quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Russos no FC Porto: o legado de Izmaylov

(Ovchinnikov é, até ao momento, o único russo que não se sagrou campeão pelo FC Porto.)
Existem relacionamentos amorosos que só resultam em casamento passado muitos anos, e após grande insistência por parte de um dos parceiros. E a vinda de Izmaylov para o FC Porto, encaixa-se parcialmente - ou totalmente? - neste conceito.
O interesse dos portistas no russo não surgiu agora, e muito menos no passado mês de Dezembro. Já era uma possibilidade que vinha sendo falada há bastante tempo, e que só agora se tornou realidade, face ao 'esgotar da paciência' dos responsáveis leoninos para com um russo de grande qualidade futebolística.
Quis o destino que Marat Izmaylov vista a camisola número quinze do FC Porto, mesmo número ostentado pelo seu compatriota Alenitchev durante os quatro anos que representou os Dragões.
E por falar em russos no FC Porto, à memória salta-nos logo os nomes de Kulkov, Yuran ou Ovchinnikov. Curiosamente, três jogadores que antes de jogarem nos azuis-e-brancos vestiram a camisola de um outro rival portista: o Benfica.
Começando por Ovchinnikov, guarda-redes de posição, as estatísticas indicam que em cinco anos em Portugal, o antigo guardião não foi nenhuma vez campeão nacional, apesar de ter representado o Benfica por duas épocas, o Porto por mais duas, e pelo meio, o Alverca.
No caso de Kulkov e Yuran, a situação é diferente: a dupla russa que se notabilizou ao serviço dos encarnados entre 1991 e 1994, e por quem foram campeões nacionais em 93/94, viria ainda a sagrar-se campeã pelo FC Porto no ano seguinte, em 94/95, depois de uma mudança algo atribulada a custo zero da antiga Luz para o já desaparecido Estádio das Antas. Em 1995 abandonaram o nosso país, mas Kulkov voltaria a Portugal em 99/00, para representar o Alverca.
E 'sobra' Alenitchev: quatro anos de azul ao peito - dois deles como colega de Ovchinnikov -, dois títulos de campeão nacional, uma Taça UEFA e uma Liga dos Campeões, já para não falar dos 'outros' títulos nacionais.
Ora, posto isto, convém lembrar as palavras de Izmaylov na passada terça-feira quando assinou contrato com o FC Porto: "estou há quase seis anos em Portugal e espero ser campeão este ano". A 'herança' em relação aos seus compatriotas que vestiram a camisola do Porto, como já se viu, não é fácil. Em quatro, três foram, pelo menos, campeões nacionais.
E de todos esses quatro, Alenitchev era o que menos dava nas vistas. Pacato, alheio a polémicas e problemas, e um jogador de inegável qualidade. Aliás, como Izmaylov o é. Basta querer.
E nós vamos, certamente, ver de que será o russo capaz no FC Porto, não esquecendo as 'célebres' e constantes lesões nos joelhos e...nas costas, como se queixou Vercauteren.
Colocando os títulos de lado, há várias curiosidades nesta ligação dos russos que já jogaram no FC Porto. Entre eles, jogaram apenas em três clubes diferentes no nosso país: Porto, Benfica e...Alverca, sendo que Kulkov e Ovchinnikov partilharam o balneário no Ribatejo em 99/00; Yuran e Kulkov foram colegas no Benfica entre 1991 e 1994, e depois nas Antas em 94/95; e Alenitchev teve Ovchinnikov como companheiro no FC Porto em 00/01 e até meio de 01/02.
Izmaylov será então pela lógica, o primeiro russo do FC Porto que não terá um compatriota no balneário, mas tal como aconteceu com Ovchinnikov, Kulkov e Yuran, chega ao Dragão proveniente de um clube rival, neste caso e pela primeira vez, do Sporting.

Sem comentários:

Enviar um comentário