sábado, 26 de maio de 2012

Fina: "Famalicão merece voltar aos palcos principais"

(Fina cumpriu a segunda temporada consecutiva ao serviço do Famalicão.)
Na sua história, constam seis presenças na I Divisão nacional. Mas, actualmente, as contas são outras. Arredado dos grandes palcos desde 1994, o Famalicão regressou esta temporada à II Divisão, e garantiu a manutenção já na fase final da época. O plantel fora construído para lutar pelos primeiros lugares, mas acabou de 'calculadora na mão' de forma a evitar a descida.
O blogue conversou com Fina, experiente médio dos famalicenses, que começou por abordar precisamente a questão dos objectivos do 'Fama' para a época 11/12 serem outros:
"O objectivo do clube, era andar nos lugares cimeiros e fazer a melhor classificação possível, mas principalmente estabilizar o clube na II Divisão, neste ano de transição da III Divisão. A curto prazo, o objectivo é levar o Famalicão às ligas profissionais. A direcção e os adeptos, precisam e querem o Famalicão de volta aos palcos principais."
Após a décima sexta jornada, o Famalicão era décimo terceiro na Zona Norte, com dezanove pontos, estando já dentro da linha-de-água. José Augusto acabou por sair do comando técnico, sendo substituído por Micael Sequeira, que entre outros clubes, orientou o Aves na Liga Orangina.
Para Fina, José Augusto foi vítima da irregularidade de resultados, com o jogador a salientar que a culpa tem de ser repartida pelos jogadores e não pelo treinador:
"Penso que o mister José Augusto foi vítima de alguma irregularidade de resultados, e nestes casos os treinadores são quase sempre as vítimas, embora a culpa tenha que ser repartida pelos jogadores. O que mudou com a chegada do mister Micael, foi principalmente o consciencializar dos jogadores para o restante campeonato, porque a margem de erro estava a esgotar-se e tínhamos que pontuar não só em casa, como também fora."
Na Taça, os famalicenses receberam o Sporting, num jogo a fazer relembrar os velhos tempos, e esse foi um dos pontos altos da temporada para Fina:
"Ponto alto da temporada, foi a carreira na Taça de Portugal que culminou com a recepção ao Sporting, e ainda a concretização do objectivo principal de estabilizar o clube na II Divisão. Ponto baixo, foi a irregularidade de resultados que levou à substituição do treinador."
Actualmente com trinta e três anos, Fina participou em vinte e quatro jogos no campeonato, todos como titular, e refere que fez uma boa temporada a nível pessoal:
"A nível pessoal, acabei por fazer uma boa época, pois penso que consegui ser regular ao longo do campeonato, embora como é natural, tivesse jogos menos positivos."
Quanto à próxima época, o jogador ainda não tem nada acertado, mas dá prioridade ao Famalicão no que toca a um novo contrato:
"O futuro ainda está indefinido, sendo que a prioridade será dada ao Famalicão, clube que me acolheu bem e que merece todo o meu respeito e que me faz aguardar pela sua definição directiva, para depois tomar uma decisão sobre o meu futuro."
Aos trinta e três anos, Fina repartiu a sua formação entre Ruivanense, V. Guimarães e Ronfe. Ao serviço do Ronfe estreou-se como sénior, representando depois Moreirense, Sanjoanense, Taipas, Merelinense, Joane e Maria da Fonte, antes de chegar ao Famalicão na temporada 10/11.

Sem comentários:

Enviar um comentário