quinta-feira, 9 de maio de 2013

André Nogueira: "Têm que reconhecer a grande primeira volta que fizemos"

(André Nogueira, na foto diante do Belenenses para a Taça, foi o melhor marcador do Anadia.)
À décima sexta jornada, o Anadia liderava a Zona Centro da II Divisão contra todas as expectativas, já depois de ter 'obrigado' o Belenenses a ir a prolongamento na Taça de Portugal.
Porém, o declínio dos bairradinos começou aí, uma vez que se seguiram dez jogos sem conhecer o sabor da vitória, que atiraram com o clube para um modesto décimo lugar.
Sete pontos nos últimos quatro jogos, incluindo uma vitória 'gorda' sobre candidato à subida Cinfães, por 3-0, levaram os 'trevos' ao oitavo lugar final. O blogue conversou com André Nogueira, defesa-direito do Anadia, que refere a 'necessidade' de se reconhecer a grande primeira volta do clube:
"Penso que, mais importante que tentar responder ao que aconteceu para que houvesse essa quebra na segunda volta do campeonato, é preciso reconhecer a fantástica primeira volta de uma equipa que, de todas as equipas desta série, é claramente a que tem menor orçamento, com um treinador novo e que apenas tinha no plantel sete jogadores oriundos da época anterior. Respondendo à pergunta, penso que o que mudou foram 'somente' os resultados, porque continuamos a jogar o mesmo futebol que apresentávamos até então, mas por este ou aquele motivo a vitória teimava em não aparecer. Entrámos, então, numa fase terrível de dez jogos sem ganhar, onde como é óbvio, e por muito que se tente dizer o contrário, a equipa perdeu alguma confiança e até algum rigor táctico. O importante a reter desta época desportiva é que em três anos que o clube tem na II Divisão Nacional, nunca fez uma época tão tranquila, a ponto de ter entrado nas últimas jornadas sem a pressão dos resultados."
O Anadia liderou a prova em três jornadas intercaladas, e andou durante bastante tempo a 'morder os calcanhares' aos líderes. André Nogueira esclarece que o único objectivo do clube passava inteiramente pela manutenção:
"O objectivo do Anadia FC sempre foi o da manutenção, mas que fique claro também, que enquanto estivemos nos lugares cimeiros, o nosso objectivo era mantermo-nos lá o maior tempo possível. Depois quando se tem uma equipa jovem e se está nos primeiros lugares, é normal que haja a ambição de se falar na subida, mas nunca foi esse o nosso primeiro objectivo."
Na escolha dos principais momentos da época, André Nogueira elege três jogos em particular, sendo um deles a vitória sobre o SJ Vêr, que colocou a equipa na liderança:
"Na minha opinião, o ponto alto da época foi quando na primeira jornada da segunda volta, ganhámos em casa ao SJ Ver e passámos a liderar o campeonato. Houve também o jogo da Taça, contra o Belenenses, onde obrigámos o campeão da Segunda Liga a ir a prolongamento, e ainda o jogo da segunda volta contra o Cinfães, onde quebrámos a fase de dez jogos sem ganhar, com uma vitória por 3-0. O ponto baixo da época, como não poderia deixar de ser, foi a fase de dez jogos sem vencer, depois de termos alcançado o primeiro lugar no campeonato."
Em tempos, André Nogueira foi uma promessa da formação onde Sporting, tendo evoluído ao lado de Rui Patrício, André Marques, João Moutinho e Pereirinha, entre muitos outros jogadores. O lateral direito foi o melhor marcador da sua equipa com nove golos em vinte e oito jogos e, por isso, destaca uma boa época a nível individual:
"A nível pessoal a época correu muito bem. Dos trinta e dois jogos oficiais que o Anadia FC teve, joguei trinta e fiz nove golos, tendo sido o melhor marcador da equipa. Foi o ano onde, claramente, me senti melhor e penso que isso se reflecte nos números finais da época."
Após sete temporadas consecutivas na II Divisão B, repartidas por quatro clubes, dois deles com grande história no nosso futebol, André Nogueira não esconde a ambição de chegar aos campeonatos profissionais, seja ou não em Portugal:
"Na próxima época espero ter a oportunidade que nunca tive, que é a de jogar num campeonato profissional, seja em Portugal ou no estrangeiro."
Actualmente com 26 anos, André Nogueira dividiu a sua formação entre o Anadia e o Sporting, tendo representado os leões durante cinco épocas. Como sénior, ainda não conheceu outro escalão a não ser a II Divisão B, tendo vestido as camisolas de Esmoriz, Atlético e Torreense, antes de regressar ao Anadia na temporada 10/11.

Sem comentários:

Enviar um comentário