luiz e Ashley Cole; Obi Mikel e Lampard; Kalou (Fernando Torres 84'), Mata e Bertrand (Malouda 73'); Drogba.
Treinador: Di Matteo. Suplentes Não Utilizados: Turnbull; Paulo Ferreira, Romeu, Essien e Sturridge.

Disciplina:
Amarelos: Schweinsteiger 02'; Ashley Cole 81'; David Luiz 86'; Drogba 94'; Fernando Torres 120'.

Marcador: 1-0 Muller 83'; 1-1 Drogba 88'.
Penaltis: 1-0 Lahm; Mata falhou; 2-0 Gómez; 2-1 David Luiz; 3-1 Neuer; 3-2 Ashley Cole; Olic falhou; 3-3 Lampard; Schweinsteiger falhou; 3-4 Drogba.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Fábio Martins: "Grupo não se adaptou a Rui Correia"

(Fábio Martins realizou vinte e nove jogos na II Divisão, vinte e três deles como titular.)
O Coimbrões garantiu a permanência na Zona Centro da II Divisão, e já prepara aquela que vai ser a sua terceira participação consecutiva no terceiro escalão.
O blogue falou com Fábio Martins, médio que representa os gaienses desde 2008, e que começou por abordar o facto da temporada ter começado mal sobre a orientação de Rui Correia, que venceu apenas um dos sete jogos que realizou no campeonato:
"Vínhamos de duas épocas consecutivas de imenso sucesso com o treinador Rui França, quando chegou o mister Rui Correia. Como é natural, tinha ideias diferentes do Mister França, e tentou aplicá-las. O grupo não se adaptou, e o início de campeonato foi mau. Creio, acima de tudo, que foi uma questão de interpretação. Não conseguimos perceber a forma de pensar do Mister Correia, e quando assim é as coisas ficam complicadas. Para quem estava habituado a realizar bons jogos, principalmente em casa, foi uma decepção. Os adeptos não gostavam da nossa maneira de jogar e a moral no seio do grupo não era a melhor. A direcção tomou a decisão de mudar, mas afirmo que a culpa não era só do treinador, pois toda a gente teve responsabilidade."
Após a derrota no terreno do Padroense na sétima jornada, o Coimbrões era décimo segundo com sete pontos, fruto de uma vitória, dois empates e quatro derrotas. Rui Correia foi demitido, e para o seu lugar chegou Sérgio Ribeiro, que havia sido treinador-jogador dos gaienses em 05/06, e que tinha orientado os juniores do Leixões na temporada anterior.
Fábio Martins refere que Sérgio Ribeiro sabia exactamente o que estava mal e o que tinha de ser mudado, salientando ainda a grande 'injecção' de moral dada pelo técnico:
"O Mister Sérgio conhece muito bem a realidade do SC Coimbrões, e sabia exactamente o que estava mal, e o que tinha de mudar. Acima de tudo, era a nossa cabeça que não estava bem, porque valor temos nós. Conseguiu incutir-nos o velho espírito do clube e deu-nos uma grande injecção de moral. Somando a isto a sua qualidade técnica, os resultados vieram com naturalidade."
O médio ofensivo do Coimbrões, nomeia a vitória caseira do Boavista como um dos pontos altos da temporada, aliando isto à situação de Pedro Tavares, extremo dos gaienses que venceu um cancro no decorrer da temporada, já depois de ter alinhado em nove jogos, e ter feito dois golos:
"Ponto alto da época, foi a vitória em casa ao Boavista por 1-0, e acima de tudo, o dia em que o Pedro Tavares chegou à nossa beira e disse que estava curado. Não há palavras que descrevam a nossa alegria, todos os jogos que fizemos desde que soubemos da sua doença, era para lhe dar força. Tudo o resto era secundário. Ponto baixo, foi o dia que soubemos da doença do Pedro. Nunca mais me esqueço desse dia, tínhamos ido jogar aos Açores, chegámos e ele foi fazer testes. Quando nos deu a noticia, o balneário ficou completamente de rastos, chorávamos que nem bebés."
Fábio Martins realizou vinte e nove jogos na II Divisão, vinte e três como titular, tendo apontado dois golos, considerando que foi uma época positiva, tanto individual como colectivamente:
"Acho que a época me correu muito bem. Comecei bem, passei por um período menos bom pelo meio, mas acabei em grande forma. Foi uma época positiva, tanto individual como colectivamente."
Na próxima temporada, o médio continuará a jogar de verde e preto, num Coimbrões que terá um novo treinador - Paulo Lima, que até à data era jogador dos gaienses -, mas que lutará pelo mesmo objectivo das duas últimas temporadas, a manutenção:
"Sim, confirmo que renovei com o Coimbrões. Esta vai ser uma época estranha, já que em princípio a III divisão vai deixar de existir. Por isso, ainda estamos na expectativa, mas seguramente que o objectivo é o mesmo dos dois últimos anos: a permanência."
Fábio Martins tem vinte e cinco anos, e foi formado no Vilanovense, clube onde cumpriu os dois primeiros anos de sénior, antes de se mudar para o Coimbrões na época 08/09.

18 de Maio: Porto duplamente de parabéns

(Em cima, da esquerda para a direita: Ricardo, Litos, Pedro Emanuel, Rui Bento, Duda e Sanchez; Em baixo, pela mesma ordem: Quevedo, Frechaut, Silva, Petit e Martelinho.)
A cidade do Porto está hoje duplamente de parabéns a nível desportivo: se por um lado, se assinala o décimo primeiro aniversário do campeonato nacional de seniores, ganho pelo Boavista; por outro, assinala-se o primeiro aniversário da vitória do FC Porto na Liga Europa, ante o Sp. Braga.
No Bessa, há onze atrás, vivia-se uma onda de optimismo e satisfação pois o Boavista estava muito perto de se sagrar campeão nacional pela primeira vez na sua história.
Precisamente a uma sexta-feira, os axadrezados receberam o Aves, já despromovido, e venceram por 3-0: José Soares, com um auto-golo, abriu o marcador a favor dos boavisteiros aos 22' minutos, Silva aumentou a contagem aos 49', e Whelitton aos 64' fechou o resultado.
A cidade invicta foi depois 'invadida' pela festa boavisteira, estimando-se que cerca de trinta mil pessoas tenham estado na rotunda da Boavista a festejarem o título axadrezado.
Em Dublin, há um ano atrás, o FC Porto bateu o Sp. Braga por uma bola a zero, numa final da Liga Europa entre equipas portuguesas, mas recheada de jogadores estrangeiros, nomeadamente sul-americanos.
Uma cabeçada de Radamel Falcao a cruzamento de Guarín, mesmo em cima do intervalo, valeu aos dragões a segunda conquista nesta prova - a primeira havia sido em 2003. Os bracarenses complicaram ao máximo a tarefa do FC Porto, e Mossoró teve uma excelente oportunidade para empatar no segundo tempo, quando surgiu isolado perante Helton, mas não conseguiu concretizar.
Sendo assim, resta-me concluir que Boavista, FC Porto, e principalmente a cidade do Porto, estão hoje de parabéns.

Nota: na foto, o onze apresentado por Jaime Pacheco na penúltima jornada do campeonato 00/01, frente ao Aves, que deu o título ao Boavista. A foto é da inteira autoria do site oficial do clube.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Euro 2012: Paulo Bento anunciou convocados

(Custódio e João Moutinho são dois dos médios convocados por Paulo Bento para o Euro 2012.)
O seleccionador português Paulo Bento, anunciou ao princípio da noite de hoje os convocados para a fase final do Euro 2012. Ao todo são, naturalmente, vinte e três jogadores que têm o objectivo de levar o nome de Portugal bem alto na competição.
Como já era expectável, Hugo Viana ficou de fora dos eleitos, sendo a maior surpresa, a chamada de dois colegas do médio ofensivo no Braga: Miguel Lopes e Custódio. Curiosamente, nem o lateral nem o trinco somam qualquer internacionalização pela Selecção A. Chamado foi também, Nélson Oliveira, avançado do Benfica, jogador que toda a gente esperava que Paulo Bento convocasse.
Sem mais demoras, cá ficam os 23 convocados de Paulo Bento:

Guarda-Redes:
Rui Patrício (Sporting)
Eduardo (Benfica)
Beto (Cluj - Roménia)

Defesas:
Rolando (FC Porto)
Miguel Lopes (Sp. Braga)
João Pereira (Sporting)
Bruno Alves (Zenit - Rússia)
Pepe (Real Madrid - Espanha)
Ricardo Costa (Valência - Espanha)
Fábio Coentrão (Real Madrid - Espanha)

Médios:
Custódio (Sp. Braga)
João Moutinho (FC Porto)
Miguel Veloso (Génova - Itália)
Carlos Martins (Granada - Espanha)
Rúben Micael (Saragoça - Espanha)
Raúl Meireles (Chelsea - Inglaterra)

Avançados:
Varela (FC Porto)
Nélson Oliveira (Benfica)
Hugo Almeida (Besiktas - Turquia)
Hélder Postiga (Saragoça - Espanha)
Nani (Manchester United - Inglaterra)
Cristiano Ronaldo (Real Madrid - Espanha)
Quaresma (Besiktas - Turquia)

II Divisão - Play-Off - 1ª Jor: Fátima 2-3 Tondela

(Rafael, do Tondela, em acção durante a partida de ontem: Fátima 2-3 Tondela.)
Arrancou ontem o play-off da II Divisão, que irá descortinar as duas equipas que ocuparão as vagas deixadas em aberto por Sp. Covilhã e Portimonense na Liga Orangina.
Na primeira partida referente a esta poule, o Tondela venceu em Fátima por 3-2, sendo então o primeiro líder desta fase final, uma vez que o Varzim, naturalmente, folgou.
Os forasteiros adiantaram-se no marcador por intermédio de Rafael, que logo aos nove minutos abriu o activo. No entanto, o Fátima chegaria ao empate ao minuto dezassete, por intermédio de Rafael Porcellis. O Tondela respondeu então em 'dose dupla' fazendo dois golos em menos de dez minutos: Marcelo Santiago fez o 1-2 aos 24', enquanto que Rafael bisou na partida, fazendo o 1-3 aos 33'. O melhor que os da casa conseguiram fazer, foi reduzir para 2-3 a cinco minutos dos 90', por intermédio de Helmut Ari.
No próximo sábado, o Fátima volta a jogar em casa, recebendo o Varzim, num jogo que está marcado para as dezasseis horas.

III Divisão - Fase Final: 8ª Jornada

(Penalva do Castelo 2-4 Ol. do Hospital - autoria: blogue do SC Penalva do Castelo.)
A oitava jornada da fase final da III Divisão, não trouxe novidades na poule de subida da Série A, uma vez que os três jogos terminaram empatados: o líder Joane não saiu do nulo na casa do Vilaverdense, o vice-líder Santa Maria empatou em casa frente ao Bragança a uma bola, mesmo resultado com que terminou o encontro entre Vianense e Maria da Fonte.
O Marinhas venceu o Fão por 2-1 e garantiu a manutenção, enquanto que o Melgacense venceu em Amares também por duas bolas a uma e deu um forte passo nesse sentido. O Esposende empatou a zero em Cerveira.
Na Série B, Cesarense e Infesta empataram a uma bola, faltando aos matosinhenses um ponto para garantirem a subida, uma vez que o Sousense venceu o Rebordosa por 2-1, e mantém-se terceiro, agora a seis pontos. Em jogo para cumprir calendário, o Grijó bateu o Vila Real por uma bola a zero.
O Serzedelo venceu em Alpendorada por 4-1 e continua líder da fase de manutenção, ao passo que Leça e Vila Meã garantiram ontem a permanência: os leceiros venceram em Lamego por 2-0, enquanto que os amarantinos perderam por uma bola a zero na Mêda, mas garantiram a continuidade na III Divisão.
Na Série C, a luta pela subida ficou definitivamente reduzida a três: Ac. Viseu, Bustelo e Nogueirense. O Académico venceu em Avanca por 2-1, o Nogueirense venceu pelo mesmo resultado na casa do Alba, enquanto que o Bustelo venceu no terreno do Sampedrense por uma bola a zero.
O Ol. de Frades goleou o Valecambrense por 6-0, e garantiu a manutenção, à semelhança do Ol. do Hospital, que venceu em Penalva do Castelo por 4-2. A Sanjoanense empatou a uma bola na casa do Canas de Senhorim, e deu um passo atrás na luta pela permanência.
Na Série D, o BC Branco venceu o Sourense por 3-2 e garantiu a subida de divisão, enquanto que o Pampilhosa venceu na Tocha por 3-1 e recuperou a segunda posição. O Pombal bateu o Marinhense, também por três bolas a duas.
O Peniche bateu o Riachense por 3-1 e continua a 'passear' nesta fase final, enquanto que o Alcobaça recebeu e venceu o Bombarralense por três bolas a zero e garantiu a manutenção. O Beneditense folgou.
Na Série E, o líder Futebol Benfica perdeu no terreno do Real por duas bolas a uma e adiou a festa da subida, enquanto que o vice-líder Oeiras, empatou sem golos na casa do Sintrense. O Casa Pia venceu no terreno do Pêro Pinheiro por 3-0 e continua a acalentar esperanças na luta pela subida.
O Sacavenense venceu na casa do Eléctrico por duas bolas a zero e reforçou a primeira posição, enquanto que Alcochetense e Cartaxo venceram, e continuam ambos numa luta renhida pela sobrevivência: os de Alcochete venceram no Montijo, o Olímpico, também por 0-2, resultado que o Cartaxo repetiu na deslocação ao terreno do Elvas.
Na Série F, o Farense 'brindou' o Sesimbra com uma goleada por 5-0, e 'ofereceu' a subida ao Quarteirense, embora os da Quarteira tenham ganho no terreno do Aljustrelense por duas bolas a zero. O Esp. de Lagos recebeu e venceu o Messinense por 3-0.
A luta pela manutenção continua bem acesa, sendo que agora há apenas três pontos a separar o primeiro do quarto classificado: o Lagoa venceu na casa do Despertar por 2-1 e subiu à primeira posição, aproveitando o empate do Fabril sem golos no terreno do Redondense, e a derrota do U. Montemor na casa do Pescadores, por uma bola a zero.
Nas ilhas, e começando pela Madeira, o Pontassolense goleou fora de portas o Est. da Calheta por 5-2, e continua a ter três pontos de avanço para o segundo classificado, Caniçal, que venceu por 3-1 na casa do Machico. O Portosantense continua numa boa forma, e ontem venceu o Câmara de Lobos por 4-2.
O Canicense venceu na casa do Santana por 3-0 e garantiu a manutenção, enquanto que o Porto da Cruz bateu o Andorinha por uma bola a zero e também está perto de carimbar a permanência. Bairro da Argentina e 1º de Maio empataram a uma bola.
Nos Açores, a penúltima jornada, trouxe mais uma goleada do líder Sp. Ideal, que bateu o Águia por 5-2. O segundo classificado, Boavista São Mateus, venceu o Fayal por 3-1, enquanto que o Guadalupe venceu na casa do Micaelense por duas bolas a uma.
A III Divisão regressa no próximo fim-de-semana.

domingo, 13 de maio de 2012

Liga Orangina: Moreirense sobe à primeira liga

(Estoril e Moreirense são as equipas promovidas ao principal escalão do nosso futebol.)
Foi preciso esperar pela última jornada, para que tudo ficasse decidido na Liga Orangina. Assim, o Moreirense fará companhia ao Estoril na viagem até à Liga ZON, enquanto que Portimonense e Sp. Covilhã não conseguiram evitar a descida à II Divisão.
Em Moreira de Cónegos, Moreirense e Sp. Covilhã estavam ambos obrigados a vencer o jogo, de forma a conseguirem salvaguardar os seus objectivos, embora no caso dos serranos, a vitória pudesse mesmo não bastar. O resultado saldou-se num empate a uma bola, que atirou com o Covilhã para a II Divisão, e que colocou os da casa no principal escalão, uma vez que o Aves perdeu na casa do Trofense por uma bola a zero, e entregou de 'bandeja' a subida.
Na fuga à despromoção, o Freamunde recebeu e venceu o Penafiel por uma bola a zero e abandonou a linha-de-água por troca com o Portimonense, que perdeu na Madeira, frente ao União, por duas bolas a uma. Quem também garantiu a manutenção na derradeira jornada, foi o Arouca, que empatou a duas bolas no Estoril, mas mesmo que tivessem sido derrotados, os arouquenses manteriam-se, em virtude da tal derrota do Portimonense na Madeira.
Nos jogos para 'cumprir calendário', a Oliveirense recebeu e venceu o Atlético por 2-1, a Naval 'brindou' o Santa Clara com uma goleada por 5-1, enquanto que o Belenenses bateu o Leixões por uma bola a zero.
Posto isto, cá fica a classificação final da Liga Orangina 11/12:

1º Estoril 57 pontos - Campeão/Promovido à Liga ZON
2º Moreirense 52 pontos - Promovido à Liga ZON
3º D. Aves 50 pontos
4º Naval 46 pontos
5º Belenenses 41 pontos
6º Leixões 40 pontos
7º Oliveirense 39 pontos
8º Trofense 39 pontos
9º Penafiel 38 pontos
10º U. Madeira 37 pontos
11º Atlético 37 pontos
12º Santa Clara 34 pontos
13º Arouca 34 pontos
14º Freamunde 34 pontos
15º Sp. Covilhã 32 pontos - Despromovido à II Divisão
16º Portimonense 32 pontos - Despromovido à II Divisão

Inglaterra: Man. City Campeão

(Zabaleta já rematou, e prepara-se para festejar o primeiro golo do City frente ao QPR esta tarde.)
Quarenta e quatro anos depois, o Manchester City voltou a sagrar-se campeão inglês. Os 'citizens' entraram para a última jornada a dependerem de si próprios, mas não ganharam para o susto, uma vez que depois de estarem a vencer, viram-se em desvantagem, e só nos descontos conseguiram dar a volta ao resultado e festejarem o título, que os adeptos do United já se preparavam para festejar, pois os 'red devils' venceram em Sunderland por uma bola a zero.
Em Manchester, o City abriu o activo frente ao QPR, por intermédio de Zabaleta aos 39' minutos, mas os londrinos dariam a volta ao marcador no segundo tempo, chegando ao empate por Djibril Cissé aos 48', e ao 1-2 por Mackie aos 66', numa altura em que já jogavam com menos um, pela expulsão de Barton.
Com o United a vencer por 0-1 em Sunderland, com um golo de Rooney aos 20' minutos, pensava-se que o City já não seria campeão, mas depois de Dzeko empatar a partida aos 90+2', Aguero fez 'o favor' de dar o título aos citizens, marcando aos 90+4', nos últimos segundos de jogo.
Tarde emocionante em Inglaterra, com o título a sorrir para os que jogam de azul.
Na luta pela descida, o QPR apesar da derrota em Manchester, escapou à despromoção, uma vez que o Bolton não foi além de um empate a duas bolas na casa do Stoke, não conseguindo assim sair da linha-de-água.

sábado, 12 de maio de 2012

Liga ZON chegou ao fim

(Shaffer e Candeias lutam pela posse de bola no U. Leiria 2-3 Nacional.)
Chegou hoje ao fim a principal liga do futebol português, com o Feirense a ser despromovido à Lira Orangina, depois de ter perdido em Barcelos, frente ao Gil Vicente, por 3-1. Os feirenses ainda empataram a partida a uma bola no início do segundo tempo, mas acabariam por ver Zé Luís bisar e dar a vitória aos 'galos', enquanto que a Académica foi vencer a Guimarães por 2-1, e garantiu a manutenção sem precisar de se preocupar com o resultado do Feirense.
Noutros resultados, o FC Porto venceu em Vila do Conde, o Rio Ave, por 5-2, enquanto que o Benfica venceu em Setúbal por 3-1 e viu Cardozo ser coroado o rei dos marcadores com vinte golos, os mesmos de Lima do Braga, mas com o paraguaio a ter menos tempo de utilização. Lima também marcou ontem, mas os bracarenses perderam em Alvalade, frente ao Sporting, por 3-2.
Na Madeira, Marítimo e Paços de Ferreira empataram a uma bola, enquanto que o Nacional foi à Marinha Grande, derrotar o Leiria por 3-2. Em Aveiro, o Beira-Mar foi surpreendido pela Olhanense, tendo perdido por duas bolas a uma.
Com o campeonato encerrado, destaque para a qualificação da Académica para a Liga Europa, em virtude do Guimarães, sexto classificado, não cumprir os requisitos que a UEFA exige.
Posto isto, a classificação final da Liga ZON Sagres é a seguinte:

1º FC Porto 75 pontos - Campeão/Apurado para a fase de grupos da Liga dos Campeões
2º Benfica 69 pontos - Apurado para a fase de grupos da Liga dos Campeões
3º Sp. Braga 62 pontos - Apurado para a terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões
4º Sporting 59 pontos - Apurado para o Play-off de acesso à fase de grupos da Liga Europa
5º Marítimo 50 pontos - Apurado para a terceira pré-eliminatória da Liga Europa
6º V. Guimarães 45 pontos
7º Nacional 44 pontos
8º Olhanense 39 pontos
9º Gil Vicente 34 pontos
10º Paços de Ferreira 31 pontos
11º V. Setúbal 30 pontos
12º Beira-Mar 29 pontos
13º Académica 29 pontos - Apurado para a terceira pré-eliminatória da Liga Europa
14º Rio Ave 28 pontos
15º Feirense 24 pontos - Despromovido à Liga Orangina
16º U. Leiria 19 pontos - Despromovido à Liga Orangina

Juniores: Sporting Campeão

(Juniores do Sporting lançam Abel ao ar, na sequência dos festejos desta tarde.)
Na última jornada do campeonato nacional de juniores, o Sporting venceu o V. Guimarães por 3-1 em Alcochete, e sagrou-se campeão nacional, sucedendo assim ao FC Porto.
Os leões voltam assim a sagrarem-se campeões no escalão júnior, algo que lhes escapava desde a temporada 09/10, quando na altura, na última fase final que se disputou por quatro equipas, superaram a concorrência de Benfica, FC Porto e V. Guimarães.
Esta temporada, os sportinguistas 'limparam' a primeira fase da prova, tendo somado dezanove vitórias e três empates em vinte e dois jogos, conquistando com naturalidade o primeiro lugar na Zona Sul.
No que diz respeito à fase final, o Sporting venceu dez dos catorze jogos, tendo empatado dois e perdido outros dois, dependendo somente de si próprio à entrada para a última jornada.
Com a vitória leonina por 3-1 sobre o Guimarães, a vitória do Benfica sobre o Nacional por 3-2, de nada 'serviu' aos encarnados, que voltaram a falhar a conquista do campeonato nacional de juniores.
Sá Pinto era o treinador da equipa no início da temporada, mas depois de assumir o comando da equipa principal, passou o 'testemunho' a Abel, outro antigo jogador dos leões, que não fez por menos, e ajudou a equipa a conquistar o título nacional.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Hugo Pina: "Fátima foi melhor que nós"

(Os festejos torreenses, após a vitória sobre o Gil Vicente na terceira eliminatória da Taça.)
Apontado como o grande favorito à subida na Zona Sul da II Divisão, a par do Fátima, o Torreense quebrou na recta final do campeonato, vencendo apenas dois dos últimos oito jogos, perdendo a primeira posição primeiro para o Oriental, e posteriormente para o Fátima.
O blogue falou com Hugo Pina, jogador dos torreenses, que apesar do fracasso na parte final da temporada, referiu que a equipa sempre deu tudo dentro de campo, e por isso saiu de consciência tranquila:
"É difícil dizer ao certo, quais os motivos para termos falhado nos últimos jogos, mas penso que foi um pouco de tudo, desde ansiedade, pressão, nervosismo e alguma falta de concentração nos momentos mais importantes do jogo. Mas sinceramente, penso que fomos uma equipa que sempre deu tudo em todos os jogos, e quando assim é, resta-nos sair de consciência tranquila, e dar os parabéns ao Fátima, porque foi melhor que nós."
Com tradição na Taça de Portugal, o Torreense eliminou esta temporada Gil Vicente e Rio Ave, ambos da Liga principal do futebol português, mas no campeonato, os lisboetas perderam vários pontos contra equipas do fundo da tabela.
Hugo Pina reitera que a equipa sempre respeitou todos os adversários da mesma maneira, e que as coisas não estão relacionadas:
"Penso que os jogos que ganhamos na Taça de Portugal, nada tiveram a ver com os pontos perdidos contra as equipas da parte de baixo da tabela, até porque sempre respeitamos todos os adversários da mesma maneira."
É precisamente na Taça, que Hugo Pina encontra um dos pontos positivos da temporada, referindo ainda que em trinta jornadas da II Divisão, o Torreense liderou vinte e uma:
"Ponto alto da época, foram claramente as vitórias sobre o Gil Vicente e o Rio Ave para a Taça. No campeonato, levamos connosco o facto de em trinta jornadas termos estado vinte e uma em primeiro. Ponto baixo, claramente o jogo em casa com o Mafra, a três jornadas do fim, quando tinhamos a vitória praticamente garantida, mas tivemos a infelicidade de fazermos um auto-golo no último segundo do jogo e sofrermos a consequente perca do primeiro lugar."
Hugo Pina, que tanto joga a defesa-central como a médio defensivo, participou em vinte e sete jogos na II Divisão, seis como suplente utilizado, tendo marcado três golos, e considera que a nível pessoal fez uma época bastante boa:
"A nível pessoal, foi uma época bastante boa, pois fui um dos três jogadores com mais minutos no campeonato, algo que me fez sentir uma peça importante na equipa."
Quanto ao futuro, o jogador revela que o seu pode passar pela Liga Orangina:
"Em relação ao futuro, ainda é bastante cedo para saber onde vou jogar na próxima época, até porque a Liga Orangina ainda está em andamento, e tendo já chegado algumas aproximações, é momento de esperar por algo mais, e esperar também que o telefone toque."
Actualmente com vinte e oito anos, Hugo Pina dividiu a sua formação entre Belenenses e Sporting, tendo representado enquanto sénior, além da equipa B dos leões, os seguintes clubes: Olivais e Moscavide, Córdoba e Guadalajara, ambos de Espanha, Ribeirão, Lousada e Oriental, antes de ter chegado esta temporada ao Torreense.

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Luís Ferraz: "Época foi planeada em cima do joelho"

(Até ao momento, Luís Ferraz não conheceu outro clube, a não ser o Merelinense.)
Na Zona Norte da II Divisão, duas equipas cedo traçaram o seu destino: Merelinense e Oliveirense, que praticamente desde o meio da época, já não tinham forma de escapar à descida.
O blogue conversou com Luís Ferraz, médio e capitão da turma de Merelim, que evidencia o facto da direcção ter entrado tarde no clube, e ter começado o planeamento da época numa fase já tardia da pré-temporada:
"Penso que tudo começou logo pelo impasse directivo que houve no clube antes do início da temporada. A direcção assumiu o clube já numa fase tardia, muitos jogadores já tinham saído, e desde logo teve algumas dificuldades na construção do plantel. Depois, penso que também faltou traquejo de II Divisão, pois tinhamos um plantel muito jovem e em certos momentos acabou por se notar essa falta de experiência. Acho que, apesar de tudo, os dezasseis pontos são curtos para aquilo que fizemos ao longo do campeonato mas o que fica, é que de facto, foi uma época reconhecidamente má. Mas penso que com as muitas adversidades e dificuldades que foram passadas durante a temporada, ainda assim temos de sair de cabeça erguida e conscientes de que lutamos sempre em prol do clube."
Ao longo da temporada, o Merelinense teve três treinadores, o último dos quais, Domingos Silva, que assumiu o comando técnico da equipa em Janeiro.
Luís Ferraz reitera que a culpa não é só do treinador, e que também os jogadores foram parte responsável no insucesso da equipa durante a temporada:
"Como falei anteriormente, a época foi planeada um pouco 'em cima do joelho'. No entanto, no futebol quando as coisas não correm bem a nível de resultados, acaba por ser sempre o treinador aquele que acaba por sair. Foi o que aconteceu por duas vezes, e como digo, os resultados é que logicamente precipitaram essa situação, sabendo nós que os treinadores foram uma parte do insucesso, mas nós jogadores, também tivemos uma grande fatia de responsabilidade nesse insucesso."
À parte do campeonato, o Merelinense eliminou o Angrense na segunda eliminatória da Taça de Portugal, perdendo na eliminatória seguinte em Penafiel, por 4-2, num jogo que os da casa, a jogarem num escalão superior, apenas venceram no prolongamento. Para Luís Ferraz, este foi o ponto alto da temporada:
"Numa época assim, falar em ponto alto é complicado, mas talvez tenha sido a terceira eliminatória da Taça de Portugal, em que fizemos um grande jogo na casa do Penafiel, e acabámos por ser eliminados nos últimos minutos do prolongamento. Ponto baixo, talvez o facto de termos descido de divisão, quando ainda faltavam bastantes jogos para o campeonato terminar."
Luís Ferraz fez trinta jogos na II Divisão, apenas um como suplente utilizado, tendo apontado oito golos, o que lhe valeu a distinção de ser o melhor marcador da equipa. O médio considera que fez uma época bastante regular:
"A nível pessoal, talvez tenha sido aquilo que mais tiro de positivo desta época desportiva. Penso que fiz uma época bastante regular, e apesar dos altos e baixos que todo o jogador apresenta numa época desportiva, penso que consegui ter mais momentos bons do que menos bons. Acabei como o jogador mais utilizado do plantel e como melhor marcador."
No que diz respeito à próxima temporada, Luís Ferraz fala das ambições que cada jogador tem, mas revela que ainda é cedo para pensar no assunto:
"Quanto ao futuro, obviamente que todo o jogador tem ambições. Eu não fujo à regra, mas ainda é cedo, o campeonato terminou agora e vou aguardar pela possibilidade de surgir algo que seja bom para mim. É esse o meu pensamento de momento, pois o futuro, é como digo, temos de aguardar com calma."
Actualmente com vinte e cinco anos, Luís Ferraz jogou toda a carreira no Merelinense.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Liga Europa: At. Madrid 3-0 At. Bilbao

Triunfo justo, mas por números exagerados. Assim se fez a vitória do Atlético Madrid na final da Liga Europa, ante o Athletic Bilbao, num jogo em que os três golos madrilenos foram apontados por dois ex-jogadores do FC Porto: Falcao marcou aos 7' e 34'; Diego fechou a contagem aos 85'.
O At. Madrid entrou muito forte no jogo, obrigando os bascos a jogar mal, que foi o que aconteceu logo após os primeiros instantes, com o Bilbao a cometer vários erros na saída da bola.
Essa pressão teve os primeiros frutos, logo aos sete minutos, quando Falcao no lado direito da área trabalhou bem sobre Aurtenetxe e Amorebieta, e de pé esquerdo, abriu o activo, deixando Iraizoz sem hipótese de defesa.
Após sofrer o primeiro golo, o Athletic subiu no terreno à procura de resultados práticos, embora não tenha conseguido criar reais situações de perigo.
Ao minuto 34', um erro de Amorebieta, que tentou sair a jogar após canto contra o Bilbao, deixou a bola em Arda Turan, com o turco a servir Falcao, e este a fazer 'gato sapato' da defesa bascaína, e a atirar novamente de pé esquerdo, para o fundo das redes do Athletic.
Para o segundo tempo, Bielsa estava quase obrigado a arriscar, e a avançar ainda mais a sua equipa, fazendo entrar Ibai Gómez e Iñigo Pérez por troca com Aurtenetxe e Itturaspe.
Os bascos tomaram então conta da partida, perante um At. Madrid tranquilo e mais apostado em gerir a partida, e deixar passar o tempo.
Logo após o reatamento do jogo, Muniain quis assistir Llorente, valendo ao Atlético um corte 'in extremis' de Pereira. Tirando isto, apenas nos últimos vinte minutos, a pressão dos bascos se começou a intensificar, com Susaeta e De Marcos a andarem perto de marcar.
Como quem não marca sofre, os bascos viram Falcao atirar ao poste, falhando o hat-trick, mas acabariam mesmo por sofrer o terceiro golo, quando aos 85' minutos, Diego após jogada individual, rematou de pé esquerdo, batendo um desamparado Iraizoz.
Já em período de descontos, De Marcos do meio da rua, enviou a bola à barra, dando conta de que os bascos caíram, mas caíram de pé, perante um triunfo justo do Atlético, mas por números algo exagerados.
Falcao vence a Liga Europa pelo segundo ano consecutivo, e repete uma vez mais o título de melhor marcador da prova; enquanto que o Atlético vence o troféu pela segunda vez em três temporadas.
Ficha de Jogo:

Jogo realizado no Estádio National Arena, em Bucareste - Roménia
Árbitro Principal: Wolfgang Stark (Alemanha)

At. Madrid (4-2-3-1): Courtois; Fílipe Luís, Miranda, Godín e Juanfrán; Gabi e Mario Suárez; Arda Turan (Domínguez 90+3'), Diego (Koke 90') e Adrián (Salvio 88'); Falcao.
Treinador: Diego Simeone. Suplentes Não Utilizados: Asenjo; António López, Paulo Assunção e Pedro Martin.

At. Bilbao (4-3-3): Iraizoz; Iraola, Amorebieta, Javi Martínez e Aurtenetxe (Iñigo Pérez 45'); Ander Herrera (Toquero 63'), Iturraspe (Ibai Gómez 45') e Muniain; De Marcos, Llorente e Susaeta.
Treinador: Marcelo Bielsa. Suplentes Não Utilizados: Raúl; San José, Ekiza e Gabilondo.

Disciplina:
Amarelos: Ander Herrera 22'; Falcao 26'; Amorebieta 65'; Iñigo Pérez 75'; Susaeta 90+1'.

Marcador: 1-0 Falcao 07'; 2-0 Falcao 34'; 3-0 Diego 85'.

Pinto: "Não merecíamos descer"

(Pinto jogou toda a carreira como médio, tendo recuado para central esta temporada.)
Após quatro temporadas consecutivas na II Divisão, o Aliados de Lordelo acabou por descer à III Divisão esta época, em virtude de ter sido um dos dois piores décimos segundos classificados.
O Aliados chegou a ser quinto classificado da Zona Centro, e andou toda a temporada acima dos lugares de despromoção, caindo no décimo segundo lugar apenas na última jornada. A época até podia ser considerava positiva apesar da descida, algo que Pinto, jogador dos lordelenses, discordou em declarações ao blogue:
"Não posso considerar como uma época positiva, visto que fomos despromovidos na última jornada, ou seja, o principal objectivo não foi cumprido. Até pode parecer um paradoxo, mas na minha opinião as coisas não correram tão mal durante a época para termos este desfecho. Um facto, é que nunca tivemos em lugares de despromoção, pois tinhamos um grupo unido, trabalhador e com muita qualidade, e não merecíamos de todo ter descido de divisão. Acabámos por descer com um saldo positivo em todas as frentes, mas nas últimas jornadas também houveram factores externos que foram essenciais para este final."
Durante várias jornadas, o Aliados oscilou entre a quinta e a oitava posição, algo que podia levar a equipa a ter algum relaxamento na fase final de temporada.
Pinto, médio que 'virou' central em Lordelo, entende que isso não aconteceu, alegando que a equipa começou a pensar noutros objectivos e acusou a falta de maturidade:
"(Acha que a equipa relaxou após ter andado entre a quarta e oitava posições?) Não, de todo. É verdade que tivemos entre essas posições, mas a equipa nunca relaxou. O que aconteceu no meu ponto de vista, é que nessa altura, começamos a pensar noutro tipo de objectivos e aí a equipa acusou um bocado de inexperiência, visto que a nossa média de idades rondava os vinte e três anos, e como esta zona foi bastante competitiva, a maturidade era muito importante e faltou nessa fase decisiva da época, o que fez com que a equipa perdesse alguns pontos essenciais."
Na última jornada, e a precisar de vencer para não se deixar ultrapassar pelo Padroense e também pelo Vizela, o Aliados perdeu na casa do há muito despromovido Madalena, por 3-2.
Pinto destaca uma vez mais que o plantel não merecia descer, e ficou triste por ter falhado o grande objectivo da temporada:
"Ponto baixo da época, foi sem dúvida não termos conseguido o objectivo do clube. Foi muito triste para todos nós, aquele último jogo na Madalena, porque realço mais uma vez, este grupo não merecia. Ponto alto, foi a certa altura da época, quando sentimos que as equipas adversárias nos respeitavam imenso, pois era sinal que o grupo tinha muita qualidade."
Com vinte e seis anos, Pinto saiu do Tirsense apenas pela segunda vez na sua carreira, para representar o Aliados, precisamente por empréstimo dos 'jesuítas'. De médio passou a central, ganhando o lugar, tendo efectuado vinte e nove jogos na II Divisão, sem marcar qualquer golo:
"A nível pessoal, a época correu muito bem, tendo realizado uma das minhas melhores épocas, com vinte e nove jogos feitos a titular, apenas faltando a um devido a castigo. Um momento importante foi também quando tive o privilegio de usar a braçadeira de capitão, visto que tinha acabado de chegar ao clube e isso deixou-me orgulhoso, sendo uma forma de confiança e trabalho reconhecido. Foi muito bom fazer parte deste grupo. Aproveito a oportunidade, para agradecer a toda a estrutura directiva e ao Sr. Emídio (roupeiro) por tudo que fizeram durante a época, para que nada nos faltasse. Foi um ano difícil, mas com muita aprendizagem a todos os níveis. Deixo também uma palavra de apreço ao Professor Ricardo Ventura, que de tudo fez para não acontecer este desfecho, tendo eu a certeza que terá muito futuro nesta nova etapa da sua vida."
Em relação à próxima temporada, o jogador aponta que nada está definido:
"Quanto ao futuro, estarei aberto a novas propostas, nunca fechando esta porta que foi a que me permitiu sentir-me novamente útil. Para já, não há nada em concreto, mas sinto-me preparado para uma nova fase na carreira."
André Pinto fez toda a sua formação no Tirsense, clube que representou sempre enquanto sénior, apenas com duas interrupções: a primeira, em 08/09, para jogar no Cinfães; a segunda esta temporada, para representar o Aliados.

terça-feira, 8 de maio de 2012

Carlos Manuel: "Espinho luta sempre para vencer"

(Carlos Manuel vai na sua terceira passagem pelo Sp. Espinho, e por lá quer continuar.)
Afastado dos campeonatos profissionais desde o final da época 04/05, o Sp. Espinho esteve esta época muito perto de garantir a participação no play-off de subida à Liga Orangina, mas acabaria por quebrar na recta final do campeonato, já com Rui Ferreira ao leme.
Carlos Manuel, 'maestro' dos 'Tigres', e que curiosamente jogava no clube em 04/05, falou ao blogue, referindo que os objectivos passavam por fazer um campeonato tranquilo, mas que com o passar do tempo, o plantel começou a acreditar em algo mais:
"Quem joga no Espinho, luta sempre para ganhar todos os jogos, mas no inicio da época, até porque o orçamento baixou bastante e saíram muitos jogadores, o nosso pensamento era fazer uma época com alguma tranquilidade, mas com o decorrer do campeonato, fomos acreditando que era possível aspirar a algo mais."
Após a vigésima sexta jornada, a faltarem quatro jogos para o fim, o Sp. Espinho liderava o campeonato, mas sofreu um duro revés: Filó, treinador da equipa até então, saiu para a Naval, e o comando técnico dos tigres foi entregue a Rui Ferreira. Coincidência ou não, os espinhenses venceram apenas um dos últimos quatro jogos, e falharam o acesso ao play-off.
Para Carlos Manuel, a mudança de treinador numa altura decisiva da época, não afectou a equipa:
"Penso que a mudança de treinador, não influenciou nos maus resultados. Claro que a saida do Filó, mexeu connosco, mas as mudanças efectuadas pelo Rui Ferreira foram poucas e a adaptação tornou-se fácil. Tanto um como outro, como grandes profissionais que são, é facil de perceber as suas ideias e o que querem."
Carlos Manuel destaca a união do grupo, e o facto de terem feito com que a cidade de Espinho acreditasse no valor da equipa até ao fim:
"O ponto alto da época para mim, foi a união que se conseguiu criar no seio do grupo, mesmo com todas as dificuldades que vivemos durante a época. O ponto baixo foi, mesmo não sendo o objectivo, não termos conseguido ficar em primeiro. Mas pelo menos acreditamos e fizemos acreditar toda a gente até ao ultimo minuto. Foi uma pena."
Actualmente com trinta e dois anos, Carlos Manuel realizou vinte e oito jogos no campeonato, tendo apontado dez golos - mais dois na Taça -, e garante que esta foi uma das suas melhores temporadas a nível pessoal:
"Tenho trinta e dois anos, e posso garantir que foi uma das minhas melhores épocas, não só pelos golos que marquei, doze, nem pelas assistências que fiz, dezasseis, mas sim pelo prazer que tive em jogar cada jogo. Sinto-me um 'menino', e ainda espero jogar mais uns aninhos a um bom nível."
No que diz respeito à próxima temporada, o médio natural de Viseu, diz ainda não ter nada acertado, mas sublinha que se sente parte do Espinho, e que lhe dá prazer vestir a camisola dos tigres:
"Quanto ao futuro, não fecho portas, até porque como disse sinto-me muito bem aqui, e o SC Espinho terá sempre uma palavra a dizer. Sinto-me parte deste clube, dá-me prazer vestir esta camisola e nunca iria sair sem primeiro ser frontal com as pessoas. Se isso acontecer, logo se vê. Estou bem aqui."
Depois de ter repartido a sua formação entre os Repesenses e o Belenenses, e de ter representado a equipa sénior do clube do Restelo, Carlos Manuel representou ainda Fátima, Alcaíns, Badajoz de Espanha, Feirense, Pinhalnovense, Portimonense e U. Madeira, além do Sp. Espinho, clube no qual já vai na sua terceira passagem - 03/04 e 04/05; metade de 05/06; e de 08/09 até ao momento.

Celso: "Foi uma época muito positiva"

(Aos 38 anos, Celso não pensa em deixar de jogar futebol.)
Tal como na temporada passada, o 'ConversasRedondas' vai durante este mês e o próximo, voltar a repetir a iniciativa de dar a 'voz' a jogadores de vários clubes da II Divisão, de maneira a que cada um descreva a temporada a nível pessoal e colectivo.
O primeiro clube a ser 'destacado', é o Amarante, que na época de regresso à II Divisão, foi uma das surpresas da prova, tendo acabado na quinta posição da Zona Centro. O blogue conversou com o seu guarda-redes Celso, que aos 38 anos, foi quase sempre 'dono' da baliza amarantina.
O guardião começou precisamente por abordar a questão relacionada, com o facto do Amarante ter sido uma das surpresas do campeonato:
"O segredo foi, sem dúvida, a estrutura, que soube manter o núcleo da equipa da época anterior e acrescentar valor com os jogadores que entraram, que deram também eles um bom contributo para esta campanha fantástica que fizemos. De salientar, o bom grupo de trabalho que tinhamos, onde a união e humildade foram palavras de ordem."
Durante várias jornadas, o Amarante andou na quarta posição, chegando a ter 'condições' para se intrometer na luta pelo play-off. Celso refere que o principal objectivo sempre passou pela manutenção, e que a equipa 'apenas' queria obter a melhor classificação possível:
"O objectivo primordial sempre foi a manutenção. Não esquecer que não tivemos o melhor arranque de temporada, e que com muito trabalho e competência do grupo e estrutura directiva, soubemos dar a volta por cima e fazer um campeonato muito bom. Agora, a partir do momento em que começamos a estabilizar na tabela classificativa, e aliando resultados e boas exibições, o objectivo foi obter a melhor classificação possível, e se essa fosse o play-off tanto melhor. Não foi possível, mas não é nada que ensombre a grande época realizada."
Nos destaques da temporada, Celso voltou a mencionar o mau arranque do Amarante em termos de resultados, algo que a equipa acabou depois por conseguir superar, fazendo uma excelente época:
"O ponto baixo da época foi o seu início, onde de facto os resultados não eram de todo condizentes com as exibições. Quanto ao ponto alto, foi toda a restante temporada, que mais uma vez volto a frisar, foi excelente, pois conseguimos aliar os resultados com as boas exibições que realizamos durante todo o ano."
Celso realizou vinte e dois jogos, um deles como suplente utilizado, referindo que "foi uma época bem positiva a nível pessoal":
"A nível pessoal foi uma época bem positiva, primeiro porque consegui ser titular na maior parte dos jogos e ainda mais positiva se tornou por ter que "competir", com um excelente guarda-redes pelo lugar, o Sérgio. A certa altura da época, o Mister Arlindo Gomes optou pela rotatividade. Ainda assim, o mais positivo a retirar mesmo a nível pessoal, foi o ter feito parte de uma excelente equipa, e de ter contribuído para escrever mais uma página bonita na história do Amarante FC."
Actualmente com trinta e oito anos, Celso não pensa em pendurar as luvas:
"O futuro a Deus pertence. Fazer parte do Amarante FC foi, é e sempre será, um motivo de orgulho. Agora, vamos ver o que nos espera para a próxima época e aguardar por propostas. Uma coisa é certa, vou continuar a dignificar e dar o máximo pela camisola que envergue, sempre foi esse o meu lema, e com tão bons resultados, não faz sentido mudar."
Depois de uma longa passagem pelo FC Marco, onde esteve durante seis anos na II Divisão B, Celso mudou-se para o Covilhã, onde esteve durante quatro épocas, regressando depois ao FC Marco, de onde saiu para o Amarante a meio de 06/07, clube que representou até esta temporada.

segunda-feira, 7 de maio de 2012

III Divisão - Fase Final: 7ª Jornada

(Ol. de Frades 4-1 Penalva do Castelo - autoria: "ViseuFlash".)
A três jogos do final da III Divisão, o Farense carimbou o regresso à II Divisão, um ano após ter descido de divisão. Em sentido contrário, há já treze equipas com a descida confirmada - quatro delas nos Açores.
Na Série A, o líder Joane empatou a uma bola no terreno do Maria da Fonte, e tem agora três pontos de avanço para o segundo classificado, que é o Santa Maria, que venceu no terreno do Vianense por uma bola a zero, e aproveitou a derrota do Vilaverdense em Bragança por 3-1, para assumir a vice-liderança.
O Marinhas venceu na casa do já despromovido Cerveira por 2-1 e passou para primeiro, aproveitando o empate do Esposende em casa frente ao Melgacense, a duas bolas. O Amares foi ao terreno do Fão, vencer por claros 4-0.
Na Série B, o Cesarense perdeu pela primeira vez nesta fase final, tendo sido derrotado em casa pelo Sousense, por uma bola a zero. O Infesta recebeu e venceu o Vila Real por 2-0, e está a dois pontos da promoção, enquanto que o Rebordosa venceu o Grijó por 3-1.
Na permanência, o Serzedelo cedeu um empate caseiro frente ao Mêda a dois golos, enquanto que o Leça venceu o Vila Meã por 2-0. Num duelo entre equipas já despromovidas, o Lamego recebeu e venceu o Alpendorada por uma bola a zero.
Na Série C, o Bustelo bateu o Ac. Viseu por uma bola a zero e alcançou os viseenses na liderança da prova. O Nogueirense bateu o Avanca também por 1-0, e está agora a um ponto da dupla que lidera a prova, enquanto o Alba venceu na casa do Sampedrense por 2-1, e voltou a reentrar na luta pela subida.
O Ol. de Frades goleou o Penalva do Castelo por 4-1 e tem a manutenção praticamente assegurada, à semelhança do Ol. do Hospital, que venceu na casa da Sanjoanense por 2-1. Noutro duelo entre equipas já despromovidas, o Canas de Senhorim bateu o Valecambrense, também por 2-1.
Na Série D, o BC Branco recebeu e venceu o Pombal por duas bolas a uma e é cada vez mais líder, uma vez que o Sourense bateu o Pampilhosa também por 2-1, e assumiu a segunda posição por troca com os pampilhosenses. O Tocha venceu na casa do Marinhense por 2-0 e está a três pontos do segundo lugar.
Na luta pela permanência, o já despromovido Bombarralense perdeu em casa frente ao Peniche, por 2-0, sendo que a turma forasteira há muito que tem a manutenção garantida. O Alcobaça venceu no terreno do Beneditense por 1-0, e distanciou-se do Riachense, que esta jornada folgou.
Na Série E, o Futebol Benfica venceu o Pêro Pinheiro por 2-1, e mantém-se líder, enquanto que o Oeiras venceu o Casa Pia por 3-1 e distanciou-se do terceiro posto, aproveitando a derrota do 'PP'. O Real venceu na casa do Sintrense por uma bola a zero.
O Sacavenense venceu no Cartaxo por duas bolas a uma e garantiu matematicamente a permanência, enquanto que o Alcochetense cedeu um empate caseiro frente ao Eléctrico a uma bola, e viu o Ol. do Montijo aproximar-se, uma vez que os montijenses venceram em Elvas por 2-0, e atiraram com os alentejanos para o Distrital.
Na Série F, o Farense venceu na casa do Esp. de Lagos por 2-1 e confirmou finalmente a tão desejada e esperada subida. O Quarteirense venceu na casa do Messinense pelos mesmos 2-1, e também está perto de confirmar a subida à II Divisão, uma vez que o Sesimbra está a cinco pontos, apesar de ontem ter vencido o Aljustrelense por 2-0.
A luta pela permanência está ao rubro, pois apenas quatro pontos separam o primeiro do quarto classificado: o U. Montemor venceu o Redondense por 3-0, e além de confirmar a descida dos alentejanos, alcançou o Fabril na primeira posição, uma vez que os barreirenses foram goleados na casa do terceiro classificado, Lagoa, por 4-1. Já o Pescadores venceu na casa do também despromovido Despertar, por 3-0, e continua a apenas três pontos da terceira posição.
Nas ilhas, e começando pelos Açores, já com tudo resolvido na fase de permanência, resta às equipas conquistarem o maior número de pontos possível, e consequente melhor classificação. O líder Ideal, venceu na casa do Micaelense por 3-1, enquanto que o segundo classificado, Boavista São Mateus, perdeu no terreno do Águia por uma bola a zero. O Fayal recebeu e venceu o Guadalupe por 2-1.
Na Madeira, o Pontassolense venceu em casa do Câmara de Lobos por 2-1 e não desarma na liderança, enquanto que o Caniçal goleou o Est. da Calheta por 5-2 e continua na peugada do líder. O Portosantense recebeu e venceu o Machico por 3-0, somando a segunda vitória consecutiva.
O Canicense venceu o 1º de Maio por 5-4 e continua a liderar a fase de manutenção, enquanto que o Andorinha venceu o Bairro da Argentina por 3-2 e manteve-se segundo. O Porto da Cruz venceu na casa do Santana por 2-1 e subiu à terceira posição.
A III Divisão regressa no próximo fim-de-semana.

domingo, 6 de maio de 2012

Itália: Juventus Campeã

(Os festejos dos jogadores da Juve, durante a partida de hoje em Cagliari.)
A Juventus sagrou-se esta noite campeã de Itália, algo que não conseguia desde a temporada 04/05. Depois de ter andado pelas 'ruas da amargura', inclusive tendo passado a temporada 06/07 na Serie B italiana, em virtude do processo 'Calciocaos', a 'Vecchia Signora' está de volta às luzes da ribalta.
Esta noite, a turma de Turim venceu em casa do Cagliari por duas bolas a zero, e aproveitou da melhor maneira a derrota do Milan no derby com o Inter, por 4-2, sagrando-se assim campeã a uma jornada do fim da prova.
A Juve soma agora quatro pontos de avanço para o AC Milan, que é segundo, e o maior feito deste campeonato, é o facto da equipa de Turim ainda não ter perdido na prova, após trinta e sete jogos. Na próxima semana, a Juventus recebe o Atalanta, naquele que é o derradeiro jogo da Serie A, e caso não seja derrotada, será campeã sem derrotas.
É caso para dizer, que a 'Vecchia Signora' está de volta.

Liga Orangina: Estoril Campeão

(Licá foi o autor do golo do Estoril frente ao Leixões, no empate a um da primeira volta.)
O Estoril venceu esta tarde em Matosinhos, o Leixões, por uma bola a zero e além de conquistar a subida ao principal escalão, sagrou-se campeão, aproveitando os empates do Aves, em casa, sem golos frente ao Freamunde, e do Moreirense a duas bolas nos Açores, em casa do Santa Clara.
O Penafiel recebeu e venceu a Oliveirense por 1-0, num jogo simplesmente para cumprir calendário, enquanto que a Naval foi vencer a Arouca por 2-1, e assumiu o quarto lugar, que pode dar acesso à liguilha com o 15º classificado da Liga ZON, isto caso o alargamento seja aprovado pela FPF.
Nas contas da permanência, o Covilhã empatou no seu terreno frente ao Belenenses sem golos, e continua na linha-de-água em igualdade pontual com o Freamunde, que como já disse, empatou nas Aves. Também na luta pela manutenção, o Portimonense cedeu uma igualdade caseira frente ao Trofense a duas bolas e continua apenas com um ponto de vantagem para a linha-de-água, enquanto que o União da Madeira empatou a uma bola na Reboleira, frente ao Atlético, e precisa apenas de um ponto para se manter.
Na última jornada, muita coisa se decidirá, a começar pelo topo, onde Moreirense e Aves estão na luta pelo segundo lugar: os cónegos recebem o Covilhã, que também está obrigado a vencer para se manter, enquanto que os avenses se deslocam ao terreno do Trofense.
Na luta pela manutenção, o Freamunde recebe o Penafiel, e tem também de vencer, o Portimonense desloca-se ao terreno do União da Madeira, enquanto que o Arouca se desloca ao terreno do Estoril, e o Santa Clara ao terreno da Naval.
Confira as pontuações do que ainda falta 'resolver':

(...)
2º Moreirense 51 pontos
3º D. Aves 50 pontos
(...)
11º U. Madeira 34 pontos
12º Santa Clara 34 pontos
13º Arouca 33 pontos
14º Portimonense 32 pontos
15º Sp. Covilhã 31 pontos
16º Freamunde 31 pontos

Liga ZON: U. Leiria despromovida

(Ao perder na Luz por 1-0, o Leiria confirmou a descida à Liga Orangina.)
A União de Leiria perdeu ontem à noite na Luz, frente ao Benfica, por uma bola a zero e confirmou a despromoção à Liga Orangina. Para a linha-de-água, caiu ontem o Feirense, que foi derrotado na sua própria casa pelo V. Guimarães, 1-3, e foi ultrapassado pela Académica, que recebeu e venceu o Setúbal por 1-0.
No Dragão, o FC Porto venceu o Sporting por 2-0, num jogo com três expulsões, e que a somar à vitória do Braga sobre o Beira-Mar por 1-0, impede os leões de chegarem à Liga dos Campeões na próxima época.
O Marítimo empatou sem golos em Olhão, frente à Olhanense, enquanto que a outra equipa insular, o Nacional, recebeu e venceu o Gil Vicente por 3-1 e confirmou o excelente final da época que tem vindo a fazer. Paços de Ferreira e Rio Ave empataram a duas bolas, resultado que confirmou a permanência de ambos no primeiro escalão.
Para a última jornada, ficou guardada a decisão da permanência, entre Académica e Feirense, sendo que ambos vão fora: a Briosa a Guimarães; e os da Feira a Barcelos, para defrontarem o Gil Vicente.

sábado, 5 de maio de 2012

Faleceu Yekini

(Yekini ao serviço da Nigéria, durante o Mundial de 1998.)
O Vitória de Setúbal está de luto, pela morte de um dos melhores futebolistas que passaram pelo clube. O nigeriano Yekini, ponta de lança dos sadinos na década de noventa, faleceu ontem vítima de doença prolongada, aos quarenta e oito anos.
Rashidi Yekini, chegou ao Setúbal na temporada 90/91 e por lá ficou até 93/94, voltando em 96/97, já depois de ter representado Olympiakos e Sp. Gijón.
Ao serviço dos sadinos, Yekini foi o melhor marcador do campeonato português na época 93/94, tendo representado a selecção A nigeriana por 58 vezes - inclusive nos Mundiais de 1994 e 1998 -, e apontado 37 golos. De todos estes 37 golos, há um que é mais especial que todos os outros, pois foi de Yekini o primeiro golo dos nigerianos em fases finais de Campeonatos do Mundo - 1994.
O V. Setúbal foi informado do óbito, e terá tentado junto da Liga homenagear Yekini na partida desta noite em Coimbra, frente à Académica.
Yekini nasceu a 23 de Outubro de 1963 em Kaduna, na Nigéria, e despontou para o futebol ao serviço do Shooting Stars do seu país, de onde saltou para o Africa Sports da Costa do Marfim e posteriormente para o V. Setúbal, tendo terminado a carreira em 2005, então com 41 anos, ao serviço do Julius Berger da Nigéria.

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Espanha: Real Madrid Campeão

(Fábio Coentrão parece sofrer falta de um jogador basco, no jogo desta noite que consagrou o Real.)
O Real Madrid sagrou-se esta noite campeão espanhol, quatro anos depois de o ter feito pela última vez. Os merengues venceram no San Mamés, o Athletic Bilbao, por esclarecedores 0-3, num jogo em que Ronaldo falhou um penalti, mas acabaria por fechar a contagem aos 50' minutos, já depois de ter assistido Ozil para o 0-2 aos 20'. O golo inaugural foi da autoria de Higuaín ao minuto 16'.
Apesar do Barça ter vencido o Málaga por 4-1, o Real precisava 'apenas' de vencer o Athletic, para conquistar o campeonato, tendo agora sete pontos de avanço para os 'blaugrana', quando faltam disputar duas jornadas.
Este é o décimo nono título de José Mourinho, entre Portugal, Inglaterra, Itália, Espanha e competições europeias, mas é somente o segundo título do técnico português à frente dos merengues - o primeiro foi a Taça do Rei na temporada transacta.
No que diz respeito ao terceiro lugar, que garante entrada directa na fase de grupos da Champions, o Valencia goleou o Osasuna por 4-0 e distanciou-se do Málaga, enquanto que na luta pela permanência, o Saragoça voltou a vencer, tendo derrotado a sensação da prova, o Levante, por uma bola a zero, e está agora a três pontos de deixar a linha-de-água.