quinta-feira, 2 de maio de 2013

Liga Europa: Benfica na Final!

Vinte e três anos depois, o Benfica está de regresso a uma final europeia. O nome do AC Milan em 1990, dará lugar ao do Chelsea, como oponente, enquanto que Amesterdão acolherá os encarnados, cinquenta e um anos depois da conquista da Taça dos Campeões Europeus, diante do Real Madrid.
O percurso até pode ter sido relativamente fácil, concordemos, mas este Fenerbahçe mostrou que não era 'favas-contadas', primeiro começando por ganhar na Turquia, e acabando por marcar na Luz de penalti, numa altura em que os encarnados já venciam por 1-0.
Korkmaz, há uma semana atrás, tinha aberto caminho ao sonho turco, mas Gaitán devolveu a esperança ao sonho luso. Kuyt ainda fez o 1-1 na Luz, mas um bis de Óscar Cardozo, ora criticado, ora elogiado, atirou com o Benfica para a final da Liga Europa.
Em desvantagem na eliminatória, pedia-se uma grande intensidade de jogo ao Benfica, como lhe é conhecida, para resolver o jogo. E logo aos nove minutos, Gaitán assistido por Lima, abriu o marcador, fazendo a Luz explodir, literalmente, de alegria.
O mais difícil estava feito: o 1-0 já lá 'morava', e a eliminatória estava empatada. O resultado não servia a nenhuma das formações, e o Benfica continuava a jogar a um ritmo fortíssimo.
Só que aos 23' minutos, a Luz estremeceu: primeiro, Stéphane Lannoy não assinalou um fora-de-jogo claro de Moussa Sow, e na sequência desse lance, assinalou grande penalidade a castigar mão na bola de Garay. Dirk Kuyt, o melhor dos turcos, empatou o jogo sem dificuldade.
'Tremia' o Benfica e intensificavam-se os protestos junto da equipa de arbitragem.
Algo perdidos no terreno de jogo com esta situação, os encarnados acabaram por passar novamente para a frente do marcador aos 35' minutos, quando Enzo Pérez cobrou um livre rapidamente e serviu Cardozo, com o paraguaio a desenvencilhar-se dos adversários bem ao seu estilo, e com um remate subtil a fazer o 2-1.
Voltava a alegria às bancadas da Luz, com o público efervescente à espera de mais golos. Cardozo andou perto de fazer o 3-1 pouco depois, e os turcos estavam limitados a um futebol directo na procura de Kuyt e Moussa Sow.
Com este resultado os turcos estavam apurados, e Aykut Kocaman procurou refrescar a sua equipa para o segundo tempo, fazendo entrar Mehmet Topuz para o lugar de Selçuk Şahin.
Porém, pouco depois seria obrigado a fazer nova substituição, desta feita devido a um violento pontapé de Gaitán na cara de Gökhan Gönül, que deixou o lateral turco estendido no relvado, sem sentidos. Foi de tirar a respiração, e o jogador foi de imediato transportado ao hospital.
O jogo esteve parado durante cerca de seis minutos, e quando voltou, o ritmo continuou pouco diferente do que era quando Gaitán acertou involuntariamente em Gonul.
No entanto, cinco minutos depois do recomeço de jogo, Luisão na sequência de um lançamento lateral, deixou Cardozo na cara de Volkan Demirel, e o paraguaio rematou com firmeza para o 3-1.
Mais uma alegria na Luz, com o Benfica a estar agora mais confortavelmente em vantagem. Dos turcos, nem sinal lá na frente, e só nos últimos dez minutos estes 'apareceram', primeiro com Stoch a fazer um remate na esquerda, obrigando Artur a defesa apertada, e depois com Korkmaz, outra vez ele, a cabecear para as mãos do guardião brasileiro.
O coração aguentou, a Luz estava agitada, e o Benfica apurou-se para a final da Liga Europa, competição que já perdeu, então sob outro nome e formato, para o Anderlecht em 1983.
Mas isso é passado, enquanto que Amesterdão e o Chelsea são o futuro recente, de um Benfica que está perto de voltar às glórias europeias. A final joga-se a 15 de Maio.
Ficha de Jogo:

Jogo realizado no Estádio da Luz, em Lisboa
Quarteto de arbitragem composto por: Stéphanne Lannoy (Árbitro Principal - França); Frédéric Cano e Michael Annonier (Árbitros Assistentes); Laurent Stien (Quarto Árbitro)

Benfica (4-4-2): Artur; Maxi Pereira, Luisão, Garay e André Almeida; Salvio, Matic, Enzo Pérez e Gaitán (Roderick 90+3'; Lima e Cardozo (Urreta 87').
Treinador: Jorge Jesus. Suplentes Não Utilizados: Paulo Lopes; Melgarejo, Carlos Martins, Aimar e Rodrigo.

Fenerbahçe (4-5-1): Volkan Demirel; Gönül (İrtegün 61'), Korkmaz, Yobo (Stoch 75') e Reto Ziegler; Caner Erkin, Selçuk Şahin (Topuz 45'), Kuyt, Cristian e Salih Uçan; Moussa Sow.
Treinador: Aykut Kocaman. Suplentes Não Utilizados: Günok; Ali Kaldırım, Şentürk e Şimşek.

Disciplina:
Amarelos: Maxi Pereira 29'; Cristian 30'; Enzo Pérez 33'; Caner Erkin 85'.

Marcador: 1-0 Gaitán 09'; 1-1 Kuyt 23' G. P.; 2-1 Cardozo 35'; 3-1 Cardozo 66'.

Sem comentários:

Enviar um comentário