terça-feira, 30 de abril de 2013

II Divisão: Chaves e Farense regressam à Segunda Liga

Foi, digamos, um regresso anunciado de D. Chaves e Farense à Segunda Liga, aquele que aconteceu no passado domingo.
Podemos também dizer que os extremos do país se tocaram, com a subida de um clube transmontano e outro algarvio, e até podemos relembrar - porque é justo - a subida do Ac. Viseu, outro histórico, e que está caprichosamente situado a meio de Portugal continental.
Mas mais importante que as questões geográficas, é o regresso de flavienses e farenses aos campeonatos profissionais, depois de uma certa travessia no deserto, principalmente dos 'Leões de Faro', que até pelos Distritais andaram.
Começando pelo Norte, o D. Chaves, afastado da Segunda Liga desde 09/10, temporada em que foi, inclusive, à final da Taça de Portugal com o FC Porto, precisava apenas de não perder para subir, acabando por vencer o Ribeirão por 1-0, graças a um golo solitário de Kuca aos 26' minutos.
Éder Sánchez ainda foi expulso aos 81' minutos, mas os flavienses, comandados por João Pinto, campeão europeu em1987, seguraram o triunfo e festejaram o regresso às ligas profissionais.
Em Faro, no Algarve, cerca de quinze mil pessoas assistiram a um duelo já visto anteriormente, então noutros palcos que não as divisões amadoras, entre Farense e União de Leiria.
De todos os três que regressarão aos campeonatos profissionais, o Farense foi o que teve o caminho mais longo e mais 'penoso' para percorrer: em 02/03 caiu na secretaria para a II Divisão B, e em 05/06 desistiu da III Divisão poucas jornadas depois do seu começo, e numa altura em que só contava com jogadores juniores. Seguiu-se um ano de interrupção, e duas subidas consecutivas no Distrital do Algarve, que colocaram o clube nos Nacionais.
E desde 2010 até agora, o Farense somou três subidas e uma descida: subiu à II Divisão B em 2010 e 2012; desceu à III Divisão em 2011; e domingo subiu à Segunda Liga.
Contra o Leiria, Bruno Bernardo adiantou os algarvios logo aos três minutos, fazendo rebentar a festa no mítico Estádio São Luís.
Porém, a festa esmoreceu a dezasseis minutos dos noventa, quando Elimiano Té empatou a partida, mas quatro minutos depois voltou a ser de arromba, quando Ibukun converteu a grande penalidade que selou o 2-1 final favorável ao Farense, e que colocou o clube na rota de nova promoção, desta feita para um escalão profissional.
Assim se fez a festa em Chaves e Faro, com Viseu, pelo meio, em êxtase há uma semana. A próxima temporada será de regresso aos grandes palcos para todos eles.

Sem comentários:

Enviar um comentário