quinta-feira, 14 de junho de 2012

AF Porto: Ac. Felgueiras sobe aos Nacionais

(Na temporada 05/06, o Felgueiras até já tinha plantel para competir, mas acabou por não o fazer.)
No princípio da temporada 05/06, a cidade de Felgueiras ficou 'virgem' de futebol: o FC Felgueiras fechou portas, depois de na época transacta ter conseguido a manutenção na Liga de Honra, escalão onde competia há já nove temporadas consecutivas.
Para 06/07, surgiu na cidade o Clube Académico de Felgueiras, que visava garantir o regresso do futebol à cidade, começando naturalmente por baixo, isto é, pelos Distritais.
No primeiro ano de actividade, o Ac. Felgueiras garantiu a subida à I Divisão Distrital, escalão onde esteve três temporadas, antes de garantir nova subida, desta feita à Divisão de Honra, o escalão maior da AF Porto.
Depois de uma temporada de estabilidade na Divisão de Honra, os felgueirenses apostaram tudo na subida aos Nacionais na época que recentemente chegou ao fim, e foram 'recompensados': o primeiro lugar não lhes escapou, com vinte e quatro vitórias em trinta e quatro jogos, a que se juntaram seis empates e quatro derrotas, setenta e quatro golos marcados e vinte e seis sofridos.
No plantel responsável por este feito, pontificavam os nomes de Raúl, Davide Bessa e Jaime, três jogadores que estiveram presentes na última época do FC Felgueiras nos campeonatos profissionais, mas também os nomes de David, Samuel, Daniel Dias, Zamorano e Bakero, que também representaram o FCF nos escalões cimeiros do nosso futebol.
No banco, esteve também um Homem com passado ligado ao futebol felgueirense, ou não tivesse o treinador Ricardo Soares, jogado no Felgueiras na Liga de Honra.
O estádio utilizado pelo Ac. Felgueiras, é o mesmo que serviu o FCF nos palcos principais do futebol português, o Estádio Municipal, que não há muitos anos, viu-lhe ser retirada a relva, mas que no decorrer da temporada 11/12, voltou a receber um relvado natural.
De resto, continua quase tudo na mesma: o equipamento mantém-se vermelho e azul com listas verticais, e o símbolo sofreu já uma alteração, alteração essa que o deixa muito idêntico ao do FC Felgueiras.
Com a subida de divisão, o Académico prepara-se para devolver a cidade aos campeonatos nacionais, pois apesar do clube ser diferente, toda a gente continua a mover-se pela mesma paixão: Felgueiras.

2 comentários:

  1. Felicito a autoria deste artigo, muito bem elaborado. Há porém uma correção a fazer: a relva do estádio municipal Dr. Machado de Matos, em Felgueiras, não é sintética, mas natural. A confusão deve resultar de haver em Felgueiras uma zona desportiva municipal, relativamente afastada do estádio, mas onde, nessa zona desportiva, existe um campo de futebol onde evoluem as equipas dos escalões de formação (quer do Clube Académico de Felgueiras, o novo clube que tem equipas de seniores e jovens da formação; mais um outro novo e diferente chamado oficialmente F C F-Felgueiras, só com escalões jovens), cujo recinto, esse sim, é de piso sintético.

    ResponderEliminar
  2. Caro Armando Pinto,

    Obrigado pela sua correcção, de facto pensei mesmo que era sintético, porque nos tempos que correm, é cada vez mais usual a troca de relvados naturais por sintéticos, para reduzir custos - veja-se o caso do Boavista.
    Obrigado pelo comentário,

    Raúl Paiva.

    ResponderEliminar