terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Braga: A tua cara não me é estranha

(Sábado foi assim: Braga coloca a bola por cima de Helton e prepara-se para marcar no Dragão.)
Ainda me recordo de quando o Salgueiros caiu na Liga de Honra e, entre muitas contratações de jogadores com créditos firmados, apostou num 'miúdo' da formação chamado Braga.
O jovem Braga, Bruno de nome próprio, foi utilizado muitas vezes na Liga de Honra, primeiro por Carlos Manuel e depois por Norton de Matos, até que em 2004 o Salgueiros caiu para a IIB na secretaria, e impedido de renovar ou registar contratos, foi obrigado a libertar todo o seu plantel.
Braga foi então 'obrigado' a prosseguir a sua carreira nos campeonatos não-profissionais, nomeadamente ao serviço do Tirsense, que na altura - 04/05 - disputava a III Divisão.
Bruno Braga não apadrinhou, por exemplo, a estreia do Canedo dos Nacionais, num jogo que o seu novo clube perdeu por uma bola a zero, mas viria a defrontar o clube da minha terra não só nessa temporada, como também nas duas seguintes - novamente pelo Tirsense em 05/06, e depois pelo Leça em 06/07.
Quem o viu a jogar nessas três temporadas consecutivas, como eu vi, facilmente percebeu que não era à toa que Braga havia jogado na Liga de Honra pelo Salgueiros, quando ainda mal tinha acabado a formação.
Havia ali qualidade para jogar mais além do que numa III Divisão, e se Braga brilhou com a camisola dos 'Jesuítas' ao ponto de se mudar para o candidato à subida Leça em 06/07, nessa temporada ao serviço dos leceiros, o criativo portuense exibiu-se como uma das grandes figuras verde-e-brancas, ajudando à subida dos matosinhenses, que seriam acompanhados nessa subida pelo...Tirsense.
Braga continuou no Leça em 07/08, agora já na II Divisão B, e entre muitos jogos e momentos, foi protagonista de uma jogada espectacular na derradeira jornada do campeonato: fintou seis jogadores do Lourosa, mais o guarda-redes, e com a baliza escancarada, falhou. O Lourosa marcou aos 90+2' e o Leça desceu.
Porém, no ano seguinte, Braga deu o tão desejado 'salto' para o primeiro escalão: reforçou o vizinho Leixões, e à sexta jornada brilhou no Dragão com um bis que ajudou à vitória dos leixonenses por 3-2 na casa do FC Porto. Se no primeiro golo, se limitou a desviar a bola do alcance do guardião portista, no segundo, marcou com um espectacular remate de primeira, que não deu hipótese de defesa a Nuno Espírito Santo - sim, o seu actual treinador.
Nos dias que se seguiram à vitória leixonense no Dragão, toda a gente falava de Braga, e eu limitava-me a dizer que ele já tinha jogado contra o 'meu' Canedo.
No passado sábado, quase cinco anos depois de o ter feito pela primeira e última vez, Braga voltou a marcar no Dragão, agora com a camisola do Rio Ave, aproveitando uma bola longa nas costas da defensiva portista, e depois de fintar Helton e Maicon, não repetiu o falhanço em Lourosa: desta vez, atirou mesmo para o fundo das redes e adiantou os vilacondenses no marcador.
O resultado acabaria por ser favorável aos dragões, mas Braga voltou a 'aparecer' na ribalta do futebol português. E desde 2004 que a sua cara não me é estranha...

Sem comentários:

Enviar um comentário