quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Djalmir: O regresso do manager-goleador

(Momento em que Djalmir rende Abdi ao minuto 66' do Olhanense - Sporting do passado domingo.)
De repente, o Olhanense viu-se sem jogadores, e encontrou no manager Djalmir, uma possível solução para combater a onda de castigos e lesões que assolavam o seu plantel.
Ainda com Sérgio Conceição ao leme, Djalmir regressou aos treinos quase um ano depois de ter colocado um ponto final na carreira, e quis então o destino, que o avançado brasileiro voltasse ao relvado sob as ordens do mesmo técnico que o havia atirado na temporada passada para fora das opções.
Mas Conceição orientou Djalmir por pouco tempo, uma vez que consumou a sua mais que falada saída na semana passada, e para o seu lugar chegou Manuel Cajuda, um algarvio de gema.
Cajuda deu 'luz verde' à inscrição de Djalmir, e o avançado radicado em Portugal há mais de dez anos, estreou-se no passado domingo contra o Sporting.
O ConversasRedondas quis ouvir da boca do próprio Djalmir o que o levou a regressar ao futebol enquanto jogador, e esteve à conversa com o goleador, que começou por falar sobre os motivos que lhe possibilitaram este regresso:
"O que me levou a trocar o gabinete pelos relvados, foi não só a minha vontade de continuar a jogar, mas também devido a alguns problemas na nossa equipa em relação à finalização, aliado à falta de dinheiro para contratar mais um avançado, visto que já temos três."
Djalmir Vieira de Andrade tem trinta e seis anos, e chegou a Portugal no ano de 2000. Como já se percebeu, colocou um ponto final na sua carreira no fim da época desportiva 11/12, mas regressou este mês ao activo, quando está prestes a completar trinta e sete anos.
O avançado conta que regressa com muita vontade e motivação, e não põe de lado a hipótese de continuar a jogar por mais algum tempo, como fez questão de nos explicar:
"Sinto-me motivadíssimo para continuar a jogar, pela vontade que tenho e por achar que nunca deveria ter parado, pois ainda me sinto em condições de marcar golos e ajudar a equipa neste momento difícil. Quanto a prolongar a carreira, o futuro logo dirá."
Em jeito de nota final, Djalmir indica a sua preferência pelos golos:
"Para mim, o que é mais difícil é estar por detrás de uma estrutura profissional. Marcar golos acho mais fácil (risos)."
Djalmir chegou a Olhão na temporada 06/07, pelo que já vai na sétima temporada consecutiva ao serviço dos rubro-negros. Para trás ficaram passagens por Famalicão - onde deu nas vistas com trinta golos em quarenta e um jogos na II Divisão B -, Belenenses, Salgueiros e Feirense.
Meyong e João Tomás foram-se embora, Djalmir regressou. Justo.

Sem comentários:

Enviar um comentário