sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Clássico: FC Porto 2-2 Benfica

FC Porto e Benfica empataram a duas bolas no Dragão, no jogo que marcou o arranque da sexta jornada. O empate acaba por penalizar mais a equipa da casa, que foi a que mais jogou para vencer. O Benfica bateu-se bem, pressionou muito durante o jogo, e até justificou o empate no segundo tempo.
Nos primeiros quarenta e cinco minutos só deu FC Porto: o Benfica mostrava-se incapaz de olhar olhos nos olhos o seu adversário, de construir jogo e de ir à procura da vantagem.
Os azuis e brancos, tiveram duas boas oportunidades para abrirem o activo, antes de o fazerem mesmo de vez: ainda nos primeiros dez minutos, Hulk disparou de longe para um toque subtil de Artur a desviar para canto; depois foi Fucile quem apareceu na área, e rejeitou o papel de 'herói improvável', atirando para nova defesa de Artur, esta quase 'impossível'.
O tal golo da vantagem portista apareceu aos 37': livre na esquerda cobrado por Guarín, com Kléber a antecipar-se aos centrais encarnados e a desviar a bola subtilmente para o fundo da baliza.
Até ao intervalo, pouca 'tinta' correu, e a segunda parte começaria praticamente com o golo do Benfica.
Soou a injustiça no Dragão, mas de uma perda de bola de Hulk, resultou um passe de Nolito a descobrir Cardozo, e um bom trabalho do paraguaio a evitar Helton, antes de encostar para o empate.
O Porto rapidamente voltaria à vantagem: canto na direita à maneira curta, defesa à zona do Benfica desfeita, e Otamendi a aparecer na pequena área a concluir com sucesso um cruzamento de Varela.
A partir daí, a turma da casa tornou-se irreconhecível, e só não baixou a 'guarda' como permitiu ainda que o Benfica crescesse no jogo. E posteriormente no resultado. Mas já lá vamos.
Guarín e Álvaro acusaram algum cansaço, Fernando cometeu alguns erros, e Kléber pediu para sair. Antes da saída do brasileiro, já Belluschi havia entrado em campo para o lugar de Guarín; depois seria a vez de Cristián Rodríguez substituir o ponta de lança.
Antes disso, Jesus havia lançado Saviola e Bruno César para os lugares de Nolito e Aimar, e a verdade é que seria graças a um passe espectacular de Saviola que o Benfica conseguiria chegar ao empate.
Fucile ter-se-á esquecido de Gaitán nas suas costas, e 'El Conejo' não hesitou, mesmo estando de costas para o seu colega, fazendo um passe soberbo, cabendo depois a Gaitán encher o pé, empatando a partida. A bola bateu na trave e entrou, dando ainda mais espectacularidade ao lance.
Vítor Pereira lançou Walter por Varela aos 86'; Jesus lançou Matic em cima do período de compensação, tirando Cardozo.
FC Porto e Benfica mantêm-se assim lado a lado na liderança, se bem que os 'encarnados' estão agora em vantagem, pois marcaram dois golos na Invicta.
Ficha de Jogo:

Jogo realizado no Estádio do Dragão, na cidade do Porto
Quarteto de arbitragem composto por: Jorge Sousa (Árbitro Principal); Bertino Miranda e José Ramalho (Árbitros Assistentes); Rui Costa (Quarto Árbitro)

FC Porto: Helton; Fucile, Otamendi, Rolando e Álvaro Pereira; Fernando, João Moutinho e Guarín (Belluschi 77'); Varela (Walter 86'), Kléber (C. Rodríguez 80') e Hulk.
Treinador: Vítor Pereira. Suplentes Não Utilizados: Bracalli; Maicon, Souza e Defour.

Benfica: Artur; Maxi Pereira, Garay, Luisão e Emerson; Javi García, Witsel e Aimar (Bruno César 69'); Nolito (Saviola 69'), Cardozo (Matic 90') e Gaitán.
Treinador: Jorge Jesus. Suplentes Não Utilizados: Eduardo; Jardel, Rúben Amorim e Rodrigo.

Disciplina:
Amarelos: Otamendi 09'; Luisão 40'; Javi García 40'; Fucile 43'; Cardozo 43'; Álvaro Pereira 57'; Kléber 77'; Fernando 78'; Bruno César 88'; João Moutinho 90';

Marcador: 1-0 Kléber 37'; 1-1 Cardozo 47'; 2-1 Otamendi 51'; 2-2 Gaitán 82'.

Sem comentários:

Enviar um comentário