quarta-feira, 9 de maio de 2012

Pinto: "Não merecíamos descer"

(Pinto jogou toda a carreira como médio, tendo recuado para central esta temporada.)
Após quatro temporadas consecutivas na II Divisão, o Aliados de Lordelo acabou por descer à III Divisão esta época, em virtude de ter sido um dos dois piores décimos segundos classificados.
O Aliados chegou a ser quinto classificado da Zona Centro, e andou toda a temporada acima dos lugares de despromoção, caindo no décimo segundo lugar apenas na última jornada. A época até podia ser considerava positiva apesar da descida, algo que Pinto, jogador dos lordelenses, discordou em declarações ao blogue:
"Não posso considerar como uma época positiva, visto que fomos despromovidos na última jornada, ou seja, o principal objectivo não foi cumprido. Até pode parecer um paradoxo, mas na minha opinião as coisas não correram tão mal durante a época para termos este desfecho. Um facto, é que nunca tivemos em lugares de despromoção, pois tinhamos um grupo unido, trabalhador e com muita qualidade, e não merecíamos de todo ter descido de divisão. Acabámos por descer com um saldo positivo em todas as frentes, mas nas últimas jornadas também houveram factores externos que foram essenciais para este final."
Durante várias jornadas, o Aliados oscilou entre a quinta e a oitava posição, algo que podia levar a equipa a ter algum relaxamento na fase final de temporada.
Pinto, médio que 'virou' central em Lordelo, entende que isso não aconteceu, alegando que a equipa começou a pensar noutros objectivos e acusou a falta de maturidade:
"(Acha que a equipa relaxou após ter andado entre a quarta e oitava posições?) Não, de todo. É verdade que tivemos entre essas posições, mas a equipa nunca relaxou. O que aconteceu no meu ponto de vista, é que nessa altura, começamos a pensar noutro tipo de objectivos e aí a equipa acusou um bocado de inexperiência, visto que a nossa média de idades rondava os vinte e três anos, e como esta zona foi bastante competitiva, a maturidade era muito importante e faltou nessa fase decisiva da época, o que fez com que a equipa perdesse alguns pontos essenciais."
Na última jornada, e a precisar de vencer para não se deixar ultrapassar pelo Padroense e também pelo Vizela, o Aliados perdeu na casa do há muito despromovido Madalena, por 3-2.
Pinto destaca uma vez mais que o plantel não merecia descer, e ficou triste por ter falhado o grande objectivo da temporada:
"Ponto baixo da época, foi sem dúvida não termos conseguido o objectivo do clube. Foi muito triste para todos nós, aquele último jogo na Madalena, porque realço mais uma vez, este grupo não merecia. Ponto alto, foi a certa altura da época, quando sentimos que as equipas adversárias nos respeitavam imenso, pois era sinal que o grupo tinha muita qualidade."
Com vinte e seis anos, Pinto saiu do Tirsense apenas pela segunda vez na sua carreira, para representar o Aliados, precisamente por empréstimo dos 'jesuítas'. De médio passou a central, ganhando o lugar, tendo efectuado vinte e nove jogos na II Divisão, sem marcar qualquer golo:
"A nível pessoal, a época correu muito bem, tendo realizado uma das minhas melhores épocas, com vinte e nove jogos feitos a titular, apenas faltando a um devido a castigo. Um momento importante foi também quando tive o privilegio de usar a braçadeira de capitão, visto que tinha acabado de chegar ao clube e isso deixou-me orgulhoso, sendo uma forma de confiança e trabalho reconhecido. Foi muito bom fazer parte deste grupo. Aproveito a oportunidade, para agradecer a toda a estrutura directiva e ao Sr. Emídio (roupeiro) por tudo que fizeram durante a época, para que nada nos faltasse. Foi um ano difícil, mas com muita aprendizagem a todos os níveis. Deixo também uma palavra de apreço ao Professor Ricardo Ventura, que de tudo fez para não acontecer este desfecho, tendo eu a certeza que terá muito futuro nesta nova etapa da sua vida."
Em relação à próxima temporada, o jogador aponta que nada está definido:
"Quanto ao futuro, estarei aberto a novas propostas, nunca fechando esta porta que foi a que me permitiu sentir-me novamente útil. Para já, não há nada em concreto, mas sinto-me preparado para uma nova fase na carreira."
André Pinto fez toda a sua formação no Tirsense, clube que representou sempre enquanto sénior, apenas com duas interrupções: a primeira, em 08/09, para jogar no Cinfães; a segunda esta temporada, para representar o Aliados.

1 comentário:

  1. Antes de mais permitam-me que identifique, meu nome é Filipe Silvestre Carneiro e sou Presidente Adjunto do Aliados Futebol Clube de Lordelo.
    Feitas as introduções, para que não restem dúvidas sobre a tendência da minha opinião sobre André Pinto enquanto atleta do Aliados Futebol Clube de Lordelo.
    Pinto veio para o Aliados como médio por empréstimo do FC Tirsense no início da época 2011/2012, mas dada a versatilidade demonstrada, recuou para a posição de central, dada a exiguidade do plantel nessa posição, pegando de “estaca” e cedo demonstrando todo o seu profissionalismo e carácter como atleta e como homem, dentro e fora do campo.
    Tornou-se um atleta fundamental no “Xadrez” da equipa, sendo o 2º jogador mais utilizado, 29 dos 30 jogos, sendo sempre a primeira escolha dos 2 treinadores que lideraram o balneário durante a época (Paulo Fernando e Ricardo Ventura), ficando de fora apenas no jogo com o União de Paredes por castigo, totalizando 2572 m de competição ao mais alto nível, suando a camisola e demonstrando toda a sua vontade de vencer do primeiro ao último minuto.
    Esta determinação de vencer e liderança demonstrada fez com que tivesse, segundo as suas palavras, o “privilégio” de usar a braçadeira de capitão, como é sabido, situação não muito usual num jogador que representa um clube pelo 1º ano, mas em nome do Aliados FC Lordelo permitam-me que lhe diga que o privilégio não foi só dele, porque o Clube também teve o mesmo privilégio de o ter tido como capitão.
    Um grande abraço para o grande profissional André Pinto e um agradecimento pela época realizada ao serviço do Aliados FC Lordelo.

    ResponderEliminar