sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Fernando Aguiar sobre Fehér: "Foi um dia muito triste"

(Fehér e Fernando Aguiar foram colegas no Benfica entre Julho de 2003 e Janeiro de 2004.)
Nove anos depois, a memória de Miki Fehér continua bem viva em Portugal. A 25 de Janeiro de 2004, o jovem magiar perdeu a vida durante os instantes finais de um V. Guimarães - Benfica que os encarnados viriam a vencer por 1-0 com golo de Fernando Aguiar.
Durante o dia de hoje, têm sido imensas as manifestações de saudade vincadas por adeptos de todos os clubes, mas também por ex-colegas de Fehér, nomeadamente de Ricardo Rocha, que publicou no seu twitter uma foto com Fehér e mais alguns companheiros da altura.
O blogue conversou precisamente com Fernando Aguiar, ele que marcou o golo da vitória em Guimarães naquela noite chuvosa de domingo já sobre o minuto noventa, longe de imaginar o desfecho que a partida iria ter.
Primeiramente, Fernando Aguiar começou por recordar a relação com Miki Fehér e os momentos que se seguiram à sua queda desamparada no relvado:
"Tinha uma boa relação com o Miki, aliás, era um plantel muito unido e amigo. Para dizer a verdade, assim que o vi cair, pensei logo no pior e nunca tive esperança que o Fehér voltasse a ter vida depois da queda. É claro que pensamos e desejamos sempre que o Fehér voltasse a ter vida, mas tal não foi possível. Foi um dia muito triste."
O 'Robocop', como ficou conhecido nos relvados portugueses, recordou ainda a dor que todo o plantel sentiu na hora da perda de Miklos Fehér, lembrando a conquista da Taça de Portugal em memória do húngaro:
"Foi muito difícil recuperarmos do 'choque', mas sabíamos que não podíamos pensar muito nisso, porque afinal havia jogos para fazer e, pelo menos, tentar ganhar algum troféu pelo Fehér. Felizmente foi possível ganharmos a Taça. Cada jogo foi sempre realizado a pensar nele e só assim conseguimos seguir em frente."
Miki Fehér, recorde-se uma vez mais, nasceu em Gyór na Hungria a 20 de Julho de 1979. Aos dezoito anos chegou a Portugal para jogar no FC Porto proveniente do Gyór Eto, e depois de representar a principal formação azul-e-branca e ainda a sua equipa bê, foi sucessivamente emprestado a Salgueiros e Sp. Braga, antes de entrar em litígio com os portistas e rumar ao Benfica em 2002, clube ao serviço do qual perdeu a vida numa trágica noite de Inverno.
Descansa em paz #29.

Sem comentários:

Enviar um comentário