segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Prémios FIFA: Mourinho e Ronaldo voltam a não vencer

(Ronaldo e Mourinho foram desta vez ultrapassados por Messi e Del Bosque respectivamente.)
José Mourinho e Cristiano Ronaldo voltaram a ver a FIFA desprezar por completo o seu trabalho, atribuindo a Del Bosque o prémio de treinador do ano, e como não poderia deixar de ser, atribuindo a Messi o quarto título consecutivo de melhor jogador do Mundo.
Analisando bem as épocas destes quatro envolvidos, e começando pelos treinadores, Mourinho fez uma excelente campanha no campeonato espanhol nos primeiros meses de 2012, culminando esse mesmo trabalho com o título de campeão. O Real fez exactamente cem pontos e marcou cento e vinte e um golos, mais sete que o Barcelona. É certo que os merengues acabaram o ano 2012 'de rastos' em termos de resultados, estando já muito longe do Barça, mas por outro lado, Del Bosque 'pouco fez' para ser o melhor treinador do ano. Bem vistas as coisas, o técnico espanhol limita-se a copiar o modelo de jogo do Barça, gerindo as peças à sua maneira. Fez seis jogos, entre eles um jogo suadíssimo frente a Portugal, e foi campeão da Europa. Suficiente?
Quanto aos prémios de jogador, Ronaldo foi a grande figura do Real Madrid que se sagrou campeão. Ronaldo andou com a equipa literalmente 'às costas' e resolveu o jogo em Camp Nou, quando o Real deu um passo decisivo rumo ao título. Ronaldo teve um bom desempenho no Euro 2012, ajudou e muito Portugal a chegar às meias-finais, e marca golos que se farta, para quem não é ponta-de-lança. Messi fez noventa e um golos num ano, bateu recordes, é certo, mas não foi campeão espanhol, e em 2012 esteve ligeiramente distante de Ronaldo.
São os seleccionadores nacionais e respectivos capitães que votam - assim diz a FIFA -, mas até que ponto este organismo não influencia essas mesmas votações?
Ou Portugal é mesmo muito pequenino, ou então é grande demais para 'caber' na FIFA.

Sem comentários:

Enviar um comentário