segunda-feira, 1 de março de 2010

União de Lamas: Brasileiros vivem em anexos do Estádio.

O União de Lamas, já viveu melhores momentos.
Actualmente a competir na Primeira Divisão Distrital de Aveiro, o clube lamacense tem vivido enormes dificuldades para sobreviver.
E agora, eis que surge mais um grave problema para resolver.
Um grupo de 16 brasileiros, chegou a Santa Maria de Lamas, no dia 1 de Janeiro de 2010, com o objectivo de prestar provas, e singrar no futebol português.
Os atletas com idades entre os 20 e os 23 anos, pagaram cerca de 2500 euros a um empresário que lhes prometeu localização em algum clube.
Dos 16 que prestaram provas ao União de Lamas, apenas 2 foram seleccionados para fazerem parte do plantel sénior.
Entretanto, seis regressaram ao seu país, e os restantes oito (alguns deles na foto) encontram-se alojados em anexos do Estádio Comendador Henrique Amorim, que em tempos recebeu FC Porto e Sporting, para a Taça de Portugal.
"Deixámos as nossas vidas no Brasil a pensar que tínhamos um lugar garantido num clube em Portugal e agora vamos voltar sem nada, ainda pior do que estávamos" citou Adinilson Silva, em declarações ao JN.
Num quarto improvisado, o atleta é a voz da revolta do grupo de brasileiros que sobrevive diariamente em Santa Maria de Lamas.
"O empresário que nos contratou já nos conhecia e sabia como jogamos. Se não fosse para nos colocar a jogar, porque nos trouxe para Portugal e cobrou mil euros a cada um?" questionou.
O atleta diz ainda, que vivem sem condições de higiene, e pior que tudo não têm de comer.
"O presidente do clube também disse que ia tratar-nos como se fossemos filhos dele, mas agora estamos em condições que não são nada boas. Temos frio e ainda ontem pedimos para tomar banho no balneário onde há água quente, mas disseram que não havia autorização" disse Adinilson.
"Estivemos dias a comer batatas com salsichas e hoje veio finalmente um pouco de carne, mas cheia de gordura", acrescenta.
Os seis jovens, vêem-se agora, obrigados a abandonarem Portugal, depois do visto de residência ter caducado.
Adinilson Silva, disse ainda que esperam dinheiro do Brasil, para poderem regressar mas a principal vontade do grupo é permanecer em Portugal, e arranjar um clube que lhes garanta "uma opurtunidade".

Sem comentários:

Enviar um comentário